Tipos brasileiros | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Papa Francisco
>>> Pequena notável
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> USP: 75 anos de histórias várias
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Minicursos na PUC Minas
>>> 7 de Setembro
>>> Dublinenses
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
Mais Recentes
>>> O Estranho Caso do Cachorro Morto de Mark Haddon pela Record (2011)
>>> Barriga de Trigo: Livre-se do Trigo, Livre-se dos Quilos a Mais e Descubra seu Caminho de Volta para a Saúde de William Davis pela WMF Martins Fontes (2014)
>>> Pecados sagrados de Nora Roberts; Alda Porto pela Bertrand Brasil (2009)
>>> Orgullosamente Lupita de Marta Anchustegui Y Amparin Serrano pela Independente (2008)
>>> As Crônicas de Bane de Cassandra Clare; Sarah Rees Brennan; Maureen Johnson pela Galera Record (2014)
>>> Quem Manipula os Povos Indígenas Contra o Desenvolvimento do Brasil de Lorenzo Carrasco; Silvia Palacios pela Capax Dei (2013)
>>> FIlho do Hamas de Mosab Hassan Yousef pela Sextante (2010)
>>> Decida você - Como e quanto viver de Renato Maia Guimarães pela Saude e Letras (2008)
>>> O jardim de ossos de Tess Gerritsen; Alexandre Raposo pela Record (2009)
>>> Perdas Necessárias de Judith Viorst pela Melhoramentos (2005)
>>> O corretor de John Grisham pela Rocco (2005)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James; Juliana Romeiro pela Intrinseca (2015)
>>> Esta Terra Tem Dono - Esta Tierra Tiene Dueño - Co Yvy Oguereco Yara de Alcy Cheuiche pela Age (2012)
>>> A Odisseia da Filosofia: Uma Breve História do Pensamento Ocidental de José Francisco Botelho pela Abril (2015)
>>> Pureza mortal de Nora Roberts; J. D. Robb; Renato Motta pela Bertrand Brasil (2011)
>>> A Hisótira da Ciência Para Quem Tem Pressa: De Galileu a Stephen Hawking em 200 Páginas de Nicola Chalton; Meredith MacArdle pela Valentina (2017)
>>> Contos da seleção o principe e o guarda de Kiera Cass; Cristian Clemente pela Seguinte (2014)
>>> 1808 de Laurentino Gomes pela Planeta do Brasil (2007)
>>> Dublinenses de James Joyce pela Biblioteca Folha (2003)
>>> Viaje a Ixtlan de Carlos Castaneda pela Fondo de Cultura Económica (2009)
>>> História do amor no Ocidente de Denis de Rougemont pela Ediouro (2003)
>>> As cidades invisíveis - coleção biblioteca folha de Italo Calvino pela Biblioteca Folha (2003)
>>> O evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2004)
>>> Breves Respostas para Grandes Questões de Stephen Hawking pela Intrínseca (2018)
>>> Presença do Vinho no Brasil. um Pouco de História de Carlos Ernesto Cabral de Mello pela Cultura (2018)
>>> Uberizacao de Tom slee pela Elefante (2020)
>>> O Processo de Franz Kafka pela 1117 (2012)
>>> União 100 anos - Receitas que fazem nossa história de Açucar União pela Gold (2000)
>>> Os Miseráveis de Victor Hugo; Walcyr Carrasco pela Moderna (2012)
>>> La Religión Dentro de los Límites de la Mera Razón de Immanuel Kant pela Alianza Editorial (2009)
>>> A Dama das Camélias de Alexandre Dumas Filho pela Nova Alexandria (2015)
>>> Mentes Inquietas: TDAH - Desatenção, Hiperatividade e Impulsividade de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Objetiva (2004)
>>> A primeira história do cristianismo de Daniel Marguerat pela Paulus, Loyola (2003)
>>> As erras mais primitivas da terra (Tomo 1 e 2) de G. H. Pember pela Ed Clássicos (2003)
>>> The Witcher Livro 1: O Último Desejo de Andrej Sapkowski pela WMF Martins Fontes (2011)
>>> O Hobbit de J. R. R. Tolkien pela WMF Martins Fontes (2013)
>>> O Silmarillion de J. R. R. Tolkien pela WMF Martins Fontes (2011)
>>> Livro de Uma Sogra – Obra Completa Nº 5 de Aluísio Azevedo pela Waldré (1982)
>>> O Mulato de Aluísio Azevedo pela Ática (1992)
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Abril (1979)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Abril (1979)
>>> Decamerão (2 volumes) de Giovanni Boccaccio pela Abril (1981)
>>> Relações entre a Igreja e o Estado de Rafael Llano Cifuentes pela José Olympio (1989)
>>> A Interpretação do Homem de Renato Kehl pela Francisco Alves (1951)
>>> Envelheça Sorrindo de Renato Kehl pela Francisco Alves (1949)
>>> O Milagre de Lourdes de Ruth Cranston pela Melhoramentos (1955)
>>> Diário de um pároco de aldeia de Georges Bernanos pela Agir (1964)
>>> A Doutrina Social da Igreja de G. C. Rutten, O. P. pela Agir (1947)
>>> Maria e o Evangelho de Jean Galot pela Aster (1961)
>>> O que sobrou do paraíso? de Jean Delumeau pela Companhia das letras (2003)
COLUNAS

Quarta-feira, 10/2/2010
Tipos brasileiros
Guilherme Pontes Coelho

+ de 4800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Aqui em Brasília há representantes de todos os estados e de vários países (as embaixadas estão todas aqui). Esta cidade cinquentenária é composta por forasteiros, eu mesmo meio que sendo um deles. A gente acaba conhecendo, nem que seja em pequenas amostras, a identidade folclórica desse pessoal todo, características básicas mesmo. O que comem no café da manhã, o sotaque, as saudações, essa coisa toda.

Porém, analisar os tipos que encontramos em Brasília talvez não seja algo fidedigno, pois os objetos de estudo não estão no seu habitat natural. Os exemplares do sul, por exemplo, devem sofrer um tanto com a secura, e com o calor. Isso deve lhes alterar a percepção do mundo e o batimento cardíaco. Ou não, talvez eles sejam daquele jeito mesmo e eu que estou viajando. Porque, veja bem, todo gaúcho que conheci aqui no cerrado ― nunca fui ao Rio Grande do Sul ― fala alto e vigorosamente, como se sempre estivesse tentando me convencer de uma verdade absoluta e premente que só eu não consigo enxergar. O sotaque carregado adiciona mais dramaticidade à cena ― e eu sempre tenho a impressão de que o gaúcho finge ter mais do sotaque que já tem. Não sei se eles são assim no dia a dia portoalegrense. Aqui no planalto central, são.

E há os hábitos, as tradições. Imagine você: um calor infernal, nenhum décimo de brisa em qualquer direção, umidade relativa do ar a 18% e o fulano tomando chimarrão, o líquido fervente lhe descendo esôfago adentro. Acho massa.

Na verdade, é um traço de todos nós brasileiros esse de estar pouco se fodendo para temperatura ambiente na hora de ingerir algo. Já vi gente comendo buchada de bode à beira da praia. E depois ir mergulhar. Enfim...

Há também as comunidades nordestinas no Distrito Federal. Delas, a mais fechada, e talvez a mais numerosa, seja a de pernambucanos. Eu, mesmo sendo um, jamais me enturmei com a moçada, por falta de interesse, e nunca conseguiram que me enturmassem, por falta de química. Mas a comunidade existe, inalterada, tomando Antártica todo fim de semana ao som de Alceu Valença. Tenho a impressão de que eles se negam a aceitar que estão no beachless planalto central, e por isso sempre que se reúnem choram juntos o desprazer de estarem exilados.

(O Distrito Federal é um quadradinho no meio do Goiás. Estamos cercados por goianos por todos os lados. Mesmo assim, não sei o que dizer deles. Ainda não os entendi. Só sei de uma coisa: pequi é ruim pra cacete.)

Os oriundos do Rio de Janeiro parecem os mais soltos e relaxados no cerrado. Não que tenham se adaptado ao deserto, nada disso; nem, muito menos, que gostem disso aqui. Mas porque cariocas estão em contato constante com a terra natal. Sempre que dá, qualquer feriado mixuruca, eles vão embora pra sua terra. Esta certeza de que verá a terra amada faz deles pessoas tranquilas. Inclusive, ouso dizer que há mais flamenguistas no Distrito Federal que no próprio Estado do Rio. É impressionante.

Isso me lembra que existe a relação cidade-futebol. Esses flamenguistas todos aqui no DF, claro, não são cariocas de nascimento. Em boa parte dos casos, nem os pais são. É um fenômeno brasiliense torcer para times "estrangeiros". Conheço vascaínos que nasceram em Goiás, botafoguenses do Pará, palmeirenses de Taguatinga, corintianos de Cuiabá (etc.), todos eles morando em Brasília. Ninguém aqui é torcedor genuíno do Gama, ou do Guará, ou do Braziliense. Estes times, na verdade, sempre saem perdendo nas permutas do sincretismo ludopédico. O torcedor do Gama que também torce pro Palmeiras levantará a bandeira do segundo em detrimento do primeiro quando eles se enfrentarem no Estádio Mané Garrincha. É assim.

Aliás, uma observação ainda sobre futebol. Há algo atávico nos times gaúchos e mineiros. Aquele sincretismo só ocorre com times cariocas e paulistas. Desconheço colorados brasilienses de ascendência manauara, nem atleticanos do cerrado de origem sergipana. Se é brasiliense e torce pro Grêmio, ou nasceu lá ou é de família gaúcha. Mesma regra para cruzeirenses.

Os paulistas... Não, não existem paulistas no Distrito Federal.

Recentemente, tive a oportunidade de conhecer os mineiros em seu habitat natural. Uma visita a Belo Horizonte. (Agora começa a parte do texto pela qual os mineiros me presentearão com pensamentos negativos.)

Eu achava que já os conhecia. Há muitos mineiros por aqui e eu já visitei algumas cidadezinhas mineiras, inclusive por um motivo de gosto duvidoso: festa agropecuária. Enfim, eu achava que os conhecia. Pão de queijo blablablá. Mas não. Depois de alguns dias em Belo Horizonte minha ideia deles mudou um tantinho. Eles são mais mineiros lá do que aqui. Isso tem a seguinte razão de ser. A geografia.

Um quadro comparativo antes. Dependendo de onde estiver, o morador de Brasília tem 360º de abóbada celeste, horizonte para todos os lados. As vias principais são largas e, obviamente, planas, com uma ou outra elevação, mas é pouca coisa. Embora a cultura do parar-na-faixa funcione muitíssimo bem, Brasília não é uma cidade para pedestres ― isso quer dizer que o andarilho é solitário, compulsoriamente.

Ao contrário do andarilho mineiro, compulsoriamente acompanhado por outros ― e nem sempre isso é desejável. Aquelas ruas estreitas e sem horizontes, cheias de sobe-e-desce, provocam a sensação de clausura. Contato humano forçado não é gostoso. Falta de horizontes e enclausuramento também não. O que leva à famigerada introspecção. Introspecção mineira. Além daquele ar de desconfiança sorridente que eles exalam. Os rostos são conhecidos, familiares. Qualquer rosto ou sotaque alienígena causa receio. Enquanto estive lá, não consegui receber uma resposta direta. Acho que a primeira coisa que lhes passava pela cabeça era algo do tipo: "Quem é esse forasteiro e o que ele realmente quer de mim?".

Lembro de Alceu Amoroso Lima, via J.O. de Meira Penna: "O mineiro jamais fala, murmura. Não pensa, rumina ideias. Não discute, resmunga. Não avança, perscruta o caminho".

É verdade.


Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 10/2/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. Metallica e nostalgia de Luís Fernando Amâncio
03. Sarkozy e o privilégio de ser francês de Celso A. Uequed Pitol
04. O Enriquecer é Glorioso! de Marilia Mota Silva
05. Sidney Lumet, invisível de Vicente Escudero


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2010
01. Nas redes do sexo - 25/8/2010
02. A literatura de Giacomo Casanova - 19/5/2010
03. O preconceito estético - 29/12/2010
04. O retorno à cidade natal - 24/2/2010
05. O mundo pós-aniversário - 3/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/2/2010
17h38min
Não temos em Brasilia o que seria muito interessante, a Embaixada Universal da Paz, cuja sede é em Genebra, Suíça. Mas temos Embaixadores sem Embaixadas... Neste país do futebol, embaixadas podem ter outra conotação, talvez seja isto. De fato, por aqui somos todos forasteiros e os nativos é que ainda não possuem direitos de cidadãos! É deveras intrigante, pois estes não são imigrantes!
[Leia outros Comentários de Celito Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA
SCOTT TUROW
RECORD
(1987)
R$ 5,00



ONTEM À NOITE ERA SEXTA-FEIRA
ROBERTO DRUMMOND
SICILIANO
(1991)
R$ 8,90



CAMPANHA DA BIRMÂNIA
MICHAEL CALVERT
RENES
(1978)
R$ 9,90



COLEÇÃO OBJETIVO PORTUGUÊS LITERATURA BRASILEIRA LIVRO 4
COLEÇÃO OBJETIVO
CERED
R$ 6,90



TUA FÉ TE GUIARÁ
TECA JORGE / JANAINA VIEIRA
GENTE
(1999)
R$ 10,00



O PRIMEIRO TREM EM BRASÍLIA; A BOMBA DO TERROR - SÃO PAULO;
REVISTA MANCHETE, Nº 837 DE 1968
BLOCH
(1968)
R$ 35,28



REVISTA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA Nª 3
SOCIEDADE BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA
SOCIEDADE BRASILEIRA DE OFT
(1977)
R$ 11,66



PROBLEMÁTICA DA CIVILIZAÇÃO CONTEMPORÂNEA
WILSON DE LIMA BASTOS
EDIÇÕES PARAIBUNA
(1974)
R$ 9,28



BOM LIVRO - MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS
MANUEL ANTONIO DE ALMEIDA
ATICA
(1973)
R$ 6,90



HISTÓRIAS QUE TRAZEM FELICIDADE - 3ª EDIÇÃO
RICHARD SIMONETTI
CEAC
(2005)
R$ 7,00





busca | avançada
69289 visitas/dia
2,0 milhão/mês