Novo Editor-assistente: Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe D'arc - Dark de Dinah Perry e Jorge Garcia
>>> Última semana para prestigiar as exposições de Alex Flemming e Marcius Galan na Fundação Ema Klabin
>>> Casa da Memória Italiana realiza debate sobre fotografia
>>> Letícia Sekito, Cia Tentáculo e Marcos Moraes fazem o último Cartografia do Possível no CRDSP
>>> Duo CasaDois se apresenta no Zé do Hamburger
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
>>> Por que HQ não é literatura?
>>> Precisamos falar sobre Kevin
>>> Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila
>>> Bitcoin, smart contracts, blockchain, cryptoassets
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Caindo na Real - Você Aproveitou as Oportunidades
>>> Ilustrado
>>> Fascínio cotidiano
>>> O que sei do tempo III
>>> Primeiro ato
>>> Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto
>>> UM VENTO ERRANTE
>>> Voamos Juntos
>>> Evolução, revolução e regressão
>>> Medo do futuro?
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morreu Vinicius de Moraes
>>> 20 anos de cultura no brasil
>>> Rua da passagem
>>> Olhando pela fresta
>>> Fragmentos de um Paulo Francis amoroso
>>> Era uma vez o conto de fadas
>>> Alma Nua
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
Mais Recentes
>>> Capitão Swing
>>> A Experiência Burguesa - A Paixão Terna
>>> 3001- A Odisseia Final
>>> Zacarias 1 a 3
>>> O Justo viverá pela Fé
>>> Contos Novos
>>> O Noviço
>>> Fogo Morto
>>> Macunaíma
>>> Antologia de Estética Teoria e Crítica Literária
>>> Ana Karenina
>>> Suas Mãos Podem Curá-lo
>>> Mudras - As Mãos Como Símbolo do Cosmos
>>> Dos Crimes Contra o Patrimônio V. 9
>>> O Gerente Minuto e a Administração do Tempo
>>> Peça e Será Atendido - Aprendendo a Manifestar seus desejos
>>> O Encantador de Cães
>>> Paz Interior
>>> Marley & Eu
>>> Poder Sem Limites
>>> Milagres da Cura Prânica
>>> Um Dia Minha Alma se Abriu por Inteiro
>>> Auto-estima, Liberdade e Responsabilidade
>>> O Paraíso Fica Perto
>>> A Nova Dieta dos Pontos
>>> O Poder Dentro de Você
>>> Contos Antológicos
>>> Nova Gramática do Português Contemporâneo - 3ª ed. revista
>>> Prime Time (inglês para o ensino médio) - Volume Único - 2ª ed.
>>> Essential Grammar In Use - second edition
>>> As Medicinas Tradicionais Sagradas
>>> Espanha - Pequena História das Grandes Nações
>>> O Homem
>>> Teatros Do Corpo - O Psicossoma em Psicanálise
>>> Direito Tributário - Parte Geral
>>> Direito Civio - Contratos
>>> Meu Primeiro Milhão
>>> Lições Práticas de Processo Penal - O Caderninho do Criminalista
>>> Direito Financeiro na Constituição de 1988
>>> Poderosa - Diário de Uma Garota que Tinha o Mundo na Mão
>>> O Diário da Rua
>>> Os Invertebrados: uma Síntese
>>> Carta Aberta aos Gurus da Economia que nos Julgam Imbecis
>>> O Fim do Euro
>>> Gestão de Riscos nos Modelos de Negócios
>>> O Futuro dos empregos
>>> A Economia Irracional
>>> O texto na TV- Manual de Telejornalismo
>>> Conto de escola
>>> O inimigo secreto
EDITORIAIS >>> 40 mil seguidores no Twitter

Sexta-feira, 10/5/2013
Novo Editor-assistente: Duanne Ribeiro
Julio Daio Borges

+ de 1800 Acessos

Seguindo a tradição desde Fabio Silvestre Cardoso (2005) e Rafael Rodrigues (2007), apresentamos a você, Duanne Ribeiro, o novo Editor-assistente do Digestivo Cultural! Duanne já vem editando o Digestivo desde dezembro de 2012. Segue uma entrevista com ele, para que você, Leitor, possa conhecê-lo melhor ;-) Boa sorte, mais uma vez, Duanne, e vida longa na função! ― JDB

1. Duanne, fale um pouco da sua formação (estudos, trabalhos etc).
Sou formado em Jornalismo pela Unisanta, graduando em Filosofia pela FFLCH/USP e pós-graduando em Gestão Cultural pelo Celacc/USP. Trabalho no Itaú Cultural junto a equipe do site, que lida com todos os produtos digitais do instituto. Além disso, edito de acordo com meu tempo livre a revista Capitu, que originalmente foi meu trabalho de conclusão de curso e hoje segue sendo tocada em companhia de vários colaboradores, com um perfil que mudou uma porção de vezes e talvez tenha encontrado agora seu ideal.

2. Como foi cair nessa história de jornalismo cultural?
Um marco certamente foi o trabalho de conclusão de curso, que foi quando estudei por mim mesmo a bibliografia básica, entrevistei ou assisti a palestras de editores e jornalistas da área etc. Mas isso provavelmente vem de muito mais longe, do fato de que eu sempre gostei de ler e escrever, desde criança.

3. Quais são suas principais referências (na área)?
Crítica Cultural ― Teoria e Prática, de Marcelo Coelho, que propõe uma análise fina das obras de cultura; os textos da New York Review of Books, que conheci por conta de Paulo Francis, como aparentemente toda a geração anterior a mim ― uma crítica contextualizada, que vai além dos textos, que faz reportagem. Embora não leia Isabela Boscov, uso como guia uma ideia dela, de um curso: o texto crítico pode ser o único contato com um universo, com tais experiências, com tais contextos ― ele precisa portanto se bastar, ser para o leitor um ensaio em pé de igualdade com a obra. E, para não me alongar muito, as entrevistas da Paris Review ― bem elaboradas, pensadas e repensadas, desvelando um processo de trabalho e uma personalidade.

4. Como foi seu trabalho à frente da Capitu (até agora)?
No TCC, um projeto de revista impressa, escrevi as reportagens, fiz as fotos, diagramei e editei (junto ao meu orientador Marcio Calafiori). Também montei um site bem básico para a revista. Logo após a formatura, implementei um site melhor e comecei a produzir edições mensais. Era um layout mais funcional, ainda assim rudimentar: o que sei de webdesign é muito pouco. Com a parceria com meu amigo Rafael Henrique, finalmente Capitu recebeu um formato melhor, que se aperfeiçoou até a versão de hoje.

O trabalho ao longo desse tempo é o mesmo: receber as colaborações, discutir a qualidade do texto, editá-lo (foto, distribuição, chamadas), depois cuidar das redes sociais. O perfil no twitter tem além disso um caráter de curadoria da informação, pois indico conteúdo de várias fontes.

5. Como vê o atual momento do jornalismo (como um todo) na internet?
O jornalismo na internet hoje dá perspectivas de possibilidades profissionais que não poderiam ser exploradas do mesmo jeito por nenhuma outra época. A curadoria de informação, a gestão de comunidades, o jornalismo de dados, os newsgames, a crescente diferenciação possível de públicos, de maneira que se pode informar uma pessoa específica em um lugar específico do que ela possa querer saber. Tudo isso é o mesmo trabalho de transmissão de informação, mas expandido, mais complexo.

6. E o momento do jornalismo cultural na imprensa?
É bastante rico. O Estadão tinha o Sabático, sobre literatura, mercado editorial, e tem o Aliás, com debates, reportagens e jornalismo de ideias; a Folha tem a Ilustríssima, com ensaios sem o medo do texto longo ou da referência menos leve ― o que tem uma equivalente na Serrote. A Bravo!, agora sob comando de Armando Antenore, me parece trazer mais textos escritos por artistas e também mais críticas ― sem perder o foco na reportagem (o problema de Antenore ter se tornado redator-chefe é que perdemos a coluna Confessionário, que possuía um texto e método de entrevista brilhantes...).

Tomando jornalismo de cultura em um sentido mais antropológico, quero incluir as reportagens e os perfis de Piauí, assim como citar as críticas e trechos de livro publicados.

Isso, é claro, algumas poucas citações ― e, com internet, quem está reduzido a isso? Há muito mais em português ou língua estrangeira, para ler e interagir.

7. Quais acha que serão seus principais desafios editando comigo o Digestivo?
Editar o trabalho alheio é sempre um desafio, e lidar com a especificidade de cada colaborador é acima disso algo que só se aprende pela tentativa e erro, na prática cotidiana. Outro desafio é compreender o público do site, sentir como reagem aos textos, de maneira a saber como levar a linha editorial, onde melhorar, onde mudar de rumo, onde surpreender o público.

Isso além da responsabilidade do trabalho em si ― o Digestivo tem mais de 1,5 milhão de visitas mensais e um banco de mais de 10.000 textos, fora os mais de 16.000 Comentários e os mais de dez anos de história. É preciso fazer jus a esse percurso, e ajudar para que chegue ainda mais longe.

8.E qual acha que pode ser sua contribuição para o site?
Zelar pela qualidade dos textos, sem atacar a liberdade de criação. Começar mais conversas com o público. Abrir mais canais para que se descubra o acervo do site.

Também me interesso por participar da construção do novo layout. Há experiências em design on-line que privilegiam o texto ― o forte do Digestivo ― colocando-o em destaque, permitem leituras de engajamento variáveis, facilitam o compartilhamento. Gostaria de ajudar a por isso em prática.

9. Num momento de supremacia das redes sociais, o que (ainda) devemos esperar de sites e blogs?
Em relação aos sites, as mídias sociais são hoje sua integração mais poderosa com a rede, muitas vezes rendendo mais visibilidade do que os mecanismos de busca.

Em relação a blogs, as redes sociais remanejaram sua função na Web. Na década de 2000, os posts "diarinho", os posts "conteúdo" e os posts "literários" conviviam na mesma comunidade, junto fotos e mais fotos, e o relacionamento pelos comentários, nos blogs e flogs. Hoje, isso trocou de lugar, tornando blogs mais do que apenas plataformas de publicação de conteúdo. Há dez anos, o mantra "blogs iniciam conversações" era completamente legítimo; atualmente a conversação é feita nas redes sociais e percorre os blogs, sem se fechar no seu espaço.

As redes, assim, são o fluxo dessa conversação, mas além do conteúdo eventual ou produzido pelo mero burburinho, elas também necessitam daquele que é elaborado por esses meios de comunicação não tão intensamente conectados. Uma matéria, um vídeo, etc. ― é isso o que lhes dá a substância.

Cabe então a blogs e sites reconhecerem sua posição, digamos, mais estática; e perceber que ganharam uma nova necessidade: o de administrar uma rede no seu entorno, não só gerir os debates e as trocas, como participar deles. User-centered, como se diz, "seja lá onde o usuário estiver". E produzir ótimos produtos.

10. O que você diria para quem está nos lendo e gostaria de participar do Digestivo Cultural (o que você ― como Editor-assistente ― espera dos Colaboradores (novos ou não).
Escreva! Trabalhe suas ideias, pense nos modos que o leitor terá de acessar e entender o que você está transmitindo. Escreva! Tente formas com as quais não está acostumado ― vá ao conto, à crônica, ao perfil. Tom Wolfe afirmou em um prefácio que o que lhe agradava era saber que, pelos seus textos, o leitor abria a revista e encontrava sempre uma variedade inesperada. E, mais importante: talvez nada disso, ou mais que isso. Como diz Haroldo, "que deus te guie, porque eu não posso guiar".


Julio Daio Borges
Sexta-feira, 10/5/2013


Mais 40 mil seguidores no Twitter
Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A ESCRAVA ISAURA
BERNARDO GUIMARÃES
CEDIC
(2010)
R$ 5,00



REVISTA DIONYSOS - Nº 26 (ESPECIAL: TEATRO OFICINA)
FERNANDO PEIXOTO (ORG.)
MEC/SEC/SNT
(1982)
R$ 80,00



GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA
CELSO FERREIRA DA CUNHA
FENAME
(1985)
R$ 6,00



YARGO - JACQUELINE SUSANN (LITERATURA NORTE-AMERICANA)
JACQUELINE SUSANN
CÍRCULO DO LIVRO
(1979)
R$ 8,00



ANJOS E DEMÔNIOS
DAN BROWN
SEXTANTE
(2004)
R$ 10,00



FORÇA INTERIOR - ENSINAMENTOS PRÁTICOS PARA UMA VIDA MELHOR
CARLOS FRANÇA
CÍRCULO DO LIVRO
(1992)
R$ 4,90



VIOLIN PIECES THE WHOLE WORLD PLAYS- VIOLIN PART (REVISED EDITION)
D APPLETON CENTURY COMPANY
D APPLETON CENTURY COMPANY
(1928)
R$ 49,90



A PRECE DE TODAS AS COISAS
PIERRE CHERLES, S.J.
CULTRIX
(1995)
R$ 8,00



EIKE BATISTA: O X DA QUESTÃO
EIKE BATISTA, ROBERTO DAVILA
PRIMEIRA PESSOA
(2011)
R$ 5,50



CONIC - CONSELHO NACIONAL DE IGREJAS CRISTAS DO BRASIL - MANUAL
VÁRIOS AUTORES
SALECIANA
(2005)
R$ 12,00





busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês