Wilhelm Reich, éter, deus e o diabo (parte I) | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
COLUNAS

Terça-feira, 2/9/2014
Wilhelm Reich, éter, deus e o diabo (parte I)
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 5700 Acessos

Como resultado de suas pesquisas com o "animal humano", Wilhelm Reich escreveu um livro que denominou Éter, Deus e o Diabo, traduzido e publicado no Brasil pela editora Martins Fontes. O livro trata da relação direta que existe entre as emoções, o funcionamento biológico da vida e a energia cósmica.

Para definir as atividades de Reich após o período freudiano, o melhor termo talvez seja o de biopsiquiatra. Reich pesquisa as atividades da psique humana juntamente com o funcionamento biológico da vida. Para ele não existe separação entre as atividades psíquicas e as biológicas. Elas se intercomunicam, se influenciando e se ligam, ainda, ao que chama de atividades cósmicas da vida.

Descobridor de uma suposta energia cósmica primordial, que denominou orgone, a energia que daria animação à vida, Reich desenvolveu a partir dessa descoberta pesquisas sobre os mecanismos que guiam a profunda relação entre as emoções, o comportamento das estruturas celulares plasmáticas e o funcionamento do cosmos.

Materialista em sua abordagem da existência, para Reich "a essência da vida é o funcionamento vital em si, que não tem nenhum significado ou finalidade transcendental". Este conceito de vida está relacionado às suas pesquisas anteriores sobre a análise do caráter segundo perspectivas freudianas. Avançando em alguns pontos em relação ao criador da psicanálise, para ele as neuroses humanas se cristalizam no próprio corpo, naquilo que ele denominou de "couraça muscular do caráter".

Sua visão radical da sexualidade levou-o a escrever um livro denominado A função do orgasmo, em que expõe a teoria de que o organismo sexualmente bloqueado é o gerador de todas as doenças psicofísicas do homem. A ausência de uma entrega sexo-emotiva livre de barreiras seria o gerador das neuroses, doenças corporais e atitudes sociais fascistas (da fofoca à criação de grupos racistas como o nazismo). O acúmulo de energia sexual não liberada numa relação sexo-emocional seria o gerador, inclusive, do gosto pela violência, pela morte, pela autodestruição, dentre outras atividades perniciosas ao organismo e à vida.

Contrariando a ideia de Freud de que existem duas forças antagônicas que guiam a natureza do homem, Eros (princípio da vida) e Tânatos (princípio da morte), Reich deduz a partir de suas pesquisas que o princípio da morte não é parte da natureza humana, mas é gerado por circunstâncias avessas à existência livre da expressão humana dos sentimentos e da sexualidade. O masoquismo, por exemplo, seria apenas um acúmulo de energia psicofísica não liberada pelas emoções e pela sexualidade livre que se volta contra si mesma. Ideia radical que mais tarde seria desenvolvida numa concepção de que o câncer é apenas o suicídio plasmático de células contraídas pela impossibilidade de viverem livremente seu movimento natural e cósmico.

A ideia de liberdade e de saúde (psicofísica) é para Reich, portanto, a de "uma vida sem couraças, que não procura um significado ou finalidade para sua existência, pelo simples motivo de que funciona de modo espontâneo, significativo e intencional, sem necessidades de mandamentos ou proibições". Para pensar essa liberdade, Reich cria uma "ciência da vida", que seria um instrumento para examinar e julgar a história humana de um ponto de vista diretamente ligado à relação do homem com sua vida biológica, social e cósmica. Essa ciência ele denominará Orgonomia, "ciência das leis funcionais da energia orgone cósmica".

Em Éter, Deus e o Diabo, Reich passa em revista todas as mazelas humanas, as perseguições ao pensamento livre e à violência histórica contra quem fez avançar a ciência cósmica, como foi o caso de Giordano Bruno (queimado vivo pela Santa Inquisição) e Galileu (proibido de lecionar e publicar suas ideias contrárias à visão metafísica da igreja católica). Sua ideia é de que existe uma "lógica interna de erros" na irracionalidade humana, sendo ela uma espécie de "ilusão que se revela na intolerância e crueldade". Essa lógica "atribui à natureza qualidades da estrutura humana que não podem ser encontradas num dado objeto da natureza".

Para Reich, racionalmente "o homem deveria ter estudado seu próprio organismo antes de qualquer outra coisa". Entendendo seu funcionamento enquanto criatura viva, com necessidades que contrariam a cultura e seus instrumentos de domesticação, edificaria uma sociedade mais livre, ou ao menos aberta à expressão dos sentimentos naturais.

Suas proposições criticam e contrariam as ideias metafísicas do homem e da existência. "A religião, com seus erros metafísicos em relação à culpa absoluta do homem (...) infiltrou-se nas esferas subordinadas da existência biológica, social e moral (...)". O resultado é que "a humanidade, cindida em milhões de facções, grupos, nações e estados, se dilacerou em acusações mútuas". Uma cultura da culpa se espalhou pela humanidade inteira adoecendo a sociedade em toda sua estrutura: a culpa é dos gregos, a culpa é do romanos, a culpa é dos judeus, a culpa é dos cristãos, a culpa é dos hereges, a culpa é da rainha, a culpa é do povo, a culpa é dos austríacos, dos russos, prussianos, a culpa é das máquinas, a culpa é dos proletários, a culpa é dos índios, etc. Isso é o que nós convencionamos chamar de história.

A resposta de Reich a essa cultura da violência é diagnosticar o organismo humano como doente. É na biologia do animal humano que a resposta a essa doença deveria ser procurada. Nem por isso Reich está alheio às investigações sociais, tais como as empreendidas por Karl Marx, que vê a interdependência entre o elemento social e o biológico - "o processo social era um processo da natureza", diz Marx.

A questão que Reich levanta é a seguinte: "Se todos os homens desejam a paz, então porque há sempre outra guerra assassina, contra a vontade e os interesses vitais da população global?" O que se deve fazer é compreender "a profunda aversão da pessoa média à perguntas que tocam o cerne de sua vida". As perguntas essenciais, as mais importantes, fazem tremer o homem comum. E são elas as que resolveriam os problemas de sua vida.

A vida foi pensada de forma errada, segundo Reich. As questões que foram colocadas sobre ela ou partiram de uma visão mecanicista ou metafísica. A ideia de que existe um ser sobrenatural que dá forma à vida seria para Reich apenas uma distorção da sensação provocada pela percepção da energia orgone cósmica. O anseio orgástico (reprimido) seria a origem deformada dessa percepção. E o encouraçamento das emoções no próprio corpo geraria o pensamento mecanicista.

O que Freud já havia percebido, Reich levou às últimas consequências. Para Freud, o sentimento oceânico, experimentado por muitos místicos, era apenas sublimação da energia sexual. É essa energia biopsíquica que Reich dizia ser Deus, ou o Éter. Em sua obra O assassinato de Cristo, disse claramente: "A força dita cósmica é a mesma que te habita entre as pernas".


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 2/9/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Brasil que eu quero de Luís Fernando Amâncio
02. Minha plantinha de estimação de Elisa Andrade Buzzo
03. E Benício criou a mulher... de Gian Danton
04. As cartas de Dostoiévski de Luiz Rebinski Junior
05. O fundamentalismo headbanger de Diogo Salles


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2014
01. Simone de Beauvoir: da velhice e da morte - 29/7/2014
02. O assassinato de Herzog na arte - 30/9/2014
03. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet - 3/6/2014
04. A Puta, um romance bom prá cacete - 2/12/2014
05. Narciso revisitado na obra de Fabricius Nery - 11/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INSPETOR, MATE ESTA
JOYCE PORTER
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1966)
R$ 4,37



SE LIGA NESSA - VOCÊ E O TRABALHO
BRUNO PORTO/ MARIANA AMARAL E BILLY BACON
SENAC
(2007)
R$ 10,00



IMPACTO TRIBUTÁRIO DO NOVO CÓDIGO CIVIL
EDUARDO DE CARVALHO BORGES
QUARTIER LATIN
(2004)
R$ 14,00



BRASIL TERRA VERDEAL!
MARTINS FONTES
N/D
R$ 30,00



ENSINAMENTOS SOBRE O AMOR
THICH NHAT HANH

R$ 50,00



A DIETA DA SUPERENERGIA DO DR. ATKINS
ROBERTA C . ATKINS / SHIRLEY LINDE
CIRCULO DO LIVRO
R$ 10,00



OS AMANTES DE ESTOCOLMO
ROBERTO AMPUERO
PLANETA
(2007)
R$ 11,90



O CONTO BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO
ALFREDO BOSI
CULTRIX
(1968)
R$ 15,00



AVENTURAS DO ESCOTEIRO BILA
ODETTE DE BARROS MOTT
ATUAL
(1993)
R$ 4,00



PARA SEMPRE
KIM E KRICKITT CARPENTER
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 17,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês