Matinas sobre a Serrote | Digestivo Cultural

busca | avançada
47517 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Descamuflando a cretinice cotidiana: escritor e filósofo lança o sarcástico “O Manual do Cretino” co
>>> ARTESP inicia processo seletivo para estagiários
>>> Diogenes Moura lança livro de crônicas no dia 05 de outubro
>>> Marshmallow Festival acontece nesse sábado, dia 07 de outubro, com Glória Groove e Baco Exu dos Blue
>>> Casa da Boia reúne artistas para discutir técnica de gravura em metal
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
>>> Poesia sem oficina, O Guru, de André Luiz Pinto
>>> Ultratumba
>>> The Player at Paramount Pictures
>>> Do chão não passa
>>> Nasce uma grande pintora: Glória Nogueira
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula de transição energética (2023)
>>> Graham Allison no All-In Summit (2023)
>>> Os mestres Alfredão e Sergião (2023)
>>> Como enriquecer, segundo @naval (2019)
>>> Walter Isaacson sobre Elon Musk (2023)
>>> Uma história da Salon, da Slate e da Wired (2014)
>>> Uma história do Stratechery (2022)
>>> Uma história da Nvidia (2023)
>>> Daniel Mazini, country manager da Amazon no Brasil
>>> Paulo Guedes fala pela primeira vez (2023)
Últimos Posts
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
>>> AMULETO
>>> Oppenheimer: política, dever e culpa
>>> Geraldo Boi
>>> Dê tempo ao tempo
>>> Olá, professor Lúcio Flávio Pinto
>>> Jazz: 10 músicas para começar II
>>> Não esqueci de nada
>>> Júlia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O que está acontecendo com elas ?
>>> No caso de a Dilma sair, quem assume?
>>> Nada a ver com conteúdo...
>>> Meu 16 de Agosto
>>> O enigma de Lindonéia
>>> Bienal do Livro em Minas e o acesso à cultura
>>> O chimpanzé, esse nosso irmão
>>> O blogueiro: esse desconhecido
>>> PodSemFio, da Garota Sem Fio
>>> Essa o Homer não vai entender
Mais Recentes
>>> Livro Literatura Estrangeira Win Windsor Horne Lockwood III de Harlan Coben pela Arqueiro (2021)
>>> Trilogia Reiniciados - 3 Volumes de Teri Terry pela Farol Literário (2013)
>>> Como falar dragonês: (Como treinar o seu dragão vol. 3) de Cressida Cowell pela Intrínseca (2010)
>>> Livro Literatura Estrangeira De Costas para o Mundo Retratos da Sérvia de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Batman: O Longo Dia das Bruxas - Parte 1 de Jeph Loeb pela Eaglemoss (2015)
>>> Tempo de matar (Jake Brigance - Livro 1) de John Grisham pela Arqueiro (2021)
>>> Livro Turismo Lonely Planet Ukraine Easy-to-use-maps New-look guide Comprehensive listings de Lonely Planet pela Lonely Planet (2011)
>>> Epistemologia Ambiental de Enrique Leff pela Cortez (2002)
>>> Livro Esoterismo Quem Disse Que Bruxa Tem Que Ser Má? de Eliana Gomes Clementino pela Madras (2014)
>>> Livro Biografias A Biografia Dirceu Do movimento estudantil a Cuba. Da guerrilha à clandestinidade. Do PT ao Poder. Do palácio ao mensalão. de Otávio Cabral pela Record (2013)
>>> Livro Literatura Brasileira Capitães da Areia de Jorge Amado pela Record (2005)
>>> Livro Auto Ajuda Você Merece uma Segunda Chance Como virar o jogo a seu favor no trabalho, em casa e na vida pessoal de César Souza pela Agir (2012)
>>> Competindo Pelo Futuro de C. K. Prahalad e Gary Hamel pela Campus (2005)
>>> Livro Infanto Juvenis Um Chapéu Cheio de Céu Uma Aventura da Tiffany Dolorida Discworld/Tiffany Aching 2 de Terry Pratchett pela Bertrand Brasil (2016)
>>> Desenvolvimento Humano de J Pikunas pela Mc Graw - Hill do Brasil (1981)
>>> Livro Literatura Estrangeira O Segredo de Helena de Lucinda Riley pela Arqueiro (2018)
>>> Livro Infanto Juvenis Miguel e o Sexto Ano Coleção Jabuti de Lino de Albergaria pela Saraiva (2009)
>>> Coleção Série - Divergente - 4 Volumes de Veronica Roth pela Rocco Jovens Leitores (2012)
>>> Livro Direito Órgãos dos Estados Nas Relações Internacionais Formas da Diplomacia e as Imunidades de Guido Fernando Silva Soares pela Forense (2001)
>>> A náusea de Jean Paul Sartre pela Nova Fronteira (1980)
>>> Livro Auto Ajuda A Semente da Vitória de Nuno Cobra pela Senac (2001)
>>> Livro Direito Justiça O Que é Fazer a Coisa Certa de Michael J. Sandel pela Civilização Brasileira (2012)
>>> Livro Literatura Brasileira Os Espiões de Luis Fernando Verissimo pela Objetiva (2009)
>>> Fundamentos Biológicos da Educação de Marta Pires Relvas pela Wak (2009)
>>> Livro Religião Seja Monge A Arte da Meditação de Satyanatha pela Fontanar (2019)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 1/5/2009
Matinas sobre a Serrote
+ de 9800 Acessos
+ 1 Comentário(s)


Man carrying question marks
de Saul Steinberg

"Tivemos uma recepção que eu classificaria de calorosa, e só temos a agradecer ao público leitor e aos jornalistas por isso. Não tínhamos muita ideia do que iria ocorrer e não poderíamos prever que os pedidos das livrarias praticamente esgotassem o nosso estoque em duas semanas. A Serrote ficou durante uma semana em 3º lugar entre os 10 mais vendidos em não-ficção na Livraria Cultura. É uma posição altamente expressiva para uma revista de ensaios."

1. Como no caso da Piauí, a New Yorker serve de inspiração mais uma vez?

No caso da Serrote a inspiração maior foi a The Virginia Quarterly Review, editada pela Universidade da Virginia, nos EUA. Ela é publicada desde 1925, mas sofreu uma grande transformação na década de 1990 e se tornou mais "jornalística".

2. E, no Brasil, qual a inspiração de vocês?

Nós temos boas revistas do gênero no Brasil. Vou citar apenas duas, cometendo uma irreparável injustiça com as outras que estou omitindo: a revista Novos Estudos, do Cebrap, que recebeu um novo vigor editorial no tempo em que foi dirigida pelo Rodrigo Naves e que agora tem um ótimo editor, o Flávio Moura e a Sibila, que tem um enfoque mais literário.

3. Antes da Piauí ― e antes, agora, da Serrote ―, quando se falava em jornalismo literário, no Brasil, era preciso retroceder aos anos 70 (Realidade), aos anos 50 (Senhor)... Vocês querem retomar essa tradição?

Não posso responder pela Piauí, embora como leitor habitual creia que ela faz muita coisa na melhor tradição da chamada narrativa de não-ficção. No caso da Serrote, creio que sim, em um sentido amplo da ideia de jornalismo literário que inclui, além das reportagens e das narrativas mais longas, o ensaio pessoal de tradição anglo-saxã e, em certa medida, a crítica literária.

4. Organizar uma revista, como a Serrote, é muito diferente de organizar uma coleção, como a de Jornalismo Literário na Companhia das Letras? Ou o princípio é o mesmo?

Há uma diferença de pauta. A coleção é feita basicamente de grandes reportagens e a Serrote traz, além dos ensaios, cartas, fotos, ilustrações, críticas.

5. Foi difícil montar o time que hoje compõe a Serrote?

A equipe de texto foi montada pelo Flávio Pinheiro, o superintendente do IMS. A ideia de que haveria uma boa receptividade por parte do leitor brasileiro para uma revista de ensaios, aliás, é dele. O Flávio havia convidado o Samuel Titan Jr. e o Rodrigo Lacerda para coordenarem a área editorial do Instituto. Quando a ideia da revista amadureceu, ele me convidou para fazer a parte operacional. Nós quatro passamos a fazer conjuntamente a revista. O Cassiano Machado, da editora Cosac Naify, nos indicou o diretor de arte Daniel Trench, um jovem talentosíssimo que fez um brilhante trabalho no projeto gráfico da Serrote. É um ato de coragem e de crença no desenvolvimento da cultura brasileira o fato de o IMS ter topado lançar uma revista com essas características em um momento como este, de crise e de grandes incertezas no mundo editorial.

6. Os autores estrangeiros vão continuar tendo muito peso ― até para dar o tom ― ou vocês pretendem aumentar, cada vez mais, o espaço para os brasileiros?

Na verdade, o primeiro número da Serrote tem bem mais autores brasileiros (ou locais) do que estrangeiros. No geral, vamos tentar manter o equilíbrio, mas, pessoalmente, não considero este um grande problema. Nosso compromisso é o de publicar textos de qualidade, bem escritos, inéditos. Considero esses pontos mais relevantes do que a nacionalidade dos autores. Temos a impressão de que existe um público que gosta simplesmente de ler bom textos sem se preocupar com a cor do passaporte do escritor, do fotógrafo ou do ilustrador.

7. Você acha que o ensaísmo à brasileira pode igualmente frutificar ou somos mais dados ao descompromisso, à leveza e à brevidade da crônica?

Acho que o ensaio mais pessoal e menos acadêmico tem grandes chances de prosperar no Brasil.

8. Como tem sido a repercussão, na própria imprensa, até agora? E o que vocês esperavam?

Tivemos uma recepção que eu classificaria de calorosa, e só temos a agradecer ao público leitor e aos jornalistas por isso. Não tínhamos muita ideia do que iria ocorrer e não poderíamos prever que os pedidos das livrarias praticamente esgotassem o nosso estoque em duas semanas. A Serrote ficou durante uma semana em 3º lugar entre os 10 mais vendidos em não-ficção na Livraria Cultura. É uma posição altamente expressiva para uma revista de ensaios. Temos uma estratégia de longo prazo de venda de assinaturas, uma vez que infelizmente nem todas cidades brasileiras contam com uma boa livraria.

Nós pudemos notar também um fênomeno bastante interessante: a Serrote foi muito bem acolhida pelos sites e blogs de cultura e de literatura ― como é o caso do Digestivo ―, mostrando que há um diálogo aberto e amigável entre os veículos impressos e os novos formatos da internet.

9. Vocês apostam no impresso com força... Ele ainda sobrevive, por tempo indeterminado, ao menos em formato livro? O que pensam do assunto?

O impresso permite uma fruição prazerosa, o tato, o cheiro, o folhear de um lado para o outro, uma diagramação diferenciada das imagens. Há uma relação inconsciente com o produto impresso. Se uma pessoa está procurando apenas a leitura em estado bruto, ela poderá se contentar com as versões digitais e eletrônicas. Se ela procura um instante de prazer estético ― uma experiência insubstituível como ir ver uma boa exposição na Pinacoteca do Estado ― junto com a leitura, creio que o formato impresso conservará os seus encantos para esta pessoa por mais algum tempo. Digo isto sem nenhuma nostalgia, pois sou uma pessoa que também enxerga imensas vantagens no mundo virtual.

10. E a internet ― está mais para O Culto do Amador (Andrew Keen) ou pode, igualmente, abrigar ensaios de alto nível? A Serrote terá uma presença também forte na Web? Como será?

Nós achamos que a Serrote na internet deverá ter características diferentes. Estamos analisando as possibilidades, mas o objetivo é também ter uma participação expressiva na Web.

Para ir além
Revista Serrote


Postado por Julio Daio Borges
Em 1/5/2009 à 00h15

Quem leu este, também leu esse(s):
01. 7 de Julho #digestivo10anos de Julio Daio Borges
02. 8 de Maio #digestivo10anos de Julio Daio Borges
03. Os argentinos saem na frente de Pilar Fazito
04. Ten Rules for Web Startups de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/5/2009
15h17min
Parabéns, Julio e Serrote, pela bela entrevista e pela revista brilhante. Edson Cruz
[Leia outros Comentários de edson cruz]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Legislação Ambiental Brasileira 2 Volumes
Carlos Gomes de Carvalho
De Direito
(1999)



O Coração da Esfinge
Colleen Houck
Arqueiro
(2016)



Infra Atlante - Forme Insediative e Infrastrutture
Aimaro Isola
Marsilio
(2003)



Tempo para viver, tempo para morrer
Erich Maria Remarque
Globo
(1990)



Curso Básico De Yoga Teórico Prático
Gerson D'Addio da Silva
Gerson D Addio da Silva
(2007)



/Aventuras de uma Criminóloga Nº 66
Giancarlo Berardi
Mythos
(2010)



/A Segunda Guerra Mundial - Volume Nº 12 - Fasc. 133 a 144
Vários autores
Codex
(1966)



Livro - Faith and Violence
Thomas Merton
University of Notre Dame Press
(2022)



Divulgação Legislativa - Tomo 1
Ministério da Justiça
Imprensa Nacional
(1967)



Terapia Alternativa
Aydano Ruriz
Europa
(1999)





busca | avançada
47517 visitas/dia
1,8 milhão/mês