Cada dia mais jovem - um retrato de minha mãe | Blog da Monipin

busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
Mais Recentes
>>> A Revoada dos Anjos de Minas de J. D. Vital pela Autêntica (2016)
>>> A Verdade Sobre o Talento de Jacqueline Davies, Jaremy Kourdi pela Dvs (2013)
>>> Jogos Pedagógicos e Histórias de Vida (lacrado) de Cristina Jorge Dias. pela Loyola (2013)
>>> O livro dos desafios 2 de Charles Barry Townsend pela Ediouro (2004)
>>> Turma da Mônica uma Aventura no Teatro de Fantoches N 51 de Mauricio de Sousa pela Panini Comics
>>> Maximize o poder do seu cérebro - 1000 maneiras de deixar sua mente em forma de Ken Russel e Philip Carter pela Madras (2008)
>>> A hospedeira de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Política Econômica de José Francisco Camargo pela Atlas (1967)
>>> Dicas de Como Chegar Lá! de Ernesto Haberkorn pela Circuito Netas (2016)
>>> O Brasil Republicano - o Tempo da Ditadura - Vol. 4 de Jorge Ferreira, Lucilia de Almeida Delgado pela Civilização Brasileira (2003)
>>> Imagem Profissional de Anna Cooper pela Cengage (2008)
>>> Novas comédias da vida privada de Luis Fernando Verissimo pela L&Pm Editores (1996)
>>> Pacientes Que Curam - o Cotidiano de uma Medica do Sus de Julia Rocha pela Civilização Brasileira (2019)
>>> Submarino de Joe Dunthorne pela Galera Record (2011)
>>> Dicionário de Conceitos e Pensamentos de Rui Barbosa de Luiz Rezende de Andrade Ribeiro pela Edart
>>> Reforma do Código de Processo Civil de Sálvio de Figueiredo Teixeira pela Saraiva (1996)
>>> Dez Anos Que Abalaram o Brasil (lacrado) de João Sicsú pela Geração Editorial (2013)
>>> Os Novos 52 - Universo Dc - Nº 18 - Réquiem de Dc Comics pela Panini
>>> Cinquenta tons de liberdade 3 de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> Aplausos à Vida de Frei Xavier pela N/d
>>> Arquitetura e Suas Particularidades - a Beleza da Itália - Vol II de Eliete de Pinho Araújo pela Kiron (2016)
>>> Direito Constitucional Ambiental Ibero-americano de André Saddy, José Eugênio Soriano Garcia pela Lumen Juris (2016)
>>> Marvel Max N°18 Intimidade de Brian Michael Bendis pela Panini Comics
>>> Como Se Estivéssemos Em Palimpsesto de Putas de Elvira Vigna pela Companhia das Letras (2016)
>>> O chamado do cuco de Robert Galbraith pela Rocco (2013)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 9/4/2017
Cada dia mais jovem - um retrato de minha mãe
Monica Cotrim

+ de 2200 Acessos

Acordei com a sensação de ter dormido mais do que deveria. Ainda deitada, lembrei num sobressalto de que, nesse dia, estava fazendo oito anos que minha mãe se havia ido. "Que estranho, parece que já faz mais tempo", pensei comigo mesma, ainda sonolenta, esforçando-me mentalmente para confirmar contas e datas. Já com os pés firmes no chão, estanquei num susto: "Epa! Não faz somente oito, mas dezoito anos!" Refiz as contas e vi que, de fato, já se havia passado todo aquele tempo desde que mamãe e eu havíamos estado juntas pela última vez. Como foi que pude me enganar numa conta dessas - um erro de nada menos do que uma década inteira, a contar de uma data tão importante na minha vida?

O passar do tempo tem uma relatividade afetiva que nem todas as teorias einsteinianas são capazes de desvendar. Dez anos a mais ou a menos causam grande impacto em qualquer agenda pessoal, mas agora descobri que podem significar muito pouco no nosso calendário emocional.

Passei o dia pensando naquela mulher alegre, espontânea e bem humorada, que me trouxe ao mundo. Batizada como Maria do Carmo, era chamada pelos pais e pelos cinco irmãos de Carmita e, por muitos de seus amigos, conhecida simplesmente como Mariazinha.

Como era desejável entre as mulheres de sua geração, mamãe se casou cedo e engravidou logo em seguida, deixando o trabalho de secretária no recém-inaugurado Hospital dos Servidores do Estado para cuidar da família. Antes mesmo de meus pais completarem um ano de casados, eu já havia nascido. Poucos dias depois de completar meu primeiro ano de vida, minha irmã Angela nasceu. Não me lembro de nenhum dia de minha infância em que mamãe não estivesse lá ao nosso lado, disponível e atenta.

Mamãe era divertida. Gostava de participar das nossas brincadeiras e, muitas vezes, era mais "moleca" do que as próprias filhas. Lembro-me especialmente de uma noite em que papai estava dando plantão no hospital e, depois do jantar, mamãe colocou na "vitrola" um disco de marchinhas de carnaval que ela adorava. Ficamos as três dançando na sala, cantando alto e rindo às gargalhadas até tarde, muito além do horário previsto - jamais discutido ou negociável - da gente ir para a cama. Foi uma das melhores noites da minha infância.

Nas férias de verão, era ela quem nos levava todos os dias à praia. No mar, quando a gente insistia em avançar de encontro à rebentação, ela nos levava "até o fundo", onde as ondas nos davam imensos "caldos", dos quais emergíamos em risadas resfolegantes, os fundilhos de nossos maiôs pesados de areia.

Às vezes mamãe deixava à mostra seu lado inseguro - o que, aos olhos de uma filha, tinha um efeito intrigante. Orgulhava-se, por exemplo, de ter passado "de primeira" no exame para obter a carteira de motorista, mas depois disso jamais teve coragem de dirigir um carro sozinha.

O prazer de cozinhar lhe veio mais tarde na vida, já com as filhas casadas, e mudou a rotina da família. Mamãe preparava almoços caprichados nos fins de semana, em geral com pratos que lhe traziam boas lembranças da infância no Maranhão. Farinha d'água, molho de pimenta ardida e doce de sapoti eram motivo de intermináveis conversas à mesa. Ninguém fazia fritada de camarão ou caruru melhor do que ela.

A chegada dos quatro netos encheu sua vida de novas cores e alegrias. Bordou carinhosamente lindos tapetes arraiolos para os quartos dos bebês, pintou camisetas com estampas engraçadas, jogou Mico Preto e biriba com a garotada, assistiu dezenas de vezes ao musical Noviça Rebelde em videocassete e às aventuras dos Trapalhões e do Sítio do Picapau Amarelo na TV. O banho na banheira da vovó era outra atividade memorável na rotina familiar das crianças.

Com o passar dos anos, vieram problemas de saúde e preocupações diversas que, aos poucos, invadiram seu coração. Poucas semanas depois de completar setenta anos de idade, ela faleceu de repente, sem tempo para se despedir nem dar trabalho a ninguém. Recebi a notícia inesperada pelo telefone de minha casa na Flórida, bem na hora do jantar. Não tive tempo a perder, nem mesmo para absorver a ideia completamente absurda de que minha mãe tinha morrido naquele dia. Joguei apressadamente algumas roupas na mala e rumei direto ao aeroporto. Em pouco mais de duas horas, já estava a bordo do avião que me levaria ao Rio de Janeiro, justo a tempo para o enterro. Sozinha e no escuro, viajando a noite inteira acordada, pude finalmente fazer uma parada interior para, emocionalmente exausta, tentar absorver o que estava acontecendo ao meu redor.

Tudo isso aconteceu há exatos dezoito anos. Ou seriam mesmo só oito? De qualquer maneira, que diferença faz medir o tempo de calendário com precisão absoluta, quando o tempo do coração faz o que bem entender?

De repente me dou conta de um fato curioso: à medida que o tempo avança, a lembrança que tenho de minha mãe vai-se modificando. Rugas e lágrimas dissolvem-se aos poucos na minha memória até desaparecerem por completo. E mamãe se torna cada dia mais jovem, mais bonita e mais feliz.





Essa transformação gradual, tão delicada e bem vinda, me tranquiliza o coração.


Postado por Monica Cotrim
Em 9/4/2017 às 11h52


Mais Blog da Monipin
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Filosofia para Jovens - uma Iniciação à Filosofia
Maria Luiza Siveira Teles
Vozes
(2004)



Recanto de Paz
Luiz Gustavo
Panorama



Tempo de Aprender
Jessamyn West
Cultrix
(1955)



Antologia da Literatura Brasileira Textos Comentados Vol1
Desconhecido
Marco
(1979)



Viva com esperança
Mark Finley e Peter Landless
Casa Publicadora Brasileira
(2014)



Diários de Guerra Vozes Roubadas
Zlata Filipovic e Melanie Challenger
Seguinte
(2008)



Nos Rastros da Utopia
Manoel de Andrade
Escrituras
(2014)



O Trono no Morro
José J Veiga
Ática
(1991)



Schloss Landsberg
Gisbert Knopp
Thyssenkrupp Ag



O Culto Moderno dos Monumentos: A Sua Essência e Sua Origem
Alois Riegl
Perspectiva
(2019)





busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês