Hoje, na Paulista, o Horror | Digestivo Cultural

busca | avançada
70522 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Shopping Granja Vianna de portas abertas
>>> Teatro do Incêndio lança Ave, Bixiga! com chamamento público para grupos artistas e crianças
>>> Amantes do vinho celebram o Dia Mundial do Malbec
>>> Guerreiros e Guerreiras do Mundo pelas histórias narradas por Daniela Landin
>>> Conheça Incêndio no Museu. Nova obra infantil da autora Isa Colli fala sobre união e resgate cultura
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hells Angels
>>> Entre criaturas, amar?
>>> Chris Hedges não acredita nos ateus
>>> Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional
>>> O cérebro criativo
>>> The Devil Put Dinosaurs Here, do Alice in Chains
>>> Da Teoria para a Práxis
>>> Quem ri por último, ri melhor?
>>> A princesa insípida e o caçador
>>> Sobre e-books e caipiras
Mais Recentes
>>> Relações de Gênero, Educação Matemática e Discurso de Maria Celeste Reis Fernandes de Souza pela Autêntica (2010)
>>> Há sempre um recomeço de Sharon pela Companhia das letras
>>> A Formação de Professores Para a Educação de Jovens Adultos de Tania Maria de Melo Moura pela Autêntica (2007)
>>> A flor do tempo de Barbara pela Livro
>>> A Escrita da Clínica - Psicanálise Com Crianças de Tânia Ferreira pela Autêntica (2017)
>>> Filhos do fim do mundo de Fábio Madrigal Barreto pela Casa da Palavra (2013)
>>> Pedagogia Profana - Danças, Piruetas e Mascaradas de Jorge Larrosa pela Autêntica (2007)
>>> Lua Azul - ( os imortais livro 2) de Alyson Noel pela Intrínseca (2021)
>>> Ela disse, Ele disse de Thalita Rebolças pela Rocco (2017)
>>> Bilhete a um Candidato de Rubem Braga pela Autêntica (2017)
>>> Educação Democrática - o Começo de uma História de Yaacov Hecht pela Autêntica (2016)
>>> Doutrinados de Trisha Leaver, Lindsay Currie pela Gutenberg (2016)
>>> Anos roubados de Fiona pela Bestseller
>>> O quarto protocolo de Frederick pela Galera
>>> Lima Barreto para Jovens Leitores de Fernanda Freitas pela Autêntica (2014)
>>> Super aventuras marvel--162--novos guerreiros:nada alem da verdade! de Marvel comics pela Abril
>>> O pastor de Frederick pela Galera
>>> Renascença - a Série de Tv no Século XXI de Rodrigo Seabra pela Autêntica (2016)
>>> Beco sem saída de Helen pela Bestseller
>>> Aventura em bagda de Agatha christie pela Record
>>> A Cunhada de Andrew pela Livros Antigos
>>> Viver Melhor Após os 35 Anos de Gelde Stocchero pela Scipione (1993)
>>> O Mesmo e o Outro - 50 Anos de História da Loucura de Alfredo Veiga-neto, Salma Tannus Muchail pela Autêntica (2013)
>>> Enquanto você dormia de Sandra pela Bestseller
>>> Os Moços Cantam de Rubem Braga pela Autêntica (2017)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 21/6/2013
Hoje, na Paulista, o Horror

+ de 1800 Acessos

"O que vi hoje na Paulista só se compara ao horror da fome. Posso parecer exagerado, mas me atravessou de uma forma literalmente nauseante. Todas as vezes que apanhei da polícia doeram muito menos do que ver os rumos que o ato tomou hoje. Mal sei por onde começar a contar.

Já na chegada, havia um clima hostil e profundamente reacionário. Três tiozinhos gritavam para um cara que passou com camiseta do PSTU: "comunistas de merda". Ninguém fez ou falou nada, consentiram com isso, e aí eu e todos que estavam comigo previram que a coisa não ia bem. A maioria esmagadora dos cartazes trazia palavras de ordem contra a corrupção, a bandeira mais vaga que alguém pode defender. Muitas bandeiras do Brasil, caras pintadas de verde e amarelo e um sentimento de orgulho de todos, um orgulho ufanista, bem aos moldes da aula de moral e cívica dos tempos da ditadura. Não havia um grupo unido como nos outros atos, mesmo desta vez estando concentrado em apenas um lugar: a Paulista.

Eram cerca de dez grupos. Só dois deles (os menores, e um deles o do próprio MPL) pleiteavam a pauta da tarifa zero, que era a pauta oficial do MPL depois da redução - e sempre foi, desde o início. Os outros grupos se apropriaram de gritos do movimento como "pula, sai do chão, contra o aumento do busão", transformando o final para "contra a corrupção", ou "vem, vem pra rua vem, contra o aumento", transformando o final em "contra o governo". Outros cartazes absurdos pipocando aqui e ali: Joaquim Barbosa pra presidente, Contra o aborto, A favor da volta dos militares. Em nenhum desses grupos, algum cartaz sobre a tarifa. Alguns ainda traziam algo bom de "o povo viu que pode ter poder", mas que trazia embutido uma intenção de poder assustadora. Hino nacional cantado à exaustão. Nas duas últimas manifestações, a despeito de alguns cartazes bizarros, havia unidade, o coro uníssono pedia a redução da tarifa. Hoje, não. Os grupos pelegos estavam satisfeitos com os vinte centavos e lutavam abstratamente contra a corrupção. Era uma desmobilização tristíssima de ver. Mas a coisa começou a pegar com as bandeiras dos partidos.

O PT não chegou a sair da praça do ciclista, não sei se recolheu as bandeiras ou se foi embora, mas não apareceu mais caracterizado. Outros partidos (PSOL, PCO e PSTU) carregavam suas bandeiras, sempre junto ao grupo do MPL. Os outros manifestantes, que vinham no sentido contrário, do outro lado da ilha, começaram a bradar "sem partido". Nós bradávamos "sem fascismo" ou "sem censura, já acabou a ditadura". Até tentei conversar com três caras. Cheguei e falei: "vamos trocar uma ideia, na moral? Sou do MPL - nunca fui oficialmente do MPL, mas achei que seria melhor usar uma identificação do tipo - e apartidário e a coisa funciona assim...", e expliquei tudo. Dois nem me ouviram, um só me ouvia fazendo "não" com a cabeça. Desisti de tentar dialogar e fui pro meio do nosso grupo. Pouco tempo depois, a coisa começou a se acirrar e eles vieram "invadindo" o lado em que estávamos, de forma absurdamente agressiva. Começaram a gritar "oportunistas". Foi aí que meu sangue subiu de vez, porque quem acompanha o MPL há sete anos, como todos ali do grupo, sabe que todos esses partidos (e o PT também) sempre participaram dos atos do Passe Livre, de forma autônoma e pacífica, sem representar o movimento, mas apenas integrando as manifestações, o que é legítimo e próprio da democracia. Fiz a cagada de criar um grito que dizia: "O MPL tem sete anos, oportunista é quem chega atacando".

Os reacionários estúpidos acharam que MPL era um partido (sério, nem sabiam por que estavam ali) e começaram a cercar a mim e a mais umas sete pessoas. Fizeram uma roda em torno de nós, com umas quarenta pessoas, eu estimo. Um cara despirocado ficava agitando os braços na minha frente e vociferando "oportunista" e eu tive que me controlar muito pra não bater nele até ele virar asfalto, porque eu seria linchado pelos outros. Nesse momento, temi seriamente pela minha segurança. Conseguimos sair e a Diana Adada Padilha continuou, sozinha, no meio dessa roda. Aí os caras começaram a chamá-la de petista. Ela gritava que era apartidária, mas não tinha resultado. Não entendi mais nada, como de partidários do suposto partido MPL viramos petistas na cabeça desses dementes. A Diana começou a dançar no meio deles enquanto eles gritavam irados na cara dela. Nós a chamando de volta e ela lá. Pensei mesmo que ela fosse apanhar. Todos do grupo começaram a gritar "sem violência" e ela foi, depois de muito tempo, liberada.

O grupo dos reaças "sem partido" continuou gritando pra nós até o fim dos tempos, mostrando o dedo do meio e tentando aterrorizar. Saímos e decidimos ver o que estava acontecendo nos outros grupos. Só hino, brados contra a corrupção e carnaval. Alguns PMs chegaram a se JUNTAR a esses grupos, na festa, sendo bem recebidos. Uma cara de golpe militar ia se formando enquanto se desvanecia tudo em que acreditávamos. E eu não conseguia - nem consigo ainda - crer que aquelas pessoas estivessem lá sem saber onde e por que estavam, desrespeitando o MPL, que conseguiu a vitória dos 20 centavos que esses mesmos fascistas comemoravam ali. Vi algo muito perigoso tomar forma, um monstro reacionário e violento, pronto pra se mobilizar ainda mais, na sua pretensa politização. Estou com medo, mas, mais que isso, muito muito muito triste. Vi um sonho morrendo. Talvez ainda seja possível ressuscitá-lo, mas é preciso mobilização do lado de cá. (...)"

Kiko Rieser, no Facebook, onde também faz um chamado para debater o tema.


Postado por Duanne Ribeiro
Em 21/6/2013 à 00h06


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O e-commerce em quarentena de Julio Daio Borges
02. Os olavetes tomaram a cultura de Julio Daio Borges
03. Blockchain by William Mougayar de Julio Daio Borges
04. Acabou o governo de Julio Daio Borges
05. The Daily Zen Podcast de Julio Daio Borges


Mais Duanne Ribeiro no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Saber, Ciência, Ação
André Morin, Gilles Gadoua e Gérard Potvin
Cortez
(2007)



Mrs. Pinks Pink Sheep
Donaldo Buchweitz
Ciranda Cultural
(2010)



Português Ensino Médio Volume 2
José de Nicola
Scipione
(2009)



San Tiago Dantas: Coletânea de Textos Sobre Política Externa
Renato Lessa e Cristina Buarque de Hollanda (orgs)
Fund Alexandre de Gusmão
(2009)



Un Net Pas Três Net: Reflexions Sur La Criminalité Virtuelle;
Riep, Volume 1 - Número 1 de 1999
Uerjnuseg
(1999)



Direito Processual Civil Resumido - 7ª Edição
Carmine Antonio Savino Filho
Lumen Juris (rj)
(2009)



Las Tribus de Europa
Ramon Luis Acuna (com Dedicatória)
Ediciones Bsa
(1993)



Molecagem
Luiz Claudio Cardoso
Scipione
(1988)



Globalização Mídia e Cultura Contemporânea
Dênis de Moraes (organizador)
Letra Livre
(1997)



Curso de Direito Civil - Vol. 6 Direito das Sucessões
Washington de Barros Monteiro
Saraiva
(1974)





busca | avançada
70522 visitas/dia
2,6 milhões/mês