Pan-pouco-pan e nação top top | Digestivo Cultural

busca | avançada
82505 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
>>> Cia de Teatro Heliópolis realiza debates sobre Cárcere, projeto que celebra 20 anos de grupo
>>> Mentoria Artística Anti-análise com Pêdra Costa
>>> Dias 06,13, 20 e 27 de março terão apresentações circenses virtuais da Arca de Vandé
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queime depois de ler, de Joel e Ethan Coen
>>> Chorões e seresteiros
>>> Carles Camps Mundó e a poética da desolação
>>> O fim dos livros físicos?
>>> Sigmund Freud, neuroses e ciúme em destaque
>>> Em Busca da Terra do Nunca... e Johnny Depp
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Tom Zé por Giron
>>> Solte o Timóteo
>>> As cores de Pamuk
Mais Recentes
>>> Piaget para Principiantes (Pedagogia/Educação) de Lauro de Oliveira Lima pela Summus (1980)
>>> Graciliano Ramos (Biografia) de Assis Brasil pela Organização Simões (1969)
>>> Vanguarda e Subdesenvolvimento de Ferreira Gullar pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Dialética e Cultura de Lucien Goldmann pela Paz e Terra (1967)
>>> Psicologia da Criatividade de Maria Helena Novaes pela Vozes (1977)
>>> Women of Wisdom de Tsultrim Allione pela Snow Lion (1986)
>>> Cantata para o Brasil (E Psicologia do Brasileiro) de Jacob Pinheiro Goldberg pela Ass Oina-Brasil (1978)
>>> Para Compreender a Cabala de A - D. Grad pela Pensamento (1984)
>>> This is It - An Other Essays on Zen and Spiritual Experience de Alan W. Wtts pela Collier Books (1971)
>>> Antologia Poética (Poesia Chilena) de Pablo Neruda pela Letras e Artes (1964)
>>> Lições de Filosofia Geral e Maçônica de Prof. Moisés Mussa Battal pela A Gazeta Maçônica
>>> Itinerário de Pasárgada (Literatura Brasileira) de Manuel Bandeira pela Do Autor (1966)
>>> Altazor e outros poemas (Edição Bilíngue: Português-Espanhol) - Literatura Chilena de Vicente Huidobro pela Art (1991)
>>> Quem Ama, Educa! Formando Cidadãos Éticos de Içami Tiba pela Integrare (2007)
>>> Quem Ama, Educa! de Içami Tiba pela Gente (2002)
>>> Disciplina, Limite na Medida Certa de Içami Tiba pela Gente (1996)
>>> Experiência direta de libertação ZEN de Nelson Coelho pela Itatiaia (1978)
>>> Os Industriais da Seca e os "Galileus" de Pernambuco (Literatura Brasileira) de Antônio Callado pela Civilização Brasileira (1960)
>>> O Golpe em Goiás - História de uma grande traição de Mauro Borges pela Civilização Brasileira (1965)
>>> A Linguagem Esquecida - Uma introdução ao entendimento dos sonhos, contos de fadas e mitos de Erich Fromm pela Zahar (1973)
>>> História Popular de Tiradentes de Brasil Gerson pela Atena
>>> Revista CONFRADINHO (Teatro Brasileiro) de Luiz de Assis Monteiro (Ed.) pela Confraria da Paixão (2021)
>>> O Grau Zero da Escritura (Linguística) de Roland Barthes pela Cultrix (1971)
>>> Autobiografia e Poemas (Literatura russa) de Vladímir Maiakówski pela Presença (Lisboa)
>>> Os grandes enigmas das Civilizações Desaparecidas de Paul Ulrich (Org.) pela Amigos do Livro (Lisboa)
BLOG >>> Posts

Segunda-feira, 30/7/2007
Pan-pouco-pan e nação top top

+ de 1900 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Acompanhei mais ou menos de longe o Pan que acaba de passar pelo Rio de Janeiro. Acompanhei parte da abertura, a cobertura por diversos canais de TV e pela mídia escrita, as fofocas e denúncias enviadas pela internet e o deslumbre de jornalistas que se comportaram mais como torcedores do que como profissionais da notícia.

A conclusão que pude tirar de toda essa observação não foi nem um pouco original: o Brasil não é mesmo um país sério.

Antes que receba críticas e seja chamada de antipatriota, advirto que tive oportunidades sedutoras de viver fora do país, mas nem pestanejei em voltar para cá. É o lugar em que nasci e, apesar de ter vontade de dar uns tapas no traseiro de muita gente daqui, gosto dele. Gosto tanto que reconheço nossas falhas e me disponho a contribuir para a melhora da nossa sociedade.

É claro que morro de vergonha quando vejo uma torcida inteira vaiar os jogadores de Cuba e fazer pressão psicológica em atletas de outras delegações, levando as disputas de quadra para o lado pessoal. Mas o que me incomodou mesmo foi que em vários momentos do Pan, isso virou estratégia para a conquista da medalha. Ou seja, um nivelamento por baixo.

Não interessa o fato de a Jade ter se dado mal nas barras assimétricas, interessa que a concorrente seja pior, assim a brasileira ainda poderá garantir uma medalha. E, nesse ponto, a narração esportiva foi impiedosa e dramática. No momento em que a concorrente titubeou na saída, só se ouvia um empolgante "ela vai cair, ela vai cair! A Jade tem chances!"

Vergonhoso. Tão vergonhoso quanto essa disputa pelo segundo lugar no quadro de medalhas contra Cuba. Segundo lugar! Que nação é essa que se contenta com segundo lugar, meu Zeus?

Enquanto assistia aos jogos do Pan, não me saía da cabeça a imagem do Fradim, do Henfil, e o seu famoso "top top". É isso, somos uma nação top top, que se contenta com o segundo lugar, nem que para obtê-lo seja necessário recorrer a vudus e mandingas que tirem Cuba do nosso caminho.

O pior de tudo é achar que um segundo lugar está bom. Não está. Pergunte aos atletas que ficaram com bronze e prata. Só quem acha bom um segundo e terceiro lugar é quem não esperava sequer um quarto.

E depois de pagar caro para entrar nos ginásios e estádios, vaiar os atletas adversários e espalhar "top top's", a brilhante torcida brasileira ainda acredita que estamos credenciados para sediar as olimpíadas. A torcida e alguns ex-voluntários do Pan, os desertores que se indignaram com a alimentação oferecida e, como retaliação, puxavam o coro de vaias nos jogos. Quanta ilusão!

Antes mesmo do encerramento do Pan, a mídia empoleirou-se nos ombros do presidente do COI a fim de ouvir um elogio, algo como "foi maravilhoso, o melhor Pan de todos os tempos!" Não foi. E graças a Zeus, alguém nesse mundo é realista e corajoso o suficiente para dizer isso para uma nação de deslumbrados.

É impressionante como nos contentamos com pouco. Serviços bancários que nos fazem esperar uma eternidade, ensino público e privado de baixa qualidade, corrupção solta em todas as esferas políticas e sociais, e não reclamamos de nada. Quando temos que nos mexer o mínimo, já achamos que fizemos muito.

Não fizemos. É pouco e ainda falta muito. Além de instalações e obras para sediar qualquer evento, é preciso educar a população e isso leva tempo, investimento e mobilização social numa escala que nunca se viu no Brasil. Ou seja, no andar da carruagem, é bem provável que o sol se apague antes de sediarmos qualquer olimpíada aqui.


Postado por Pilar Fazito
Em 30/7/2007 às 12h33


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dicionário de Imprecisões de Ana Elisa Ribeiro
02. Poesia para jovens de Ana Elisa Ribeiro
03. Quem somos nós? de Julio Daio Borges
04. Analisando Sara no ShowLivre de Duanne Ribeiro
05. As Quatro Estações 2003 de Julio Daio Borges


Mais Pilar Fazito no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/7/2007
13h18min
Pilar, compartilho com vc minha indignacao com relacao ao pior do Brasil: o brasileiro hehe... Vaias, desrespeito, máscaras, tomei ojeriza desse pan-americano. Nao me importo de ser chamada de anti-patriota, pq ser anti-patriota é expor ao mundo (mesmo com o descaso da imprensa americana aos jogos) um brasileiro q se orgulha de atrapalhar o adversario para beneficio proprio. Entao, quem quer vir competir em nosso pais? Onde venezuelanos, americanos e qualquer adversario é tratado desrespeitosamente??? Ai', depois vem "neguim" reclamar q é maltrado no exterior... Isso fora outros questionamentos... ate postei agora um artigo (mal-feito by mylself) para um processo seletivo no Rio..seu texto me inspirou a posta-lo blog.
[Leia outros Comentários de Camila]
30/7/2007
18h47min
Pilar, voce nao é antipatriota. Voce só teve coragem de dizer a realidade. Nossas mazelas terceiro-mundistas nunca ficaram tão expostas. A decana e ultrapassada “Lei de Gérson” ganhou nova roupagem e se revigorou. Na novíssima “Lei de Oscar Schmidt”, o que vale é ganhar a todo custo. Viva o “jeitinho brasileiro”! Nosso ufanismo jeca só não foi maior porque aconteceu o desastre do Airbus da TAM, mas a falta de respeito e educação com os atletas estrangeiros beirou a obscenidade. Pelo menos o crime organizado no Rio deu uma trégua. Diante de toda aquela calmaria, havia espaço para os policiais militares darem a sua mordiscada e nossos gloriosos PMs foram formalmente acusados de extorquir dinheiro de dois turistas norte-americanos.
[Leia outros Comentários de Diogo Salles]
30/7/2007
18h48min
Isso sem falar do manual que foi entregue a todos os atletas da delegação americana, e advertia para os perigos das favelas, seqüestros-relâmpago e frisa que "a violência na cidade não tem hora e nem local para acontecer". A única falha do manual talvez tenha sido não alertá-los para os perigos que os policiais brasileiros representam. Como podemos reclamar? São realidades que insistimos em esconder, que fingimos ignorar, mas que não temos como negar. Se lançam um filme em que turistas vêm ao Brasil e são dopados, roubados e mutilados; se lançam manuais de sobrevivência às delegações; se policiais brasileiros representam tanto perigo quanto os bandidos, o que nos restou? Welcome to the Congo!
[Leia outros Comentários de Diogo Salles]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Quando é Preciso Partir
Berenice Germano
Vivaluz
(2011)
R$ 9,00



Vida Eficiente
Edward Earle Purinton
Logos
(1960)
R$ 6,90



O Barba Azul
Bruno de La Salle
Scipione
(1993)
R$ 5,00



Fundamentos da teoria Geral da Comunicação
Siegfried Maser
Edusp/EPU
(1975)
R$ 9,90



No Limite do Perigo
Jack Higgins
Record
(2002)
R$ 24,00



A Linha Amarela: por Onde Passa e Proximidades
Prefeitura Rio de Janeiro
Prefeitura do Rj
(1998)
R$ 11,82



Criando Meninas
Gisela Preuschoff
Boa Nova
(2020)
R$ 5,00



O Almada e Outros Poemas- Col. Obras Completas
Machado de Assis
Globo
(1997)
R$ 7,00



Essa Tal Timidez
Nílson J. Silva
Educacional
(2006)
R$ 5,00



O Segredo do Ídolo de Barro
Elisabeth Loibl
Melhoramentos
(1987)
R$ 8,00





busca | avançada
82505 visitas/dia
2,1 milhões/mês