Os Jornais Acabam? IV | Digestivo Cultural

busca | avançada
78105 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
>>> Cassio Scapin e artistas de grandes musicais fazem campanha contra o abuso sexual infantil
>>> Terça Aberta na Quarentena une teatro e a dança
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Amor fati
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Maria Erótica e o clamor do sexo
>>> Arte, cultura e auto-estima
>>> Escrevendo um currículo
>>> Frases que soubessem tudo sobre mim
>>> Por que somos piratas musicais
>>> 6 pedras preciosas do rock
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST)
Mais Recentes
>>> O Futuro da Cidade – A Discussão Pública do Plano Diretor de José Paulo Teixeira e Jorge E. Silva (Org.) pela Instituto Cidade Futura (1999)
>>> Ninguém Vive Sem Política de Adeli Sell pela Palmarinca (2002)
>>> O Impeachment de Olívio Dutra e o Estado Democrático de Direito de Paulo do Couto e Silva pela Do Autor (2000)
>>> Histórias Reais para Melhorar a Vida dos Gaúchos de Vários Autores pela PT Sul (2006)
>>> Congresso de Direito Municipal – A Federação e as Políticas Públicas em Debate – Oficinas de Vários Autores pela ESDM / VT Propaganda (2007)
>>> Discursos do Senador Pinheiro Machado de Pedro Simon (Org.) pela Senado Federal (2004)
>>> O Futuro do Trabalho – Fadiga e Ócio na Sociedade Pós-Industrial de Domenico de Masi pela José Olympio (2003)
>>> Mudando Paradigmas na Formação de Quadros Políticos de Ricardo João Santin (Org.) pela Hs (2009)
>>> Os Militares e a Guerra Social de Péricles da Cunha pela Artes e Ofícios (1994)
>>> Dez Anos de leis e de Ações Municipais: 2002 a 2011 de Vários Autores pela Câmara Municipal de Porto Alegre (2011)
>>> aris Boêmia. Cultura, política e os limites da vida burguesa 1830-1930 de Jerrold Seigel pela L&PM (1992)
>>> 30 anos do The New York Review of Books. A primeira antologia de Robert B. Silvers et alii pela Paz e Terra (1997)
>>> Lendo Freud. Investigações e entretenimentos de Peter Gay pela Imago (1992)
>>> 1680-1720. O império deste mundo de Laura de Mello Souza & Fernanda Baptista Bicalho pela Companhia das Letras (2000)
>>> The Face Magazine 4, Spring 2020 de Lara Strong pela Wasted Talent (2020)
>>> Photo 543 Octobre-Nevembre 2019 de Tony Kelly pela Photo (2019)
>>> The Entrepreneurs 2, 2020 de Business Handbook pela Monocle (2020)
>>> A Nave de Noé de Trigueirinho pela Pensamento (1995)
>>> Miz Tli Tlan – Um Mundo que Desperta de Trigueirinho pela Pensamento (1995)
>>> Entertainment Weekly Magazine de Black Widow pela Time (2020)
>>> ERKS – Mundo Interno de Trigueirinho pela Pensamento (1995)
>>> Entertainment Weekly Magazine July 2020 de Tenet pela Time (2020)
>>> Creative Review de Annual 2020 pela Creative Review (2020)
>>> Monocle Magazine July/August 2020 de Special Edition pela Winkontent (2020)
>>> Mojo 321 August 2020 de Paul Weller pela Mojo (2020)
>>> Mojo 320 July 2020 de Talking Heads pela Mojo (2020)
>>> Mojo 319 June 2020 de Nick Cave pela Mojo (2020)
>>> O Livro do Pênis de Maggie Paley pela Conrad (2001)
>>> A Colheita dos Grãos: Odes Sonoras de Filippi Fernandes pela Kotter (2020)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Nova Fronteira (2007)
>>> Introdução ao Estudos Linguísticos de Francisco da Silva Borba pela Pontes (1991)
>>> Mulherzinhas de Louisa May Alcott pela Principis (2020)
>>> Linguística Textual - Introdução de Leonor |Lopes Fávero e Ingedore G. Villaça Koch pela Cortez (1988)
>>> Aulas Vivas de Marcos Tarciso Masetto pela Mg (1992)
>>> A Lenda do Baal Schem de Martin Buber pela Perspectiva (2003)
>>> La Théologie de La foi Chez Bultmann de J. Florkowski pela Du Cerf (1971)
>>> O Professor como Agente Político de Maria Anita e Viviane Martins pela Loyola (1987)
>>> Estilística da Língua Portuguesa de M Rodrigues Lapa pela Acadêmica (1968)
>>> Extensão ou Comunicação? de Paulo Freire pela Paz e Terra (1977)
>>> Conversas com quem gosta de Ensinar de Rubem Alves pela Cortez (2005)
>>> Reflexões sobre a Prática Docente de Maria Oly Pey pela Loyola (1992)
>>> O que é teoria? de Otaviano Pereira pela Brasiliense (1982)
>>> A Dieta Ideal de Marcio Atalla e Desere Coelho pela Paralela (2015)
>>> Rádio : 24 Horas de Jornalismo de Marcelo Parada pela Panda Books (2004)
>>> Dicionário da Língua Portuguesa Medieval de Joaquim Carvalho da Silva pela Eduel (2007)
>>> Estilística da Língua Portuguesa de M. Rodrigues Lapa pela Martins Fontes (1988)
>>> Iniciação à Análise Linguística de Martin Riegel pela Rio (1981)
>>> Contos Brasileiro Contemporâneos de Org: Julieta de Godoy Ladeira pela Moderna (1991)
>>> Ensino Híbrido: personalização e tecnologia da informação de Organizadores: Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto e Fernando de Mello Trevisani pela Penso (2015)
>>> Iracema de José de Alencar pela Ática (1997)
BLOG >>> Posts

Terça-feira, 24/7/2007
Os Jornais Acabam? IV

+ de 1500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O que é o tão falado jornal? Tradicionalmente, uma publicação em papel e diária, com conteúdo essencialmente jornalístico, produzido majoritariamente por jornalistas graduados, vendido por um preço baixo (mas inacessível para muitos) e sustentado por publicidade. Pois bem: desde o advento da comunicação de massa a periodicidade diária deixou de ser a regra. O "tempo real" atropela nossas coberturas, o que não significa que não possamos continuar nos organizando no ciclo diário. O conteúdo jornalístico há muito já não é especialidade dos "jornais" - além disso, jornalismo e entretenimento se misturam cada vez mais, independente do suporte. O monopólio dos jornalistas, que nunca foi benéfico para o interesse público, foi relativizado ainda mais pelas novas tecnologias e pelo crescente índice de alfabetização, especialmente em um país como o Brasil. Jornais pagos dão lugar aos gratuitos, ou quase isso, aproximando do texto escrito (ainda que em pequenas porções) um público acostumado apenas com imagens. Conseqüência: a circulação dos jornais em todo o mundo, inclusive no Brasil, cresce. Sustentados por publicidade cada vez mais. E o papel? Sinceramente, pouco me importa o papel. Espero ler matérias, reportagens, entrevistas, charges, artigos, crônicas e outros gêneros, em papel, monitor ou qualquer um dos inúmeros dispositivos que serão lançados nos próximos anos. O sagrado jornal, acredito, já nem existe mais. Pensando assim, terá vida longa...
Carlos d'Andréa
Belo Horizonte/MG


Creio que os jornais ainda terão uma sobrevida nas próximas décadas, posto que o hábito de leitura é secular e ainda temos um grande contingente de leitores e apreciadores do bom texto jornalístico e literário. Talvez a grande imprensa, por fazer parte da indústria cultural, se renda aos novos formatos e as novas mídias, mas a reflexão e o aprofundamento certamente têm tradição na imprensa escrita e por mais que queiramos nos render às novas tecnologias muitos leitores, como eu, se entusiasmam ao folhear um bom jornal, ao sentir o cheiro de tinta e o conforto de poder levar seu exemplar para qualquer lugar que seja. Não creio que os jornais acabarão tão cedo. E estou certo de que ainda estarei vivo e no final dos meus dias ainda vou ler as manchetes de jornal anunciando um novo mundo possível.
Osni Dias
Dourados/MS


O "Jornal de Papel e Tinta" sim, por razões econômicas. Um jornal tem duas fontes de receita: venda de exemplares (assinaturas e venda avulsa) e venda publicitária (publicidade e classificados). Classificados estão perdendo para os sites especializados, tipo Webmotors, Zap, etc. No site vão ser disponiblizadas matérias, anúncios, pod e videocast e será atualizado em tempo real. A receita da venda de exemplares não paga o custo marginal do exemplar (papel e tinta), sendo o jornal fortemente dependente da venda de publicidade para sobreviver. Ela não será suficiente, pois a internet e outros veículos, como revistas, competem pela mesma verba. Vão sobrar os jornais na internet, site + newsletter diária e, usando a tecnologia de e-print, vão ter as manchetes impressas, no escritório ou em casa, em 4 ou 6 páginas A4 ou letter, com chamadas para o site. A publicidade que vende vai estar nessas 4 páginas. Talvez uma edição impressa com poucas páginas, com um espaço destinado à publicidade maior e com chamadas para o site.
Francisco Camargo
São Paulo/SP


Para o jornalismo impresso, é visível que apenas uma remodelação de seus conceitos e técnicas trará os leitores e anunciantes de volta às suas páginas. Seu fim não está fadado enquanto houver a prerrogativa de mudança. É necessário a este meio a (re)convicção em aspectos tais como credibilidade, aprofundamento e imparcialidade e, sobretudo, é importante a esta mídia aprender uma lição com a irmã caçula no mundo midiático (a internet): há que se ter integração e interatividade dos leitores, seja através de reuniões de pautas nas quais estes participem, seja por meio de fóruns e canais abertos de discussão. Mas se este meio realmente quer se manter vivo para o leitor da próxima geração, uma coisa é fato: não há como prendê-lo somente com a coluna de cartas. E quem acreditar no contrário, este sim merece a morte de suas idéias.
Ana Júlia Muniz
Uberlândia/MG


Não considero que semelhante ocorra. O autor não considerou que historicamente as empresas passam por reformulações, assim como as instituições. O jornal como conhecemos percorre na atualidade ciclos de reciclagem com a chegada da era digital. Possuímos blogs jornalísticos de excelência, como muitos que devem ser desacreditados. A imprensa empresarial capitalista, como conhecemos, foi atingida em seu auge, surgindo, inclusive, a imprensa patrocinada e dirigida de distribuição gratuita na Europa, distribuída nos transportes públicos. Há algumas décadas estudei e publiquei ensaios sobre a dinâmica da imprensa nas comunidades interioranas do Brasil, como a região de Petrópolis. Até mesmo a publicação de livros foi acusada de estar em extinção! A sociedade possui hábitos cíclicos e condicionantes. Enquanto houver uma folha de papel, uma cópia a ser distribuída principalmente em comunidades, nunca se extinguirá a imprensa. Os panfletos foram o denominador político da imprensa revolucionária na França.
Oazinguito Ferreira da Silveira Filho
Petrópolis/RJ


[Feedbacks dos Leitores do Digestivo à Promoção]


Postado por Julio Daio Borges
Em 24/7/2007 à 00h08


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Podres de Mimados, por Pondé de Julio Daio Borges
02. Amar de Julio Daio Borges
03. Bernardo Carvalho de Yuri Vieira
04. 17 de Outubro #digestivo10anos de Julio Daio Borges
05. A vida em 2020 de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/7/2007
09h40min
O problema é que lendo jornal impresso a gente cai naquele "você leu isso no Estadão. Ah, mas eu li na Folha." Isso quem ainda tem sorte de morar em um cidade com dois jornais. Pela internet posso, por exemplo, acompanhar os acontecimentos no Oriente Médio lendo o Haaretz de Israel e o L'Orient - Le Jour do Líbano, sem saber línguas mais exóticas do que o inglês e o francês. Tenho um amigo botafoguense que só lê futebol internacional no Clarín de Buenos Aires, segundo ele a imprensa esportiva platina é tão superior à brasileira quanto o futebol brasileiro é superior ao platino. Papel é bom para ler o NYTimes no trem, ou A Economist no avião. Em S. Paulo, onde quem lê jornal não usa transporte coletivo, tem pouco futuro. Eu uso cada vez menos.
[Leia outros Comentários de F Pait]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INVENTA
RUBINHO DO VALE
JARDIM PRODUÇOES ARTISCAS
(2014)
R$ 6,90



CARTAS CONFERÊNCIAS E OUTROS ESCRITOS: OS PENSADORES
HENRI BERGSON
ABRIL CULTURAL
(1979)
R$ 26,00



MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS
MANUEL ANTÔNIO DE ALMEIDA
EDIOURO
(1863)
R$ 7,90



DOM CASMURRO
MACHADO DE ASSIS
ESCALA EDUCACIONAL
(2006)
R$ 11,02



FUTBOLISTAS DE LEYENDA
KATHARINE SCOTT RIPELL (REVISON EDITORIAL)
ALTEASANTILANHA
(1996)
R$ 15,82



FINDING KEEPERS - 4206
STEVE POGORZELSKI E OUTROS
BOOKMAN
(2011)
R$ 12,00



A ARTE DE CORRER NA CHUVA
GARTH STEIN
EDIOURO
(2008)
R$ 13,00



CONCEITOS DE BIOLOGIA 2
AMABIS E MARTHO
MODERNA
(2002)
R$ 5,00



EVOLUÇÃO UNIVERSO PARALELOS
JULIO GOELZER
ÔNIX
(2011)
R$ 80,00



CIDADE DE EXILIO - 1ªEDIÇÃO
LIDIA BESOUCHET (DEDICATÓRIA)
JOSÉ OLYMPIO
(1961)
R$ 15,28





busca | avançada
78105 visitas/dia
2,2 milhões/mês