Uma feira (in)descritível | Digestivo Cultural

busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
>>> Leonardo Brant ministra curso gratuito de documentários
>>> ESG como parâmetro do investimento responsável será debatido em evento da Amec em parceria com a CFA
>>> Jornalista e escritor Pedro Doria participa do Dilemas Éticos da CIP
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Impressões
>>> A escrita boxeur de Marcelo Mirisola
>>> Desorientação vocacional
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Montezano, do BNDES, sobre o marco do saneamento
>>> Leitor bebum começou com um gole
>>> Curtas e Grossas
>>> 12 de Agosto #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Golem e o Gênio: uma Fábula Eterna de Helene Wecker pela DarkSide (2015)
>>> Os Chakras: e os Campos de Energia Humanos de Shafica Karagulla, M.D. e Dora Van Gelder Kunz pela Pensamento (1991)
>>> O Caminho da Tranquilidade de Dalai Lama pela Sextante (2000)
>>> Perdas & Ganhos de Lya Luft pela Record (2003)
>>> Minecraft Fortaleza Medieval de Mojang pela Abril (1500)
>>> Minecraft Guia de Criação de Mohang pela Abril (2017)
>>> Minecraft Guia de Exploração de Mohang pela Abril (2021)
>>> Salomé de Oscar Wilde pela Principis (2021)
>>> O Mercador de Veneza de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> Do Contrato Social de Jean - Jacques Rousseau pela Principis (2021)
>>> Kilmeny do Pomar de Lucy Maud Montgomery pela Principis (2021)
>>> A Mamãe é Rock de Ana Cardoso pela Principis (2019)
>>> Nos Bastidores Trinta Anos Escrava, Quatro Anos na Casa Branca de Elizabeth Keckley pela Principis (2021)
>>> O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas pela Principis (2021)
>>> Romeu e Julieta de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> O Condenado de Camilo Castelo Branco pela Principis (2021)
>>> The secret Agent de Joseph Conrad pela Collins Classics (2012)
>>> Vandrad, o Viking a Contenda e o Feitiço de Joseph Storer Clouston pela Principis (2021)
>>> Helena de Machado de Assis pela Principis (2021)
>>> Utopia de Thomas More pela Principis (2021)
>>> Poliana de Eleanor H. Porter pela Tricaju (2021)
>>> Cause of death de Patricia Cornwell pela Warner Books (1997)
>>> Um Inimigo do Povo de Henrik Ibsen pela Principis (2021)
>>> The Da Vinci Code de Dan Brown pela Corgi Books (2004)
>>> Little Woman de Luisa May Alcott pela Signet Classics (2012)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 16/11/2006
Uma feira (in)descritível

+ de 1000 Acessos

Apesar de escritora, meu fundamento é a imagem. Mesmo a palavra, antes de tudo é para mim, a palavra grafada, concreta, desenho sobre o papel (ou sobre a tela). Visualizo a palavra, em suma, antes de lê-la, o que não quer dizer que dela desvincule o significado: para mim, a palavra-imagem já significa.

Traduzir em palavras um fenômeno como a Feira do Livro de Porto Alegre, significa desenhá-la, portanto e para mim, em palavras. É possível configurar tantos gestos? Tantas cores e percursos? Veremos, ou melhor, verão vocês, que me lêem nesse exato instante: a Feira do Livro de Porto Alegre como nenhuma outra, presta-se a imagens. Porque aqui não se trata somente de literatura, mas de uma festa em torno do livro, consagrado não como mero suporte transverso a um conteúdo abstrato, imaginário, além-mundo; na Feira do Livro de Porto Alegre, o livro é tão objeto quanto o brinquedo barato vendido pelo ambulante, tão maduro quanto o senhor curioso que investiga uma leitura antiga; tão criança quanto aquela que pasmada espia por baixo dos braços da mãe. Borboleta branca que voa perdida entre os quiosques - com ela foi o livro comparado por Mallarmé. A Feira seria um grande livro anímico? Um livro folheado e lido em poucos dias de novembro? É leitura de feriados, de passeios distraídos? De domingo?

Sim, em Porto Alegre.

Não bastasse a chuva roxa, esse atropelo de olhos obcecados, desejosos de encontrar certa obra perdida; esse debate apaixonado e ruidoso que entorta ainda mais esses labirintos da praça de onde menos se espera saem jornalistas, aquele poeta, um travestido - até quem já morreu; mas no meio do formigueiro a gente senta pra tomar um café, onde toda conversa é um paratexto, um prefácio crítico; o chope, até a água mineral tem gosto de celulose - árvores e livros.

Como demonstro: esta feira não é bem e só um espetáculo-vitrine de lançamentos, editores, ou autores de umbigos. Ao lado do best-writer, do autor sensível e obscuro, da sensação cult do momento, autografa o marginal independente, o funcionário público ansioso, crente na genialidade incontestável das suas mal-editadas linhas, a senhora dona-de-casa estreando um conto infantil caseiro ilustrado pela filha mais velha - quase uma moça já. O vento se encarrega de desmanchar as poses mais atraentes, de equalizar os corpos, iguais na mesma celebração. O mesmo vento se encarrega de recobrir o sucesso de ontem com a poeira sebosa e amarelenta dos estoques acumulados. Não tem cenário e iluminação que estanque o suor, que disfarce olheiras exaustas após tantos eventos, tantas brochuras.

A Feira de Porto Alegre é uma festa de quem trabalha no e para o livro, de quem ama o livro, de quem deseja, cultua, produz e - por que não? - vende esse nosso fetiche. Um ritual completo.

Inclui, é claro, sacrifícios: desde o de aprender a tolerar cotovelos e ritmos andares alheios ou de permanecer isolado, imóvel à espera do leitor ausente; desde o de gastar tudo o que ainda nem se tem, esperando que se cumpra uma promessa feita por escrito - a garantia de um paraíso feito de poesia ou ficção -, até o de trabalhar duramente para que tudo aconteça e para que a Feira instale-se na praça tão naturalmente a ponto de confundir-se com os jacarandás floridos.

Esta feira é mais que do Livro, é uma Feira de Leitores e de Escritores que, no fundo, no fundo, não passam de leitores de todo o imaginário futuro. Pois a diferença entre o leitor e o escritor é bem e unicamente essa: o escritor é aquele que lê aquilo que ainda não foi escrito.

Da Paula Mastroberti, artista plástica e escritora (porque era para entrar nos Ensaios, mas não deu o tamanho...!).


Postado por Julio Daio Borges
Em 16/11/2006 às 14h11


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pensar Edição, Fazer Livro 3 de Ana Elisa Ribeiro
02. Ristridi de Julio Daio Borges
03. Vídeo da volta de Aécio hoje de Julio Daio Borges
04. Corrupção na Petrobras de Julio Daio Borges
05. 50 anos do golpe, pela Folha de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Literatura Portuguesa
Fidelino de Figueiredo
A Noite
(1941)



A Reforma da Lei das S. A.: Através da Lei Nº 10. 303
Themistocles Pinho e Álvaro Peixoto
Freitas Bastos (rj)
(2001)



Barbie Em Vida de Sereia 2
Ciranda Cultural
Ciranda Cultural
(2013)



Revista Brasileira de História Nº 48 - Produção e Divulgação..
Anpuh
Anpuh
(2004)



Código de Defesa do Consumidor
Editora Atlas
Atlas
(2003)



Super Poderes do Cerebro
Jean Marie Stine
Record
(2002)



As Drogas na Família e no Brasil
Osires Silver
Hamburg Gráfica
(1990)



Getting Started in Options
Michael C. Thomsett
John Wiley
(1993)



O Génio (biografia do Cientista Yan Zabor)
Dieter Eisfeld (edição Portuguesa)
Gradiva (lisboa)
(1988)



The Instruments of Torture
Michael Kerrigan
Spellmount
(2001)





busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês