Toca Raul! | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 26/8/2009
Toca Raul!
Luiz Rebinski Junior

+ de 3700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Dia desses escrevi um textinho pro Digestivo falando das minhas influências, de autores e artistas que foram e são importantes para mim. Ou seja, uma coisa bem particular e, por isso mesmo, pouco interessante. Independente da importância, o lance é complicado, porque falar de dez ou quinze autores/artistas sempre vai ser uma traição com os muitos outros que ficaram de fora ― além do mais, esse tipo de lista nos faz parecer mais insignificantes do que já somos. Um desses caras que não apareceram na minha fajuta e incompleta listinha foi Raulzito. Por conta da efeméride dos 20 anos da morte do baianão, a vida do cara tá sendo destrinchada pela mídia, com capa na Rolling Stone nacional, edição especial da Caros Amigos, coluna do Nelson Motta no Jornal da Globo, livros pipocando, uma biografia que já tem cinco anos de gestação e um filme a ser lançado ainda este ano.

Os especialistas e saudosistas gostam de afirmar que Raul sempre fora tratado como o cachorro louco da música brasileira, um cara que não se enquadrava na MPB e era a legítima mosca na sopa, um intruso. Tudo bem, isso pode até ter sentido, mas é só olhar para lado pra constatar que é, também, uma meia verdade. Tá certo que no Brasil é preciso morrer pra ser notado. Até o Sarney, se morrer amanhã, pode correr o risco de ser lembrado como um político moderno e um escritor notável. Da mesma forma que Lennon, morto, virou símbolo de uma geração e McCartney, vivo, é apenas um músico com um passado brilhante.

Mas no caso do Raul isso parece um pouco diferente: não acho que a trajetória dele seja mais um daqueles exemplos em que o artista é amado pelo público e rechaçado pela crítica, como acontece com o parceiro mais famoso de Raulzito, Paulo Coelho, no meio literário, por exemplo. Raul sempre foi um artista popular, mas também ganhou muitas linhas elogiosas dos críticos por sua mistura, originalíssima, de rock com música nordestina. Claro que apanhou também, mas isso é do jogo. Então, tentar ver o Raul como uma ave desgarrada, que lutou contra tudo e contra todos para chegar ao seu objetivo, é querer colocar mais tempero no já recheado acarajé do baiano.

Raul Seixas foi e é importante não apenas por sua rebeldia juvenil, mas porque soube falar para muitas vozes sem perder um naco sequer da inquietação artística que sempre o moveu. Se não tá botando fé, faça um teste: coloque pra tocar "A maçã" e depois rode "Rock do diabo". São músicas completamente diferentes, de um artista de múltiplas vozes. "A maçã" é uma música brega, inclusive regravada por artistas bregas, de um pieguismo atroz, mas que na voz do Raul parece poesia. Já "Rock do diabo" é uma pancada no ouvido que só poderia ter sido escrita por alguém completamente diferente do compositor de "A maçã". Por essas e outras, o clichê da metamorfose ambulante sempre insiste em aparecer em um texto sobre Raul. Apareceu!

Os flertes com a cultura nordestina, com as modas de viola e com o som sertanejo (o de raiz, claro), deixaram a música de Raul Seixas tão próxima da cultura brasileira quanto da americana, já que o cantor nunca deixou a pegada rocker desgarrar de som. Raul foi fiel às suas origens e ao gênero que escolheu ainda adolescente até o fim. A panela do diabo, seu último disco, gravado com Marcelo Nova, traz um monte de roquinhos com aquele piano tão característico das músicas de Little Richards e Jerry Lee Lewis, dois pioneiros do rock que Raul amava. Nesse disco, há ainda outro elemento bastante peculiar do Raul artista: o humor crítico. "Pastor João e a igreja invisível" é uma música que nasceu atual e, parece, não envelhecerá tão cedo.

Outro fato que ajuda na manutenção da popularidade de Raul é que sua discografia tem um nível de regularidade impressionante. Raul não fez discos que se firmaram como grandes marcos da nossa discografia (Krig-há, bandolo! é geralmente citado como sua obra mais importante, mas não faz jus a esse título), mas sim dezenas de trabalhos com um bom nível de qualidade. Na discografia de Raul Seixas, não há clássicos absolutos, nem discos descartáveis. Mesmo os álbuns com raridades, como O Baú do Raul e Raul Rock Seixas, trazem canções interessantes não apenas para fãs. Com seu poder de comunicação, Raul trouxe para o rádio teorias obscuras, profetas e ideias malucas, mas também falou sobre coisas do cotidiano de uma maneira direta e simples. Assim, com a guitarra a tiracolo e um triangulo na mão, Raulzito conseguiu o mais difícil para um artista: agradar a um público tão plural quanto sua música.

Coloque, em um churrasco de família, um disco de Raul e verás. A sogra, quase entrando nos 60, vai cantarolar algum trecho de algum grande sucesso de Raul. É como o Roberto Carlos, ninguém passa incólume por ele, há sempre um refrão, uma frase solta ou mesmo um título de música no subconsciente esperando a hora de ser lembrado. Claro que ser popular não é garantia de qualidade, assim como o inverso também é verdadeiro. Mas, como diz Paulo Coelho no texto que escreveu para a Rolling Stone, o Raul ensinou a muita gente que "cultura popular não é, necessariamente, uma coisa negativa". E para quem gosta de música, esse tipo de pensamento deveria servir como mantra.

Em um país conhecido por se esquecer de sua História, é mais do que importante esse auê em torno da figura e da obra de Raulzito. A torcida agora é para que a biografia escrita pelo jornalista Edmundo Leite faça o que as dezenas de livros sobre o cantor ainda não fizeram: revelar a vida e a obra de Raulzito de forma isenta, sem as paixões tão características dos projetos que se atém a grandes ídolos.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 26/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho de Renato Alessandro dos Santos
02. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
03. Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva de Renato Alessandro dos Santos
04. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos
05. Joan Brossa, inéditos em tradução de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2009
01. Reinaldo Moraes fala de sua Pornopopéia - 2/12/2009
02. As cartas de Dostoiévski - 30/9/2009
03. O primeiro parágrafo - 24/6/2009
04. Tarantino e o espírito do tempo - 28/10/2009
05. Dalton Trevisan revisitado - 29/7/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/8/2009
00h35min
Raul realmente nunca se afastou da cultura popular. Tanto é que Gilberto Gil tocou violão na canção "O dia em que a Terra parou" e a banda de Jackson do Pandeiro participou da gravação da música "Os números". Mas, com certeza, o mais impressionante da sua obra musical é ser executado tanto por Chitãozinho e Xororó quanto por Los Hermanos ou Tom Zé, e continuar soando como Raul Seixas...
[Leia outros Comentários de Fabio de Souza]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FÁMILIA EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
FRANK MUSGROVE
RÉS
R$ 27,91



A LINGUAGEM CORPORAL DA CRIANÇA
SAMY MOLCHO
GENTE
(2007)
R$ 18,00



MANTENHA-SE EM FORMA COM IOGA
LYN MARSHALL
CULTRIX
(1980)
R$ 7,90



DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA GERENTES DE PROJETOS
MÁRCIO RODRIGUES ZENKER
ELSEVIER
(2014)
R$ 55,00



112 INVOCAÇÕES DA VIRGEM MARIA NO BRASIL
NILZA BOTELHO MEGALE
VOZES
(1986)
R$ 100,00



SUAVE É A NOITE - COLEÇÃO IMORTAIS DA LITERATURA UNIVERSAL
FITZGERLD
NOVA CULTURAL
(1995)
R$ 15,00



PUNIBILIDADE NO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL
FAUSTO MARTIN DE SANCTIS
MILLENIUM
(2003)
R$ 60,00



DEP – DIPLOMACIA ESTRATÉGIA POLÍTICA - NÚMERO 9
CARLOS HENRIQUE CARDIM
MRE / FUNAG
(2009)
R$ 14,00



OS DOIS APOSTOLOS
JOÃO PERNETTA
PLACIDO E SILVA
(1928)
R$ 100,00



AMOR, FELICIDADE & CIA
IÇAMI TIBA
GENTE
(1998)
R$ 4,00





busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês