Toca Raul! | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
65494 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
>>> São Paulo recebe exposição ‘À Meia Luz Na Pele’ em dois pontos da capital
>>> Santander instala painel eletrônico em prédio para levar arte ao centro de São Paulo
>>> Workbook de Carl Honoré é transformado em lives
>>> Experiência Quase Morte é o tema do Canal Angelini
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Villa no segundo turno
>>> Autores & Ideias no Sesc-PR I
>>> Medo e Delírio em Las Vegas
>>> Sobre os jornais e a internet
>>> Cem anos de música do cinema
>>> Inutilidades e pianos
>>> Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem
>>> Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem
>>> Fotógrafa da Amazônia é destaque na Europa
>>> Educadores do Futuro
Mais Recentes
>>> Biblioteca do Escoteiro Mirim - Completa 20 Volumes de Disney pela Círculo do Livro (1989)
>>> Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830) Volume I: A Ciência da Lógica de G. W. F. Hegel pela Edições Loyola (2005)
>>> Islamismo e humanismo latino: Diálogos e desafios de Arno Dal Ri Júnior (org.) pela Vozes (2004)
>>> Consciência e liberdade em Sartre: por uma perspectiva ética de Carlos Eduardo de Moura pela EdUFSCar (2012)
>>> Sartre: Direito e Política - Ontologia, liberdade e revolução de Silvio Almeida pela Boitempo (2016)
>>> Imigração Atual: Dilemas, Inserção Social e Escolarização - Brasil, Argentina, EUA de Leda Maria de Oliveira Rodrigues pela Escuta (2017)
>>> Os Céticos Gregos de Victor Brochard pela Odysseus (2009)
>>> Ontologia, Conhecimento e Linguagem: Um encontro de Filósofos Latino-Americanos de Plinio Smith Ulysses Pinheiro, Marco Rufino pela Mauad (2001)
>>> Discurso do Método de Descartes pela Lafonte (2017)
>>> Pensamento Alemão no Século XX - Volume 3: Grandes Protagonistas e Recepção da Obra no Brasil de Wolfgang Bader , Jorge de Almeida pela Cosac Naify (2013)
>>> Revista Matéria Prima - Práticas Artísticas no Ensino Básico e SecundárioVol. 6 (1), janeiro–abril 2018, quadrimestral de Vários pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa & Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Ar (2018)
>>> Ser e Tempo de Martin Heidegger pela Vozes (2012)
>>> AIDS no Brasil : A agenda de construção de uma epidemia de Jane Galvão pela 34 (2000)
>>> Trópicos utópicos: Uma perspectiva brasileira da crise civilizatória de Eduardo Giannetti pela Companhia das Letras (2016)
>>> Razão e Sensibilidade de Jane Austen pela Tricaju (2021)
>>> Arsène Lupin e a Rolha de Cristal de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> O Livro da Selva de Rudyard Kipling pela Principis (2021)
>>> Tarzan de Edgar Rice Burroughs pela Principis (2021)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-exupéry pela Tricaju (2021)
>>> A Odisseia de Homero pela Principis (2021)
>>> Persuasão de Jane Austin pela Principis (2019)
>>> Verdade ao Amanhecer de Ernest Hemingway pela Bertrand Brasil (2015)
>>> Sonhos na Casa da Bruxa e Outros Contos de H. P. Lovercraft pela Principis (2020)
>>> Cinco Semanas Em um Balão de Júlio Verne pela Principis (2020)
>>> Da Terra á Lua de Júlio Verne pela Principis (2020)
COLUNAS

Quarta-feira, 26/8/2009
Toca Raul!
Luiz Rebinski Junior

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Dia desses escrevi um textinho pro Digestivo falando das minhas influências, de autores e artistas que foram e são importantes para mim. Ou seja, uma coisa bem particular e, por isso mesmo, pouco interessante. Independente da importância, o lance é complicado, porque falar de dez ou quinze autores/artistas sempre vai ser uma traição com os muitos outros que ficaram de fora ― além do mais, esse tipo de lista nos faz parecer mais insignificantes do que já somos. Um desses caras que não apareceram na minha fajuta e incompleta listinha foi Raulzito. Por conta da efeméride dos 20 anos da morte do baianão, a vida do cara tá sendo destrinchada pela mídia, com capa na Rolling Stone nacional, edição especial da Caros Amigos, coluna do Nelson Motta no Jornal da Globo, livros pipocando, uma biografia que já tem cinco anos de gestação e um filme a ser lançado ainda este ano.

Os especialistas e saudosistas gostam de afirmar que Raul sempre fora tratado como o cachorro louco da música brasileira, um cara que não se enquadrava na MPB e era a legítima mosca na sopa, um intruso. Tudo bem, isso pode até ter sentido, mas é só olhar para lado pra constatar que é, também, uma meia verdade. Tá certo que no Brasil é preciso morrer pra ser notado. Até o Sarney, se morrer amanhã, pode correr o risco de ser lembrado como um político moderno e um escritor notável. Da mesma forma que Lennon, morto, virou símbolo de uma geração e McCartney, vivo, é apenas um músico com um passado brilhante.

Mas no caso do Raul isso parece um pouco diferente: não acho que a trajetória dele seja mais um daqueles exemplos em que o artista é amado pelo público e rechaçado pela crítica, como acontece com o parceiro mais famoso de Raulzito, Paulo Coelho, no meio literário, por exemplo. Raul sempre foi um artista popular, mas também ganhou muitas linhas elogiosas dos críticos por sua mistura, originalíssima, de rock com música nordestina. Claro que apanhou também, mas isso é do jogo. Então, tentar ver o Raul como uma ave desgarrada, que lutou contra tudo e contra todos para chegar ao seu objetivo, é querer colocar mais tempero no já recheado acarajé do baiano.

Raul Seixas foi e é importante não apenas por sua rebeldia juvenil, mas porque soube falar para muitas vozes sem perder um naco sequer da inquietação artística que sempre o moveu. Se não tá botando fé, faça um teste: coloque pra tocar "A maçã" e depois rode "Rock do diabo". São músicas completamente diferentes, de um artista de múltiplas vozes. "A maçã" é uma música brega, inclusive regravada por artistas bregas, de um pieguismo atroz, mas que na voz do Raul parece poesia. Já "Rock do diabo" é uma pancada no ouvido que só poderia ter sido escrita por alguém completamente diferente do compositor de "A maçã". Por essas e outras, o clichê da metamorfose ambulante sempre insiste em aparecer em um texto sobre Raul. Apareceu!

Os flertes com a cultura nordestina, com as modas de viola e com o som sertanejo (o de raiz, claro), deixaram a música de Raul Seixas tão próxima da cultura brasileira quanto da americana, já que o cantor nunca deixou a pegada rocker desgarrar de som. Raul foi fiel às suas origens e ao gênero que escolheu ainda adolescente até o fim. A panela do diabo, seu último disco, gravado com Marcelo Nova, traz um monte de roquinhos com aquele piano tão característico das músicas de Little Richards e Jerry Lee Lewis, dois pioneiros do rock que Raul amava. Nesse disco, há ainda outro elemento bastante peculiar do Raul artista: o humor crítico. "Pastor João e a igreja invisível" é uma música que nasceu atual e, parece, não envelhecerá tão cedo.

Outro fato que ajuda na manutenção da popularidade de Raul é que sua discografia tem um nível de regularidade impressionante. Raul não fez discos que se firmaram como grandes marcos da nossa discografia (Krig-há, bandolo! é geralmente citado como sua obra mais importante, mas não faz jus a esse título), mas sim dezenas de trabalhos com um bom nível de qualidade. Na discografia de Raul Seixas, não há clássicos absolutos, nem discos descartáveis. Mesmo os álbuns com raridades, como O Baú do Raul e Raul Rock Seixas, trazem canções interessantes não apenas para fãs. Com seu poder de comunicação, Raul trouxe para o rádio teorias obscuras, profetas e ideias malucas, mas também falou sobre coisas do cotidiano de uma maneira direta e simples. Assim, com a guitarra a tiracolo e um triangulo na mão, Raulzito conseguiu o mais difícil para um artista: agradar a um público tão plural quanto sua música.

Coloque, em um churrasco de família, um disco de Raul e verás. A sogra, quase entrando nos 60, vai cantarolar algum trecho de algum grande sucesso de Raul. É como o Roberto Carlos, ninguém passa incólume por ele, há sempre um refrão, uma frase solta ou mesmo um título de música no subconsciente esperando a hora de ser lembrado. Claro que ser popular não é garantia de qualidade, assim como o inverso também é verdadeiro. Mas, como diz Paulo Coelho no texto que escreveu para a Rolling Stone, o Raul ensinou a muita gente que "cultura popular não é, necessariamente, uma coisa negativa". E para quem gosta de música, esse tipo de pensamento deveria servir como mantra.

Em um país conhecido por se esquecer de sua História, é mais do que importante esse auê em torno da figura e da obra de Raulzito. A torcida agora é para que a biografia escrita pelo jornalista Edmundo Leite faça o que as dezenas de livros sobre o cantor ainda não fizeram: revelar a vida e a obra de Raulzito de forma isenta, sem as paixões tão características dos projetos que se atém a grandes ídolos.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 26/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Com quantos eventos literários se faz uma canoa? de Ana Elisa Ribeiro


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2009
01. Reinaldo Moraes fala de sua Pornopopéia - 2/12/2009
02. As cartas de Dostoiévski - 30/9/2009
03. O primeiro parágrafo - 24/6/2009
04. Tarantino e o espírito do tempo - 28/10/2009
05. Dalton Trevisan revisitado - 29/7/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/8/2009
00h35min
Raul realmente nunca se afastou da cultura popular. Tanto é que Gilberto Gil tocou violão na canção "O dia em que a Terra parou" e a banda de Jackson do Pandeiro participou da gravação da música "Os números". Mas, com certeza, o mais impressionante da sua obra musical é ser executado tanto por Chitãozinho e Xororó quanto por Los Hermanos ou Tom Zé, e continuar soando como Raul Seixas...
[Leia outros Comentários de Fabio de Souza]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Ritual do Vinho
Mauro Côrte Real
Age
(2004)



O Que Toda Criança Gostaria Que Seus Pais Soubessem
Dr Lee Salk
Edibolso
(1972)



Teatro Grego ( Ésquilo, Sófocles, Eurípedes, Aristófanes)
Osmar Perazzo Lannes (tradução e Adaptação)
Matos Peixoto (rj)
(1965)



Sete Noivas para Sete Irmãos Coleção Folha Clássicos do Cinema 20
Stanley Donen
Folha de São Paulo
(2009)



Anjos Caidos
Anderson Ricardo Valente
Do Autor
(1997)



Memória Histórica Sobre a Cidade de Lima Duarte e Seu Município
Alexandre Miranda Delgado (2ª Edição)
Editar
(2009)



O Novo Mundo Digital - Você já Está Nele
Ricardo Neves
Relume Dumará
(2007)



Uma Vida de Amor e Caridade
Izabel Bueno Francisco C. Xavier
Fonte Viva
(1992)



Ven - Level 2: Students Book 2
F. Castro
Edelsa Grupo Didascalia S A
(2003)



Ruby on Rails Desenvolvimento Fácil e Rápido de Aplicação Webruby on R
Rodrigo Urubatan
Novatec
(2009)





busca | avançada
65494 visitas/dia
2,5 milhões/mês