Um Furto | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
Mais Recentes
>>> Kill La Kill #03 de Ryo Akizuki pela JBC/Ink Comics (2015)
>>> Por uma pedagogia da pergunta de Paulo Freire e Antonio Faundez pela Paz e Terra (1985)
>>> Um morto no elevador de Zahyra de Albuquerque Petry pela Sulina (1983)
>>> Magnus Chase e os Deuses de Asgard, Vol. 02 - O Martelo de Thor de Rick Riordan pela Intrínseca (2016)
>>> Filosofia da educação de Olivier Reboul pela Nacional (1980)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 02 - Ponte em Chamas de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Teoria do conhecimento de Johannes Hessen pela Armênio Amado (1987)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 01 - Ruínas de Gorlan de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Avaliação mito & desafio - uma perspectiva construtivista de Jussara Hoffmann pela Mediação (1998)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 03 - Terra do Gelo de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Sociologia da educação de Alberto Tosi Rodrigues pela DP&A (2002)
>>> Teumbilhao ou A Sociedade Perfeita S.A. de Leandro Telles Franz pela Insular (2008)
>>> Sobre a Vida Feliz de Santo Agostinho pela Vozes (2014)
>>> O príncipe de Machiavelli pela Hemus
>>> Fogo Pálido de Vladimir Nabokov pela Companhia das Letras (2004)
>>> O manuscrito roubado de carmem Lima pela L&PM (1985)
>>> Diário de uma Garota Nada Popular (3): Histórias de uma Pop Star... de Rachel Renée Russell pela Verus (2013)
>>> Morravagin / O Fim do Mundo de Blaise Cendrars pela Companhia das Letras (2003)
>>> Diário de uma Garota Nada Popular (1): Histórias de uma Vida nem um Pouco Fabulosa de Rachel Renée Russell pela Verus (2013)
>>> Sobreviver no mar cruel de Dougal Robertson pela Verbo (1977)
>>> Diário de uma Garota Nada Popular.. Baladeira Nem um Pouco Glamourosa de Rachel Renée Russell pela Verus (2011)
>>> Um mundo só meu de Robin Knox Johnston pela Edições Marítimas ltda (1990)
>>> História da Sexualidade 1 - A Vontade de Saber de Michel Foucault pela Paz & Terra (2017)
>>> Você pode curar sua vida de Louise L. Hay pela Best Seller
>>> Relatos de um projetor extrafísico de Geraldo Medeiros Júnior pela Petit (1990)
>>> Os Meninos e o Trem de Ferro de E. Nesbit (Ind. Editorial): Ana Maria Machado pela Moderna/ SP. (1998)
>>> No reino do gelo: A incrível viagem de um navio na conquista do Polo Norte de Hampton Sides pela Intrínseca (2016)
>>> Horizontes Antropológicos 52 - A religião no espaço público de Ari Pedro oro e Marcelo Ayres Camurça orgs. pela Ufgs (2018)
>>> A Ditadura Acabada de Elio Gaspari pela Intrínseca (2016)
>>> Echos de Paris de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1927)
>>> Abarat de Clive Barker pela Companhia das Letras (2003)
>>> Prosas barbaras de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> O Livro dos Peixes de William Gould de Richard Flanagan pela Companhia das Letras (2003)
>>> A capital de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1929)
>>> Comando Tribulação/ Deixados para Trás - o Drama Continua de Tim Lahaye/ Jerry B. Jenkins pela United Press (2009)
>>> Últimas páginas - manuscriptos ineditos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1938)
>>> Cartas Perto do Coração de Fernando Sabino, Clarice Lispector pela Record (2001)
>>> O Mandarim de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> Cartas familiares e bilhetes de Paris de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1922)
>>> A Colheita: a Escolha Está Feita de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (2009)
>>> O Egypto - notas de viagem de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1938)
>>> O Possuído(Deixados Para Trás...) de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (2001)
>>> Nicolae: o Anticristo Chega ao Poder de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (1999)
>>> Toda Poesia de Paulo Leminski pela Companhia das Letras (2013)
>>> Comando Tribulação/ Deixados para Trás - o Drama Continua de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (1999)
>>> O primo Bazilio de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Filosofia Política e Liberdade de Roland Corbisier pela Paz & Terra (1978)
>>> A Marca - a Besta Controla o Mundo de Tim Lahaye/ Jerry B. Jenkins pela United Press (2002)
>>> Marcha Soldado, Cabeça de Miguel de Rita Espeschit (ilustr): Raquel Lourenço Abreu pela Ed. Lê/ Belo Hte. (2019)
>>> O Senhor do Tempo de Liberato Póva (desemb. de Tj. Tocantins) pela Ed. Lê/ Belo Horizonte (2019)
COLUNAS

Segunda-feira, 11/6/2018
Um Furto
Ricardo de Mattos

+ de 15800 Acessos

Os ladrões de bens particulares passam a vida na prisão e acorrentados; aqueles de bens públicos, nas riquezas e nas honrarias” (Catão).

No final da tarde de ontem, quatro de junho de 2018, eu acompanhava a companheira dos meus dias em suas compras num supermercado. Andávamos aqui e ali e reparei num rapaz. Ele vestia shorts e jaqueta. Olhei seus pés e reparei que estavam imundos, calçando chinelos igualmente sujos. No conjunto, equiparava-se aos inúmeros moradores de rua que vejo por aqui. Não sou hipócrita, caro leitor, portanto reconheço o alerta íntimo. Entretanto, como as redes sociais apresentam diversos vídeos de pessoas bem vestidas furtando bolsas em restaurantes e produtos em farmácias, segui com a Lily e suas compras. Sequer comentei algo com ela.

Realizando o típico roteiro feminino que, representado graficamente resulta em novelo embaraçado, acabamos por entrar numa seção. De onde eu estava, tornei a ver o rapaz uma seção adiante. Entre o corredor que paramos e o que ele estava, apenas um corredor transversal. A reta entre nós e ele garantiu-me visão desimpedida. Lily verificava produtos de limpeza e o rapaz mexia nas prateleiras de produtos de higiene masculina. De repente, comento com ela: “Isto tinha que acontecer na minha frente mesmo...”. Ela virou-se para saber o que eu falava e completei: “Aquele rapaz acabou de tirar produtos da prateleira e enfiar dentro da jaqueta”.

O que fazer, caro leitor? Correr atrás dele pelo estabelecimento gritando “peguem o ladrão”? Fazer todo um alvoroço, talvez conseguindo sua apreensão por algum segurança e a revelação de seu furto? Ou “seus furtos”? Chamar a atenção sobre mim e garantir cinco minutos de fama como herói de supermercado? Estimular comentários como “o mundo está perdido”, ou, “eles fazem isso para trocar por droga”? Nada... Ele saiu e nós seguimos.

Daqui a pouco deitarei para dormir e continuarei com a consciência tranquila. Passei a ser um defensor de ilícitos? De forma alguma. Fosse um sobrinho ou amigo e eu agiria de outra forma. Um sobrinho estaria sob minha responsabilidade e eu não o permitiria dizer que realizou furtos com minha leniência. Um amigo que expressasse dificuldade a ponto de aceitar a possibilidade da subtração indevida receberia de mim a oferta daquilo que precisasse. Todavia, o que fazer com o rapaz que furtou? Nada. Nunca encontramo-nos antes e, caso isto ocorresse, não há garantia que algo dito ou falado por mim tirasse-o “do mal caminho”. Não nos encontraremos mais, ou isto dificilmente ocorrerá, de forma que nenhuma relevância terá mencionar um ato abrigado pelo pretérito. Que ele siga no encadeamento de suas escolhas.

Ele poderia ter escolhido não furtar? Poderia. Sinto muito, caro leitor, mas não aceito falar que ele é um “fruto do meio”, um “resultado do ambiente”. O homem possui o livre arbítrio justamente para decidir o que fazer em cada uma das situações de sua vida. Ele não teve que furtar. Ele furtou. Contudo, minutos de permanência num estabelecimento comercial e o testemunho da ação lamentável não são suficientes para traçar um perfil que releve quais decisões ele encadeou em sua jornada existencial até chegar ali. Ele trocaria o produto furtado por alguma substância entorpecente, como certamente alegaria algum experto de ocasião? Como saber? Seguindo-o?

Dominado por algum segurança e revelado seu ato, seria liberado sob xingamentos ou detido até a polícia vir busca-lo? Receio que me seria vexaminoso sair do supermercado com a compra feita e vê-lo acossado em algum canto. Talvez o pó de café de marca diferente da habitual, comprado para experimentar, resultasse numa beberagem amarga. “Por isso que o país está perdido! As instituições não são respeitadas, os vagabundos são protegidos e o crime acaba compensando”, poderá alegar aquele senhor saudoso da época em que os trens cumpriam seus horários. “Compensa não”, respondo. Crime é feio. Degrada o humano. Não quero cometer crimes e não quero que pessoas próximas cometam-nos. Mexesse o rapaz da jaqueta preta com alguma criança, ou avançasse contra a integridade física de quem quer que seja, então sim, eu interviria como possível e ele que se virasse com as consequências.

Digito esta coluna em meu quarto, à escrivaninha coberta com livros queridos, descobertos e adquiridos um por um. Ouço uma seleção das músicas de Jean-Baptiste Lully. O rapaz da jaqueta preta estará onde? Dormindo em algum canto da cidade, a céu aberto, sob o frio crescente? Em algum moquifo? Providenciando o reencarne de outro indivíduo que precisará superar dificuldades inimagináveis para sobreviver? Não é desgraça suficiente? É preciso agravar o que já é lastimável e transferi-lo para um moquifo oficial, gradeado e irrelevante para sua “recuperação”? Alguma ordem seria restabelecida?

Caro leitor, declaro-me apolítico, mesmo que isto repugne suas convicções. Uma das atribuições da Administração Pública é gerir e preservar o patrimônio público. Todas as informações que nos chegam das diversas fontes indicam que este patrimônio não está sendo gerenciado dignamente, seja qual for a pessoa acusada de promover que isto ocorra, seja qual for o partido político envolvido. Partidarismo político, no Brasil, limita-se a situação e oposição: uma quer que a outra saia para então poder fazer exatamente aquilo de que a acusa. Não acredito na descoberta de verdades e no esclarecimento categórico de quem fez o que. Enquanto isso, a sociedade padece com a inexistência de Educação e de Saúde. Padece da redução dos valores a artigos de perfumaria teórica e submetidos ao relativismo raso. Impotente perante um status abrangente, serei eu a bancar o herói às custas de um miserável?


Ricardo de Mattos
Taubaté, 11/6/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
02. A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020) de Renato Alessandro dos Santos
03. O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour de Jardel Dias Cavalcanti
04. 7 de Setembro de Luís Fernando Amâncio
05. Outros cantos, de Maria Valéria Rezende de Ana Elisa Ribeiro


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos
01. A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda - 14/11/2002
02. Da Poesia Na Música de Vivaldi - 6/2/2003
03. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón - 9/9/2004
04. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
05. Poesia, Crônica, Conto e Charge - 13/11/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NÃO PISE NA BOLA
RICHARD SIMONETTI
O CLARIM
(2003)
R$ 15,00



MEMORIA DO FUTURO
ALBERTO LOPEZ TORRES
ATUAL
R$ 6,00



SHERLOCK HOLMES - 2 LIVROS
SIR ARTHUR CONAN DOYLE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 25,00



COMO VALORIZAR E RECOMPENSAR SEUS FUNCIONARIOS
DONNA DEEPROSE
CAMPUS
(1995)
R$ 10,00



OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS
R. BURBAGE/ J. CAZEMANJOU/ A KASPI
AGIR
(1973)
R$ 9,41



O FIM DO ESTADO- NAÇÃO
KENICHI OHMAE
CAMPUS
(1999)
R$ 7,90



MOUSE AND ME!: LEVEL 1: STUDENT BOOK PACK
ALICIA VÁZQUES & JENNIFER DOBSON
OXFORD
(2017)
R$ 110,00



VIDA E ARTE DOS JAPONESES NO BRASIL
MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO ASSIS CHATEUBRIAND
MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO
(1988)
R$ 20,00



COMUNICAÇÃO INTERNA: A FORÇA DAS EMPRESAS (VOLUME 2)
PAULO NASSAR (ORG.)
ABERJE
(2005)
R$ 15,00



COMO ERA VERDE MEU VALE
RICHARD LLEWELLYN
CIRCULO DO LIVRO
R$ 10,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês