A cigana leu o meu destino | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 6/1/2016
A cigana leu o meu destino
ANDRÉ LUIZ ALVEZ

+ de 700 Acessos

No testamento da Madame de Pompadour está escrito: "Deem seiscentas libras para a Madame Lebon, por ter-me dito, quando tinha nove anos de idade, que um dia eu seria amante de Luis XV."

Outros relatos assim estão espalhados pela história.

Mas será que alguns seres humanos conseguem mesmo enxergar o futuro?

Quem nunca teve uma experiência de adivinhação?

Eu devia ter quatorze anos e era domingo.

Juntei dinheiro a semana toda pra comprar uma coca-cola no empório que ficava no fim do caminho entre a minha casa e um acampamento de ciganos.

Eu tinha medo de ciganos.

Falavam que eles tinham trato com o demônio.

Sempre tive medo do demônio.

A minha cabeça estava em outras bandas quando dei de frente com o rosto mais lindo que tinha visto até então.

Pensei mudar de lado de calçada, mas fui fisgado por aquele olhar um tanto obliquo.

Eu era jovem demais, indefeso demais, bobo demais.

Quando dei por mim, já estava diante daqueles cabelos louros que caiam a todo instante pela testa e que tentavam, em vão, esconder o belo par de olhos verdes, tão intensos que jamais revi outro igual.

"venha, deixe-me ler a sua mão."

Tinha voz de adulta e era uma menina cigana, mistura de anjo, demônio e sereia.

Alisou minhas mãos por alguns momentos e naquela idade tudo o que eu conseguia imaginar era nós dois correndo numa campina, eu atrás dela, que gritava de alegria tentando escapar, de mim e da chuva que desabou, molhando seus cabelos, tornando-a ainda mais bela, sonho bom que durou pouco, encerrado num puxão de braços que ela me deu e que me obrigou a levantar minhas vistas dando de encontro com seu rosto de pedra.

Garoto é mesmo bicho bobo, obedeci a tudo, calado, tentando conter um risinho de canto de boca.

Ela tinha o olhar tão gelado que logo desarmou minhas intenções.

Iniciou a visão do futuro arregalando os enormes olhos verdes até um lugar que só ela enxergava e que ficava logo atrás de mim, a voz foi saindo trêmula e os olhos mantidos fixos no mesmo lugar, como se encarasse a caverna de Platão:

"você vai se casar com uma amiga de infância, terão quatro filhos, duas meninas, dois meninos, vai se mudar de cidade e terás um escritório".

Só acertou que eu teria um escritório.

E como com tudo eu concordava, limpou com as costas da mão o fio de suor que lhe escorreu na testa, banhando os cabelos louros, fazendo com que seus olhos invadissem de vez os meus:

"agora coloque um dinheiro na minha mão e feche os olhos".

Na perdição do encantamento, coloquei todo o dinheiro que tinha, poucos antes que uma inquietante pergunta me percorresse de forma arrasadora: havia outro ditado sobre os ciganos, algo ainda mais tolo, dizia que eles costumavam raptar crianças e jovens e os transformar em escravos, e aquele pensamento terrível me dominou por completo, fazendo surgir em todo o meu corpo a sudorese incontrolável que foi tomando conta de mim.

No desespero do momento eu quis correr.

Ela percebeu e, apressada, danou a prever um monte de coisas boas, jogando-me no colo as riquezas do mundo, que hoje, recordar me causa riso.

Fui embora avisado que morreria bem velhinho e que não me preocupasse com dinheiro, que viria naturalmente no futuro, aos montes.

Acreditei tanto que só depois de horas fui me lembrar do dinheiro que deixei nas mãos da menina cigana.

Era tudo o que eu tinha e sequer comprei a coca cola.

Eu era (e ainda sou) viciado em coca cola.

Pensei voltar pelo mesmo caminho para lhe pedir um troco e que me cobrasse o resto no futuro, quando, afinal, segundo ela, eu teria dinheiro sobrando.

Faltou coragem.

No fim do terceiro dia os ciganos se foram e o que me restou foi aquele rosto lindo, sem retoques, que hoje, mesmo com o passar dos anos, lembro-me de cada detalhe, até mesmo das sardas.

Nunca mais tentei saber sobre o futuro, nem mesmo nessa fase de tempo, que um novo ano se inicia.

Sigo acreditando no concreto, carregado pela forte impressão que somos embalados pelos movimentos do destino, desfilando pela estrada do futuro, que é reta e lisa às vezes, esburacadas noutros momentos, cortada por diversas esquinas e transversais.

Ou talvez o caminho seja um rio, no qual navegamos em águas turbulentas, que logo se transformam em trechos mansos e é preciso desviar das cachoeiras e evitar os rebojos.

Se não estivesse cansado de tanto filosofar, terminaria por dizer que o timoneiro desse navio obedece ao nosso comando e, portanto, tudo se resume à dependência de nossas escolhas e atitudes.

Enfim, somos nós que escrevemos o nosso futuro, que muitas vezes passa pelo imponderável, dessas coisas invisíveis que nenhum vidente jamais conseguirá enxergar.

E um átimo de pensamento me ocorre, junto com a vontade louca de beber coca cola: será que aquela cigana ainda está por ai a agarrar num puxão os braços de garotos desavisados?

Será que se lembra de mim, ou já é muito tarde pra reclamar o meu troco?...


Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 6/1/2016 às 16h48


Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INSPETOR, MATE ESTA
JOYCE PORTER
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1966)
R$ 4,37



SE LIGA NESSA - VOCÊ E O TRABALHO
BRUNO PORTO/ MARIANA AMARAL E BILLY BACON
SENAC
(2007)
R$ 10,00



IMPACTO TRIBUTÁRIO DO NOVO CÓDIGO CIVIL
EDUARDO DE CARVALHO BORGES
QUARTIER LATIN
(2004)
R$ 14,00



BRASIL TERRA VERDEAL!
MARTINS FONTES
N/D
R$ 30,00



ENSINAMENTOS SOBRE O AMOR
THICH NHAT HANH

R$ 50,00



A DIETA DA SUPERENERGIA DO DR. ATKINS
ROBERTA C . ATKINS / SHIRLEY LINDE
CIRCULO DO LIVRO
R$ 10,00



OS AMANTES DE ESTOCOLMO
ROBERTO AMPUERO
PLANETA
(2007)
R$ 11,90



O CONTO BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO
ALFREDO BOSI
CULTRIX
(1968)
R$ 15,00



AVENTURAS DO ESCOTEIRO BILA
ODETTE DE BARROS MOTT
ATUAL
(1993)
R$ 4,00



PARA SEMPRE
KIM E KRICKITT CARPENTER
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 17,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês