A máquina de escrever. | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
>>> Campanha Sonhar o Mundo traz diversificada programação elaborada pelos museus paulistas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Contra os intelectuais
Mais Recentes
>>> Circulação Global de Precedentes - Vol 1 (lacrado) de Ruitemberg Nunes Pereira pela Lumen Juris (2010)
>>> Vida Minha - Autobiografia de Domingos Oliveira pela Record (2014)
>>> Maktub de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Sentença Cível - da Preparação para o Concurso Da.... (lacrado) de Flávio da Silva Andrade pela Lumen Juris (2014)
>>> Por um Triz - Cultura e Educação (lacrado) de Editora Paz e Terra pela Paz e Terra (2002)
>>> O Livro da Pizza de Vincenzo Buonassisi pela Círculo do Livro (1982)
>>> Na Margem do Rio Pietra Sentei e Chorei de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Las Posturas Claves En El Hatha Yog - Vol 2 (lacrado) de Ray Long pela Blume-acanto-naturart (2009)
>>> A Agonia do Grande Planeta Terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão
>>> Os Eixos da Linguagem (lacrado) de Luiz Costa Lima pela Iluminuras (2015)
>>> Robinson Crusoé uma Aventura de um Náufrago numa Ilha Deserta de Daniel Defoe / Julek Heller pela Companhia das Letrinhas (2016)
>>> Novo Dicionário Básico da Língua Portuguesa Folha / Aurélio de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira pela Nova Fronteira (1988)
>>> Os Papéis de Picasso de Rosalind e Krauss pela Iluminuras (2000)
>>> Vozes e Visões de Rodrigo Garcia Lopes pela Iluminuras (2000)
>>> Rango Coisa Feia de Edgar Vasques pela L&pm (1989)
>>> Introdução à Manufatura - Série Tekne (lacrado) de Michael Fitzpatric pela Bookman (2013)
>>> Tabelas do Curso Prático de Concreto Armado 1 Volume de Aderson Moreira da Rocha pela Científica (1955)
>>> O Que Te Impede de Viver Feliz (lacrado) de José Eduardo Tófoli pela Lumen Juris (2020)
>>> Os Remédios Florais do Dr. Bach de Dr. Eduardo Bach pela Pensamento
>>> My Grandma and I de P. K. Hallinan pela Worthykids (2002)
>>> A Sábia Ingenuidade de Dr. João Pinto Grande de Yuri Vieira pela Record (2017)
>>> Marilyn de Norman Mailer pela Record (2013)
>>> A Criança Problema de Joseph Roucek pela Pegasus (2010)
>>> Amor Nunca É Demais de Helen Van Slyke pela Circulo do Livro (1985)
>>> Os Novos 52 -universo Dc Nº 37 de Dc Comics pela Panini
BLOGS >>> Posts

Sábado, 21/10/2017
A máquina de escrever.
ANDRÉ LUIZ ALVEZ

+ de 2400 Acessos

Não são normais os impulsos que me arrastam até bem perto de coisas antigas.

Se pudesse, moraria num antiquário, faria de velhos livros travesseiro, ouviria discos de vinil e manteria o olhar sereno, a voz calada, até ganhar a confiança da máquina de escrever jogada no canto fundo da loja, quase sem cor, num modo de mágoa, como se me cobrasse os tantos anos sem uma única visita.

Se houvesse gravado o instante do primeiro som das teclas invadindo meus ouvidos, ele não seria tão real como agora, quando aliso a máquina de escrever e apago o resto do mundo.

É aquele momento que o tempo – esse velho canalha e banguela – me arrasta até o ano de 1982.

Eu era um tímido rapaz do corpo esticado e dos cabelos ruins, repleto de ideais nunca concretizados.

A lida como aprendiz de ourives já havia me mostrado que eu não tinha habilidade suficiente para vencer naquela profissão.

Meu mestre, Gilberto Billerbeck, me falava, armado no seu assustador jeito sincero, quase todos os dias: “seu destino não é o metal, é o papel”.

Ele sabia o que falava: o alicate e as demais ferramentas judiavam das minhas mãos finas.

Eu precisava aprender a datilografar.

Ainda lembro com perfeição o lamber de dedos contando o dinheiro da matrícula, guardado na paciência de um monge, e a euforia assim que pude me sentar diante daquela que considerei a mais perfeita invenção de todos os tempos: a máquina de escrever.

O sistema quwrty logo dominei, em pouco tempo conseguia datilografar mais de quinhentos toques por minuto.

Aprendi ligeiro todos os movimentos, os dedos afundando as teclas, as mãos ágeis, quase um tapa, movimentando a alavanca, passando o carro para a linha de baixo, formando outro barulho inesquecível, como se fosse o eterno bater d'asas de um belíssimo pássaro. Tlec, tlec, tletlec, rec, rec, vupt!...

Era um tempo de medos, incertezas e tenebrosos segredos, daquelas coisas que só se confessa ao vento, mas naquele momento, o papel branco bem à frente dos olhos, pedia registros.

Escrevi desabafos no ritmo do barulho da máquina de escrever e depois joguei tudo no lixo.

Ah, que saudosismo bobo é esse provocando um fio fino de lágrima, quente e salgada, a riscar os meus olhos?

Ainda bem que não tem ninguém por perto

– eu choro, mas tenho vergonha – e lembro, naqueles tempos, os comandos usavam fardas.

Às favas com o seu autoritarismo!

Escrevi certa vez, marcando com tinta vermelha o papel virgem e branco, e depois completei, quase uma facada certeira na opressão, “se oprime o meu livre pensar e minha maneira de me expressar, és então meu inimigo!” frase forte que logo depois apaguei, com medo de perder várias coisas, principalmente me impedissem de escrever.

Anos depois, tornei a datilografar, na mesma letra vermelha e papel branco: Vencemos!”

Será?

. E foi na máquina de escrever o meu primeiro verso, torto, sem sentido, desprovido de sutilezas e ele também apaguei para nunca mais me aventurar em poesias, assim como elimineis com várias batidas na tecla X as sensações inconfessáveis que moça dos cabelos caracolados e boca carnuda, moradora da casa na esquina, me provocava.

Nem lembro mais o nome dela...

E agora, nesse canto úmido da loja de antiguidades, aliso com a ponta dos dedos o teclado da máquina de escrever e uma montanha de pensamentos me invade; quem sabe no futuro eu perca o resto de medo e escreva nela sobre tudo o que vivi - o corpo lasso, mas a mente sadia - somente para ouvir de novo aqueles barulhos confidentes de outrora e alimentar meu coração saudoso, sedento da vida, do ancião que desmorona e ainda guarda lembranças, doces, amargas, repletas de espantos, coisas que desde muito moço carrego e hoje já não me avassala.

Tlec, tlec, tletlec, rec, rec, vupt!...

Saí da loja de antiguidades levando nos braços a velha máquina de escrever, ansioso como um menino pobre que ganha um brinquedo.


Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 21/10/2017 às 14h32


Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Pedagogia do Sucesso
João Batista Araújo e Oliveira
Saraiva
(1999)



Nossos Índios Nossos Mortos
Edilson Martins
Codecri
(1978)



O Controle Judicial de políticas Públicas
Américo Bedé Freire Júnior
Revista dos Tribunais
(2005)



Brasil a Trajetória de um País Forte
Alcides Domingues Leite Júnior
Trevisan
(2009)



Riquezas da mensagem cristã
D. Cirilo Folch Gomes
Lumen Christi
(1981)



1591 - A santa Inquisição na Bahia e Outras Estórias
Nélson de Araújo
Nova Fronteira
(1991)



Luka na Casa da Biza
Lia Campos Ferreira
Do Escritor
(2004)



Trismus na Antártica Volume 2
Patrick Van God
Edições Marítimas



Maravilhas do Conto Humorístico
Mariano Torres
Cultrix
(1959)



Misterio? Misteriosos Amor
Odette de Barros Mott
Atual
(1986)





busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês