Carlos Drummond de Andrade | Digestivo Cultural

busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Shopping Granja Vianna de portas abertas
>>> Teatro do Incêndio lança Ave, Bixiga! com chamamento público para grupos artistas e crianças
>>> Amantes do vinho celebram o Dia Mundial do Malbec
>>> Guerreiros e Guerreiras do Mundo pelas histórias narradas por Daniela Landin
>>> Conheça Incêndio no Museu. Nova obra infantil da autora Isa Colli fala sobre união e resgate cultura
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sábia, rubra, gorda (e gentil)
>>> Sol sem luz
>>> Letícia Sabatella #EuMaior
>>> Réquiem reloaded
>>> Fábio Porchat no Comedia em Pé
>>> La dolce vita
>>> Discurso de Isaac B. Singer
>>> O Iconoclasta, de Gregory Berns
>>> Nem tudo o que é neo é clássico
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Subversoes matematicas de Decio valença filho pela Cepe (2014)
>>> O Misterio da Atlantida de Charles Berlitz pela Nova Fronteira (1976)
>>> Curiosa História do Editor Partido ao Meio na era dos Robôs Escritores de Jose Luis Saorin pela Relume Dumara (2005)
>>> Dona Flor e Seus Dois Maridos de Jorge Amado pela Martins (1966)
>>> Bichos Incriveis de Flavia Muniz pela Melhoramentos (2005)
>>> O Crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Tres (1972)
>>> Infancia de Graciliano Ramos pela José Olympio (1952)
>>> Riacho Doce de José Lins do Rego pela José Olympio (1956)
>>> Nostradamus- Historiador e Profeta de Jean-charles de Fontbrune pela Circulo do Livro (1980)
>>> Os Sobreviventes- a Tragedia dos Andes de Piers Paul Read pela Circulo do Livro
>>> A Viuvinha, (Clássicos da Literatura Brasileira de Jose De Alencar pela Prazer De Ler (2010)
>>> Eça de Queiroz de Clovis Ramalhete pela Livraria Martins (1942)
>>> O Livro dos Sonhos de Jack Kerouac pela L e Pm (1984)
>>> O Turno da Noite Vol- 1 os Filhos de Setimo de André Vianco pela Novo Seculo (2006)
>>> O Guarani de José de Alencar pela Martin Claret (2005)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2002)
>>> Pollyanna Moça - Coleção Clássico Nacional de Eleanor Hodgman Porter pela Companhia Nacional (2003)
>>> As Feras Mortas de Maximiano Campos pela Bagaço (1995)
>>> A Vida e o Pensamento de Charles Chaplin de Morgana Gomes pela Minuano Cultural
>>> Diario de uma Expedição(retratos do Brasil) de Euclides da Cunha pela Companhia das Letras (2000)
>>> Expressões Artísticas Urbanas de Ligia Ferro, Otávio Raposo pela Mauad (2015)
>>> A Coitadinha de Angélica Lopes pela Escrita Fina (2010)
>>> A Volta ao Mundo Em Oitenta Dias-vol. 1 de Julio Verne pela Novo Brasil (1983)
>>> O Ramalhete Em Chamas de William Kennedy pela Record (1995)
>>> Estação Carandiru de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (1999)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 31/10/2002
Carlos Drummond de Andrade

+ de 1800 Acessos

fonte: estadao.com.br

Se você lê Carlos Drummond de Andrade para encontrar esperança, desista. Afinal, ele é autor do Soneto da Perdida Esperança: "Perdi o bonde e a esperança./ Volto pálido para casa." E dos seguintes versos de Mãos Dadas: "Estou preso à vida e olho meus companheiros./ Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças./ Entre eles, considero a enorme realidade." E definiu assim o seu ofício com as palavras: "Luto corpo a corpo,/ luto todo o tempo,/ sem maior proveito/ que o da caça ao vento." E em seu livro mais "social", A Rosa do Povo, abriu um poema com o imperativo: "Não faças versos sobre acontecimentos." E confessou seu desdém pela oferta de romper com a Máquina do Mundo, "enquanto eu, avaliando o que perdera,/ seguia vagaroso, de mãos pensas". E no final da vida apelou a seus "dessemelhantes" que lhe pediam louvas: "Minha só leitura é ler o chão."

Não há como tirar da poesia de Drummond essa hegemonia do desencanto, essa recusa ao escapismo. Não é por outro motivo a presença constante do advérbio "apenas" em toda sua poesia. "A vida apenas, sem mistificação." "Apenas o vivo, o pequenino, calado, indiferente/ e solitário vivo." Ninguém melhor do que o próprio Drummond descreveu sua obra, no célebre Poema-Orelha: "Não me leias se buscas/ flamante novidade/ ou sopro de Camões./ Aquilo que revelo/ e o mais que segue oculto/ em vítreos alçapões/ são notícias humanas/ simples estar-no-mundo,/ e brincos de palavra,/ um não-estar-estando." Os versos finais são quase como um lema: "a poesia mais rica/ é um sinal de menos." Sua poesia está concentrada em "cuidados terrenos", não em pensamentos transcendentais; em ler sua sombra no chão, sombra ao mesmo tempo intransferivelmente sua e, por sua fisionomia vaga e simples, um pouco a sombra de todos nós, que no entanto não encontraremos abrigo ali.

Três poemas são particularmente exemplares desse modo peculiar de resistência: O Lutador, O Elefante e Áporo. No primeiro, o poeta diz lutar, "lúcido e frio", com palavras que lhe dêem o sustento; a luta é vã, inútil, mas prossegue por sua própria força inerente, pela mera realidade do ardor humano. No segundo, ele fiz fabricar um elefante "de meus poucos recursos", um ser feito de papel e cola que, apesar de frágil, alude a um "mundo mais poético" e, no entanto, cai, "e todo seu conteúdo/ de perdão, de carícia/, de pluma, de algodão/ jorra sobre o tapete,/ qual mito desmontado"; mas o poeta acrescenta: "Amanhã recomeço." E em Áporo, o mais discutido de seus poemas, um inseto perfura a terra "sem achar escape" e, do labirinto que constrói, "antieuclidiana", se desprende uma orquídea; mas, como diz o título, essa orquídea não significa uma saída: ela é apenas um instantâneo feliz, um subproduto de uma tarefa que ela mesma não consegue desempenhar. A promessa não é menos bela por ser promessa, mas não há delírio humano que possa convertê-la em motor do mundo.

Daniel Piza, sobre Drummond, ontem no Estadão. (Há também todo um especial sobre o centenário do poeta.)


Postado por Julio Daio Borges
Em 31/10/2002 às 11h59


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Hélène Grimaud tocando Schumann de Julio Daio Borges
02. Lockdown Sessions No. 3 de Julio Daio Borges
03. Chris Martin em casa de Julio Daio Borges
04. Mais Textura em BH de Ana Elisa Ribeiro
05. Jorge Caldeira no Supertônica de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Pernilongo Suga Sangue
Didier Lévy - Anne Wilsdorf
Escala Educacional
(2005)



Mensagens de Luz - Autografado
Mauro Tadeu Berni
O Autor
(1997)



Mudanças, Permanências e Desafios Sociológicos
Vários Autores (xv Congresso Bras de Sociol)
Ufpr
(2011)



Cânticos à Mãe do Salvador
Walter Weiszflog
Melhoramentos
(2009)



A Capital Descoberta: Cronica de Costumes Paulistas
Roberto Flora (dedicatória)
Santos



A Fraude Educacional Brasileira
José Aparecido da Silva
Funpec
(2009)



Ce Que les Femmes Disent des Femmes
Marie Gasquet (capa Dura)
Americ
(1936)



O Fotógrafo do Rei - Coleção Cavalo Azul 4
Eduardo Prisco Paraiso Ramos
Philobiblion / Rioarte
(1987)



Maria Helena Matarazzo
Nós Dois
Gente



Guerra dos Pneus: Cartel das Multinacionais Versus Importadores de Pne
Associação Brasileira de Importadores de Pneus
Abip





busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês