O preconceito estético | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Usina
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Web 2.0 reloaded
>>> Lendas e mitos da internet no Brasil
>>> A loucura das causas
>>> Queen na pandemia
>>> Nerd oriented news
>>> 13 de Agosto #digestivo10anos
>>> O cão da meia-noite
Mais Recentes
>>> A Engenharia de Custos na Viabilidade Econômica de Empreendimentos Industriais de Sérgio Conforto & Mônica Spranger pela Taba Cultural (2011)
>>> Documento de Aparecida de Conselho Episcopal Latino-Americano pela Paulus (2011)
>>> Caminho da sabedoria, caminho da paz de Dalai Lama pela L&Pm (2009)
>>> Montanha-russa de Martha Medeiros pela L&Pm (2009)
>>> Perdão. A Chave Para a Liberdade de Adriana Machado pela Dufaux (2015)
>>> Baudelaire de Jean-Baptiste Baronian pela L&Pm (2010)
>>> O Mundo Contemporâneo - Relações Internacionais 1945-2000 de Demétrio Magnoli pela Moderna (2002)
>>> Paulo, um homem em Cristo de Ruy Kremer pela Feb (2011)
>>> Páginas de espiritismo cristão de Rodolfo Calligaris pela Feb (2021)
>>> Crepúsculo dos ídolos de Friedrich Nietzsche pela L&Pm (2009)
>>> Senhor e servo & outras histórias de Leon Tolstoi pela L&Pm (2009)
>>> Liberando o Fluir do Avivamento de Gregory R. Frizzell pela Imprensa da Fé (2021)
>>> O Ladrão e os Cães de Naguib Mahfuz pela L&pm Pocket (2008)
>>> O Leão da Neve de Richard Jones pela Carochinha (2018)
>>> O Livro da Selva de Rudyard Kipling pela L&pm Pocket (2001)
>>> O Despertar Do Sonho de Luiz Carlos Amorim pela Rosa dos Tempos (2001)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Casa dos Livros (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Ediouro (2006)
>>> O Revólver De Maigret de Georges Simenon pela L&Pm (2009)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia: Histórias de Deuses e Heróis de Thomas Bulfinch pela Ediouro (2003)
>>> O Livro do Bem Coisas para Você Fazer e Deixar Seu Dia Mais Feliz de Ariane Freitas; Jessica Grecco pela Gutenberg (2015)
>>> O Amigo De Infância De Maigret de Georges Simenon pela L&Pm (2009)
>>> O Despertar Ante a Obsessão de Públio Carisio de Paula pela Minas Grafica (2003)
>>> O Livro dos Dinossauros 50 Perguntas Com Todas as Respostas de Jo Connor; Moira Butterfield pela Girassol (2012)
>>> O Livro dos Médiuns de Allan Kardec pela Petit (2004)
COLUNAS

Quarta-feira, 29/12/2010
O preconceito estético
Guilherme Pontes Coelho

+ de 9100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Eu não me lembro do clima, talvez tenha chovido naquela tarde. Este dezembro, em Brasília, tem feito uma estação diferente a cada dia. Talvez tenha chovido mesmo, pois eu estava de carro, e não de bicicleta, como de costume. Durante aquela tarde, eu deveria executar uma simples tarefa. Reabastecer o guarda-roupa, coisa que homens só precisam fazer, quando precisam, uma vez por ano, e calibrar a estante "economia", uma seção da minha biblioteca a que deveria ter dado mais atenção em anos formadores. Adquirir roupas e livros era a tarefa. Acreditava que, por economia de tempo e paciência, o lugar onde eu os encontraria seria um shopping center. O raciocínio estava certo; mas a hora, errada. Dezembro. Gente por todos os lados comprando vale-presentes para amigos ocultos, meias e cuecas para maridos, chocolates (e vale-presentes) para esposas. Uma fauna variada e numerosa, lotando corredores, elevadores, lojas ― e enchendo a paciência de vendedores, que, por sua vez, enchem a dos clientes. Nem menciono as praças de alimentação, o círculo mais tenebroso de todo inferno center.

Mesmo assim, paciência era o que eu mais deveria ter. Lá estava eu, flanando por entre vários tipos, sem pressa, observando vitrines, conferindo preços. Mochila às costas para carregar as futuras compras, água de côco à mão para combater a secura. A diversidade que perambulava pelo shopping era, de alguma maneira, atraente. O mosaico humano é interessantíssimo. Um senhor perguntava ao filho, por telefone, qual era "a cor predileta da sua mãe" ― ele observava uma vitrine de lingerie. Um casal gay de rapazes trocava beijos enquanto a atendente do quiosque de pretzels, sorrindo um tanto envergonhada, tentava lhes entregar o pedido. Uma senhora, aparentemente setuagenária, estampava uma colossal interrogação no rosto enquanto o vendedor colocava, um ao lado do outro, patins cor de rosa sobre o balcão. Vestidas como atrizes de Sex and the City, duas moças, de aparência balzaquiana, passaram por mim, uma delas exalava um perfume conhecido, e que me dá alergia, enquanto a outra dizia "...pois eu prefiro o Vitor Belfort...". Em frente à loja de uma telefônica, a filha pré-adolescente instruía o pai sobre qual celular ele deveria comprar, tinha de ser um "bom pra quem gosta de viajar" ― não achei redundante a especificação que ela deu ao celular, que é um equipamento portátil de comunicação à distância, porque foi a última coisa que ouvi antes que entrassem na loja ―, mas jamais saberei a conclusão daquele raciocínio. Nem saberei se o marido comprou lingerie para esposa, e de que cor. Nem se a senhora na loja de esportes compraria os patins para alguma neta, o que seria clichê, ou se para ela mesma, o que eu acharia, além de clichê, o máximo. Nem se os rapazes gostaram do pretzel. Nem se as balzaquianas praticam alguma arte marcial. Estas cenas recortadas, contudo, é que são a graça.

Gosto da diversidade que algumas aglomerações proporcionam, ainda que observada em tão inquieta época do ano e no mais exasperante dos lugares. Mesmo assim, a missão ia sendo cumprida sem atropelos. Já havia passado por algumas lojas, comprado ali, despistado um vendedor irritante acolá. Então, quando entrei numa sapataria, me deparei com um espécime que há tempos não via e pensava que já estivesse sob ameaça de extinção. Eu, com meus próprios olhos, vi, à minha frente, respirando, uma mulher feia.

Inspirei fundo, expirei longo. Tomei um gole de água de côco. A feiúra hipnotiza. Fiquei olhando, atônito. Ouvi um vendedor se aproximando. Ele me perguntou o que procurava, se algum modelo ou marca específicos. Eu lhe disse, para me livrar dele, que queria um John Lobb, "qualquer modelo de tamanho 41". Duvidava muito que houvesse John Lobb Bootmaker naquela loja, mas ele partiu, muito solícito, para procurar. Não sei por quanto tempo procurou, uma dúzia de minutos, talvez mais. Mas isso não importava, porque eu fingia esperar por ele. O que eu queria mesmo era observar o milagre, aquele fenômeno, à minha frente, a mulher feia.

Hoje, relembrando aquele momento, não duvido que tenha ficado sob a vigilância das câmeras de segurança. Um jovem solitário, aparentemente em transe, carregando uma mochila nas costas, olhando (olhando?) fixamente para uma fêmea. Não duvido que alguns compradores, ao checar o interior da loja, tenham desistido de entrar porque me viram: eu, de olhar vidrado, absorto, impávido, assustador. Também não descarto a hipótese de que os demais clientes e os outros vendedores tenham se sentido, no mínimo, incomodados com a minha presença. Mas tenho certeza de que ela, a mulher feia, nem me percebeu. Ainda bem.

Lá estava, a feiúra. Jamais conseguirei descrever. Não saberia dizer a idade da criatura. Até porque feiúra não tem idade. Beleza também não. Também não sei a cor dela. O que também não importa, porque tanto a feiúra como a beleza não têm cor. Tento dimensioná-la e achar a altura dela, mas me perco, a sinapse não vem. Já vi mulheres feias mais altas e mais baixas que ela. E já vi belas de todas as alturas. Penso na cor do cabelo, na cor dos olhos, coisas que eu possa descrever para que você tenha uma noção de como era a figura. Mas quando tento digitar a cor com que minha mente colore a lembrança, ela muda; então tento digitar a nova cor, e ela muda novamente. Feiúra não tem cor. Mas eu e você já vimos a beleza sob todas as cores, alturas, formas, idades. Nós vivemos, nos termos de Umberto Eco, o politeísmo da beleza.

A mulher feia foi embora. Não lembro se carregava sacolas. Nem consigo descrever como se vestia. Ela sumiu na multidão de compradores. Neste momento, voltando à realidade, me apareceu o vendedor, dizendo que não havia "a marca que o senhor pediu". Agradeci, lhe desejei boas festas, saí andando lentamente em direção à livraria.

Nota do editor
Guilherme Montana mantém o Montana, Blog.

Para ir além






Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 29/12/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A poesia de Carol Sanches de Jardel Dias Cavalcanti
02. A pandemia de Albert Camus de Wellington Machado
03. Outros cantos, de Maria Valéria Rezende de Ana Elisa Ribeiro
04. Famílias terríveis - um texto talvez indigesto de Ana Elisa Ribeiro
05. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão de Luís Fernando Amâncio


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2010
01. Nas redes do sexo - 25/8/2010
02. A literatura de Giacomo Casanova - 19/5/2010
03. O preconceito estético - 29/12/2010
04. O retorno à cidade natal - 24/2/2010
05. O mundo pós-aniversário - 3/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/1/2011
14h29min
Uau, que texto lindo! Adorei! É uma delícia passear por uma redação assim, com descrição fina de todos os acontecimentos em uma pequena passagem por um shopping. Parece um pensamento de começo de tarde... meio torto, meio sonso.
[Leia outros Comentários de Eliza R. P.]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Two Thousand Years of Coptic Chistianity
Otto F. A. Meinardus
Amarian University in Cairo
(2002)
+ frete grátis



Mensagens de Luiz Sérgio
Alayde Ed Assunção e Silva
Gráfica Brasiliana
(1990)



Histórico do boletim oficial do grande oriente de São Paulo
Amado Espósito dos Santos
Não informado
(1999)



David Baldacci
O limiar
Gutenberg
(2015)



A Profecia Celestina: uma aventura da Nova Era
James Redfield
Objetiva
(1993)



Affaires À Suivre Cours de Français Professionnel de Niveau Intermedia
Anatole Bloomfield-beatrice Tauzin
Hachette
(2001)



Mitologia política brasileira: a era da justiça e o fim do bacanal
Maimonides
Brazil Publishing
(2020)



Ashley Tisdale - a Vida é uma Delícia
Grace Norwich
Prestígio
(2007)



Até o Fim
Eddie Muller
Landscape
(2003)



Canção do Exílio Aqui
Moacyr Félix
Civilização Brasileira





busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês