Scott Weiland (1967-2015) | Blog de Luís Fernando Amâncio

busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Feriado, dia 20 :: Toni Garrido e Evandro Mesquita fazem show de graça na Laura Alvim em Ipanema
>>> Cadê a Criança que tava aqui? reestreia dia 5 de fevereiro no Alfa
>>> ENDURO A PÉ - CIRCUITO DE LAZER NO CENTRO
>>> Show 'Ana Cañas Canta Belchior' chega ao Teatro Bradesco em São Paulo
>>> SESI apresenta Filó Machado 60 Anos de Música no aniversário de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um monstro que ri
>>> Um monstro que ri
>>> Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Edward Snowden: a privacidade na era cibernética
>>> A Nouvelle Vague e Godard
>>> Livros que aproximam
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Brasil em Cannes
>>> The ultimate cure for startup
Mais Recentes
>>> The Hugo Winners de Isaac Asimov pela Penguin Books (1964)
>>> Força É a Nova Beleza de Kate T. Parker pela Rosa dos Tempos (2018)
>>> Turma da Mônica Jovem Vol. 09: o Sumiço do Cebola de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Monica Jovem Monstros do Id Parte 1 Vol 15 de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> A Grande Mentira de Nicholas Searle pela Record (2019)
>>> Animal Dreams de Barbara Kingsolver pela Harper Perennial (1990)
>>> Turma da Monica Jovem Vol. 11 - Ser Ou Não Ser? de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Criando Meninos de Steve Biddulph pela Fundamento (2004)
>>> Galileu e os Negadores da Ciência de Mario Livio pela Record (2021)
>>> Aloha-ha-ha! de Barbara Park pela Random House (2006)
>>> Signum: Estudo da Linguagem de Universidade Estadual de LondrinaUel pela Uel (1998)
>>> Harlequin Romance - No Need to Say Goodbye de Betty Neels pela Harlequin Books (1990)
>>> Tex Coleção Nº 54 de Bonelli pela Globo (1991)
>>> New Moon - Edição de Bolso de Stephenie Meyer pela Little Brown and Company - Us (2006)
>>> Twilight - Edição de Bolso de Stephenie Meyer pela Mt Books (2005)
>>> Tex Nº 139 de Bonelli pela Globo (1987)
>>> Food Wars 10 de Yuto Tsukuda pela Planeta Manga (2020)
>>> S - O Navio de Teseu de J. J. Abrams e Doug Dorst pela Intrínseca (2015)
>>> Tex Nº 316 de Bonelli pela Globo (1996)
>>> Star Wars Episode I - a Ameaça Fantasma 2 de Kia Asamiya pela Jbc (2002)
>>> O Livro dos Manuais de Paulo Coelho pela Do autor (2008)
>>> Curso de Inglês # Number One - Inglês Completo de Sérgio Barreto pela Skopos (2017)
BLOGS >>> Posts

Segunda-feira, 7/12/2015
Scott Weiland (1967-2015)
Luís Fernando Amâncio

+ de 3700 Acessos

Na pré-adolescência, ao ouvir no refrão de "Ideologia", do Cazuza, o trecho "meus heróis morreram de overdose/ meus inimigos estão no poder", eu imaginava um decadente Batman jogado num beco com uma seringa espetada no braço. Do outro lado, Pinguim ostentava a faixa de presidente da república, o Coringa estava no controle de multinacionais do capital financeiro, enquanto o Charada dominava a mídia. Seria o caos em Gothan City.

Com o passar dos anos, conheci heróis cuja morte por overdose é bem mais factível (embora, a bem da verdade, com esses mesmos anos a ideia de herói ficou restrita aos quadrinhos e filmes para mim). Se o Scott Weiland foi mais um que sucumbiu à dependência química, não se sabe oficialmente. Sua luta contra o vício, porém, era bastante pública.

E sempre que alguém morre nessas circunstâncias, não faltam discursos moralistas criminalizando o morto. Dependência química é uma doença que causa muito sofrimento para usuário e familiares. Recriminar o viciado, definitivamente, não ajuda.

Deixemos as especulações e julgamentos para veículos como o TMZ. Ganhamos mais reconhecendo o legado que Weiland deixou. Que foi bastante razoável para quem morreu aos 48 anos. Embora, quando o Stone Temple Pilots surgiu, em 1992, com o álbum Core, não tenham faltado críticas sugerindo que a banda era uma cópia fajuta do Pearl Jam. A voz rouca de Scott Weiland em "Plush" fez muita gente achar que Eddie Vedder havia cortado o cabelo. É verdade que as gravadoras nunca jogam para perder e que a sonoridade alinhada com a "moda grunge" ajudou a banda a emplacar. Mas Stone Temple Pilots não era um grupo fajuto, tampouco grunge — sequer eram de Seattle, mas de San Diego, na California. Quem ouviu a banda para além dos hits pode perceber isso. Core e seu sucessor, Purple (1994), venderam muito bem, emplacando sucessos como "Creep", "Vasoline", "Interstate Love Song", além da já mencionada "Plush".



A partir daí, os abusos de Weiland com drogas e álcool se tornaram públicos e afetaram a trajetória da banda. O terceiro álbum, Tiny Music... Songs from the Vatican Gift Shop (1996), é o melhor deles, em minha opinião. Livres da comparação com a cena musical de Seattle — que já não era moda — o grupo se aventurou por uma sonoridade mais livro, muito em função do talento dos irmãos Robert (baixo) e Dean (guitarra) DeLeo. Scott, por sua vez, também alterou um pouco seu registro vocal, que ficou mais agudo. As letras do álbum são afiadas. Tiny Music merece ser ouvido na íntegra.



Os álbuns seguintes, Nº 4 (1999) e Shangri-La Dee Da (2001), não são ruins, mas mostram uma banda já sem o entrosamento dos tempos áureos. Algumas turnês precisaram ser canceladas por conta dos problemas de Scott com seu vício. Até que o Stone Temple Pilots acabou em 2002. Eles retornariam em 2008, lançando, dois anos depois, o sexto álbum de estúdio, que seria o derradeiro com Scott. Em 2013, o vocalista foi demitido da banda, que desistia de lidar com sua instabilidade.



Scott Weiland também integrou a banda Velvet Revolver, com ex-integrantes do Guns'n Roses. O grupo esteve ativo entre 2002 e 2008 e prestou bons serviços ao hard rock. O vocalista também lançou quatro álbuns solos, inclusive um trabalho bastante digno neste ano, Blaster, como Scott Weiland & the Wildabouts.



Nos palcos, Scott Weiland foi um grande frontman, um dos maiores do rock. Ele serpenteava pelos palcos, agitando o corpo com a falta de inibição que sua posição requer. Um monstro nos shows, entretendo o público mesmo quando a voz apresentava algumas falhas inevitáveis para quem não cuida dela.

Por mais que Scott tivesse problemas para ficar sóbrio, no fundo seus fãs cultivavam esperanças de que ele venceria a luta e retornaria ao vigor dos anos 1990. Não aconteceu e é uma pena. Algumas batalhas são vencidas pela trupe do Coringa, infelizmente. Mas o Batman há de seguir firme na guerra.


Postado por Luís Fernando Amâncio
Em 7/12/2015 às 11h35


Mais Blog de Luís Fernando Amâncio
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Revisão do Cristianismo Série Pensamento da era Cósmica Vol 1
J. Herculano Pires
Paidéia
(1977)



O Primo Basílio
Eça de Queirós
Klick



A história da princesa isabel
Regina Echeverria
Versal
(2014)



A Leitura Em Questão
Jean Foucambert
Artes Medicas



Mysteries of the World
Herbert Genzmer
Parragon
(2010)



Dormir Bem Com Plantas Medicinais
Jaap Huibers
Hemus
(1983)



Curso de Direito Penal - Parte Especial Volume II
Rogerio Greco
Impetus
(2015)



Aluísio Azevedo Literatura Comentada
Antonio Dimas
Abril
(1980)



Formação Econômica do Brasil
Celso Furtado
Companhia Nacional
(1974)



Depois do Funeral
Agatha Christie
Círculo do Livro





busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês