Blablablogue | Luiz Brás

busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bate-papo com Jeanette Rozsas
>>> Mais Kaizen
>>> O Cabotino reloaded
>>> Deleter
>>> O roteirista profissional: televisão e cinema
>>> Clínica de Guitarra de Brasil
>>> Vestibular, Dois Irmãos e Milton Hatoum
>>> Circo Roda Brasil
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães
Mais Recentes
>>> Um Ano Para Enriquecer de Napoleon Hill pela Record (1998)
>>> Leituras De Escritor de Moacyr Scliar pela Sm (2015)
>>> Formaciones Económicas Precapitalistas de Carlos Marx pela Anteo (1973)
>>> A Revolução das Bonecas de José Carlos Oliveira pela Sabiá (1967)
>>> Por Que Ninguém Me Disse Isso Antes?: Ferramentas Para Enfrentar Os Altos E Baixos Da Vida de Julie Smith pela Mixfly (2022)
>>> O Positivismo Jurídico: Lições Da Filosofia Do Direito de Norberto Bobbio pela Icone (1995)
>>> O Falecido Mattia Pascal de Luigi Pirandello pela Civilização Brasileira (1971)
>>> Inovaçao: A Arte De Steve Jobs de Carmine Gallo pela Lua De Papel (2010)
>>> Illustrated Directory Of Guitars de Ray Bonds pela Barnes & Noble (2006)
>>> Dinamite Mental de Napoleon Hill pela Citadel
>>> Amar e Ser Amado de Pierre Weil - Roland Tompakow Ilustrações pela Civilização Brasileira (1965)
>>> Manual De Introdução Ao Estudo Do Direito de Rizzatto Nunes pela Saraiva (2009)
>>> Maneiras De Amar - Como A Ciencia Do Apego Adulto Pode Ajudar Voce A Encontrar ¿ E Manter ¿ O Amor de Amir Levine pela Sextante (2021)
>>> Guia Atemporal Das Noivas Com Estilo de Carol Hungria pela 3R Studio (2018)
>>> Os Cinco Príncípios Essenciais De Napoleon Hill de Napoleon Hill pela Citadel Press (2022)
>>> Os Dez Mandamentos Da Etica de Gabriel Chalita pela Nova Fronteira (2003)
>>> O Quarto Em Chamas de Michael Connelly pela Suma (2018)
>>> Dinamite Mental de Napoleon Hill pela Citadel
>>> Venda À Mente, Não Ao Cliente de Jurgen Klaric pela Planeta Estrategia (2017)
>>> Processo Decisório de Max H. Bazerman pela Elsevier (2004)
>>> O que é leitura de Maria helena martins pela Brasiliense (1982)
>>> Atriz de Mônica de castro pela Vida E Consciencia (2009)
>>> Trilhando a linha do tempo da reforma de Aecep pela Aecep
>>> Reflexões Sobre a Vaidade dos Homens de Matias Aires pela Martins (1966)
>>> Infinitos de John Banville pela Nova Fronteira (2011)
ENSAIOS

Segunda-feira, 23/2/2009
Blablablogue
Luiz Brás
+ de 6000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Quem não sabe o que é um blogue, um blog ou um weblog? Todo mundo, até mesmo minha vizinha de duzentos anos, que ainda hoje se recusa a ingressar no mundo digital, sabe que se trata de "uma página da web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos ou posts, estes em geral organizados de forma cronologicamente inversa na página" (Wikipédia).

Meu alter ego, Nelson de Oliveira, neste momento está organizando, para a editora Terracota, uma coletânea do que ele chama de crônicas e confissões de blogue. O título do livro? Blablablogue, é claro. Assim que eu soube do projeto, a grande pergunta que fiz ao organizador foi: "A quem se destinará este livro?". E logo emendei: "Por que alguém pagará pra ler as crônicas e as confissões selecionadas, impressas e encadernadas, se elas podem ser lidas gratuitamente no blogue dos blogueiros participantes?". A resposta não podia ser outra: "Este livro se destinará principalmente a todos os milhões de leitores que não têm e nunca tiveram acesso à internet. Eles não precisarão pagar pra ler, porque certamente o livro estará disponível nas bibliotecas municipais e escolares. Ele também se destina a todos os milhões de leitores que têm acesso à internet mas nunca se interessaram pela blogosfera".

Para quem tem um blogue ou pelo menos é leitor de blogues, a simples ideia de que possa existir alguém completamente desinteressado por esta contemporânea forma de comunicação soa como se a pessoa dissesse que não tem fogão em casa nem é adepta da comida cozida, assada ou frita. Para quem tem um blogue ou pelo menos é leitor de blogues, o mundo e a própria blogosfera muitas vezes se confundem. Afinal os blogues estão aí, ditando o comportamento, informando, entretendo, irritando. No marketing. Na imprensa. Na literatura. Até no cinema.

Em 2008 foi lançado Nome próprio, o primeiro longa-metragem brasileiro, talvez o primeiro do planeta, a ter um blogueiro como protagonista. No caso, uma blogueira: a fictícia Camila Jam. O filme nasceu a partir do livro Vida de gato, da escritora e blogueira Clarah Averbuck, e tem como atriz principal a também blogueira Leandra Leal. Os livros de Clarah por sua vez nasceram de vários textos publicados em seus blogues.

Velocidade e interação
O número de blogues no ciberespaço tem crescido de forma exponencial. A maioria das pessoas utiliza os blogues como um diário pessoal, porém eles podem veicular qualquer tipo de conteúdo e ser usados para os mais diversos fins. Uma das vantagens das ferramentas de um blogue é permitir que os usuários publiquem o que quiserem sem a necessidade de saber como são construídas as páginas na internet, ou seja, sem o conhecimento técnico especializado de um programador.

A primeira grande diferença entre os blogues e a mídia tradicional, impressa, é a velocidade. Um artigo que levaria horas, dias ou semanas para ser publicado numa revista de papel pode estar disponível em poucos segundos para a leitura num blogue. Outra grande diferença entre os blogues e a mídia tradicional é que aqueles compõem uma rede baseada em ligações: os famosos links. Todo blogue faz ligação com outras fontes de informação disponíveis na rede, e mais intensamente com outros blogues. Por isso muitos blogueiros mantêm um blogue roll, uma lista de blogues que frequentemente leem e admiram, com um link direto para o endereço desses blogues. Os blogue rolls representam um excelente meio para avaliarmos os interesses e as preferências dentro da blogosfera, pois ao reunirem numa pequena comunidade os blogues com os quais o blogueiro compartilha os mesmos interesses, revelam sua personalidade e sua ideologia.

A possibilidade de interação com o visitante, que no final do post pode deixar seu comentário, opinando sobre o artigo postado ou xingando a mãe do blogueiro, também é um recurso característico dos blogues impossível na mídia impressa. Mas não vá você pensando que a blogosfera é a casa da mãe Joana. Embora um blogue permita uma enorme liberdade opinativa, seu conteúdo está sujeito às mesmas regras legais de outras fontes e seu autor sempre pode ser responsabilizado juridicamente pelo que escreve.

Igualdade de palavra
André Lemos escreveu no prefácio do livro Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação, organizado por Adriana Amaral, Raquel Recuero e Sandra Montardo:

"Os blogs são, junto com os games, os chats e os softwares sociais, um dos fenômenos mais populares da cibercultura. Eles constituem hoje uma realidade em muitas áreas, criando sinergias e reconfigurações na indústria cultural, na política, no entretenimento, nas redes de sociabilidade e nas artes. Os blogs são criados para os mais diversos fins, refletindo um desejo reprimido pela cultura de massa: o de ser ator na emissão, na produção de conteúdo e na partilha de experiências. A cultura de massa criou o consumo para todos. A nova cultura pós-massiva cria, para o desespero dos intermediários, dos que detêm o poder de controle e de todos os que usam o corporativismo para barrar a criatividade que vem de fora, uma isegonia: igualdade de palavra para todos. Os blogs refletem a liberação do pólo da emissão característico da cibercultura. Agora todos podem (com mínimos recursos) produzir e fazer circular informação sem pedir autorização ou o aval a quem quer que seja (barões das indústrias culturais, intelligentsia, governos...). O fenômeno dos blogs ilustra bem essa cultura pós-massiva que tem na liberação do pólo da emissão, na conexão telemática e na reconfiguração da indústria cultural seus pilares fundamentais."

Caso você queira ler o livro inteiro, ele está disponível para download gratuito na íntegra neste site.

História e números
Jorn Barger, o primeiro blogueiro da História, foi o autor do blogue Robot Wisdom, lançado em 17 de dezembro de 1997, e o criador do termo weblog nesse mesmo ano. O blogue de Barger tinha ― tem ― uma aparência diferente dos atuais e ainda hoje mantém a mesma interface de quando foi criado. Pouco depois o termo weblog foi alterado por Peter Merholz, que decidiu pronunciar wee-blog, tornando inevitável o encurtamento para o termo definitivo blog, em inglês, ou "blogue", em português.

Rebecca Blood, pioneira no uso de blogues, certa vez relatou suas experiências na internet, explicando que em 1999 os blogues eram distintos na forma e no conteúdo das publicações periódicas que os precederam (e-zines e journals). "Eles eram rudimentares no design e no conteúdo, mas as pessoas que os produziam achavam que estavam realizando algo interessante e decidiram ir em frente", disse ela. "Os blogueiros organizavam links interessantes de sites e de outros blogues, normalmente adicionando suas opiniões. O crédito era concedido a um blogueiro individual quando outros reproduziam os links que este havia encontrado. Devido à frequente interligação entre os blogues existentes na época, os críticos chamaram os blogueiros de incestuosos. Os blogueiros nem se importaram. Eles sabiam que estavam amplificando a voz uns dos outros quando criavam links entre si. Foi assim que a comunidade cresceu. Os pioneiros do blogue trabalharam muito para se tornar fonte de muitos links para conteúdos de qualidade espalhados na Web, esforçando-se pra escrever concisamente, utilizando os elementos que seduziam os leitores a visitar seu blogue, outros blogues e principalmente sites interessantes."

Por tudo isso o fenômeno dos blogues está longe de ser um fenômeno de pouca amplitude, passageiro, trivial. A blogosfera não para de crescer. Em 1999 o número de blogues era estimado em menos de trinta. No final de 2000 a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois os números saltaram para algo em torno de 2,5 milhões a quatro milhões. Atualmente existem perto de 140 milhões de blogues e cerca de 120 mil são criados diariamente (1,4 por segundo), de acordo com o estudo State of Blogosphere.

O estudo revela que a blogosfera aumentou cem vezes nos últimos três anos e atualmente tende a dobrar a cada seis meses. Esse aumento significativo no número de blogues fez com que a grande mídia desse maior importância ao fenômeno: antes de 1999 apenas onze artigos jornalísticos sobre blogues foram publicados na imprensa tradicional. Já no ano de 2003 estimou-se que 647 artigos foram publicados. Em 2008 foram mais de quatro mil artigos. Os idiomas campeões no número de blogues ainda são o japonês e o mandarim, mas a participação dos outros países tem crescido consideravelmente, principalmente a fatia das nações de língua inglesa. Em relação ao Brasil, estima-se que há entre três a seis milhões de blogueiros e nove milhões de leitores, o que corresponde a quase metade dos internautas ativos no país.

Maria Clara Aquino, no artigo "Os blogs na Web 2.0", publicado na coletânea Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação, elenca cinco tipos de blogues: a) blogues-diários: trazem posts sobre a vida pessoal do autor, sem o objetivo de trazer informações ou discuti-las, mas simplesmente relatar fatos cotidianos, como um diário pessoal. b) Blogues-publicações: trazem informações de modo opinativo, buscando o debate e o comentário; podem focar um tema específico ou então tratar de generalidades. c) Blogues literários: contam histórias ficcionais ou agrupam um conjunto de crônicas ou poemas com ambições literárias. d) Blogues-clippings: apresentam um apanhado de links ou recortes de outras publicações, filtrando a informação publicada em outros lugares. e) Blogues mistos: misturam posts pessoais e informativos, com notícias, dicas e comentários de acordo com o gosto e a opinião pessoal do autor.

Muito comum hoje em dia são os "moblogues" (móvel + blogue), que são blogues atualizados por meio de tecnologias móveis digitais, como o celular e o smartphone. Um tipo de moblogue é o microblogue, que vem sendo adotado por grandes grupos de comunicação e por uma infinidade de internautas. O microblogue, que surgiu em março de 2006, pode ser atualizado de várias maneiras, principalmente através do envio de mensagens do celular e de mensageiros instantâneos como o MSN e o Google Talk. A principal característica desse formato de blogue é o espaço limitado a textos de no máximo cento e quarenta caracteres.

Uma curiosidade: no dia 31 de agosto comemora-se o Dia do Blogue, devido a semelhança da data 31.08 com a palavra blog. Nesse dia, os blogueiros de vários países se reúnem numa grande celebração on-line, para promover a descoberta de novos blogues e de novos blogueiros.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no jornal Rascunho, na edição de fevereiro de 2009.


Luiz Brás
São Paulo, 23/2/2009
Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sereníssima de Ramon Mello
02. Gil aos 64 em Londres de Paula Góes


Mais Luiz Brás
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2009
06h40min
Prezado Luiz, tive a honra de ter sido aluna do Nelson de Oliveira na Unip e tenho certeza de que o livro ficará muito bom. Nelson tem muito bom gosto e sei que vai saber pinçar nessa imensa blogosfera os textos mais interessantes para os leitores. Um abraço da Bia
[Leia outros Comentários de Bia Nunes de Sousa]
2/3/2009
10h00min
Olá, Luiz, lendo o seu artigo veio-me a seguinte questão: com tantos blogs existentes, o quadro "os brasileiros não leem e não escrevem" não estará em processo de modificação? Não estarão os blogs, através desta oportuna "igualdade de palavra para todos", contribuindo, de uma forma diferente, mas eficaz, para uma, digamos, "melhoria na educação"? Sei lá, acho que a realidade tende a tornar-se mais atraente com a crescente popularização da internet...
[Leia outros Comentários de Angela Mendez]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Jurupari
Francisco Brasileiro
Martins
(1948)



Direito Das Sucessoes
Carlos Roberto Gonçalves
Saraiva
(2002)



Museus do Rio
Neusa Fernandes e Sonia Gomes Pereira
Francisco Alves
(1973)



O que fazer quando a fé parece fraca e a vitória perdida
Kenneth E. Hagin
Graça



Poemas para a amiga e outros dizeres
Helena Parente Cunha
Mulheres
(2014)



100 Dias Em Paris
Tania Carvalho
Ímã
(2013)



Manual do Trabalho Doméstico
Sergio Pinto Martins
Altas
(2002)



Dante Alighieri - o Poeta Filósofo
Carlos E. Zampognaro
Livros Escala
(2011)



Livro Administração Práticas Administrativas Em Escritorio
Eladio Asensi e Outros
Senac Nacional
(2013)



O Negro em Versos
Luiz Carlos dos Santos e outros
Salamandra
(2005)





busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês