A máquina de escrever. | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
62339 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projetos culturais e acessibilidade em arte-educação em cursos gratuitos
>>> Indígenas é tema de exposição de Dani Sandrini no SESI Itapetininga
>>> SESI A.E. Carvalho recebe As Conchambranças de Quaderna, de Suassuna, em sessões gratuitas
>>> Sesc Belenzinho recebe cantora brasiliense Janine Mathias
>>> Natália Carreira faz show de lançamento de 'Mar Calmo' no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
Colunistas
Últimos Posts
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
>>> Como declarar ações no IR
Últimos Posts
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
>>> Sexta-feira santa de Jesus Cristo.
>>> Fé e dúvida
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Download: The True Story of the Internet
>>> Mistério em Moscou
>>> Sideways Rain: Pausa, Choque, Fluxo e Corpo
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> Bowie, David
>>> A guerra das legendas e o risco da intolerância
>>> À beira do caminho
>>> Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito
>>> Vale Emprego
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
Mais Recentes
>>> Piadas Nerds: o Melhor Aluno da Classe Tambem Sabe de Ivan Baroni; Paulo Pourrat; Luiz Fernando G pela Verus (2011)
>>> Garota, Mulher, Outras de Bernardine Evaristo pela Companhia das Letras (2020)
>>> Gestão Empresarial na Prática VI Síntese dos Melhores Trabalhos de Dr. Almir Ferreira de Sousa e Outros pela Akademika (2011)
>>> Veredas do coração de Irapuan de Carvalho pelo espírito Bezerra de Menezes pela Acaocrista (2010)
>>> O Elogio ao Ócio de Bertrand Russell pela Sextante (2002)
>>> A Nova Estratégia do Marketing - Atendimento ao Cliente de Ron Zemke / Dick Schaaf pela Harbra
>>> Memórias de um Suicida de Yvonne A. Pereira pela Federação Espírita Brasileira (2013)
>>> Horta é Saúde de Edições Guia Rural pela Abril
>>> Histórias de Executivos dos Rhs Mais Admirados de Diversos Autores pela Leader
>>> O poder do subconsciente de Joseph Murphy pela Record
>>> Delegado por vocação de Benedito Nunes Dias pela Sem
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Atica (1996)
>>> A identidade do homem: uma exploração arqueológica de Grahame Clark pela Jorge Zahar (1985)
>>> Estruturas de Dados e Algoritmos Em Javascript de Loiane Groner pela Novatec (2017)
>>> Fundamentos da Filosofia de Marxista Leninist pela Sem (1987)
>>> Building Wealth de Lester C. Thurow pela Harper Usa (2000)
>>> Viagens fora do corpo de Robert A. Monroe pela Record
>>> Os Exiliados da Capela de Edgard Armond pela Aliança (1999)
>>> A arqueologia misteriosa de Michel Claude Touchard pela 70 (1972)
>>> Tudo Que Você Precisa Saber Sobre Arte Moderna de Marina Dana Rodna pela Ediouro (1994)
>>> Diga-me Seu Nome e Direi Quem Você é de Aparecida Liberato; Beto Junqueira pela Sextante (2007)
>>> De Olho no Dinheiro de Paulo Henrique Amorim pela Globo
>>> A Estrutura da bolha de sabão de Lygia Fagundes Telles pela Círculo do Livro (1991)
>>> O Primo Basílio - Coleção Bom Livro de Bartolomeu Campos Queirós pela Atica (1999)
>>> O Cavaleiro preso na armadura de Robert Fisher pela Record (2002)
BLOGS >>> Posts

Sábado, 21/10/2017
A máquina de escrever.
ANDRÉ LUIZ ALVEZ

+ de 4900 Acessos

Não são normais os impulsos que me arrastam até bem perto de coisas antigas.

Se pudesse, moraria num antiquário, faria de velhos livros travesseiro, ouviria discos de vinil e manteria o olhar sereno, a voz calada, até ganhar a confiança da máquina de escrever jogada no canto fundo da loja, quase sem cor, num modo de mágoa, como se me cobrasse os tantos anos sem uma única visita.

Se houvesse gravado o instante do primeiro som das teclas invadindo meus ouvidos, ele não seria tão real como agora, quando aliso a máquina de escrever e apago o resto do mundo.

É aquele momento que o tempo – esse velho canalha e banguela – me arrasta até o ano de 1982.

Eu era um tímido rapaz do corpo esticado e dos cabelos ruins, repleto de ideais nunca concretizados.

A lida como aprendiz de ourives já havia me mostrado que eu não tinha habilidade suficiente para vencer naquela profissão.

Meu mestre, Gilberto Billerbeck, me falava, armado no seu assustador jeito sincero, quase todos os dias: “seu destino não é o metal, é o papel”.

Ele sabia o que falava: o alicate e as demais ferramentas judiavam das minhas mãos finas.

Eu precisava aprender a datilografar.

Ainda lembro com perfeição o lamber de dedos contando o dinheiro da matrícula, guardado na paciência de um monge, e a euforia assim que pude me sentar diante daquela que considerei a mais perfeita invenção de todos os tempos: a máquina de escrever.

O sistema quwrty logo dominei, em pouco tempo conseguia datilografar mais de quinhentos toques por minuto.

Aprendi ligeiro todos os movimentos, os dedos afundando as teclas, as mãos ágeis, quase um tapa, movimentando a alavanca, passando o carro para a linha de baixo, formando outro barulho inesquecível, como se fosse o eterno bater d'asas de um belíssimo pássaro. Tlec, tlec, tletlec, rec, rec, vupt!...

Era um tempo de medos, incertezas e tenebrosos segredos, daquelas coisas que só se confessa ao vento, mas naquele momento, o papel branco bem à frente dos olhos, pedia registros.

Escrevi desabafos no ritmo do barulho da máquina de escrever e depois joguei tudo no lixo.

Ah, que saudosismo bobo é esse provocando um fio fino de lágrima, quente e salgada, a riscar os meus olhos?

Ainda bem que não tem ninguém por perto

– eu choro, mas tenho vergonha – e lembro, naqueles tempos, os comandos usavam fardas.

Às favas com o seu autoritarismo!

Escrevi certa vez, marcando com tinta vermelha o papel virgem e branco, e depois completei, quase uma facada certeira na opressão, “se oprime o meu livre pensar e minha maneira de me expressar, és então meu inimigo!” frase forte que logo depois apaguei, com medo de perder várias coisas, principalmente me impedissem de escrever.

Anos depois, tornei a datilografar, na mesma letra vermelha e papel branco: Vencemos!”

Será?

. E foi na máquina de escrever o meu primeiro verso, torto, sem sentido, desprovido de sutilezas e ele também apaguei para nunca mais me aventurar em poesias, assim como elimineis com várias batidas na tecla X as sensações inconfessáveis que moça dos cabelos caracolados e boca carnuda, moradora da casa na esquina, me provocava.

Nem lembro mais o nome dela...

E agora, nesse canto úmido da loja de antiguidades, aliso com a ponta dos dedos o teclado da máquina de escrever e uma montanha de pensamentos me invade; quem sabe no futuro eu perca o resto de medo e escreva nela sobre tudo o que vivi - o corpo lasso, mas a mente sadia - somente para ouvir de novo aqueles barulhos confidentes de outrora e alimentar meu coração saudoso, sedento da vida, do ancião que desmorona e ainda guarda lembranças, doces, amargas, repletas de espantos, coisas que desde muito moço carrego e hoje já não me avassala.

Tlec, tlec, tletlec, rec, rec, vupt!...

Saí da loja de antiguidades levando nos braços a velha máquina de escrever, ansioso como um menino pobre que ganha um brinquedo.


Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 21/10/2017 às 14h32


Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Manual das rescisões trabalhistas
Julpiano Chaves Cortez
Ltr
(1993)



Désirée, Wife of Marshal Bernadotte
Aneemarie Selinko
Longman
(1977)



Le Symbole Perdu
Dan Brown
Livre de Poche
(2009)



A Festa na Fazenda
Márcio Hegenberg
Maltese
(1991)



Sonhos Incriveis: uma Historia de Ninar 1ªed. 1ªimpressão(2009)
Paul Frank, Lavinia Favero
Atica
(2009)



O Tempo Entre Costuras
María Dueñas
Planeta
(2010)



História - 1 - para o Ensino Médio - Coleção Compacta
Ricardo / Adhemar / Flávio

(1998)



A Moreninha
Joaquim Manuel de Macedo
Círculo do Livro



Jarbas Maranhão - o Legado Centenário de Probidade
Edson Monteiro
Letrcapital
(2016)



Valejando o Brasil
Geraldo Tollens Linck
Circulo do Livro
(1981)





busca | avançada
62339 visitas/dia
1,8 milhão/mês