É para ter medo de Virginia Woolf | Blog do Carvalhal

busca | avançada
84380 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Nélio Silzantov, semifinalista do Jabuti de 2023, aborda geração nos anos 90
>>> PinForPeace realiza visita à Exposição “A Tragédia do Holocausto”
>>> ESTREIA ESPETÁCULO INFANTIL INSPIRADO NA TRAGÉDIA DE 31 DE JANEIRO DE 2022
>>> Documentário 'O Sal da Lagoa' estreia no Prime Box Brazil
>>> Mundo Suassuna viaja pelo sertão encantado do grande escritor brasileiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> Salve Jorge
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O escritor está nu
>>> Lamartine Babo e futebol, uma simbiose
>>> Quem é Daniel Lopes
>>> Arte é intriga
>>> Primavera e Jukebox
>>> 20 anos de Trapo
>>> Bonjour, tristesse
>>> Big Bang
>>> 2013: mulheres escritoras e suas artes
>>> Les Misérables
Mais Recentes
>>> Guia Completo Do Tricô de Denise Gianoglio pela Escala (2019)
>>> Livro Literatura Estrangeira Um luxo de Perfume de Roberto D’Angelo pela Caravana
>>> Educação Escolar das Relações Étnico-raciais de José Antônio Marçal, Silvia Maria Amorim Lima pela Intersaberes (2015)
>>> Batman - A Maldição do Caveliro Branco de Sean Murphy pela Panini Comics (2020)
>>> A Guardia Da Minha Irma de Jodi Picoult pela Verus (2011)
>>> Livro Psicologia Motivação, Liderança e Lucro A trilogia para uma empresa de sucesso de Marco Aurélio Ferreira Vianna pela Gente (1999)
>>> Heróis De Verdade: Pessoas Comuns Que Vivem Na Sua Essência de Roberto Shinyashiki pela Gente (2005)
>>> Leonardo Da Vinci E Seu Supercérebro de Michael Cox pela Seguinte (2004)
>>> Ponto de Criação - Contos e Crônicas de Temáticas Livre de Alfer Medeiros pela Andross (2016)
>>> Finding Sky Die Macht Der Seelen: Roman de Joss Stirling pela Dtv Verlagsgesellschaft (2014)
>>> A Menina Que Contava Histórias de Jodi Picoult pela Verus (2015)
>>> Livro Filosofia Platão de Nova Cultural Ltda. pela Nova Cultural Ltda. (2004)
>>> Prosperity? de Ken, Maura, Michael, Piper, John, Grudem, Wayne, Mbewe, Conrad Mbugua pela Acts Kenya (2016)
>>> Introdução a psicologia de Donald Olding Hebb pela Atheneu (1971)
>>> Livro Literatura Estrangeira Meridian Um romance sobre o movimento dos direitos civis e a luta das mulheres negras de Alice Walker pela José Olympio (2022)
>>> O Despertar de Snyder, Murphy pela Panini Comics
>>> Ensaios de Michel De Montaigne pela Edit 34 (2016)
>>> Livro Turismo Mil Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> Coleção Biblioteca Infantil Encyclopedia Britânica do Brasil 10 Livros do Eu + Das Cores + Animais + Formas + Palavras + Números + Animais + Tempo de Christine Timmons pela Encyclopedia Britannica do Brasil Publicações (1979)
>>> Diálogos Da Perplexidade de Bernardo Kucinski pela Fundacao Perseu Abramo (2009)
>>> Livro Literatura Brasileira O Sedutor do Sertão de Ariano Suassuna pela Nova Fronteira (2020)
>>> Introducao À Leitura De Hegel de Alexandre Kojève pela Contraponto (2014)
>>> Encontrando Deus em O Senhor dos Anéis de Kurt Bruner, Jim Ware pela Bompastor (2002)
>>> O Poder Da Mente de R. Stanganelli pela Martin Claret (2006)
>>> Livro Poluição do Ar Polêmica Coleção Polêmica de Samuel Murgel Branco; Eduardo Murgel pela Moderna (2004)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 30/8/2015
É para ter medo de Virginia Woolf
Guilherme Carvalhal
+ de 3000 Acessos



Um dos filmes mais perturbadores já realizados, Quem Tem Medo de Virginia Woolf (1966) é uma obra pesada dirigida pelo então estreante Mike Nichols, baseada na peça do dramaturgo Edward Albee. É um filme de apenas quatro personagens, que com um mínimo de cenas consegue passar uma mensagem demolidora e incomodar o espectador.

O nome da peça é uma alusão a Os Três Porquinhos e à frase Quem tem medo do lobo mau? (Who's Afraid Of The Big Bad Wolf?, no original). Ele retrata a temática do filme, a de pessoas que se afrontam com presunção querendo mostrar às demais sua superioridade.

O filme começa mostrando o casal Martha (Elizabeth Taylor) e George (Richard Burton), ambos em espetacular atuação. A maneira como os dois dialogam, cheios de agressividade, desrespeito e sarcasmo, mostra o nível disfuncional da relação. Martha conta que receberão a visita do casal Nick e Honey, com quem seu pai possui contatos, durante a noite e essa presença inesperada causa desconforto em seu marido, que aceita a contragosto.

Essa primeira cena já é fundamental para o desenrolar do filme. Martha é mostrada como uma mulher controladora e obsessiva, enquanto George é submisso, apesar de em vários momentos se defender à altura dos desmandos dela. O casal é de classe média alta, levando um estilo boêmio parecido com o das histórias de F. Scott Fitzgerald. Além disso, a discrepância financeira dá a tônica: George é professor universitário em uma universidade em que o pai de Martha é diretor. O estilo de vida deles é bancado pela família rica dela e George precisa agir de maneira servil para manter seu padrão.

Quando Nick e Honey chegam, os atritos entre George e Martha começam a se tornar mais evidentes. O nível de humilhação com o qual Martha trata seu marido vai criando uma atmosfera tensa, sendo que muitas vezes ele a responde. Então surge um detalhe fundamental que se permeia ao longo da história, um filho do casal sobre o qual nenhum dos dois falam em consenso.

Se Nick e Honey no começo surgem como um casal equilibrado, aos poucos suas idiossincrasias vão aparecendo, envolvidos pela loucura dos outros dois. Assim como George, Nick também é casado com uma esposa de família rica. Já Honey passou por uma gravidez psicológica, alimentando a mesma fantasia de Martha, a de possuir um filho que não existe. Ou seja, Nick e Honey surgem como uma versão mais nova de George e Martha.

Toda a história se desenrola em uma série de jogos e discussões, no qual humilhar o outro significa sair ganhando. Cada um dos personagens vai sendo revelado aos poucos nesse embate, envolvendo flertes não com um objetivo sexual, mas de causar danos ao outro. O próprio George levanta a sugestão de jogarem um jogo, mostrando como a relação entre eles é sustentada pela necessidade de se sair vitorioso.

A existência de um filho é um ponto central da história. As informações dadas sobre George e Martha a respeito do garoto são continuamente conflitantes, deixando uma brecha se ele existe de fato ou não. Esse ponto é uma das principais ideias do filme, a das relações humanas baseadas em ilusões, não havendo de fato um elo entre as pessoas. É isso o que sustenta a relação entre George e Martha e o que acaba resvalando em Nick e Honey, uma série de interesses e fantasias, relações tão frágeis em que mentiras e quimeras servem para preenchê-las.

O diretor Mike Nichols conseguiu reproduzir nas telas uma estética muito parecida com a do teatro. O filme conta com poucos cenários, se passando majoritariamente na sala de estar da casa de Martha e George. A estrutura baseada plenamente nos diálogos e nas interações entre os personagens ressoa muito à dramaturgia.

Quem Tem Medo de Virginia Woolf? foi um filme bastante premiado, levando cinco estatuetas do Oscar, incluindo o de melhor atriz para Elizabeth Taylor. Mike Nichols iniciou uma carreira produtiva, que deixaria outros filmes conhecidos como A Primeira Noite de Um Homem e Closer — Perto Demais. E logo de cara brindou o mundo com uma obra crua sobre relações humanas e sobre sua existência.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 30/8/2015 às 15h48

Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Em Busca da Espiritualidade
James Van Praagh
Sextante
(1999)



Os Presidentes - Afonso Pena
Hélio Silva
Grupo de Comunicação Três
(1983)



Arquitetos Do Brasil - Athie/Wohnrath
Varios autores
Victoria Books
(2008)



Tratado de Direito Processual Civil
Celso Marcelo de Oliveira
Juridica Brasileira
(2006)



Padre Nostro: Preghiera Della Liberazione Integrale
Leonardo Boff
Cittadella
(1989)



O Poder do Clímax - Fundamentos de Roteiro de Cinema e Tv
Luiz Carlos Maciel
Record
(2003)



Histórias À Brasileira A Donzela Guerreira e outras
Ana Maria Machado
Companhia Das Letrinhas
(2010)



Um Lugar para Todos
Thrity Umrigar
Nova Fronteira
(2008)



Contabilidade Introdutória - livro texto
Stephen Charles Kanitz; Sérgio De Iudícibus; Luiz Benatti
Atlas
(2011)



O Prazer Do Poema. Uma Antologia Pessoal
Ferreira Gullar
Edições De Janeiro
(2014)





busca | avançada
84380 visitas/dia
2,0 milhão/mês