Para quem compara PSDB e PT... | Digestivo Cultural

busca | avançada
56543 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Bert Jr. aponta sintomas de uma sociedade mal-orientada em “Fict-Essays e Contos Mais Leves”
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ler e o DC
>>> A alegria da música - Ella Fitzgerald
>>> 5 de Novembro #digestivo10anos
>>> A arte da ficção política
>>> Hebe Camargo
>>> Podcast: carta de alforria
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
>>> 23º Festival Mix Brasil de Cultura e Diversidade
>>> De Lucia, McLaughlin, Di Meola
>>> Dos portões abertos de Auschwitz, 58 anos depois
Mais Recentes
>>> Em estado de choque sobrevivendo em Gaza sob ataque israelense de Mohammed Omer pela Autonomia Literária (2016)
>>> A Historia Do Mundo Para Quem Tem Pressa de Emma Marriott pela Valentina (2016)
>>> Teia Da Vida, A de Fritjof Capra pela Cultrix (2006)
>>> O Segredo Da Flor De Ouro de Richard Wilhelm, Carl Gustav Jung pela Vozes (2021)
>>> Educação, cultura e luta de classes crônicas brasileiras de Justina de Sousa Junior pela Nova Civilização (2018)
>>> Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia de Ana M. Bahia Bock / Odair Furtado / Maria de Lourdes T. Teixeira pela Saraiva (1991)
>>> Diga Ao Povo Que Avance!: Movimento Indígena No Nordeste de Kelly (author.) Oliveira pela Fundação Joaquim Nabuco, Massangana, (2013)
>>> Viajantes do Infinito de Flávia Muniz pela Moderna (1991)
>>> O Fantastico Misterio De Feiurinha de Pedro Bandeira pela Ftd (1999)
>>> O Projeto Rosie de Graeme Simsion pela Record (2016)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink pela Record (2009)
>>> Rio Do Meio de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Meu Pescoço É Um Horror E Outros Papos De Mulher de Lia Wyler pela Rocco (2007)
>>> O Confidente de Héléne Grémillon pela Aeroplano (2015)
>>> Michaelis. Dicionário Escolar Inglês de Vários Autores pela Melhoramentos (2009)
>>> A Ditadura Acabada de Elio Gaspari pela Intrinseca (2016)
>>> A Ditadura Envergonhada (as Ilusões Armadas) de Elio Gaspari pela Companhia Das Letras (2002)
>>> Grande Sonho Do Céu de Sam; Viotti, Sergio [traducao Shepard pela Arx (2003)
>>> O Efeito Rosie de Graeme Simsion pela Record (2016)
>>> Cervaja e Comida de Stephen Beaumont pela Publifolha
>>> Cervejas, Brejas E Birras de Mauricio Unknown pela Leya
>>> Carne. El Arte De Cocinar Con Carne de Valéry Drouet pela Moliere Editores Sas
>>> Crise Nas Infinitas Terras de Marv Wofman; George Perez pela Panini Comics (2015)
>>> Sanduiches Especiais de Vinícius Martini Capovilla pela Senac São Paulo
>>> Guerra Dos Tronos: As Cronicas De Gelo E Fogo - Livro 1 de George R. R. Martin pela Leya Brasil
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 9/10/2014
Para quem compara PSDB e PT...
+ de 11900 Acessos

...em matéria de corrupção:

Quem não acompanha política, embaralha tudo em época de eleição.

Nem todos os políticos são corruptos. Nem todos os *partidos* são corruptos.

Quando vejo "comparações" entre PSDB e PT, a primeira coisa que me chama a atenção é a generalização apressada segundo a qual "ambos são igualmente corruptos".

Não são "igualmente" corruptos. O PT é *infinitamente* mais corrupto. Isso se o PSDB pode ser chamado de "corrupto".

Deixa eu te contar a história do Mensalão. O Mensalão ficou conhecido - e vai completar 10 anos -, mas muita gente ainda não entendeu direito o que foi o Mensalão.

Corrupção pontual existe. Lembremos Lord Acton: "O poder corrompe".

Outra coisa é corrupção sistêmica. De novo, Lord Acton: "O poder absoluto corrompe absolutamente".

O Mensalão não foi um "caso isolado" de corrupção. O Mensalão foi um *esquema* de compra de votos, no Congresso Nacional, garantindo aprovação a projetos do governo federal, durante o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

Se você já ouviu falar em Montesquieu, deve lembrar da teoria dos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Compõem o famoso sistema de "freios e contrapesos" que garante o equilíbrio de forças entre quem governa, quem faz as leis e quem garante que as leis sejam respeitadas.

No sistema brasileiro, cuja constituição de 1988 privilegia o parlamentarismo, é fundamental que haja equilíbrio de forças entre governo e congresso. Para que, justamente, o governo não faça só o que bem entende (tirania ou, mais recentemente, ditadura).

Com o Mensalão, o PT corrompeu esse sistema. Não foi um episódio de corrupção isolado, repito. Como uma licitação fraudulenta, por exemplo: onde, para fazer uma obra pública, uma prestadora de serviços corrompe um representante do governo e "vence" a concorrência, pagando propina a esse agente do governo.

O Mensalão foi muito mais do que isso. O Mensalão foi uma *máquina* montada para compra - sistemática - de apoio do Congresso Nacional a projetos do primeiro governo do PT. Um esquema que foi denunciado em 2005, num mandato que havia começado em 2003.

O governo do PT não negociava mais apoio no congresso, como é normal acontecer. Ele *comprava*. Ele subornava parlamentares, da chamada "base aliada", com um "salário", uma *mensalidade* - um "mensalão" (até o nome é asqueroso).

Esse sistema de corrupção é muito mais sofisticado do que qualquer caso de corrupção de que se tenha notícia em toda a História do Brasil desde a Proclamação da República.

Dizem que PC Farias recebia porcentagens de todos os contratos fechados durante o governo Collor. Que ele era o "operador", digamos assim (como Marcos Valério).

Collor, vale lembrar, assumiu em 1990 e sofreu impeachment em 1992.

Por analogia, Lula merecia, no mínimo, um impeachment. Porque o Mensalão foi muito além de receber porcentagens em contratos governamentais, o Mensalão atentava contra as bases da República, onde o poder Executivo "comprava" o Legislativo, não em uma única votação mas sistematicamente.

Portanto, dizer que o PT "respeita" a democracia é, no mínimo, uma afirmação de quem não conhece a história recente. Um partido que, no governo, fez pouco caso do congresso, montando um sistema de compra sistemática de votos - desmoralizando-o no processo -, não tem vocação para o diálogo, passa por cima das leis e está muito mais próximo de uma ditadura do que de qualquer outro regime.

É de corrupção em nível institucional que estamos falando. É de um *partido* corrupto. Afinal, o presidente do partido, José Genoíno, o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e o tesoureiro do partido, Delúbio Soares, para não falar de outras figuras menores, foram condenados pelo Supremo Tribunal Federal. E por *formação de quadrilha*.

Não estamos falando de uma prefeitura em uma cidadezinha esquecida, onde o prefeito subornava seus vereadores. Estamos falando do governo federal. Estamos falando do Congresso Nacional. Estamos falando do partido do governo. E estamos falando do Supremo Tribunal Federal.

Estamos falando das mais altas esferas da República. Estamos falando - lamentavelmente - da nossa História. E estamos falando do Brasil.

Por mais incrível que possa parecer, quem desaconselhou o impeachment de Lula foi Fernando Henrique Cardoso. Numa reunião em sua casa, com o então ministro da Justiça de Lula, Márcio Thomaz Bastos (o mesmo que, voltando a ser advogado, "defendeu" os réus do Mensalão em 2012).

Fernando Henrique Cardoso conteve a oposição, na instauração de um processo de impeachment, em 2005. Porque acreditava que um impeachment, naquele então, abalaria, mais uma vez, nossa incipiente democracia.

Assim, quando vierem falar que PSDB e PT "são a mesma coisa" em matéria de corrupção, evoque o escândalo do Mensalão. Conte do Mensalão. Refresque a memória de quem quer que seja sobre o Mensalão.

O Mensalão foi o Holocausto da nossa República, em matéria de corrupção.

E devemos lembrar dele sempre. Para que não haja mais confusão.


Postado por Julio Daio Borges
Em 9/10/2014 às 15h15

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Último Desejo de Julio Daio Borges
02. 7 de Novembro #digestivo10anos de Julio Daio Borges
03. O trem de Thomaz Ianelli de Simone Oliveira
04. Digitem à vontade de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Desvirando a Página - a Vida de Olavo Setubal
Ignácio de Loyola Brandão - Jorge J. Okubaro
Global
(2008)



Tudo a seu Tempo... 322
Elisa Masselli
Mensagem de Luz
(2004)



Médicos Em Perigo
Frank G. Slaughter
Círculo do Livro



Apologia de Galileu
Tommaso Campanella
Hedra
(2007)



/O Coronel Chabert
Honoré De Balzac
Companhia das Letras
(2012)



Der Tod Des Grossen Ochsen
Richard Hoffmann: W. A. Oerley
Deutsche Buch
(1965)



Juliet, Naked
Nick Hornby
Penguin Books
(2009)



Passaporte para o Inferno
Célhia de Lavarene
Francis
(2008)



/O Que os Homens não Contam Sobre Negócios para as Mulheres
Christopher V. Flett
Novo Conceito
(2010)



Rescaldo
Liamir Santos Hauer
Águas
(2002)





busca | avançada
56543 visitas/dia
1,8 milhão/mês