Blog | Digestivo Cultural

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
Mais Recentes
>>> Nação e Trono - Páginas de História de Antonio Lobo Vilela pela Movimento (1964)
>>> Erros e Dúvidas de Linguagem de Vittorio Bergo pela Lar Católico (1959)
>>> Gabriels Ghost de Linnea Sinclair pela Bantam (2005)
>>> Reforma Agrária - Volume 13 - Nº 1 e 2 de Jacques Chonchol e Outros pela Abra (1983)
>>> Desculpem - Me, foi por Engano...! de Carlos Henrique da Cruz Lima pela Do Autor (2016)
>>> Passos na Eternidade de Norália de Mello Castro pela Rebra (2010)
>>> Porque é Importante Sonhar de Clóvis Tavares pela Gente (1999)
>>> É Tudo tão Simples de Danuza Leão pela Harper Collins Br (2011)
>>> O Papagaio Cibernético de Eduardo Almeida Reis pela Record (1984)
>>> Vertigo N. 18 de Vários pela Panini (2011)
>>> Uma Vida pelo Seguro - a Trajetoria de Helio Opipari de Ricardo Viveiros pela Azulsol (2015)
>>> A Espada na Pedra de White pela Hamelin (2013)
>>> Chan Tao de Jou Eel Jia; Norvan Martino Leite pela Plexus (1998)
>>> Carnavalescos e Suas Criações de Arte de Maria Apparecida Urbano pela Clube do Bem Estar (2017)
>>> Dueto / Duet de Vera Mazzieri / Gemiann Augustus pela Do Autor (1982)
>>> Fuel Testing - Laboratory Methods in Fuel Technology de Godfrey W. Himus pela Leonard Hill (1954)
>>> Código Zero Magazine - Ano 1 - Nº 5 de William H. Fear pela Ediex
>>> Juca Mulato de Menotti del Picchia pela Martins (1972)
>>> Imaginário de Labi pela N/d
>>> Simplesmente Helena de Carolina Kotscho pela Planeta (2007)
>>> Viabilidade Econômico - Financeira de Projetos de Outros; Ricardo Bordeaux Rêgo pela Fgv (2007)
>>> Os Fabulosos X-men - Revista Mensal - Numero 45 de Varios pela Abril (1999)
>>> Sociologia para o Ensino Médio - Terceira Parte de Nelson Dácio Tomaz pela Saraiva (2014)
>>> Perguntar Ofende ! Perguntas Cretinas Que Jornalistas Não Podem Fazer de José Nello Marques pela Disal (2003)
>>> Bad Blood de L. A. Banks pela St. Martins (2008)
BLOG

Quarta-feira, 15/2/2006
Blog
Redação

 
The Flickrization of Yahoo!

"I look at Flickr with envy (...). It feels like where the Web is going."

Jerry "Yahoo!" Yang, falando sobre a nova aquisição de sua empresa, na CNN (porque eu também estou no Flickr...)

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
15/2/2006 às 12h41

 
The Bayosphere Community

A little over a year ago, I left the San Jose Mercury News to pursue my passion for what we've come to call "citizen media" - the idea that anyone with something to say could use increasingly powerful and decreasingly expensive tools to say it, potentially for a global audience. (...)

Dan "We the Media" Gillmor faz um balanço de sua experiência de um ano à frente do(a) Bayosphere.

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
14/2/2006 às 12h28

 
Desordem

Na poesia eu não posso fazer como numa crônica que tenho data para entregar. Na poesia eu não decido quando. Porque o motor gerador da poesia está fora de mim, fora do meu controle. De repente a poesia vem. É uma coisa que Manuel Bandeira dizia: o poema escolhe o momento de nascer. É verdade, escolhe. Acho que fazer poesia é aprender a fazer poesia, permanentemente. E quando você sabe demais tem que desaprender. Porque a poesia é o erro e a superação do erro. Não se pode estar seguro. Atualmente escrevo com mais dificuldade do que eu escrevia antes. Por exemplo, eu escrevi um poema chamado "Desordem". Depois eu fui reler este poema, na forma que parecia final. Quando o estava relendo, começaram a surgir na minha cabeça idéias que não estavam expressas nele, mas que diziam respeito a ele. Aí eu escrevi uma espécie de adendo ao poema. Isto nasceu de modo imprevisível, da leitura do próprio poema. Certa noite, saía da casa da Claudia [Ahimsa, companheira do poeta]. E quando atravesso o jardim havia ali um jasmineiro lançando perfume no ar. Fiquei louco. Arranquei umas flores do jasmineiro e saí cheirando aquilo, aspirando aquilo que senti como um veneno. É que o cheiro do jasmim parece suave de longe. Quando você aspira ele se torna selvagem. Aquilo me envenenou. Entrei no meu carro doidão porque havia tomado um porre de jasmim e vim embora para casa. Aí, quando cheguei em casa, dormi e no dia seguinte escrevi um poema sobre aquele barato. E aquele jasmineiro está lá há anos e nunca me provocara tal sensação e de repente naquela noite provocou. Ou seja, é uma coisa que não tem controle. Eu jamais escreverei um poema pela simples idéia de que faz tempo que não escrevo um poema. E acho que ninguém escreve assim. Se escrever, não dá certo. Não estou falando de inspiração, mas é um acontecimento de caráter psicológico ou existencial que provoca um relâmpago, um curto-circuito. Na verdade, eu vou te dizer uma coisa: você não escreve a verdade do jasmim. Você inventa uma verdade para o jasmim. Porque a vida é uma invenção. O homem inventa a si mesmo permanentemente. E inventa a vida dele. Então o poema não é o registro da experiência do poeta. Não. A experiência da vida provoca uma invenção. E você cria um artefato que passa a ser a expressão verbal da experiência mas que não é ela.

Ferreira Gullar, em bela entrevista a Paulo Polzonoff Jr.

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
13/2/2006 às 15h47

 
Are Newspapers Doomed?

"The public's consumption of news and opinion used to be like sucking on a straw; now it's like being sprayed by a fire hose."

Joseph Epstein, citando Richard A. Posner, num dos melhores ensaios sobre o fim dos jornais...

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
10/2/2006 às 10h03

 
Matias na cidade

Eu já conhecia Alexandre Vidal Porto de nome, mas, vim a conhecê-lo melhor através de uma entrevista exibida na Globo News. De cara, cometi o erro de negligenciá-lo, de minimizá-lo. Embora ele seja uma figura simpática e sabidamente culta, não parecia que aquele diplomata de carreira realmente pudesse escrever um bom livro. Mas ele o fez.

A primeira coisa que me chamou a atenção em Matias na cidade (Editora Record, 2005, 159 páginas) é o início da crítica presente na contra-capa do livro, escrita por William McPherson, vencedor do Pulitzer. "A linguagem de Alexandre Vidal Porto é clara e brilhante como a luz de certas tardes de outono". Sinceramente, que tipo de crítica é essa? Beira o ridículo, na minha opinião. Até me fez lembrar Ariano Suassuna falando que mesmo os mais talentosos na arte da escrita às vezes escrevem frases idiotas. Essa é uma delas, é a típica crítica que não serve para nada, um ar poético para seduzir os menos avisados. Foi sob esse olhar que abri o livro e iniciei sua leitura.

Matias na cidade é um livro delicioso. Embora razoavelmente complexo em sua temática, a leitura é fácil e agradável, o estilo do escritor é direto, sem rodeios e sem complicações. Porém, as reflexões que poderá causar não são nada simples. Embora o autor não se concentre em explorar a dor dos personagens, certamente, ela está lá, a quem quiser alcançá-la. É como se ele apenas contasse a história, sem tomar partido, sem se aprofundar nos sentimentos, sem enraizar sua narrativa nas questões psicológicas dos participantes. Esse é o ponto forte do livro, deixar ao leitor decidir, e pensar, se quiser fazê-lo.

Matias, um quarentão mulherengo e bem sucedido profissionalmente é visivelmente infeliz. Sua esposa, também. Suas vidas são comuns, cheias de tragédias do dia-a-dia. São ocas, são profundas. O autor soube explorar muito bem esse clima de infelicidade pessoal, mesmo entre pessoas que tinham tudo para serem felizes, mas, não o são, o que deu errado? Matias na cidade é um livro atual sobre algo eterno.

[Comente este Post]

Postado por Marcelo Maroldi
9/2/2006 às 10h41

 
The Bear Case

No one else is writing this piece, so it will have to be me. I should say upfront that I'm not predicting that this will happen (yet), and I'm certainly not making a recommendation. I'm just laying out a scenario that could kneecap Google and take its stock back to, say, $100 a share.(...)

Henry Blodget, prevendo que o Google pode descer a rampa - em termos do preço da ação - como desceram Yahoo, AOL e outros...

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
9/2/2006 às 09h28

 
Putting The Screws To Google

"(...) even though Old Media's fortunes are waning, it can still put some hurt on the new guys."

Jon Fine, na BusinessWeek, sobre uma possível resposta da indústria ao Google...

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
8/2/2006 às 09h09

 
a read and write mechanism

[(...) Is there a bubble now in Web 2.0?] I don't know. (...) Things are different. The public isn't paying the price. In the late 1990s companies were going public on Nasdaq. Now, they're getting acquired by Google, AOL, Yahoo and Microsoft. As long as that happens, venture capitalists keep investing. (...) How long will that continue? It may depend on whether market valuations of Google and others continue to rise. Their appetite might be based on their market capitalization.(...)

Michael Arrington, do TechCrunch, especializado em Web 2.0 (porque eu acredito numa nova bolha...)

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
7/2/2006 às 17h41

 
On being on television

Television is such a strange enterprise! I don't really know how else to put it. I get an e-mail in the afternoon from Tim Levell at Sky News saying that they're looking for someone vaguely clued-up to talk about weblogs that evening. I ask a few questions and get a bit nervous, and chat to a couple of friends and then decide that sure - even though I'm scared to death by the whole idea of live television, it's not exactly an opportunity you get every day. So I have a shower, find a shirt that doesn't look too bad, and scrabble around for a sweater that isn't still damp from the wash and wait patiently for the doorbell to ring.(...)

Tom Coates, do Plasticbag.org (porque, lá na Britânia, eles já estão levando os blogueiros para a televisão...)

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
6/2/2006 às 17h32

 
Six month report

Look, the tech industry is and always will be fucked up. They still somehow manage to make a semi-usable product every once in a while. My Mac is slow as a dog, even though it has two CPUs and cost $5000, but I use it anyway because it's prettier and slightly more fun than the crap Microsoft and Dell ship. But give me a reason to switch, even a small one, and I'm outta here.

Dave Winer - um dos mais influentes blogueiros dos EUA -, entre Bill Gates, Steve Jobs e Michael Dell (porque ele não tem papas na língua...)

[Comente este Post]

Postado por Julio Daio Borges
3/2/2006 às 17h28

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tragédia no Mar
Paul Gallico
Expressão e cultura
(1973)



A Lei do Triunfo - 16 Lições Práticas para o Sucesso - 42ª Edição
Napoleon Hill
José Olympio
(2016)



Uma Longa Viagem
Eric Lomax
Planeta do Brasil
(2014)



The Wake of Imagination
Richard Kearney
Routledge
(1988)



Contos e Lendas Orientais - Texto Integral
Malba Tahan
Pocket Ouro
(2011)



Impariamo Litaliano
Anita Salmoni
Orlandini
(1974)



O Senhor do Bem e do Mal
Richard Condon
Civilização Brasileira
(1970)



O Demônio e a Srta. Prym
Paulo Coelho
Objetiva
(2000)



Revista Subversa Literatura Luso-brasileira #02
Eduardo Lacerda
Patuá
(2016)



Volume 9: Meio Ambiente
Coletânea Gestão Pública Municipal
Cnm
(2004)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês