Morar só, sinônimo de status | Ezequiel Sena, BLOG

busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 23/7/2015
Morar só, sinônimo de status
Ezequiel Sena

+ de 1200 Acessos

"No livro de Gênesis diz que Adão foi incapaz de desfrutar do paraíso sozinho. Foi preciso dividir com alguém o que tinha ao seu redor. O Criador percebendo que lhe faltava algo, resolveu então dar-lhe uma companheira, porque a solidão seria a pior das experiências".

Com base nessa percepção, criou-se, ao longo dos séculos, uma imagem profundamente negativa das pessoas que vivem sozinhas. Será castigo ou sinal de fracasso? Felizmente, esse pensamento foi sepultado, adágio ultrapassado, carta fora do baralho.

O tradicionalismo desapareceu. Os sinais estão por aí. Atravessamos um momento de transformação na maneira de viver, radical e até turbulento sobre vários aspectos.

As novas tecnologias abriram portas nunca vistas. "Eu não sou um solitário, mas gosto da solidão", esta espontânea expressão dum amigo, fez-me pensar na atitude do ator Walmor Chagas que deliberadamente foi viver numa chácara em Guaratinguetá, onde recentemente se suicidou.

Viver só, para o intelectual, passa a ser uma opção ou, no mínimo, uma imposição da idade, como no caso do ator e desse meu amigo, mesmo de gerações diferentes, no entanto, portadores de dotes e opiniões similares perante a vida, ambos decidiram morar sozinhos.

Engana-se quem pensa que a solidão é um fenômeno do homem contemporâneo. Os textos sagrados são recheados de exemplos de profetas que, em determinado momento de suas vidas, sentiram necessidade de se isolarem para refletir ao mesmo tempo em que recebiam mensagens divinas, como Moisés: as Leis Mosaicas; e o profeta Maomé: o Alcorão; sem contar os inúmeros personagens da história que não se tornaram apenas solitários.

Muitos até eremitas por vontade própria; motivados por desilusões do mundo e das pessoas; perseguições religiosas e exílios políticos, como Dante Alighieri: "Divina Comédia"; ou por doença infectocontagiosa: a lepra. De outro modo: simples filosofia de vida, ou, como se diz no popular, por estar de miolo mole.

Dentro do próprio cristianismo, temos ordens religiosas que fazem da clausura a sua opção. Não sendo propriamente viver na solidão, uma vez que convivem e comungam a sua religiosidade em grupo, isolados por muros dos prazeres mundanos; um típico exemplo de fé exaltada ao extremo, de autopunição religiosa para uns, uma opção voluntária para outros.

Não há dúvida de que, por trás, o leitmotiv tem que existir não obrigatoriamente espontâneo ou forçado; mas tem que existir.

Por sinal, o delinear desta breve crônica não deixa de ser um ato de solidão, pois tive que me isolar por alguns instantes para escrevê-la. "Escrever é um ato solitário que o faz conviver com seus demônios", mais ou menos assim disse Santo Tomás de Aquino. Todavia, morar sozinho não significa solidão. Sozinha viverá grande parcela da população mundial nas próximas décadas - estimativa do IBGE, através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

Para ser mais preciso, entre 2009 e 2011, oitocentas mil brasileiros passaram a viver sozinhos (ISTOÉ ¬- 2251). Morar sozinho virou sinônimo de status. O fenômeno avança. Dizem, inclusive, que o Brasil já pode ser considerado um país de solteirões.

Especialistas em tendências afirmam que há três explicações para essa realidade comportamental. Primeira: a independência feminina. Segunda: a estabilidade econômica, e terceira: a revolução da comunicação. Não há duvida, as novas tecnologias facilitaram a convivência, evitou que os sozinhos se tornassem ainda mais solitários.

Aquele velho ditado "antes só do que mal acompanhado" está cada vez mais em evidência definindo a privacidade dessa nova geração. Em entrevista à Revista ISTOÉ, engrossando a lista dos sozinhos, o engenheiro Frederico Lainer, 30 anos, de Porto Alegre, afirma: "moro só por opção e nem bicho de estimação tenho, pois passo quase o dia todo fora de casa".

Obviamente que o dinamismo dessas transformações tem a força das redes sociais. Antes, a vida social condicionada à presença física em aulas, conferências, e/ou encontros, agora está cada vez mais afeita ao mundo virtual. Mas será que toda essa facilidade tira a pessoa do isolamento? Os mais entusiasmados acham que "estar nas redes sociais é pertencer a um grupo cada vez maior e mais influente", pontua Luciana Ruffo, psicóloga do Núcleo de Pesquisa de Psicologia em Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Estar ligado às pessoas virtualmente não quer dizer rodeado de amigos. Para eu ter um amigo é necessário o contato físico, escutar sua voz, não a voz distorcida do webcam, mas o som real, o olhar no olho, não apenas o olhar furtivo apresentado na tela do computador. Acho que as redes sociais podem até aproximar os indivíduos, mas, se não existir contato e convívio, jamais teremos um amigo de verdade.

(texto publicado originalmente 31.01.2013)


Postado por Ezequiel Sena
Em 23/7/2015 às 09h16


Mais Ezequiel Sena, BLOG
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ENGLISH. COMMONLY MISSPELLED AND CONFUSING WORDS - COL RESUMÃO
STEVEN BERNER
BARROS FISCHER & ASSOCIADOS
(2015)
R$ 15,90



ANTOLOGIA POÉTICA
FERNANDO PESSOA
RBA
(1994)
R$ 9,70



REMEMBER BE HERE NOW BY HANUMAN FOUNDATION
HANUMAN FOUNDATION
HANUMAN FOUNDATION
(1971)
R$ 380,00
+ frete grátis



ANIMAÇÃO GRÁFICA NO PC BASEADA EM C PARA WINDOWS
EDUARD MONTGOMERY
ALTA BOOKS
(2005)
R$ 40,00



HISTORIA DA CIVILIZAÇÃO
ROBERTO ACCIOLI
MEC BLOCH
(1980)
R$ 4,00



O DESIGN DO DIA-A-DIA
DONALD A. NORMAN
ROCCO
(2006)
R$ 250,00



RIA DA MINHA VIDA ANTES QUE EU VOLTE A RIR DA SUA 2
EVANDRO A. DAOLIO
ARX
(2002)
R$ 4,70



LE CAPITAINE FRACASSE (TOME 1 E TOME 2)
THÉOPHILE GAUTIER (CAPA DURA)
NELSON
(1939)
R$ 29,82



O CÉU E O INFERNO
ALLAN KARDEC
FEB
(1982)
R$ 38,00
+ frete grátis



TEATRO BRASILEIRO VOL 6 (AUTOGRAFADO)
DIONISIO NETO/PEDRO BRICIO/SÉRGIO ROVERI/ROSANGELA
HAMDAN
(2005)
R$ 40,00





busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês