A imponderável leveza do ser | Blog de Marco Garcia

busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> OSC Usina da Imaginação, de SC, apresenta obras de crianças e jovens produzidas na pandemia
>>> Poeta paulista lança “O que habita inabitáveis lugares” abordando as relações humanas durante a pand
>>> Biografias e Microrroteiros do Parque
>>> MONUMENTOS NA ARTE: O OBJETO ESCULTÓRICO E A CRISE ESTÉTICA DA REPRESENTAÇÃO
>>> Cia Triptal faz ensaios abertos para Pedreira das Almas, de Jorge Andrade
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O lado A e o lado B de Durval Discos
>>> Stabat Mater, de Giovanni Battista Pergolesi
>>> Açaí com jabá - curta-metragem
>>> End User: We read the manuals
>>> Vivo
>>> Águas de Março
>>> Quando o virtual cai na real
>>> Um Amor Anarquista
>>> ego shots fazem bem à saúde
>>> Curso de Criação Literária
Mais Recentes
>>> Tex Nº 247 de G. L. Bonelli pela Globo (1990)
>>> Os gansos selvagens de Bassan de Anne Hébert pela Guanabara (1986)
>>> Tex Nº 244 de G. L. Bonelli pela Globo (1990)
>>> Deixemos falar o vento de Juan Carlos Onetti pela Francisco Alves (1981)
>>> Tex Coleção Nº 125 de G. L. Bonelli pela Globo (1997)
>>> Tex Nº 303 de G. L. Bonelli pela Globo (1994)
>>> Tex Coleção Nº 33 de G. L. Bonelli pela Globo (1989)
>>> A Sutil Arte de Ligar o Foda-se de Mark Manson pela Intrinseca (2017)
>>> Desenho Mecânico de José Oliveira, Luiz Fiorani, Luiz Junior e Luiz Bonasi pela Tetra
>>> Desenho Técnico de José Oliveira, Luiz Fiorani, Luiz Junior e Luiz Bonasi pela Tetra
>>> História da gastronomia paulista de História da gastronomia paulista pela Sem
>>> Resgate de um cão de Patricia Highsmith pela Brasiliense (1989)
>>> O resgate do tigre de Colleen Houck pela Arqueiro (2012)
>>> Small G de Patricia Highsmith pela Mandarim (1996)
>>> As Brumas de Avalon - A Grande Rainha - livro 2 de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1989)
>>> O amor não tem limites de Amadeu Ribeiro pela Vida & Consciência (2013)
>>> Fabulosos X-Men: Revolução de Brian Michael Bendis pela Panini Comics (2015)
>>> As Brumas de Avalon - A Senhora da Magia - livro 1 de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1989)
>>> O diário de Edith de Patricia Highsmith pela Brasiliense (1989)
>>> Desperta ao amanhecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> O grito da coruja de Patricia Highsmith pela Brasiliense (1988)
>>> A maldição do tigre de Colleen Houck pela Arqueiro (2011)
>>> Cela de vidro de Patricia Highsmith pela Brasiliense (1990)
>>> Thor: Em Nome do Pai de J. Michael Straczynski pela Panini Comics (2012)
>>> O manual do bruxo de Allan Zola Kronzek pela Sextante (2003)
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 15/12/2016
A imponderável leveza do ser
Marco Garcia

+ de 2500 Acessos

Charles nasceu num lugar distante. Uma pequena vila de casas simples, separadas por extensos terrenos de terra batida, no interior de Alagoas.

Tudo que viveu até os 14 anos foi dificuldade. Seu pai era marchante, a mãe, de casa. As condições familiares haviam lhe privado de muitas coisas que um dia sonhou ter.

Por exemplo, sempre quis ter uma bicicleta, para desbravar as ruas de terra até o pé do Morro do Pneu – nunca soube a razão deste nome.

Por mais que implorasse, seu pai sempre lhe dissuadia da ideia de ganhar seu objeto de desejo sobre duas rodas. Mesmo quando o borracheiro do lugar, de tempos em tempos, lhe avisasse de uma bicicleta usada para vender.

Seus brinquedos se resumiam a coisas banais. Era uma caixa de sapatos com tampas de garrafas, bolinhas de frascos de desodorante e bumerangues de caixas de ovos.

Certo dia pela manhã, quando foi à venda comprar pão, viu um casal bem arrumado tentando se fazer entender com o dono da bodega. O velho comerciante, nervoso e suado, gesticulava, avisando que não entendia nada do que eles diziam.

Charles esqueceu que seus pais o aguardavam com o café na mesa e se encantou com aquelas frases enigmáticas. Parecia o homem de bigodinho engraçado do filme que havia assistido na casa do vizinho.

Quando, finalmente, o casal saiu da mercearia, ouviu o dono dizer:

- Sei pouco do Português, que dirá o Alemão, ora bolas?

Alemão.

Essa língua estranha passaria a ser a nova obsessão de Charles. Queria entender e falar bonito igual aos ‘loiros’ da bodega. Mas como, se nem uma bicicleta seu pai podia lhe dar?

Conversando com um amigo, soube de uma professora que dominava algumas palavras daquele idioma. Mas o lugar onde ela ensinava era longe e jamais seus pais permitiriam que se distanciasse mais que um quilômetro de casa.

E não adiantava resmungar.

Mesmo assim, bolou uma estratégia para chegar até a professora, que lhe incutiria na mente umas lindas frases da Alemanha.

Havia uma possível saída. Tinha o caminhão de entrega que passava sempre às quartas-feiras pela vila. Poderia pedir carona. Mas o motorista, certeza, recusaria. O mandaria ir para casa. Sem calcular os riscos que correria, Charles resolveu ir escondido.

Assim que os entregadores deixaram a última caixa de bebida na bodega, ele subiu e se acomodou entre os engradados. Ficou feliz e ao mesmo tempo amedrontado quando o motor roncou e o veículo arrancou. Quis descer, mas já era tarde.

Agora vou, pensou.

No caminho, foi imaginando como se apresentaria à professora e de que maneira tentaria convencê-la a lhe dar aulas de Alemão, já que não possuía nem uma moeda. Ia dizer que o Padre o enviara. Por certo ela não rejeitaria tão religioso pedido.

Quando avistou as primeiras casas, sentiu ser o momento ideal para desembarcar. De que jeito? O caminhão por certo não iria parar antes de chegar à fábrica, e ele precisava descer e rápido.

Se levantou e, no momento em que iria se apoiar na carroceria, o veículo deu um solavanco e Charles, desequilibrado, foi arremessado para fora. Caiu. Acidente feio. Bateu a cabeça no meio fio. Desacordou.

Uma ambulância o socorreu para o hospital e ele teve que ser operado às pressas. O estado era grave. Na queda, o impacto abriu-lhe uma fenda na testa, que fez escorrer parte da massa encefálica.

Operou. Foram horas e horas de cirurgias para salvar sua vida. Todas no cérebro. Poucos dias depois nova operação. Os médicos o reoperaram seguidas vezes. Tudo minucioso para restar o mínimo de sequelas. E tudo saiu dentro do esperado.

Da UTI, Charles partiu para uma área Semi-Intensiva e, dali, para o quarto. 15 dias após o acidente, chegou a vez das visitas. Seus pais, emocionados, entraram e sua mãe foi logo lhe dizendo:

- Meu filho, que bom que você está vivo!

Charles olhou para o pai, observou o semblante feliz da mãe, puxou a enfermeira pelo braço e perguntou:

Mädchen, die diese beiden Menschen und was soll ich in diesem Krankenhaus zu tun?

*Marco Garcia é jornalista paulistano. Mora em Fortaleza.


Postado por Marco Garcia
Em 15/12/2016 às 16h05


Mais Blog de Marco Garcia
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Teoria e Prática da Ação Possessória
Christiano Almeida do Valle
Aide
(1985)



Dicionário de Pintores Brasileiros 2 Vol.
Vários
Spala Bozano Simonsen
(1986)



Francisco candido xavier
Fonte viva pelo espirito emmanuel
Feb
(1972)



Desenho para o Curso Colegial
Sennem Bandeira
Aurora
(1957)



Sexo x Afeto - o Grande Desafio
Sheiva Cherman
Sathya



As Max Saw It
Louis Begley
Knopf
(1994)



Ultrapassando limites
Annie Bryant
Fundamento
(2010)



No Inferno
George P. Pelecanos
Companhia das Letras
(2008)



A Odisseia - Coleção Mitologia Helênica
Homero; Tradução: Menelaos Stephanides
Odysseus
(2011)



As melhores histórias da mitologia
A.S. Franchini
L&Pm
(2012)





busca | avançada
72073 visitas/dia
1,8 milhão/mês