A morte do leitor | Blog de Cassionei Niches Petry

busca | avançada
56138 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo I
>>> Violões do Brasil
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> A esquerda nunca foi popular no Brasil
>>> Na minha opinião...
>>> Amores & Arte de Amar, de Ovídio
>>> VOCÊS
>>> As sombras e os muros de José J. Veiga
>>> Entrevista com o poeta Júlio Castañon Guimarães
>>> 30 de Junho #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Jackson Pollock - drawing into painting de Bernice Rose pela The Museum of Modern Art (1980)
>>> O Manto das Trevas de Helen MacInnes pela Record (1982)
>>> Machado de Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> Álbum de Casamento de Nora Roberts; Janaina Senna pela Arqueiro (2013)
>>> A Mágica do 1-2-3 de Thomas W. Phelan; Simone Lemberg Reisner pela Sextante (2009)
>>> Os Eleitos de Tom Wolfe pela Rocco
>>> Visões do Golpe de Vários Autores pela Nova Fronteira (2014)
>>> Désirée, Wife of Marshal Bernadotte de Annemarie Selinko pela Longman (1975)
>>> Arsene Lupin Contra Herlock Sholmes de Maurice Leblanc pela L&pm (2021)
>>> Tribulações de um Chinês na China de Julio Verne pela Edico
>>> O Caso dos Exploradores de Cavernas de Lon L. Fuller pela Edipro de Bolso (2015)
>>> Balanced Yoga: the Twelve Week Programme de Svami Purna pela Element Books (1992)
>>> Os Três Mosqueteiros de Alexandre Dumas pela Abril (1971)
>>> Hora do Apocalipse de Edgard Armond pela Aliança (1992)
>>> Outra Vez Heidi de Johanna Spyri pela Hemus (1985)
>>> Guia Completo de Inglês para Viagem de Ana Cuder pela Fluentics
>>> Inspirações - Pintura em seda livro I de Denise Meneghello pela Maio (1995)
>>> Eu Acredito no Amor! de Aldirene Maximo pela Scortecci (2017)
>>> Técnicas para Entrevistas - Conquiste Seu Emprego de Aggie White pela Cengage Learning (2008)
>>> Marley & Eu de John Grogan pela Prestigio (2006)
>>> Clínica Odontológica Brasileira 2004 de Marco Antonio Bottino pela Artes Medicas (2004)
>>> Die Blutschule de Max Rhode pela Roman
>>> As Viagens de Gulliver de Jonathan Swift pela Nova Cultural
>>> Surrealismo de Marilda de Vasconcellos Rebouças pela Ática (1986)
>>> E Após o Sinal Sensível de Prof Luiz Meloni pela Leia Sempre
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 7/8/2015
A morte do leitor
Cassionei Niches Petry

+ de 3800 Acessos

Sou dos poucos leitores que não veem com bons olhos os direitos do leitor escritos pelo Daniel Pennac. É um desserviço (não gosto muito dessa expressão, mas é a que me vem à mente no momento) à literatura.

Devido a uma preguiça macunaímica, me apoio em Pedro Eiras, no seu Substâncias perigosas, que comentei por aqui. Ele escreve, assim como que "o leitor não tem direitos nenhuns. A sua única soberania consiste em obedecer. E não é pouco. Não pode abandonar o livro, nem saltar páginas. A leitura é monacal: inventa um claustro, regras, votos. Exige ao leitor que morra para o mundo, que se emparede entre as páginas." E continua: "Se fizer com o texto o que me apetecer, limito-me a cumprir o meu desejo. Não leio, só existo tal como eu sou. Mas ler deixar de existir."

"Sob o pretexto de libertar o leitor, Daniel Pennac, destrói-o, educando terroristas da leitura que vão apagando as descrições em Eça, saltando as digressões em Musil, simplificando o vocabulário em Aquilino, "corrigindo" a pontuação em Saramago. Pelo contrário, acredito que o texto pode quase tudo, o leitor quase nada. Ler é obedecer. Se Daniel Pennac mata o leitor, é porque, ao dar-lhe todas as liberdades, o condena ao tédio. Apenas vive o texto que nos contesta."

"Aonde quero chegar? Aqui: se soubermos ler, sabemos que a literatura pode tudo sobre nós. Incluindo matar-nos. Devemos tornar-nos dignos da ameaça", conclui o escritor português.

É comum hoje, com a pretensão de nivelar por baixo a literatura, vê-la apenas como mais uma fonte de entretenimento semelhante a outras como o cinema, a música. Para tanto, tornou-se moda criticar aqueles que cultivam algo mais sofisticado, taxando-os de pedantes, arrogantes, chatos, destruidores de leitores. Em artigo na Folha de São Paulo, Michel Laub chama isso de "populismo anti-intelectual". Mas assim como acontece com o cinema e com a música, há uma literatura mais elaborada, um trabalho acurado com a linguagem e com referências culturais as mais diversas, que fogem desse padrão de entretenimento. Não se pode destruí-la para dar lugar a outra mais simples, que até encanta, conquista leitores e blá, blá, blá, porém não exige muito de quem lê, não o desafia, mas sim o acomoda.

Julio Cortázar escreve no conto "Continuidad de los parques", publicado no volume Final del juego, a história de um leitor, sentado em uma poltrona de veludo verde e de costas para a porta, que lê um romance desses de best-seller, em que uma mulher planeja com seu amante a morte do marido. Quando o provável assassino se aproxima do provável assassinado, vemos que este também está sentado em uma poltrona de veludo verde e de costas para a porta, lendo um romance, provavelmente desses de best-seller, que uma mulher planeja...

É a morte do leitor ou eterno retorno do que nunca terminou?


Postado por Cassionei Niches Petry
Em 7/8/2015 às 11h42


Mais Blog de Cassionei Niches Petry
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Suburbia - Baseado no Seriado Luiz Fernando Carvalho e Paulo Lins
Pedro Franz
Globo Marcas
(2012)



Longas Cartas para Ninguém
Julio Emilio Braz; Salmo Dansa
Rovelle
(2011)



Fiquei Com o Seu Numero !
Sophie Kinsella
Record
(2017)



Inside Girl
J. Minter
Id
(2010)



Observatorio De Ciencias 8 Ano Profesor
Rita Helena Brockelmann
Moderna



Igreja no Brasil/diretório Litúrgico - 2003/ano B - S. Marcos
Vários Autores
Loyola
(2003)



A Cabeça De Steve Jobs
Leander Kahney
Agir
(2008)



O Livro das Sombras Vol. 1: La Belle Sauvage
Philip Pullman
Suma
(2017)



Introdução ao Antigo Testamento Volumes 1 e 2
A. Bentzen
Aste
(1968)



Cartas (lacrado)
Graciliano Ramos
Record
(2011)





busca | avançada
56138 visitas/dia
1,8 milhão/mês