Digestivo nº 160 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 4/2/2004
Digestivo nº 160
Julio Daio Borges

+ de 3100 Acessos
+ 5 Comentário(s)




Literatura >>> Escritor: uma ambição
Paulo Polzonoff Jr. se formou na escola da polêmica do jornalismo brasileiro e acaba de lançar o que chamou de “manual do canastrão literário”: “O Cabotino – um guia de anti-ajuda para literatos”, pela recém-surgida editora Candide, de sua namorada Paula Foschia e do cronista Cláudio Lampert. A idéia por trás do empreendimento editorial não é nova: lançar, em livro, escritores oriundos da internet, ou que se consagraram através dela. Como o caso de Polzonoff, que, apesar de uma sólida carreira jornalística (no Paraná, no “Jornal do Estado” e no suplemento literário “Rascunho”), desfrutou de uma certa notoriedade no meio virtual: seja em revistas eletrônicas (como este “Digestivo”); seja através do seu site pessoal e blog (polzonoff.com.br). Agora é o teste do livro, pelo qual passam alguns outros “blogueiros” e pelo qual já passaram (e passarão) projetos estritamente virtuais (como o “02 Neurônio” e, logo mais, o site “Paralelos”). Polzonoff, porém (ao contrário da imensa maioria que se lança em forma de poesia, conto ou romance), preferiu arriscar um ensaio de crítica literária – para, justamente, desencorajar seus colegas de geração: segundo ele, apenas “escrevinhadores” ou então “proto-escritores”. “O Cabotino”, seu “manual”, se compõe de 17 capítulos (mais um preâmbulo), em que Polzonoff aborda alguns dos principais cacoetes dos “escritores” do fim do século passado (alguns apontados pelas antologias de Nelson de Oliveira) até os de hoje. Eis os títulos: “Viciados em realidade”; “Veniz cultural”; “De hermetismo e outras escatologias”; “Academicismos”; “Relação com a crítica” – e por aí vai. Num estilo leve e direto (jornalístico), Polzonoff coloca o dedo na ferida, mas estranhamente não dá nome aos bois. (Num determinado capítulo, por exemplo, usa apenas as iniciais.) De qualquer forma, é uma estréia louvável – ainda que Polzonoff fique nos devendo a sua realização “literária”; nem que seja para colocar em prática o que agora andou pregando. [Comente esta Nota]
>>> O Cabotino - Paulo Polzonoff Jr. - 106 págs. - Candide Editora
 



Música >>> A feeling I can’t hide
Muita gente pensa que a idéia do Big Brother é recente e que os resultados (da iniciativa) sempre caminham para o que há de pior na humanidade. Não foi assim em 1969, quando os Beatles decidiram filmar sua rotina de composições e ensaios. A idéia era extrair dali um especial de televisão e acabou surgindo “Let It Be”, um disco lançado posteriormente (em 1970, depois do fim da banda), onde Paul McCartney era o líder e que revelava como a convivência (do quarteto) se tornara insustentável. John Lennon reclamaria, em entrevistas, da rotina de ter de comparecer às 8 da manhã ao estúdio e de ter de encarar dúzias de técnicos, equipamentos e câmeras. Mas, com todas as reclamações, eles produziram “Get Back”, “The Long and Winding Road”, “Don’t Let Me Down” e “Across the Universe” (descontando a faixa título). Agora pergunte o que aquela excrescência, que é o Big Brother Brasil, produziu até hoje? Nestes quase 35 anos, “Let It Be” ficou também conhecido pelos arranjos orquestrais introduzidos por Phil Spector (o produtor do álbum) em cima do que já havia sido gravado. George Martin (o quinto Beatle) teve sua revanche em “Abbey Road” (1969, o disco subseqüente e o canto de cisne dos Beatles), quando exigiu que fosse tudo como sempre foi (ou seja: ele comandando todos os detalhes – desde os arranjos até a pós-produção). Pelo visto, Martin nunca engoliu as intervenções de Spector, nem o circo armado em torno do “Big Brother”. Parece que contaminados por esse mesmo espírito (mais “purista”, digamos), os Beatles remanescentes (para quem não sabe: Paul e Ringo) decidiram relançar “Let it Be” no ano passado. Mas do jeito que ele foi concebido (antes do verniz de Phil Spector). A verdade nua e crua. Daí, talvez, o título do novo CD: “Let It Be... Naked”. Musicalmente, não é nenhum ovo de Colombo. Provavelmente se justifica graças à importância social dos Beatles: quando música e História, no mundo, foram a mesma coisa. [Comente esta Nota]
>>> Let It Be... Naked - The Beatles - Apple/EMI
 



Cinema >>> Revelations
Você provavelmente vai assistir a “21 gramas”, de Alejandro González Iñárritu, e não vai entender nada até a metade. Então alguém vai soprar no seu ouvido: – “O filme vai e volta no tempo; preste atenção”. Ah, agora, sim. Não é o David Lynch que você pensava; onde todo mundo sai sem entender nada (quando simplesmente não abandona a sala no meio da projeção). Mas as idas e vindas não são a tônica de “21 Gramas” (como foram, por exemplo, nos longas de Quentin Tarantino; o “flashback” – que Paulo Francis, quando não dormia, dizia que era um recurso mais velho que Orson Welles). Enfim. “21 Gramas”, segundo nos explica Sean Penn (um dos protagonistas), é o quanto perdemos de peso no instante em que morremos. (“Como eles pesam isso?”, você pode legitimamente perguntar.) O fato é que a primeira produção de Iñárritu, depois de “Amores Brutos” (2000), gerou grandes expectativas. Também pela atuação de Penn (sempre imperdível) e de Benicio Del Toro, o “coadjuvante” que, devagar, vai se consagrando. O que cansa é a (já) velha incursão no “mundo cão” – uma moda que contagiou todos os cineastas metidos a sérios (antigamente, os “engajados”); principalmente os do Terceiro Mundo. González Iñárritu é do México. Então mergulhamos, pela enésima vez, no crime, nas drogas, no submundo em geral. Benicio Del Toro é um ex-detento tentando se recuperar; Sean Penn, um pobre diabo, vivendo com um coração emprestado, enquanto se apaixona pela viúva do doador (Naomi Watts, uma mãe de família destroçada, alternando-se entre aulas de natação e noitadas com barbitúricos). Bem, já deu para sentir... o clima. Tanto que decidimos sugerir aos exibidores: – Que tal uma nova classificação, baseada, exclusivamente, nas cenas de violência? Assim, oscilaríamos menos entre a Hollywood, dos blockbusters e dos desenhos “à la” Walt Disney, e a “vanguarda”, que ainda não se cansou de “épater les bourgeois”... [Comente esta Nota]
>>> 21 Grams
 

>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO*** RECOMENDA
(CN - Conjunto Nacional; VL - Shopping Villa-Lobos)


>>> Noites de Autógrafo
* Teatro de Arena: Uma Estética de Resistência - Izaías Almada
(3ª f., 3/2, 19hrs., CN)

* A Voz do Cidadão: Mútua-ajuda da Cidadania - Jorge Maranhão
(3ª f., 3/2, 19hrs., VL)

>>> Exposições
* Exposição de Jurandi Assis
(duração: de 2 a 17/2, CN)

>>> Shows
* Benny Goodman: o rei do swing - Traditional Jazz Band
(6ª f., 6/2, 20hrs., VL)

** Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos: Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional: Av. Paulista, nº 2073

*** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/1/2004
11h13min
Eu tenho uma visão diferente de "21 gramas". A forma, eliptica, do filme é o meio de comunicação da instabilidade geral da vida (social e biológica), que nem a ciência, trocando o coração, consegue dar conta... o apodrecimento virá logo. E a violência, como em "irreversível", é apenas uma metáfora de outras destruições. Creio que a sutileza da forma fala mais alto que o conteúdo "figurativo" destes filmes.
[Leia outros Comentários de jardel]
6/2/2004
00h28min
O seu texto sem as idas e vindas perde um pouco do charme, fica uma coisa muito técnica. Será que o filme tambem nao perderia algo se lhe cortassem algo?
[Leia outros Comentários de geraldo]
8/2/2004
11h23min
Concordo com o Jardel. A perplexidade e a destruição fazem parte da vida. Não é incomum a vida nos parecer sem sentido e violenta, mesmo a gente sabendo que o tempo é (?) linear e a sociedade, esforçadamente racional e democrática.
[Leia outros Comentários de Bárbara Pollacsek]
10/2/2004
09h24min
Glória Perez já escreveu uma novela sobre um coração transplantado apaixonando doador/receptor... Salvo interpretações de alto nível, o diretor mundo-cão parece ter perdido algo entre o estilo não-linear, a fotografia escura e o ritmo arrastado. "21 gramas" promete mais do que cumpre e não tira de seu título qualquer força reflexiva que amarre o filme como um todo eficaz. PS - agradecimentos à Conexão Manhattan pela dica do site!
[Leia outros Comentários de Haendel Motta]
11/2/2004
01h31min
Bom saber que o Polzonoff lançou este livro. Vou comprar agora mesmo! Parabéns!!! Espero que muitos outros venham...
[Leia outros Comentários de Juliano Maesano]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A PRIMEIRA AGUIA
TONY HILLERMAN
ROCCO
(2001)
R$ 8,94



QUEM MATOU PAPAI NOEL ?
JULIO EMÍLIO BRAZ
SALESIANA
(2009)
R$ 9,90



O PODER COMPETITIVO DA CRIATIVIDADE
CLAY CARR
MAKRON BOOKS
(1997)
R$ 8,30



ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO E OPERAÇÕES
DANIEL A. MOREIRA
PIONEIRA
(1998)
R$ 30,60



MEDICINA
DO ABORTAMENTO CRIMINOSO PRINCIPALMENTE EM SÃO PAULO
IRMAOS FERRAZ
(1927)
R$ 122,50



BIOLOGIA - VOLUME ÚNICO 2ª EDIÇÃO - BANCO DE QUESTÕES
ARMÊNIO UZUNIAN E ENERSTON BIRNER
HARBRA
(2004)
R$ 20,00



IDEIAS GENIAIS - DESCOBERTAS POR ACIDENTE
SURENDRA VERMA
GUTENBERG
(2016)
R$ 24,00



HISTORIA GERAL
CLÁUDIA VICENTINO
SCIPIONE
(2006)
R$ 70,00



MENSAGENS DE ESPERANÇA - BOX COM 6 LIVROS 
ELLEN G. WHITE
CPD
(2014)
R$ 39,00



POESIA PARA QUÊ? A FUNÇÃO SOCIAL DA POESIA E DO POETA
CARLOS FELIPE MOISÉS
UNESP
(2019)
R$ 38,90





busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês