Juntos e Shallow Now | Digestivo Cultural

busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Documentário inédito sobre Luis Fernando Verissimo estreia em 2 de maio nos cinemas
>>> 3ª Bienal Black abre dia 27 de Abril no Espaço Cultural Correios em Niterói (RJ)
>>> XV Festival de Cinema da Fronteira divulga programação
>>> Yassir Chediak no Sesc Carmo
>>> O CIEE lança a página Minha história com o CIEE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Fractais Sertanejos
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Diploma ou não diploma... não é esta a questão
>>> Minha casa, sua casa
>>> Linger by IMY2
>>> A hora certa para ser mãe
>>> Cenas de abril
>>> Por que 1984 não foi como 1984
>>> A dicotomia do pop erudito português
>>> Coisas nossas
Mais Recentes
>>> 1000 Lugares Para Conhecer Antes De Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> De Onde Vêm As Palavras; Frases E Curiosidades Da Língua Portuguesa de Deonísio Da Silva pela Mandarim, São Paulo (1997)
>>> Philosophia de João Braz - Ironias, zangas e desdens de um sujeito que tem visto mundo 1892-1895 de Silva Pinto pela Antonio maria pereira (1895)
>>> Livro Conexões. Superinteressante de De Freud ao Android e outras pela Abril (2016)
>>> Reminiscencias de Viagens de um Medico de Henrique Guedes de Mello pela Jornal do Commercio (1934)
>>> O Mysterio da Estrada de Cintra de Ramalho ortigão e Eça de Queiroz pela Domingos dos Santos (1878)
>>> Password English Dictionary For Speakers Of Portuguese de Martins Fontes pela Luso Brazilian Books (2001)
>>> Copywriting. Palavras Que Vendem Milhões de Gustavo Ferreira pela Dvs (2018)
>>> Gramática Prática Da Língua Inglesa: O Inglês Descomplicado de Nelson Torres pela Saraiva (2000)
>>> Arte De Amar Ars Amatoria Texto Bilingue Ovidio de Ovidio pela Fisicalbook (1992)
>>> O grande comandante de João Alcides do Nascimento pela Ministerio da cultura (2004)
>>> Casa-Grande & Senzala - 2º tomo - formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal de Gilberto Freire pela Cepe (1970)
>>> Ninaua de Juarez Nogueira pela Gulliver (2016)
>>> Espelho de Portuguezes de Alberto Pimentel pela Antonio Maria pereira (1901)
>>> Jardim Secreto, O - Colecao Reencontro Infantil de Frances Hodgson Burnett pela Scipione (paradidaticos) (2012)
>>> Direito Desportivo Debate e Crítica de Wladimir Camargos (org.) pela Ufg (2015)
>>> A Revolução Burguesa no Brasil de Florestan Fernandes pela Zahar (1976)
>>> Aléxandros: Os Confins Do Mundo de Valerio Massimo Manfredi pela Rocco (2000)
>>> Moisés I: O Vidente Do Sinai: Volume 1 de Josefa Rosalia Luque Alvarez pela Pensamento (1996)
>>> Noções de História da Educação. de Afranio Peixoto pela Bpb (1933)
>>> Homo Deus de Yuval Noah Harari pela Companhia Das Letras (2016)
>>> O Deus Selvagem de A. Alvarez pela Companhia Das Letras (1999)
>>> A Viúva de Fiona Barton pela Intrinseca (2017)
>>> Qualidade Na Pratica Mediúnica de Manoel Philomeno De Miranda pela Fisicalbook (2000)
>>> A Origem Trágica Da Lei de Wilson Madeira Filho pela Autografia
BLOG >>> Posts

Segunda-feira, 20/5/2019
Juntos e Shallow Now
+ de 4900 Acessos

Se já não bastasse todas as polêmicas que a política nos fornece, Paula Fernandes, em parceria com Luan Santana, lançou uma versão para “Shallow”. A canção de Nasce uma Estrela (2018), que rendeu um Oscar para Lady Gaga, foi traduzida de forma bem livre pela cantora sertaneja. O que, convenhamos, não é algo inédito na história da música brasileira. Quem não se lembra que Sandy & Júnior, ao traduzir “Immortality”, parceria de Bee Gees e Celine Dion, trocou “We don’t say goodbye/ We don’t say goodbye” por “O que é imortal/ Não morre no final”? Ah, se houvesse internet banda larga na época!

Em sua versão tupiniquim, “Shallow” reencarnou como “Juntos”. Até aí, tudo bem. O grande ponto de crítica da versão brasileira foi o refrão. Talvez por falta de habilidades com tradução lírica, ou por uma escolha infeliz, Paula Fernandes, que assina a letra, tacou um “juntos e shallow now”, uma mistura de idiomas que não é muito comum por aqui. Ficou confuso, ficou estranho e virou sucesso – ao menos na rede de memes.

A tradução de músicas estrangeiras é algo bastante comum no Brasil. A Jovem Guarda, por exemplo, teve versões célebres. É o caso de “Banho de Lua”, de Celly Campello, que veio ao mundo como uma canção italiana (“Tintarella di Luna”, de Mina). “Pare o Casamento”, de Wanderléa, veio do original “Stop the Wedding”. E “Era um garoto que como eu amava os Beattles e os Rolling Stones”, gravado por Os Incríveis e, com mais sucesso, pelos Engenheiros do Hawaii anos mais tarde, também era uma música italiana, interpretada por Gianni Morandi – e, acreditem, o título longo é a tradução literal do original.

A ideia, vamos ser sinceros, é muito boa. Você pega uma fórmula de reconhecido sucesso e faz uma letra em português, já que nem todo mundo tem a obrigação de dominar um idioma estrangeiro. Voilá, você tem um produto pronto para tocar à exaustão nas FMs, ou, atualizando, nos aplicativos musicais de streaming. O Latino, grande hitmaker brazuca, proporcionou alguns bons luxos ao seu macaco de estimação (in memoriam) graças às versões “Festa no apê” e “Despedida de solteiro”. Há quem goste.

O sertanejo, gênero musical em que nossa Lady Gaga Paula Fernandes se enquadra, também já abusou dessa fórmula. Chitãozinho & Xororó, nos anos 1990, provaram que também existe sedução vinda do norte do Paraná e fizeram uma versão para “Have You Ever Really Loved a Women?”, de Bryan Adams, sucesso no filme Don Juan DeMarco (1995). No mesmo espírito, um filho menos famoso de Francisco e seu parceiro, Cleiton, lançaram “Na Hora de Amar”, versão de “Spending My Time”, do grupo sueco Roxette. Houve muitas outras ocorrências do tipo, mas vou poupá-los do histórico.

Mas falar em versão brasileira para clássicos estrangeiros seria impossível sem mencionar dois cases de sucesso. O primeiro deles foi a banda Yahoo, fundada pelo guitarrista Robertinho de Recife, especializada em traduzir baladas de hard rock para o idioma português. Em um tempo em que o rock era pop, eles emplacaram músicas em trilhas sonoras de novelas e circularam por alguns dos bons programas de auditório do período.

Além deles, houve Angélica, que conseguiu, com “Vou de Taxi”, aos 15 anos, se tornar uma marca competitiva no acirrado mercado de “loiras apresentadoras de programas infantis”. A versão brasileira para “Joe le Taxi”, sucesso interpretado originalmente por Vanessa Paradis, foi uma das dez mais tocadas no Brasil em 1988. Anos depois, Angélica tentaria novo sucesso com versões. E eu até entendo que alguém tenha acreditado que uma versão de “Linger”, dos Cranberries, poderia emplacar. Agora, turbinar “Light My Fire”, clássico do The Doors com a frivolidade de “Bye que bye bye bye” só poderia dar certo. Se o objetivo fosse criar uma coisa muito exdrúxula, é claro.

Essa pequena coletânea de versões brasileiras Herbert Richers para sucessos internacionais não tem, verdadeiramente, um propósito muito claro. Mas o leitor pode entendê-la como uma ameaça. Enquanto você fica aí, horrorizado com a criatividade de Paula Fernandes, saiba que vem muito mais por aí. Sempre vem. Força, amigos, juntos e shallow now somos mais fortes.


Postado por Luís Fernando Amâncio
Em 20/5/2019 às 14h08

Quem leu este, também leu esse(s):
01. 55 anos do Led Zeppelin de Julio Daio Borges
02. Literatura e vida literária de Eduardo Carvalho


Mais Luís Fernando Amâncio no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Manual do futebol Americano
Antony Curti
ActionBokks
(2017)



Livro Literatura Brasileira A Versão dos Afogados Novas Comédias da Vida Pública 347 Crônicas datadas
Luis Fernando Verissimo
L&pm Pocket
(1997)



Filha do Sol
Dorothea Nurnberg
Oficina
(2019)



Bruxa Onilda vai à Inglaterra
E. Karreula; R. Capdevila
Scipione
(1998)



Negociação
Jorge Pedro Dalledonne de Barros
Senac
(2006)



Livro Poesia O Evangelho de Marcos em Versos Poesias
Rev. Maurício Barbosa Nunes
Nao consta
(2016)



A Eficácia dos Direitos Fundamentais 6ªed
Ingo Wolfgang Sarlet
Livraria do Advogado
(2006)



K - O grande romance da corrupção financeira, do estado e da imprensa
Vassilis Vassilikos
Ensaio
(1995)



Só os Patetas Jantam Mal na Disney
Washington Olivetto
Panda Books
(2011)



O Homem Que Falava Com Espíritos
Luis Eduardo de Souza
Universo dos Livros
(2010)





busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês