Digestivo nº 437 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
>>> Ana Cañas e Raíces de América abrem a programação musical de junho, no Sesc Santo André
>>> Sesc Santo André recebe Cia. Vagalum Tum Tum, em junho
>>> 3º K-Pop Joinville Festival já está com inscrições abertas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
>>> Ceifadores
>>> É hoje (de novo)!
>>> Trump e adjacências
>>> Entrevista com Pollyana Ferrari
>>> O novo sempre vem
>>> O estilo de Freddie Hubbard
Mais Recentes
>>> Zé Carioca Nº 1821 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> The Theory of Economic Development de Lord Robbins pela Macmillan (1968)
>>> Matemática - Magistério 1 de Ruy Madsen Barbosa pela Atual (1985)
>>> Do alto da tribuna de Ademar rigueira neto pela Lumen juris (2017)
>>> A Vida de D. Pedro I - Tomo I de Octávio Tarquínio de Sousa pela José Olympio (1972)
>>> Novos Canticos de Dolares Bacelar Espíritos Diversos pela Não Informada (1983)
>>> O Clube do Filme de David Gilmour; Luciano Trigo pela Intrinseca (2009)
>>> Zé Carioca Nº 1820 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> Cozinha do Mundo: Itália Vol. 1 de Abril Coleções pela Abril Coleçoes (2010)
>>> Who's Best? de Varios Autores pela Foundations Reading Library (2006)
>>> The Elements of Typographic Style de Robert Bringhurst pela Hartley & Marks (1997)
>>> Doctor Who: Adventures in time and space de Vários autores pela Bbc (2009)
>>> Cálculos Trabalhistas de Adalberto José do Amaral Filho pela Ltr (2002)
>>> A Fenda do Tempo de Dionísio Jacob pela Infanto Juvenis (2005)
>>> Lobo Solitário 8 de Kazuo Koike e Goseki Kojima pela Cedibra (1989)
>>> Macunaíma, o Herói sem Nenhum Caráter de Mário de Andrade pela Penguin Companhia (2016)
>>> Oficina de História - Volume único de Flávio Campos pela Leya (2012)
>>> Zé Carioca Nº 1818 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Romance Senzala de Salvador Gentile pela Instituto Difusão Espirita (1993)
>>> Cartas Chilenas de Tomás Antônio Gonzaga pela Martin Claret (2007)
>>> Skate - Guia Passo a Passo Ilustrado de Clive Gifford pela Zastras (2008)
>>> Mensagens de Matthew Mckay; Martha Davis; Patrick Fanning pela Summus (1999)
>>> Zé Carioca Nº 1798 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Ente Osso agora de Maitê Proença pela Record (2015)
>>> Aprendi com meu pai - 54 pessoas bem-sucedidas contam a maior lição que receberam do seu pai de Luís Colombini pela Virsar (2006)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 23/10/2009
Digestivo nº 437
Julio Daio Borges

+ de 3000 Acessos




Literatura >>> Euclidiana, por Walnice Nogueira Galvão
A sobrevivência de um escritor, depois de morto, não depende só de sua consagração em vida, mas também de pesquisadores dedicados como Walnice Nogueira Galvão, especialista em Euclides da Cunha. O autor de Os Sertões, além de despontar com sua obra, no começo do século passado, conquistando o respeito de toda a intelectualidade brasileira, foi premiado com admiradores póstumos como a professora titular de teoria literária e literatura comparada da USP. O interesse de Walnice Nogueira Galvão a levou, entre outras realizações de monta, a organizar um fundamental volume de cartas do escritor, pela Edusp (em 1997), e a estabelecer a mais recente edição crítica de Os Sertões, harmonizando todas as variantes conhecidas, desde 1902. As histórias de sua devoção por Euclides da Cunha estão coligidas neste Euclidiana, um volume de ensaios, que a Companhia das Letras acaba de lançar. Walnice Nogueira Galvão começa com estilo, em "Ecos Literários", passa à biografia de Euclides, incluindo a Escola Militar, naturalmente sua morte trágica e seu jornalismo no Estado de S. Paulo, dedicando, ainda, uma terceira parte ao que chama de "Epistolografia", para encerrar com "Livros", ou as edições do escritor. Euclides da Cunha, como todo grande clássico, é um mundo, e mergulhar nas análises da professora Walnice é se deixar envolver pela prosa de um de nossos maiores autores. Embora tenha falecido precocemente, aos 43 anos, Euclides se converteu em mito e vive agora também nos estudos de Walnice Nogueira Galvão. Bastante sóbria na escrita, talvez evocando o mestre, a professora Walnice não se furta, igualmente, a emitir opiniões, e repassa desde as derivações literárias como a de Mario Vargas Llosa até as deformações folhetinescas como Desejo, com Vera Fischer e Guilherme Fontes. Para compensar, as presenças de José Calasans, Oswaldo Galotti, Antonio Houaiss e Franklin de Oliveira — "euclidianos e conselheiristas". Euclidiana, enfim, é mais uma homenagem, que merece ser lida, ao nosso grande Euclides da Cunha. [Comente esta Nota]
>>> Euclidiana: Ensaios sobre Euclides Da Cunha
 



Teatro >>> Terça Insana, o segundo DVD
É louvável que um projeto como o Terça Insana continue em cartaz desde 2001. Com uma proposta de renovar seus quadros de humor a cada semana, o Terça Insana foi se consagrando, saindo do centro da cidade para se firmar no Avenida Club, em Pinheiros. Veio o primeiro DVD, ainda pela Trama (em 2004), e, agora, o segundo DVD marca a passagem do Terça Insana para uma segunda fase, pós-consagração. Desta vez, nada de Aline Dorel (só nos créditos), Irmã Selma, a Sheila ("uma loucura") ou MC Dollar (uma homenagem aos rappers de shopping). Com o sucesso da primeira trupe, muitos seguiram carreira solo, outros buscaram o mainstream televisivo, outros, ainda, preferiram o teatro clássico. Grace Gianoukas, junto a seu fiel escudeiro, Roberto Camargo ("Betina Botox") tiveram de renovar o cast, mas conseguiram boas aquisições. Neste novo DVD, as grandes revelações são: Marco Luque, que faz o hilariante taxista Silas Simplesmente, Mary Help (a empregada Maria do Socorro) e o Garçom; e Agnes Zuliani, uma atriz veterana, com formação em História, que faz a Senadora Biônica ("Lembra?"), Carlota Joaquina, com sotaque português impecável, e a Mal Amada. Grace Gianoukas ainda segura bastante a onda com a Mulher Moderna (entre trabalho, marido e filhos, claro) e a Adolescente (personagem inspirada nas crianças mimadas de hoje). Já Roberto Camargo se sai muito bem como Cupido, embora soe um pouco deprimente como Homem de 40 (mais que engraçado). Guilherme Uzeda, ainda que seja uma novidade na trupe, com seus personagens, não marca muito. Grace parece uma de suas criações, falando nos extras, justificando muito a demora do DVD e enumerando as características de cada ator que já passou pelo projeto. Embora seja a fundadora e, idealmente, tenha se realizado na profissão, soa um pouco cansada — e, de repente, a terceira fase do Terça Insana pode vir a depender de outras variáveis além do seu fôlego... [Comente esta Nota]
>>> Terça Insana
 



Música >>> Irmãs Labèque encerrando a Temporada 2009 do Mozarteum
Se em 2005 Katia e Marielle Labèque abriram a Temporada do Mozarteum Brasileiro, em 2009, retornando ao Brasil, fecharam com música espanhola e o famoso Bolero de Ravel. Quatro anos atrás, a influência da Espanha já se insinuava pela escolha de peças do mesmo Ravel que evocavam, pelo estilo, o país do Dom Quixote. Sem contar a presença do mundo hispano-americano, graças ao baterista venezuelano, Pablo Bencid, que, em 2005, fechou um segundo bloco que começou com Leonard Bernstein (a peça "America" estava incluída). Neste ano, a parte percussiva do espetáculo ficou a cargo do Grupo PIAP, convidado para interpretar, conjuntamente, o Bolero. Seguindo a notação original, para dois pianos (do próprio Maurice Ravel), a reprodução do "crescendo", mais conhecido por causa da presença de orquestras, foi acontecendo graças à introdução lenta de cada instrumento de percussão, enfatizado pela intensidade dos toques de Katia e Marielle. Desde um pandeiro muito discreto, fazendo apenas a marcação, até explodir em tambores, surdos e, aparentemente, timbales, combinados com berimbau, caxixi e triângulo, entre muitos outros. A plateia, que já esperava com ansiedade o Bolero, explodiu, por sua vez, em palmas e sorrisos, de pé, louvando as irmãs francesas e o grupo de percussão da Unesp. No início, as Labèque preferiram começar a apresentação mais sérias, com um bloco inteiro dedicado a Isaac Albéniz, excertos da sua suíte Iberia, com arranjos de Enrique Granados (entre outros). O mesmo Granados reapareceria abrindo o segundo bloco, com sua suíte para piano, Goyescas, La Maya y el Ruiseñor (com este último passeando alegremente pelo teclado das instrumentistas). Antes do ovacionado Ravel, ainda houve Paco de Lucia e Joan Albert Amargós. O primeiro é mais conhecido por sua habilidade, lendária, ao violão, mas se mostrou compositor agradável em Canción de Amor. A Temporada 2010 do Mozarteum também promete com Maria João Pires, Zubin Mehta e a Filarmônica de Munique, a Sinfônica de Heidelberg com Hiaou Zhang, fora a Oslo Camerata, o Ensemble Berlin e o Waldstein Quartet. [Comente esta Nota]
>>> Katia e Marielle Labèque
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1/3 Reflexões do Mundo Corporativo
Pedro Pereira Fernandes Neto
Baraúna
(2015)



O Veu Rasgado, - Mulher Muculmana descobre o Evangelho -Religiao
Gulshan Escher e Chelma Sangster
Vida
(1994)



O Advogado
John Grisham
Rocco
(1998)



Starting Out in the Afternoon
Jill Frayne
Random House Canada
(2002)



Ate Que Nada Mais Importe
Trad. Jerry o Dell Renata B. Coelho
Graça Editorial
(2001)



Alucinações Parciais
Frédéric Paul (cur.)
Inst. Tomie Ohtake/c. Pompidou
(2018)



Fundação Oswaldo Cruz - Oswaldo Cruz Foundation
Fiocruz
Fiocruz



Prometeu
Jorg Rasche
Cultrix
(2017)



O Cortiço
Aluizo de Azevedo e Douglas Tufano
Moderna
(2015)



Tomas Ender Pintor Austriaco na Corte de D. Joao Vi no Rio de Janeiro
J. F. de Almeida Prado
Companhianacional
(1955)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês