Ao livreiro sem noção | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
37504 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 23/2/2005
Ao livreiro sem noção
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Publicar livro, no Brasil e em qualquer lugar do globo terrestre, é um movimento difícil e contínuo. Também é o fetiche de muita gente, que sequer tem um projeto literário. Nada de mal nisso. As pessoas podem apenas ter vontade de publicar um livro para sua satisfação pessoal e para homenagear parentes e amigos. Assim como há muitas pessoas que acham que têm boas histórias para contar e pensam que livro se faz apenas disso.

Para tanto estão aí as gráficas, as rápidas, principalmente, e os programas de computador que podem ser instalados em casa e oferecem a possibilidade, real, de se fazer um livro sem sair de casa. Depois, paga-se uma gráfica para rodá-lo. Isso deve sair por mais ou menos 3 mil reais, dependendo do acabamento, do número de páginas, da gráfica, etc.

As editoras, no entanto, não deveriam funcionar como gráficas. A editora é o selo que garante ao autor (ou deveria garantir) sua entrada numa rede mais seletiva de leitores e autores. A casa editorial deveria ter a premissa da credibilidade, uma vez que deveria manter um conselho editorial de gente interessante, nem sempre um grupo de amigos. A editora também deveria garantir a distribuição da obra por livrarias de todo o país e a divulgação do lançamento, assim como resenhas interessantes, que ajudassem os nomes de autor e obra a circular.

Mas é demais falar nisso para editoras pequenas e médias. Grandes selos, conhecidos até internacionalmente, conseguem fazer tudo, mesmo a distribuição custando 45% do preço final do produto. Mas as editoras pequenas, que quase não têm o que investir, lançam o livro, conseguem divulgação e resenhas, graças ao mailing inteligente do editor, mas distribuir continua sendo um imenso obstáculo.

No Brasil, de uns anos para cá, as editoras pequenas ganharam destaque. Lançaram bons livros de autores escondidos pelas gretas do país, fizeram estardalhaço e ganharam páginas em grandes jornais e revistas. Ao ponto de continuarem pequenas em tamanho, mas grandes em influência. Os grandes selos, que não são bestas, aproveitaram a onda de gente boa (ou bem-divulgada) e passaram a comprar esses passes a preço de banana. O autor que saiu do anonimato e alcançou algum respeito fica satisfeito de entrar para o catálogo de uma notável editora grande e quase agradece de joelhos essa dádiva.

Isso não devia ser assim. Pensando bem, melhor seria se o autor já fosse respeitado pelo bom trabalho, estivesse ele numa pequena ou numa grande casa editorial. E nos catálogos das grandes também entram maus autores, mas bons de lábia, bons de garimpar matérias no caderno de adolescentes, afinal, a grande editora quer vender. Ela quer acertar nem sempre na qualidade, mas na quantidade. Se o autor virar roteiro de cinema, tiro certeiro. O livro pode ser encontrado até mesmo na vitrine de uma megastore.

Mas vejam: o autor que não é alçado para um catálogo mais estiloso e continua no staff da editora pequena mantém sua batalha quase corporal de fazer turnê pelo país com grana do próprio bolso, de ficar nas casas dos amigos nas cidades por onde passa, de morrer de alegria pela notinha no jornal e de vender livro até pelo e-mail pessoal.

Em geral, a pequena editora não dá conta de distribuir o livro por um espaço muito grande, então o próprio autor toma isso nas mãos (calejadas de escrever e de bater em porta de editora). Ele mesmo entrega a obra em livrarias que possam fingir de interessadas e recebe ali um papelzinho que garante que houve consignação. Compra, nem pensar, afinal aquele livro não garante nada. Muito menos lucro, mas ao menos estará escondido nas prateleiras de alguma loja. E passam-se os meses e ninguém telefona pra dizer se vendeu algum exemplar.

Caso o autor tenha bom raciocínio gerencial e queira atuar como secretário de si mesmo, ligará de 3 em 3 meses (prazo de praxe) para as livrarias e será informado: a) que o livro não entrou no banco de dados, por isso eles não podem informar; b) que o livro não vendeu exemplar nenhum; c) que o livro vendeu um exemplar e que o autor pode vir buscar os outros; d) que não sabem e vão ligar depois.

É claro que as livrarias não ligam e que o autor não recebe nem um centavo pelos livros vendidos. Em Belo Horizonte, por exemplo, vale a pena fazer um teste de eficiência, mesmo nas livrarias menores e nas que se dizem também editoras. Em apenas um caso, citável, o livreiro (também proprietário) soube, prontamente, informar o número de exemplares vendidos, os que sobraram e ainda acertou valores em conta bancária para o autor. A Crisálida, pequena livraria e editora no lendário Edifício Maletta, tem a exata noção do que seja respeito e cooperação com o trabalho alheio. Algo que nunca é demais, principalmente quando alguém faz disso a sua profissão.

Em outros lugares do país não deve ser diferente. São conhecidos os casos de descaso, digamos assim, em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Curitiba, em Porto Alegre e em lugares até bem menos metidos a besta.

Publicar um livro é uma aventura. Quando o autor tem projeto literário, é uma aventura cheia de surpresas e alegrias. O segundo livro é ainda mais apaixonado. O terceiro precisa ser bancado por uma editora de verdade, para que tudo deixe de parecer uma brincadeira cara. Mas publicar um livro tem desses pequenos fracassos que deixam o autor muito frustrado: depender de outros, porque publicar um livro, desde tempos imemoriais, é trabalho de equipe.

As equipes editoriais de antes de Cristo já trabalhavam de forma muito parecida com as equipes de hoje. Até mesmo os nomes técnicos e o jargão da área são herança de outros tempos (já ouviu falar em caixa-alta?). No entanto, se antes o autor dependia, absolutamente, de um editor, hoje ele entra num esquema de do it yourself, o que tornou tudo muito mais democrático (com algum exagero). Mas respeito independe disso, não é mesmo? Ou respeito também se compra junto com o selo da editora?


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 23/2/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
02. Diálogos no Escuro de Heloisa Pait
03. Quase cinquenta de Marta Barcellos
04. A era e o poder do Twitter de Gian Danton
05. É hora de estudar fora de Carla Ceres


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2005
01. Mapa da sala de aula - 6/4/2005
02. Para gostar de ler? - 24/8/2005
03. Publicar um livro pode ser uma encrenca - 28/12/2005
04. Sexo pra quê? Texto onde? - 26/1/2005
05. Escrever bem e os 10 Mandamentos - 20/7/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2005
16h25min
Às vezes acho que publicar o segundo livro é mais difícil que o primeiro...
[Leia outros Comentários de Denny Yang]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ROUGE GUIDE: CHILE
MELISSA GRAHAM
PUBLIFOLHA
(2004)
R$ 38,00
+ frete grátis



I LEVANTAMENTO DOMICILIAR SOBRE USO DE DROGAS PSICOTRÓPICAS NO BRASIL
E. A. CARLINI
SENAD
(2002)
R$ 10,00



ANDRÔMACA - BRITÂNICO
RACINE
BIBLIOTECA MARTINS FONTES
(2005)
R$ 20,01



HELLBOY - A MÃO DIREITA DA PERDIÇÃO
MIKE MIGNOLA
DARK HORSE
R$ 40,00



SEGREDOS GUARDADOS: ORIXÁS NA ALMA BRASILEIRA
REGINALDO PRANDI
COMPANHIA DAS LETRAS
(2005)
R$ 420,00



ESPIRITISMO PROGRESSISTA - AUTOGRAFADO
ALICE BEATRIZ LANG E MARIA DE LOURDES JANOTTI
CONEX
(2005)
R$ 60,00



THE CAPE COD LIGHTER
JOHN O HARA
SANTAM BOOKS
(1964)
R$ 9,00



MANUAL DE MONTAGEM DE LOUÇAS SANITÁRIAS E INSTALAÇÃO DE
OCTAVIO BLANES
PLATANO
(1980)
R$ 17,77



CIDADES PERDIDAS DA CHINA, ÍNDIA E ÁSIA CENTRAL
DAVID HATCHER CHILDRESS
EDIÇÕES SICILIANO
(1989)
R$ 13,50



MANO
COELHO NETTO
LELLO & IRMÃO
(1946)
R$ 45,00





busca | avançada
37504 visitas/dia
1,3 milhão/mês