Meu 16 de Agosto | Julio Daio Bløg

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Tom Wolfe
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
Mais Recentes
>>> A Inquisicção de Sonia A Siqueira pela FTD (1998)
>>> Cartas Portuguesas de Nuno Júdice (edição e prefácio) pela Sibila (2019)
>>> O Amor todas as horas de Luiz Torlei Aragão pela Andre Quice (1996)
>>> Legado de Amor de Paulo Afonso Silva pela Cefak (2018)
>>> Parasitologia Humana e Seus Fundamentos Gerais de Sérgio Cimerman; Benjamin Cimerman pela Atheneu (1999)
>>> Proteção Internacional dos Direito Humanos de Emerson Garcia pela Lumen (2009)
>>> historia abreviada da UFC de antonio martins filho pela Unb (1996)
>>> A Ronda da Noite de Agustina Bessa-Luís pela Relógio D´Água (2019)
>>> Homens Que Não Conseguem Amar de Steven Carter & Julia Sokol pela Sextante (2009)
>>> O Café de Lenine de Nuno Júdice pela D. Quixote (2019)
>>> Terras de Sombras de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> Regência de Ossos de Marcelo Paschoalin pela Letra Impressa (2013)
>>> Pensamentos sem Fronteiras de Paulo Webber Gil pela Autografia (2017)
>>> O ano sabático de João Tordo pela Companhia das Letras (2018)
>>> Fábulas italianos de Italo Calvino pela Companhia de Bolso (1990)
>>> Golpe de Vista de V J Palaoro pela Atual (2010)
>>> Trilhas para o Rio de André Urani pela Campus (2008)
>>> Hotel Memória de João Tordo pela Companhia das Letras (2021)
>>> Ler, Viver e Amar de Jennifer Kaufman pela Casa da Palvra (2011)
>>> Mil Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> Pesquisa de Marketing de Carl Mcdaniel pela Cengage (2002)
>>> A Arte dos Relacionamentos Saudáveis e Duradouros de José Augusto Lima Goldoni pela Textos & Livros
>>> Lá Fora de Pedro Mexia pela Tinta-da-China (2020)
>>> O Nosso Jeito de Wiliam V. K. de Matos Silva pela Holy Acts
>>> A Conquista da Matemática 8 : Caderno de Atividades - Bncc de Giovanni pela Didáticos
BLOGS >>> Posts

Segunda-feira, 17/8/2015
Meu 16 de Agosto
Julio Daio Borges

+ de 4600 Acessos

A Carol me deixou na Brigadeiro com a Paulista. Ela e a Catarina iam para uma festa infantil em Moema. (Era mais fácil a Brigadeiro, a fim de coordenar as necessidades de todos...)

Segui pela Paulista em direção ao Masp. Confesso que não curti um pessoal cantando o Hino da Bandeira, em frente ao ex-prédio da Gazeta. Um sujeito vestido de militar - era de verdade? - pedindo "intervenção constitucional", em cima do carro de som. Me pareceu que havíamos voltado no tempo.

Logo à frente, um contraponto. O Bruno Torturra, do Mídia Ninja, com uma máquina fotográfica enorme na mão, tentando retratar um velhinho - fardado? - que carregava um cartaz pedindo "intervenção militar". Quase fotografei a cena e pus uma legenda: "Bruno Torturra, do Mídia Ninja, tenta provar - para a Folha - que a manifestação pede 'intervenção militar'". Mas não havia conexão ;-(

Eu queria achar um lugar onde houvesse Wi-Fi. Minha intenção era gravar um Periscope da manifestação. Já tinha quase desistido da ideia quando, cruzando em direção ao Masp, me apareceu um sinal de Wi-Fi do Starbucks, quase no Parque Trianon. Havia um, na Paulista com Peixoto Gomide... (Eu não sabia!) De lá, realizei minhas transmissões ;-)

Primeiro Periscope que eu gravo, quem me aparece? O Bruno, do Mídia Ninja! Pensei: "Não! Agora vou ter de entrevistar..." E entrevistei. Percebi, depois, que não gravou direito no meu celular. Espero que tenha gravado no Periscope...

"Bruno?". Ele foi simpático. Perguntei se estava pela Folha. Ele disse que não. Que estava pelo El País. "E o que você está achando?", eu perguntei. "Então... Eu vim para saber se mudou alguma coisa... Ou se as pessoas estão, aqui, pedindo as mesmas coisas das outras vezes..."

O Bruno não parecia muito confortável na manifestação. Mesmo trabalhando, estava morrendo de medo de ser confundido com um manifestante. No fim, quando soube para onde eu estava gravando, fez uma cara de preocupação. (Calma, Bruno, eu sei que o Mídia Ninja era uma joint-venture sua com o Capilé - aquele do programa da Dilma - e, embora você não faça mais parte, não vou dizer que você virou anti-PT...)

Ainda gravei outros dois Periscopes. E acho que o segundo foi o melhor. Embora, quando fui assistir, não tenha registrado 100% do que está no meu celular. Acredito que a conexão do Starbucks não tenha aguentado... Então, quem viu, viu. (Quem não viu: não sei se dá para recuperar...)

Foram 165 pessoas ao vivo comigo. Eu peguei um ângulo que mostrava o Masp atrás. Havia uma boa luminosidade. E eu praticamente registrei o vai e vem de manifestantes. Alguns expectadores - fazendo bullying - começaram a xingar os paulistas. E a falar: "Aí só tem rico".

Passou um ciclista e eu resolvi entrevistar. "Você é rico?", perguntei. "Eu, não", ele sorriu. "Ricos são aqueles que queremos tirar do poder - por corrupção. Que, inclusive, enriqueceram às nossas custas", concluiu.

Depois peguei um senhor mais velho: "O senhor é rico?", perguntei. Ele sorriu também: "Eu sou da classe média!". Depois peguei um afrodescendente. Ele elogiou o civismo do povo. Parecia articulado. E tinha um sotaque. Era angolano!

Por último entrevistei um sujeito que estava do meu lado: "Eu não sou rico, não. Eu trabalhei com você!". Não reconheci na hora. Pior que havia trabalhado comigo mesmo. No banco. No Banco Real. "Eu era da Controladoria do Brasil! Você não é o Julio?". Eu ri, sem graça.

Quase sem bateria, resolvi percorrer o resto da Paulista, mas era impossível. Acabei tendo de pegar a alameda Santos, para desviar do fluxo. Dizem que tinha menos gente do que em março - mas eu nunca vi tanta gente. Só consegui voltar para a Paulista muitos quarteirões depois... Estava intransitável.

Depois, pela internet, eu soube das outras cidades. Podem falar o que quiserem. Que foi menos gente, que foi "menor" que março. Na realidade, não importa. O importante é que é a terceira vez que se critica (tanto) um governo, e um governante. Três vezes no mesmo ano!

E sem apoio da mídia, que está dividida. E sem apoio da oposição, que está, igualmente, dividida. Eu sei, existem políticos que merecem o nosso apoio. Mas *não são* os políticos que estão organizando... É a sociedade civil!

Eu posso até não fazer parte desses grupos novos, e olhar, com reservas, para alguns líderes deles. Mas é inédito o que estão conseguindo, em termos de mobilização. E com toda a esquerda contra. O governo contra... E todo o aparelhamento - desde nem sei quando...

A grande fato novo não é a oposição, em Brasília. Nem o Aécio. Nem nada disso. Somos nós! São as pessoas que hoje foram à Paulista... E nas demais cidades. Isso não é Diretas Já. Isso não é 1992. É muito maior! É o grande legado da Dilma... Esta é a suprema ironia ;-)

Para ir além
Compartilhar


Postado por Julio Daio Borges
Em 17/8/2015 às 09h02


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Presidentes
Rodrigo Vizeu
Harper Collins
(2019)



A Poluição - Biblioteca Salvat de Grandes Temas - 1
Juan Senent
Salvat
(1979)



Tecnologia da Informação
Alberto Luiz Albertin / Rosa Maria de Moura
Atlas
(2004)



Juntos Nessa 2 - Portugues
Daniela Passos
Leya
(2014)



Do B - Crônicas Críticas para o Caderno B do Jornal do Brasil
Eugênio Bucci
Record
(2003)



O Piano e a Orquestra: Romance
Carlos Heitor Cony
Companhia das Letras
(1996)



Introdução ao Estudo da Filosofia
Antônio Xavier Teles
Ática
(1982)



Assistente de Administração 2 - Colégio Pedro II - nível médio
Emanuela Amaral de Souza
Nova Concursos
(2017)



Revista Bohemia 27 de Octubre 1989 Ano 81 No 43
Não Informado
Não Informado



Indomada
P. C. Cast e Kristin Cast
Intrínseca
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês