Cristóbal Balenciaga | Digestivo Cultural

busca | avançada
50174 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
>>> O Pequeno Príncipe in Concert
>>> Estreia da Orquestra Jovem Musicarium ocorre nesta quarta, dia 21, com apresentação gratuita
>>> Banda Yahoo se apresenta na Blue Note SP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
>>> HORA MARCADA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O dilúvio informacional, segundo a Economist
>>> Bruta manutenção urbana
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques
>>> A Loja de Tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon, de Brad Stone
>>> De perto, ninguém é normal
>>> 14 de Outubro #digestivo10anos
>>> Scott Henderson, guitarrista fora-de-série
>>> O primeiro parágrafo
>>> O prazer da literatura em perigo
Mais Recentes
>>> O Menino que Devorava Livros de James Misse pela Pé da Letra (2015)
>>> A Princesa Que Não Queria Aprender A Ler de Heloisa Prieto pela Ftd (2022)
>>> Modernismo No Brasil: Panorama Das Artes Visuais de Bea Meira pela Ática (2014)
>>> Livro De Histórias de Georgie Adams pela Companhia Das Letrinhas (2014)
>>> Rápido Como Um Gafanhoto de Audrey Wood; Don Wood pela Brinque Book (2016)
>>> Educação Sexual na Sala de Aula de Jimena Furlani pela Autêntica (2011)
>>> Almanaque Bichos Do Brasil de Roseane Pamplona pela Moderna (2014)
>>> Volta Ao Mundo Em 52 Histórias de Neil Philip pela Companhia das Letrinhas (2001)
>>> O Amigo Do Rei de Ruth Rocha pela Salamandra (2009)
>>> Um Safari Na Tanzânia de Laurie Krebs; Julia Cairns pela Sm (2007)
>>> Oceanos de Jonas Ribeiro; Ionit Zilberman pela Ciranda Cultural (2022)
>>> Roma Antiga de Stewart Ross pela Companhia Das Letrinhas (2007)
>>> Ciência, Arte E Jogo: Projetos E Atividades Lúdicas Na Educação Infantil de Adriana Klisys pela Peiropolis (2010)
>>> Balada do Ogro Solitário de Penélope Martins pela Ciranda Cultural (2021)
>>> Nino O Dinossauro de Patrícia Cunha Merli pela Suinara (2017)
>>> Os Gêmeos do Tambor de Rogério Andrade Barbosa pela Dcl (2006)
>>> O Drama de um Refugiado de Moreira de Acopiara pela Ciranda Cultural (2021)
>>> Tantãs de Eva Furnari pela Moderna (2021)
>>> Era uma Vez um Castelo de Graça Abreu; Lia Zatz pela Gaivota (2017)
>>> Pollyanna de Eleanor H. Porter; João Anzanello Carascoza pela Ática (2021)
>>> O Anel Mágico Da Minha Tia Tarsila de Tarsila do Amaral pela Companhia Das Letrinhas (2012)
>>> Divinas Aventuras - Histórias da mitologia grega de Heloisa Prieto pela Companhia Das Letrinhas
>>> O Monstro Monstruoso Da Caverna Cavernosa de Rosana Rios pela Dcl (2004)
>>> O Menino Que Aprendeu A Ver de Ruth Rocha pela Salamandra (2013)
>>> Perde Quem Fica Zangado Primeiro de Italo Calvino pela Companhia Das Letrinhas (2002)
BLOG >>> Posts

Terça-feira, 21/8/2012
Cristóbal Balenciaga
+ de 2900 Acessos

Trecho do livro Os Criadores, de Paul Johnson:
De todas as pessoas criativas que encontrei, Cristóbal Balenciaga (1895-1972) foi a mais dedicada à criação de coisas belas. (...)

Entre os mestres da moda parisiense provenientes de outros países, Balenciaga era o maior. Na verdade, muitos o consideram o costureiro mais original e criativo da história. E era um verdadeiro costureiro, não apenas designer de moda: ou seja, criava o modelo, cortava, costurava, provava e fazia o acabamento das roupas, e alguns de seus melhores vestidos eram feitos inteiramente por ele. (...)

Nunca comentou o trabalho de outros costureiros. (...)

Ele considerava a costura uma vocação, como o sacerdócio, bem como um ato de devoção. Sentia que adornar a forma feminina, que Deus fizera tão bela, era uma maneira de adorar a Deus. Sua abordagem era reverencial, na verdade sacerdotal. (...)

A Maison Balanciaga era como uma igreja, na verdade um monastério. Marie-Louise Bousquet disse: "Era como entrar num convento de freiras saídas da aristocracia". Courrèges, que trabalhou lá, descreveu a atmosfera como "monástica tanto no sentido arquitetônico quanto no sentido espiritual". (...) todas as entradas eram guardadas por mulheres fortes. (...)

Não fazia questão de usar artifícios para conquistar a popularidade. Nunca concedeu entrevistas (exceto uma, ao Times de Londres, ao decidir se aposentar.) Não frequentava a sociedade. (...) Tinha as maneiras de um antigo cardeal do Papa Pio XII. (...) Jamais elevou a voz. Na verdade, o silêncio era a sua norma. Ungaro disse: "Havia nele algo de nobre". (...) Dizia-se que ele não gostava de mulheres, mas não há sinais de que gostasse delas menos do que gostava dos homens. Via-as como cavalos de corrida: "Devemos vestir apenas as puro-sangue". Costumava citar Salvador Dalí: "Uma mulher verdadeiramente distinta muitas vezes tem um ar desagradável".

No entanto, costurava para mulheres. Seu princípio fundamental como costureiro era fazer as mulheres felizes. "Ele gostava de fazer uma duquesa de 60 anos parecer ter 40, e a esposa de um comerciante milionário parecer uma duquesa." (...)

Balenciaga acreditava que suas roupas, quando usadas adequadamente (e era raro uma cliente não seguir suas regras), levavam suas portadoras a uma supercultura sem classes, celestial e infinita, na qual o corpo da mulher, ainda que velho ou com alguns defeitos, estabelecia o que ele chamava de "casamento místico" com suas roupas. (...)

Mas em 1968 (...) ele vinha se tornando uma figura cada vez mais desiludida e melancólica. Os acontecimentos de 1968 - a revolta dos estudantes que a todos parecia um novo começo - foram considerados por ele como uma exibição de selvageria, um ataque à civilização, visão que compartilhava com o perceptivo filósofo Raymond Aron e que demonstrou estar certa. (...) Mas seu coração já não estava mais ali e ele acabou chegando à conclusão de que as novas políticas fiscais e trabalhistas tornavam a administração de seu negócio cada vez mais desagradável. Abruptamente, como de Gaulle, aposentou-se, fechou a maison de Paris (não havia sucessor possível) e voltou para a Espanha. Morreu em 1972, triste e solitário, um grande artista derrubado pelos anos, uma das muitas baixas da insensatez da década de 1960 - junto com instituições como a Sociedade de Jesus, a universidade de eruditos e cavalheiros à moda antiga, as regras tradicionais de decoro sexual, a reticência artística e muito mais.




Postado por Yuri Vieira
Em 21/8/2012 às 18h35

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Jornalismo Cultural 2007 de Julio Daio Borges
02. Led Zeppelin 2007 Reunion de Julio Daio Borges
03. 28 de Dezembro #digestivo10anos de Julio Daio Borges
04. Pelada Poética 2 de Ana Elisa Ribeiro
05. Portal Literal de Julio Daio Borges


Mais Yuri Vieira no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Casos E Coisas
Carmen Imbassahy
Celd



Cuidado Com Pessoas Como Eu
Eduardo Baszczyn
7 Letras
(2012)



Jornalismo: Comunicação, Literatura e Compromisso Social
Carlos Alberto Vicchiatti
Paulus
(2005)



Livro Capa Dura Literatura Estrangeira Viagens de Gulliver Os Imortais da Literatura Universal
Jonathan Swift
Abril Cultural
(1971)



A Cidade e as Serras - Coleção Grandes Obras da Lingua Portuguesa
Eça de Queiros
Avenida



Antonio
Beatriz Bracher
34
(2010)



Rossini - Grandes Compositores da Música Clássica - Inclui CD
Desconhecido
Abril
(2009)



A Sutil Arte De Ligar O F*da-se
Mark Manson
Intrínseca
(2017)



Dieta dos Países Magros
Harley Pasternak
Lua de Papel
(2011)



Sidarta
Hermann Hesse
Record
(2009)





busca | avançada
50174 visitas/dia
1,8 milhão/mês