Lauryn Hill no Tom Brasil | Digestivo Cultural

busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece curso sobre preparação e revisão de texto
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o terceiro episódio do Desafinados Entrevista
>>> Anexo LONA - Interações 1 - Cristina Elias & Thais Stoklos
>>> Viaje ao som de 'Sky', novo single de Dizin
>>> Lewis Wolpert explica como os organismos multicelulares se formam a partir de um simples óvulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Elvis 2015
>>> Pensar Não é Viver
>>> Caminhos para Roma
>>> Solitária cidadã do mundo
>>> Breve biografia
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A importância da virtude
>>> Deus ex machina
>>> Mulher-Flamingo
>>> O hiperconto e a literatura digital
Mais Recentes
>>> A Constituição para Crianças de Liliana e Michele Iacocca pela Ática (1996)
>>> Monsignote de Jack Alain Léger pela Nova Cultural (1986)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Aprender de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
>>> Sonhos e Sombras - a Realidade da Maconha de Mauro Weintraub pela Harper e Row do Brasil (1983)
>>> Fuga do Pantanal de Teresinha Cauhi de Oliveira pela Ftd (1997)
>>> Memória das Bandas Civis Centenárias do Estado do Rio de Janeiro de Caderno MIS pela Museu da Imagem e do Som (1994)
>>> Educação de 0 a 3 Anos – O Atendimento em Creche de Elinor Goldschied & Sonia Jackson pela Artmed (2006)
>>> Filó e Marieta de Eva Furnari pela Paulinas (2011)
>>> A Gargalhada do Jacaré de Elza Cesar Sallut; Jótah pela Do Brasil Sp (2007)
>>> Mysterium Salutis Teologia Fundamental I 2 de Johannes Feiner Magnus Loehrer pela Vozes (1971)
>>> A Maçonaria na Independência Brasileira - Volume II de Manoel Rodrigues Ferreira pela Biblos (1964)
>>> Mysterium Salutis A História Savífica Antes de Cristo II 1 Deus Uno e Trino de Johannes Feiner Magnus Loehrer pela Vozes (1972)
>>> Filosofia Para Iniciantes de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> Filosofia Para Iniciantes de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Gentileza de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
>>> Filosofia - Chaves do Pensar de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Aprender de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
>>> O Menino do Barril de Paulo Debs pela United Press (2011)
>>> 9788582120576 de Márcia Silva Di Palma pela Márcia Silva Di Palma
>>> Shantaram de Gregory David Roberts pela Intrísseca (2011)
>>> Quem Sabe o Sim Sabe o Não de Reynaldo Valinho Alvarez pela Nórdica (1988)
>>> Estradas de Assis Martins pela Melhoramentos
>>> Um Amor Grande Demais de Yolanda Reyes pela Ftd (1997)
>>> Até nos Revermos no Céu de Anselm Grün pela Vozes (2011)
>>> As Origens do Pensamento Grego de Jean-pierre Vernant pela Difel (1984)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 21/6/2007
Lauryn Hill no Tom Brasil

+ de 2600 Acessos

Instrumental encobrindo o vocal; platéia lotada; muita gente passando mal; uma cantora frenética que pulava e dançava no mesmo ritmo e intensidade das batidas da bateria e do DJ; músicas cansativas de dez minutos cada, cheias de improvisos e arranjos que destoavam das gravações originais.

Se tivesse que resumir o show do dia 14 de junho que aconteceu no Tom Brasil, seriam esses os destaques. Lauryn Hill, em sua primeira apresentação em São Paulo, decepcionou muitos com seu atraso, improvisos cansativos e excesso de estrelismo*. Por outro lado, sua energia no palco, a qualidade da banda de treze integrantes (dois tecladistas, um DJ, um guitarrista, um baterista, uma percussionista, dois baixistas - acústico e elétrico -, trios de metais e três backing vocals) e o próprio talento ganharam os fãs, já cansados de esperar por sua aparição, que aconteceu depois de quase duas horas.

Mesmo após a entrada dos integrantes da banda no palco, a cantora ainda esperou uma jam session, com duração de quinze minutos em média, para finalmente aparecer e soltar a voz. Ela começou vocalizando algumas frases, improvisando junto com a banda, mas quase não se ouvia sua voz, pois o som da banda estava muito mais alto do que de seu microfone. Uma pena.

Na verdade, em boa parte das canções o instrumental estava encobrindo a voz de Lauryn. Ela mesma pediu à banda no meio de uma música: "Easy, easy! I want the people listening what I sing!". Creio que esse problema técnico se deu pelo fato de que o espetáculo foi feito para ser executado em um espaço maior, como em um estádio. A casa não tem espaço para "abrigar" um show desse porte.

Mas, além desse problema técnico, outro fator incomodou os ouvidos dos fãs: os arranjos. Muitas músicas tiveram uma nova roupagem, foram prolongadas e ganharam improvisos. Até aí, nenhum problema, se não fosse pelo fato de que ficou impossível acompanhar as músicas, muito diferentes das gravações originais.

Se não fosse a primeira turnê da cantora no Brasil, creio que não haveria nenhum incômodo por parte do público. Como em todos os shows internacionais que vêm ao Brasil, os fãs querem ouvir as músicas mais conhecidas, querem cantar junto, enfim, identificar o som para curtir melhor os espetáculos, que, no caso da Lauryn Hill, não acontecem com freqüência em nosso país. Mas não foi o que ocorreu.

Depois de cerca de meia hora, cansadas de esperar por músicas mais conhecidas, muitas pessoas começaram a sair do local, ou para ir embora ou porque estavam passando mal, afinal o local estava muito cheio. Assim, a platéia ficou mais vazia - sorte de quem resistiu.

A showgirl
A primeira música que agitou o público foi "Lost Ones", do primeiro disco solo da cantora, The miseducation of Lauryn Hill, mas bem mais rápida do que a original. "Ex-factor" e "To Zion", ambas do mesmo álbum, também animaram os fãs.

A fusão de ritmos como funk, rap, raggae e soul, típica de seu trabalho, estava presente em todas as canções apresentadas. Mas o ritmo jamaicano teve um espaço significativo no show. A nora de Bob Marley (Lauryn é casada com Rohan Marley) prestou uma homenagem ao sogro, cantando uma seqüência de quatro músicas suas: "Iron Lion Zion", "Trenchtown", "Zimbabwe" e "Hammer". Destaque para a interpretação a capella de "Zimbabwe", prolongando o refrão e deixando soar a frase "Fight for our rights" ("lutar pelos nossos direitos") diversas vezes, como que para reforçar sua ideologia.

Após estas interpretações, Lauryn fez uma viagem de volta às origens e cantou uma série de músicas de sua ex-banda, The Fugges. "How many mics", "Fu Gee La" e "Zealots" deram início à seqüência, todas muito mais aceleradas. O sucesso da década de 1990 "Ready or not" empolgou de vez o público, conseguindo levantar muitos dos que estavam espalhados pelos cantos e chamando a atenção dos que há muito tempo haviam desistido de acompanhar o show.

No intervalo que fez para depois voltar com o bis, os fãs, que já sabiam qual seria a próxima música, começaram a cantar o refrão de "Killing me softly". Como que atendendo aos pedidos, Lauryn voltou ao palco para cantar essa canção, que foi um grande sucesso em sua voz, ainda no Fugges. Esse foi o grande momento da apresentação, em que o coro do público se encontrou com a bela e emocionada interpretação da cantora.

Ela ainda cantou uma música nova, "Lose myself", uma balada romântica que é trilha sonora do filme Tá dando onda, cuja previsão de estréia no Brasil é em outubro. Finalizou com "Doo Wop (That Thing)", outro sucesso de seu primeiro disco solo. Do seu último CD, o Unplugged MTV, a cantora ficou devendo: não tocou nenhuma.

As músicas finais do show deram aos fãs uma recompensa pela espera e pelo repertório carente de hits. Mas um fator não se pode negar: Lauryn é brilhante. Ótima voz, presença de palco indiscutível e se mostrou uma verdadeira regente da banda. Ela ordenava a queda da dinâmica, a entrada e saída dos instrumentos na música, na performance. E era essa a impressão que dava, que estava em transe durante todo o show.

Em alguns momentos, parecia que a apresentação era para satisfação própria e da banda, pois eles não pareciam se importar se o público acompanhava ou não, só curtiam o som que faziam. Apesar do problema com o volume dos instrumentos, a qualidade da banda é indiscutível. Profissionalismo de primeira, um espetáculo incrível, coisa ainda um pouco rara no Brasil.

* Uma das produtoras brasileiras do show, que não quis se identificar, revelou que Lauryn fez algumas exigências absurdas. A primeira é que fez mudar todas as placas em que estava escrito seu nome, Lauryn Hill, para "Miss Lauryn Hill". A outra, mais absurda ainda, é que exigiu que apenas pessoas da raça negra trabalhassem na produção diretamente com ela. Sim, senhora, Miss Lauryn...


Postado por Débora Costa e Silva
Em 21/6/2007 às 18h50


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Queen na pandemia de Julio Daio Borges
02. Hélène Grimaud tocando Schumann de Julio Daio Borges
03. Luis Stuhlberger e Luiz Parreiras de Julio Daio Borges
04. Mais uma de Leonardo da Vinci de Julio Daio Borges
05. Conheça o AgroTalento de Julio Daio Borges


Mais Débora Costa e Silva no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




The New Guitar Level 2
Rob Waring e Maurice Jamall
Foundations Reading Library
(2006)
R$ 7,92



The Welfare Of Animals Used In Research: Practice And Ethics
Robert C. Hubrecht
Wiley-Blackwell
(2014)
R$ 225,11



Rotinas de Pre e Pos Operatorio
Josias de Freitas/antonio Helio de Figueiredo
Revinter
(1988)
R$ 5,72



OS ANORMAIS
Michel Foucault
Martins Fontes
(2010)
R$ 40,00



Filosofando - 2 Grau
Maria Lucia Arruda Aranha
Moderna
(2003)
R$ 13,70



Panoramas de Educação: Contribuições À Formação de Professores
Vuilmar Malacarne, Adrian Alvarez e Outros
Crv (curitiba)
(2015)
R$ 38,82



3.000 Dias No Bunker
Fiuza, Guilherme
Record
R$ 16,00



Lepra Dimorfa Fundamentos e Sua Conceituação
Avelino Miguez Alonso
Edição do Autor
(1966)
R$ 40,85



O Senso Prático de Ser e Estar na Profissão
Maurício Abdalla
Cortez
(2006)
R$ 12,00



Ciúme O Medo Da Perda
Eduardo Ferreira-Santos
Claridade
(2003)
R$ 17,00





busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês