Rush - Snakes and Arrows | Digestivo Cultural

busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> TDEZESSEIS
>>> Curso de direção de palco é gratuito nos dias 16 e 17/12
>>> Ultima apresentação da peça (A) Dor (A)
>>> ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “O CAMINHO DAS PEDRAS'
>>> Residência Artística FAAP São Paulo realiza Open Studio neste sábado
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A novela América e o sensacionalismo de Oprah
>>> 1992 e hoje
>>> Píramo e Tisbe
>>> Pela estrada afora
>>> Jorge Amado universal
>>> Aquele que por via de regra se sai mal
>>> Duas crises: a nossa e a deles
>>> Samba Meu, o show de Maria Rita
>>> Cores Paulistas e os Quatro Anos da IQ Art Gallery
>>> As pessoas estão revoltadas
Mais Recentes
>>> Proficiency for updated exam with answers com 2 cds de Cambridge pela Cambridge (2015)
>>> Fantasmas do Ocultismo de Edmundo Cardillo pela Edibace (1972)
>>> Perspectivas da Matemática de Hans Freudenthal pela Zahar (1975)
>>> Coleção as ciencias proibidas 20 volumes de Varios pela Seculo futuro (1987)
>>> Os Meus Romanos de Ina Von Binzer pela Paz e Terra (1980)
>>> Harrison's Principles of Internal Medicine 2 volumes 20th edition de Jameson*fauci*kasper*hauser*longo*loscalzo pela Mc graw hill (2018)
>>> Nossas forcas mentais 4 volumes de Prentice mulfora pela O pensamento (1952)
>>> Conecte live quimica volume 3 - box completo de Joao usberco*phileppe spitaleri*edgard salvador pela Saraiva (2018)
>>> Coleção História das Américas - 14 Volumes de Vários Autores pela W. M. Jackson
>>> Bíblia Sagrada de Cnbb pela Cnbb (2008)
>>> O Que Einstein Disse a Seu Cozinheiro - Volume 1 e 2 de Robert L. Wolke pela Zahar (2002)
>>> Como Falar Com Um Viúvo - Romance de Jonathan Tropper pela Sextante (2010)
>>> Box as Crônicas de Gelo e Fogo - Edição de Bolso de George R. R. Martin pela Leya (2012)
>>> A Bíblia Ilustrada - 125 Famosos Quadros Bíblicos - Edição Bilíngue de Gustave Doré pela Sinai (1962)
>>> The Great Gatsby de F. Scott Fritzgerald pela Helbling Languages (2011)
>>> Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus: Um guia prático para melhorar a comunicação e conseguir o que você quer nos seus relacionamentos de John Gray pela Rocco (1997)
>>> Um Livro para Curar o Coração e a Alma de Joan Borysenko pela Cultrix (1999)
>>> Simplesmente acontece de Cecelia Ahren pela Novo Conceito (2014)
>>> Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister de Goethe pela Ensaio (1994)
>>> Episódio Humano - Prosa 1929 - 1930 de Cecília Meireles pela Batel (2022)
>>> A sexta mulher de Suzannah Dunn pela Record (2010)
>>> Competência Social - Mais que Etiqueta uma Questão de Atitude de Lícia Egger Moellwald e Hugo Egger Moellwald pela Totalidade (2009)
>>> Dicionário Etimológico Nova Fronteira da Língua Portuguesa de Antônio Geraldo da Cunha pela Nova Fronteira (1982)
>>> [email protected] de Therese Fowler pela Novo Conceito (2013)
>>> O Caminho da Autotransformação de Eva Pierrakos pela Cultrix (2007)
BLOG >>> Posts

Terça-feira, 2/10/2007
Rush - Snakes and Arrows

+ de 3800 Acessos

O Rush está de volta. E em grande estilo. Após a quase decepção com Vapor Trails (2002), chegou ao mercado o novo álbum do trio canadense, intitulado Snakes and Arrows. Não que Vapor Trails fosse ruim, mas não era assim, digamos, tão "Rush". Era excessiva e desproporcionalmente pesado e o guitarrista Alex Lifeson fez uma opção arriscada (e duvidosa) na época: não solou em nenhuma música. O Rush que soa neste novo trabalho é o que alia o peso à técnica de maneira mais harmoniosa, como fizeram no excelente Test for Echo (1996). O próprio Alex Lifeson deve ter reconhecido seus exageros e voltou a se utilizar dos violões, que aparecem com destaque no disco. Arriscou-se, também, em instrumentos mais exóticos como mandola, mandolim e bouzouki. Com isso, o guitarrista proporcionou um caráter mais acústico e experimental ao disco. Ah, e voltou a solar muito bem, obrigado.

Alex Lifeson, aliás, é um caso a se estudar, pois, apesar de seu talento, sempre foi subestimado como guitarrista. Ora ofuscado pela pirotecnia multifacetada do vocalista/baixista/tecladista Geddy Lee, ora pelo brilhantismo hors-concours do baterista (e letrista) Neil Peart, o guitarrista foi, injustamente, relegado ao posto de anticlímax da banda - o que é uma heresia em se tratando de uma banda de rock. Ao contrário de bandas como Led Zeppelin, Aerosmith ou Rolling Stones - onde tudo depende quase que exclusivamente da parceria entre vocalista e guitarrista - o Rush sempre se caracterizou pela coesão e pela unidade, onde cada membro colabora com igual relevância. Se qualquer um dos três membros for substituído, o Rush deixará de existir. Após lutar desesperadamente contra a profusão de teclados no som da banda nos idos dos anos 80, Lifeson voltou a assumir o controle sobre o peso do som do trio com o lançamento de Counterparts em 1993. De lá até hoje, os teclados têm sido usados com mais parcimônia, para alívio dos rush-maníacos mais reacionários.

Quem sempre apreciou as peças instrumentais do trio, certamente vai se deliciar com Snakes and Arrows. Dentre as três instrumentais do disco, o destaque é "The main monkey business", que personifica o som do Rush atual. O peso também é mantido e o poderoso riff de "Far cry" não mente. "Spindrift" emerge de um clima mais soturno e a melodia aparece amplificada em "The larger bowl" e na quase bluesy "The way the wind blows". Em "Faithless", Neil Peart mostra-se cético em relação ao fanatismo religioso e disco fecha com o petardo certeiro de "We hold on". Com isso, é certo afirmar que Snakes and Arrows é um disco bem mais variado que os anteriores e certamente encontra uma boa posição na extensa discografia da banda.


Postado por Diogo Salles
Em 2/10/2007 às 10h32


Mais Diogo Salles no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Safári de Estratégia
Henry Mintzberg
Bookman
(2000)



Noções de Prevenção e Controle de Perdas Em Segurança do Trabalho
José da Cunha Tavares
Senac
(2010)



Livro - Nunca Estamos Sós
Marcelo Cezar
Vida & Consciência
(2004)



Brasil em Questão
Tarcísio Meirelles Padilha
biblioteca do exercito
(1976)



É Tempo de Ser Feliz
Marina Mallet
Feesp
(2013)



Carta Eniciclica Lumen Fidei do sumo Pontifice Francisco
Lumen Fidei
Paulinas
(2013)



Vantagem Competitiva Através de Pessoas
Jeffrey Pfeffer
Makron Books
(1994)



Mas Não Se Mata Cavalos ?
Horace Mccoy
Abril
(1982)



O Apocalipse
José de Souza e Almeida
Feesp
(2011)



A Invasção dos discos voadores
Brinsley Le Poer Trench
Global
(1974)





busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês