Digestivo nº 327 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 4/5/2007
Digestivo nº 327
Julio Daio Borges

+ de 1500 Acessos




Literatura >>> Na pior em Parati e em Londres
Houve uma época em que A Revolução dos Bichos, de George Orwell, era indicado na escola. Será que era bem compreendido? É provável que não. A parte da fábula — dos animais que se revoltam na fazenda contra o domínio dos homens — é facilmente assimilável na infância. Mas a conclusão de que sempre existirão "explorados" e "exploradores" — no regime que for — não parece ao alcance nem de alguns adultos hoje... O fato é que o livro é um clássico, para ser lido "numa sentada" (bem ao gosto do clichê), e foi reeditado, neste ano, pela Companhia das Letras, com posfácio de Christopher Hitchens. Hitchens se portou mal em Parati, na Flip 2006, contrastando, ironicamente, com Fernando Gabeira (que, na comparação, deu uma aula magna). Chegou ao Brasil declarando, pelos jornais, que era impressionante o que Orwell havia realizado tendo — "apenas" — uma mente mediana. Mediana ou não, para quem prometia tanto, o posfácio de Hitchens deixa, novamente, a desejar. Por haver se tornado persona non grata aqui, talvez, inclusive, seu posfácio tenha até prejudicado a edição de Animal Farm (o título original). O fato, mais uma vez, é que se trata de um page-turner tão brilhante que é praticamente impossível não passar dias (meses ou, até, anos) pensando nos personagens — tão demasiadamente humanos — que Orwell criou. Seu molde — está na cara para quem conhece História — é a Rússia pós-Revolução, com Lênin, Stalin e Trotski suinamente representados. Com laivos de nazismo, claro; afinal é difícil não associar o porco Garganta, do Ministério da Propaganda (1984), com Goebbels, para quem uma mentira repetida mil vezes vira verdade. Enfim, estamos falando de uma lição de século XX que não pode ser esquecida. E que, no Brasil, ou não foi aprendida ainda ou precisa urgentemente ser relembrada. Viva a Revolução. De Orwell. [3 Comentário(s)]
>>> A Revolução dos Bichos
 



Gastronomia >>> O Conselheiro também come (e bebe)
A moda da “thai food” varreu os Estados Unidos. Com menor intensidade, mas se fazendo conhecer, também, aqui. Para quem quer experimentar e ainda não conhece mas quer, justamente, saborear sem correr riscos (pois as refeições picantes são famosas), as indicações do Thailand Brand (em 2004) e do Thailand Select Brand (em 2006), ambos selos de autenticidade concedidos pelo Ministério do Comércio Exterior (da Tailândia), apontam para a cozinha do Nam Thai, no Itaim Bibi, na rua Manuel Guedes. Stanley Kubrick, o diretor de 2001: Uma Odisséia no Espaço, além de obcecado pelo personagem, tinha o mesmo prazer de Napoleão em misturar o doce com o salgado no mesmo prato. Coincidentemente, essa é uma das características mais lembradas da cozinha tailandesa, que não mistura necessariamente a sobremesa com o prato principal (como faziam os radicais Napoleão e Kubrick), mas, conforme coloca David Zisman, o chefe e proprietário do Nam Thai, “apela para os sentidos”, combinando os “picantes” com os “ácidos”, o açúcar com o sal. Zisman, aliás, tem uma história interessante: depois de 30 anos de medicina, como clínico geral, resolveu ser, quase que oficialmente, embaixador da cozinha e da cultura tailandesa, primeiro no Rio, a sua cidade, depois em São Paulo, com o Nam Thai, desde 2005. Além de se diplomar em culinária na Tailândia, junto com sua esposa Isabel, David reproduz no Nam Thai a arquitetura e a decoração tailandesas, desde o lounge, na entrada, até mesas e bancos rústicos, vasos de fibra natural, no salão principal, xaxins e plantas silvestres, ao fundo. Para os preocupados com a pimenta, e os demais temperos, os pratos são classificados de “pouco picante” até “muito picante”, passando, claro, pelo “mediano”. Com o desconto do Almoço Thai e com a sofisticação dos Favoritos Thai, no jantar, não tem como errar. A thai food está, definitivamente, entre nós. [Comente esta Nota]
>>> Nam Thai
 



Música >>> Carinho, alegria e música
Em São Paulo, os ouvintes da Cultura FM conheciam Heloísa Fischer de suas intervenções bem-humoradas, às quartas e às sextas no final da tarde, comentando, com muita propriedade, a temporada de música erudita no Rio. Em sua cidade, Heloísa poderia ser encontrada na Rádio Mec, de segunda a sexta às 13 horas; e agora, nacionalmente, Heloísa Fischer dá o ar da graça na CBN, às terças e quintas, precisamente às 16h30. Toda essa evolução da jornalista Heloísa no rádio apenas para dizer que, “paralelamente”, seu anuário VivaMúsica! cresceu e frutificou, culminando com uma belíssima edição, neste ano, em quase uma década de existência. Além de ser “a” referência para temporadas de música clássica no Brasil inteiro, e um imenso diretório de efemérides, agentes, centros, concursos, espaços, festivais, órgãos, orquestras, prêmios, produtores, entre outros, o VivaMúsica! é um exemplo de persistência, criatividade e competência, numa época em que as mídias, geralmente, nascem, vivem e morrem, permanentemente, em crise. De revista a site, de site a anuário (em formato de livro), o VivaMúsica! revelou uma cena, fortaleceu e ampliou, muito possivelmente, essa mesma cena de música erudita – num país, economicamente, de terceiro mundo, com uma população à mercê de reality shows e com representantes cujo português não é, digamos, o orgulho nacional. Quem folheia o VivaMúsica!, não tem a impressão – felizmente – de viver no mesmo País que mostra a televisão e que está impresso, diariamente, nas manchetes dos jornais. Aplausos a Heloísa Fischer, por seu heroísmo (não existe outra palavra), e também a todos aqueles que figuram no VivaMúsica!. Pois, quando alguém vier dizer que o País vai de mal a pior, culturalmente falando, poderemos brandir o VivaMúsica! no ar e afirmar que, a despeito de tudo, tem gente, no Brasil, querendo construir uma civilização – com música. [Comente esta Nota]
>>> VivaMúsica!
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SUPERINTERESSANTE A PÍLULA DA INTELIGÊNCIA Nº 271
VÁRIOS AUTORES
ABRIL
(2009)
R$ 5,99



A PINTURA DA VIDA MODERNA - PARIS NA ARTE DE MANET E SEUS SEGUIDORES
T. J. CLARK
COMPANHIA DAS LETRAS
(2004)
R$ 700,00



NOVA HISTÓRIA CRÍTICA 8ª SÉRIE
MARIO SCHMIDT
NOVA GERAÇÃO
(2001)
R$ 13,00



GLOBALIZAÇÃO NOSSA PÁTRIA É O PLANETA
SEBASTIÃO MARTINS ANDRÉ CARVALHO

(1999)
R$ 4,00



LÍNGUA PORTUGUÊSA - NOVAS PALAVRAS - NOVA EDIÇÃO - VOLUME 1 - ENSINO MÉDIO
EMÍLIA AMARAL E OUTROS
FTD
(2010)
R$ 37,00



MODELOS DE REDAÇÃO OFICIAL
LUIZ A. P. VITÓRIA
TECNOPRINT
R$ 5,75



O CRISTIANISMO E AS RELIGIÕES
COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL
GRÁFICA DE COIMBRA
(1999)
R$ 17,00



EL AMPLIFICADOR OPERACIONAL Y SUS APLICAIONES
J. C. MARCHAIS
MARCOMBO
(1971)
R$ 35,00



A CASA DO PENHASCO
VERA LÚCIA MARINZECK DE CARVALHO / PELO ESPÍRITO
PETIT
(2000)
R$ 14,00



MODERNA SAÚDE PÚBLICA VOLUME II
F. A. GONÇALVES FERREIRA
FUNDAÇÃO CALUSTE GULBENKIAN
(1982)
R$ 50,00





busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês