Blablablogue | Luiz Brás

busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
>>> Eugène Delacroix, um quadro uma revolução
>>> Meus Livros
Mais Recentes
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
>>> A Igreja Católica de Hans Kung pela Objetiva (2002)
>>> O Comunismo de Richard Pipes pela Objetiva (2002)
>>> Lições para o Cotidiano de Masaharu Taniguchi pela Seicho-No-Ie (1996)
>>> Guerra sem fim – Edição especial de Joe Haldeman pela Aleph (2019)
>>> O Renascimento de Paul Johnson pela Objetiva (2001)
>>> Homeopatia a Ciência e a Cura de Ralph Twentyman pela Círculo do livro (1989)
>>> A Descoberta do Amor em Versos de Diversos pela Cen (2003)
>>> O Islã de Karen Armastrong pela Objetiva (2001)
>>> O Sumiço do Mentiroso de Lourenço Cazarré pela Atual (1998)
>>> A Turma da Tia e os Bilhetes Misteriosos de Ganymédes José pela Ftd (1991)
>>> Camões Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões pela L&PM Pocket (2008)
>>> Destruição e Equilíbrio de Sérgio de Almeida Rodrigues pela Atual (1989)
>>> Armadilha para Lobisomem de Luiz Roberto Guedes pela Cortez (2005)
>>> A Menina que Descobriu o Brasil de Ilka Brunhilde Laurito pela Ftd (2001)
>>> Guerra no Rio de Ganymédes José pela Moderna (1992)
>>> Paraíso de Toni Morrison pela Companhia das Letras (1998)
>>> Introduction à la Psycholinguistique de Hans Hörmann pela Larousse Université (1974)
>>> A idéia de cultura de Victor Hell pela Martins Fontes (1989)
>>> Poesia Concreta de Lumna Mara Simon (Org.) pela Abril (1982)
>>> Las Armas Secretas de Julio Cortazar pela Editorial sudamericana/ Buenos Aires (1970)
>>> Maio Apagou o Inverno de Carlos Roberto Douglas pela Ateniense/ S.P (1994)
>>> Utopia Selvagem de Darcy Ribeiro pela Nova Fronteira (1982)
>>> Twittando o Amor, Contando Uma História em 140 Caracteres de Teresa Medeiros pela Novo Conceito (2014)
>>> Estrela Oculta de Robert A. Heinlein pela Francisco Alves/ RJ. (1981)
>>> O Alimento dos Deuses de H. G. Wells (herbert George - 1866-1946) pela Francisco Alves/ RJ. (1984)
>>> Focus de Arthur Miller pela Ediouro (2001)
>>> Trinta Anos Depois da Volta - o Brasil na II Guerra Mundial de Octávio Costa (ilustr): Carlos Scliar pela Expressão e Cultura (1977)
>>> Tuareg (formato Original) de Alberto Vázquez- Figueiroa pela L&pm, Porto Alegre (2000)
>>> Cenas Noturnas na Bíblia (v. 1) : Tardes e Manhãs Que Conduzem... de Christian Chen pela Tesouro Aberto/ Belo Horizonte (2001)
>>> Fall of the House of Windsor (capa Dura; Sobrecapa) de Nigel Blundell & Susan Blackhall pela Contemporay Books/ L. A. (1992)
>>> Todos os Homens do Presidente de Carl Bernstein & Bob Woodward pela Francisco Alves/ RJ. (1977)
>>> A Primeira Comunhão de Verônica de Vários: Pia Sociedade de S. Paulo pela Edições Paulinas (1959)
>>> O Grande Livramento de Valdemiro Santiago: Apóstolo pela Impd (2009)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> O Poder dos Pais Que Oram de Stormie Omartian pela Mundo Cristão (2001)
ENSAIOS

Segunda-feira, 23/2/2009
Blablablogue
Luiz Brás

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Quem não sabe o que é um blogue, um blog ou um weblog? Todo mundo, até mesmo minha vizinha de duzentos anos, que ainda hoje se recusa a ingressar no mundo digital, sabe que se trata de "uma página da web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos ou posts, estes em geral organizados de forma cronologicamente inversa na página" (Wikipédia).

Meu alter ego, Nelson de Oliveira, neste momento está organizando, para a editora Terracota, uma coletânea do que ele chama de crônicas e confissões de blogue. O título do livro? Blablablogue, é claro. Assim que eu soube do projeto, a grande pergunta que fiz ao organizador foi: "A quem se destinará este livro?". E logo emendei: "Por que alguém pagará pra ler as crônicas e as confissões selecionadas, impressas e encadernadas, se elas podem ser lidas gratuitamente no blogue dos blogueiros participantes?". A resposta não podia ser outra: "Este livro se destinará principalmente a todos os milhões de leitores que não têm e nunca tiveram acesso à internet. Eles não precisarão pagar pra ler, porque certamente o livro estará disponível nas bibliotecas municipais e escolares. Ele também se destina a todos os milhões de leitores que têm acesso à internet mas nunca se interessaram pela blogosfera".

Para quem tem um blogue ou pelo menos é leitor de blogues, a simples ideia de que possa existir alguém completamente desinteressado por esta contemporânea forma de comunicação soa como se a pessoa dissesse que não tem fogão em casa nem é adepta da comida cozida, assada ou frita. Para quem tem um blogue ou pelo menos é leitor de blogues, o mundo e a própria blogosfera muitas vezes se confundem. Afinal os blogues estão aí, ditando o comportamento, informando, entretendo, irritando. No marketing. Na imprensa. Na literatura. Até no cinema.

Em 2008 foi lançado Nome próprio, o primeiro longa-metragem brasileiro, talvez o primeiro do planeta, a ter um blogueiro como protagonista. No caso, uma blogueira: a fictícia Camila Jam. O filme nasceu a partir do livro Vida de gato, da escritora e blogueira Clarah Averbuck, e tem como atriz principal a também blogueira Leandra Leal. Os livros de Clarah por sua vez nasceram de vários textos publicados em seus blogues.

Velocidade e interação
O número de blogues no ciberespaço tem crescido de forma exponencial. A maioria das pessoas utiliza os blogues como um diário pessoal, porém eles podem veicular qualquer tipo de conteúdo e ser usados para os mais diversos fins. Uma das vantagens das ferramentas de um blogue é permitir que os usuários publiquem o que quiserem sem a necessidade de saber como são construídas as páginas na internet, ou seja, sem o conhecimento técnico especializado de um programador.

A primeira grande diferença entre os blogues e a mídia tradicional, impressa, é a velocidade. Um artigo que levaria horas, dias ou semanas para ser publicado numa revista de papel pode estar disponível em poucos segundos para a leitura num blogue. Outra grande diferença entre os blogues e a mídia tradicional é que aqueles compõem uma rede baseada em ligações: os famosos links. Todo blogue faz ligação com outras fontes de informação disponíveis na rede, e mais intensamente com outros blogues. Por isso muitos blogueiros mantêm um blogue roll, uma lista de blogues que frequentemente leem e admiram, com um link direto para o endereço desses blogues. Os blogue rolls representam um excelente meio para avaliarmos os interesses e as preferências dentro da blogosfera, pois ao reunirem numa pequena comunidade os blogues com os quais o blogueiro compartilha os mesmos interesses, revelam sua personalidade e sua ideologia.

A possibilidade de interação com o visitante, que no final do post pode deixar seu comentário, opinando sobre o artigo postado ou xingando a mãe do blogueiro, também é um recurso característico dos blogues impossível na mídia impressa. Mas não vá você pensando que a blogosfera é a casa da mãe Joana. Embora um blogue permita uma enorme liberdade opinativa, seu conteúdo está sujeito às mesmas regras legais de outras fontes e seu autor sempre pode ser responsabilizado juridicamente pelo que escreve.

Igualdade de palavra
André Lemos escreveu no prefácio do livro Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação, organizado por Adriana Amaral, Raquel Recuero e Sandra Montardo:

"Os blogs são, junto com os games, os chats e os softwares sociais, um dos fenômenos mais populares da cibercultura. Eles constituem hoje uma realidade em muitas áreas, criando sinergias e reconfigurações na indústria cultural, na política, no entretenimento, nas redes de sociabilidade e nas artes. Os blogs são criados para os mais diversos fins, refletindo um desejo reprimido pela cultura de massa: o de ser ator na emissão, na produção de conteúdo e na partilha de experiências. A cultura de massa criou o consumo para todos. A nova cultura pós-massiva cria, para o desespero dos intermediários, dos que detêm o poder de controle e de todos os que usam o corporativismo para barrar a criatividade que vem de fora, uma isegonia: igualdade de palavra para todos. Os blogs refletem a liberação do pólo da emissão característico da cibercultura. Agora todos podem (com mínimos recursos) produzir e fazer circular informação sem pedir autorização ou o aval a quem quer que seja (barões das indústrias culturais, intelligentsia, governos...). O fenômeno dos blogs ilustra bem essa cultura pós-massiva que tem na liberação do pólo da emissão, na conexão telemática e na reconfiguração da indústria cultural seus pilares fundamentais."

Caso você queira ler o livro inteiro, ele está disponível para download gratuito na íntegra neste site.

História e números
Jorn Barger, o primeiro blogueiro da História, foi o autor do blogue Robot Wisdom, lançado em 17 de dezembro de 1997, e o criador do termo weblog nesse mesmo ano. O blogue de Barger tinha ― tem ― uma aparência diferente dos atuais e ainda hoje mantém a mesma interface de quando foi criado. Pouco depois o termo weblog foi alterado por Peter Merholz, que decidiu pronunciar wee-blog, tornando inevitável o encurtamento para o termo definitivo blog, em inglês, ou "blogue", em português.

Rebecca Blood, pioneira no uso de blogues, certa vez relatou suas experiências na internet, explicando que em 1999 os blogues eram distintos na forma e no conteúdo das publicações periódicas que os precederam (e-zines e journals). "Eles eram rudimentares no design e no conteúdo, mas as pessoas que os produziam achavam que estavam realizando algo interessante e decidiram ir em frente", disse ela. "Os blogueiros organizavam links interessantes de sites e de outros blogues, normalmente adicionando suas opiniões. O crédito era concedido a um blogueiro individual quando outros reproduziam os links que este havia encontrado. Devido à frequente interligação entre os blogues existentes na época, os críticos chamaram os blogueiros de incestuosos. Os blogueiros nem se importaram. Eles sabiam que estavam amplificando a voz uns dos outros quando criavam links entre si. Foi assim que a comunidade cresceu. Os pioneiros do blogue trabalharam muito para se tornar fonte de muitos links para conteúdos de qualidade espalhados na Web, esforçando-se pra escrever concisamente, utilizando os elementos que seduziam os leitores a visitar seu blogue, outros blogues e principalmente sites interessantes."

Por tudo isso o fenômeno dos blogues está longe de ser um fenômeno de pouca amplitude, passageiro, trivial. A blogosfera não para de crescer. Em 1999 o número de blogues era estimado em menos de trinta. No final de 2000 a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois os números saltaram para algo em torno de 2,5 milhões a quatro milhões. Atualmente existem perto de 140 milhões de blogues e cerca de 120 mil são criados diariamente (1,4 por segundo), de acordo com o estudo State of Blogosphere.

O estudo revela que a blogosfera aumentou cem vezes nos últimos três anos e atualmente tende a dobrar a cada seis meses. Esse aumento significativo no número de blogues fez com que a grande mídia desse maior importância ao fenômeno: antes de 1999 apenas onze artigos jornalísticos sobre blogues foram publicados na imprensa tradicional. Já no ano de 2003 estimou-se que 647 artigos foram publicados. Em 2008 foram mais de quatro mil artigos. Os idiomas campeões no número de blogues ainda são o japonês e o mandarim, mas a participação dos outros países tem crescido consideravelmente, principalmente a fatia das nações de língua inglesa. Em relação ao Brasil, estima-se que há entre três a seis milhões de blogueiros e nove milhões de leitores, o que corresponde a quase metade dos internautas ativos no país.

Maria Clara Aquino, no artigo "Os blogs na Web 2.0", publicado na coletânea Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação, elenca cinco tipos de blogues: a) blogues-diários: trazem posts sobre a vida pessoal do autor, sem o objetivo de trazer informações ou discuti-las, mas simplesmente relatar fatos cotidianos, como um diário pessoal. b) Blogues-publicações: trazem informações de modo opinativo, buscando o debate e o comentário; podem focar um tema específico ou então tratar de generalidades. c) Blogues literários: contam histórias ficcionais ou agrupam um conjunto de crônicas ou poemas com ambições literárias. d) Blogues-clippings: apresentam um apanhado de links ou recortes de outras publicações, filtrando a informação publicada em outros lugares. e) Blogues mistos: misturam posts pessoais e informativos, com notícias, dicas e comentários de acordo com o gosto e a opinião pessoal do autor.

Muito comum hoje em dia são os "moblogues" (móvel + blogue), que são blogues atualizados por meio de tecnologias móveis digitais, como o celular e o smartphone. Um tipo de moblogue é o microblogue, que vem sendo adotado por grandes grupos de comunicação e por uma infinidade de internautas. O microblogue, que surgiu em março de 2006, pode ser atualizado de várias maneiras, principalmente através do envio de mensagens do celular e de mensageiros instantâneos como o MSN e o Google Talk. A principal característica desse formato de blogue é o espaço limitado a textos de no máximo cento e quarenta caracteres.

Uma curiosidade: no dia 31 de agosto comemora-se o Dia do Blogue, devido a semelhança da data 31.08 com a palavra blog. Nesse dia, os blogueiros de vários países se reúnem numa grande celebração on-line, para promover a descoberta de novos blogues e de novos blogueiros.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no jornal Rascunho, na edição de fevereiro de 2009.


Luiz Brás
São Paulo, 23/2/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Como resenhar sem ler o livro de José Roberto Torero
02. Meu filho e minha mãe de Lélia Almeida


Mais Luiz Brás
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2009
06h40min
Prezado Luiz, tive a honra de ter sido aluna do Nelson de Oliveira na Unip e tenho certeza de que o livro ficará muito bom. Nelson tem muito bom gosto e sei que vai saber pinçar nessa imensa blogosfera os textos mais interessantes para os leitores. Um abraço da Bia
[Leia outros Comentários de Bia Nunes de Sousa]
2/3/2009
10h00min
Olá, Luiz, lendo o seu artigo veio-me a seguinte questão: com tantos blogs existentes, o quadro "os brasileiros não leem e não escrevem" não estará em processo de modificação? Não estarão os blogs, através desta oportuna "igualdade de palavra para todos", contribuindo, de uma forma diferente, mas eficaz, para uma, digamos, "melhoria na educação"? Sei lá, acho que a realidade tende a tornar-se mais atraente com a crescente popularização da internet...
[Leia outros Comentários de Angela Mendez]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A ERA DOS REIS - BIBLIOTECA DE HISTÓRIA UNIVERSAL LIFE
CHARLES BLITZER
LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO
(1973)
R$ 11,00



ESTUDOS PENAIS
JAMES TUBENCHLAK
FORENSE (RJ)
R$ 26,28



MATEMATICA CIENCIAS E APLICAÇÕES VOLUME 2 ENSINO MEDIO
GELSON IEZZI-OSVALDO DOLCE
ATUAL
(2011)
R$ 16,26



ALIMENTAÇÃO DESINTOXICANTE PARA ATIVAR OS SISTEMA IMUNOLÓGICO
CONCEIÇÃO TRUCOM
ALAÚDE
(2009)
R$ 10,00



AMERICA DEPOIMENTOS
NIRLANDO BEIRÃO
COMPANHIA DAS LETRAS
(1989)
R$ 4,74



NOS AVESSOS DO MEU EU ENCONTRO DEUS -
SAMUEL VAGNER
FORTALEZA
(2012)
R$ 25,00



DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TEM SOLUÇÃO
SUSAN LEIBEI (ORG)
ALL PRINT
(2009)
R$ 15,00



CIÊNCIA PICARETA
BEN GOLDACRE
CIVILIZAÇAO BRASILEIRA
(2013)
R$ 44,90



DISCURSO SOBRE O MÉTODO
RENÉ DESCARTES
HEMUS
(1975)
R$ 10,00



CRIANDO MENINOS
STEVE BIDDULPH
FUNDAMENTO
(2006)
R$ 35,10
+ frete grátis





busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês