A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I | Ricardo Gessner

busca | avançada
32216 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Andrea e Bia Jabor fazem a Festa da Árvore neste domingo!
>>> Alfabetização visual comemora 10 anos com mostra de fotografias feitas por pessoas com deficiência
>>> Musical jovem AVESSO reestreia em janeiro e traz fortes emoções no conflito de gerações
>>> Leandro Sapucahy comanda Reveillon 2019 no Jockey Club/RJ
>>> Carioquíssima realiza edição de Natal na Fábrica Bhering (RJ)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
Últimos Posts
>>> A verdade? É isso, meme!
>>> Ser pai, sendo filho - poema
>>> A massa não entende
>>> ARCHITECTURA
>>> Os Efeitos Colaterais do Ano no Mundo
>>> A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
>>> Casa de couro V
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Memórias sentimentais de um jovem paulistano
>>> Olavo de Carvalho: o roqueiro improvável
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> O Último Samurai Literário
>>> Como Passar Um Ano Sem Facebook
>>> Naked Conversations
>>> A verdade sobre o MST
>>> O que é crítica, afinal?
>>> Razão prática
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
Mais Recentes
>>> Os sete saberes necessários à educação do futuro de Edgar Morin pela Cortez Editora (2004)
>>> Gestão e análise de risco de crédito de José Pereira da Silva pela Atlas (1998)
>>> Economia Brasileira de Antonio Correa de Lacerda de outros pela Saraiva (2000)
>>> Código da Vida de Saulo Ramos pela Planeta (2007)
>>> Guia politicamente incorreto da história do Brasil de Leandro Narloch pela Leya (2011)
>>> Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes de Stephen R. Covey pela BestSeller (2004)
>>> A Entrevista de Seleção Com Foco Em Competências Comportamentais de Valeria dos Reis pela Qualitymark (2003)
>>> Gestão de Sonhos - Riscos e Oportunidades de Amyr Klink pela Casa da qualidade (2000)
>>> O vendedor de sonhos de Augusto Cury pela Academia (2008)
>>> Cooperativismo Democracia e Paz - Surfando a Segunda Onda de Roberto Rodrigues pela Nova bandeira (2008)
>>> O grande livro da casa saudável de Mariano Bueno pela Roca (1995)
>>> Seja Assertivo! de Vera Martins pela Campus (2005)
>>> Nascido para correr de Christopher McDougall pela Globo (2010)
>>> CBN Mundo Corporativo de Herodoto Barbeiro pela Futura (2006)
>>> Não tenha medo de ser chefe de Bruce Tulgan pela Sextante (2009)
>>> Mentes brilhantes, Mentes treinadas de Augusto Cury pela Academia (2010)
>>> Pensamento Pedagógico Brasileiro de Moacir Gadotti pela Editora Atica (1990)
>>> O homem que matou Getúlio Vargas de Jô Soares pela Companhia das Letras (1998)
>>> Elite da Tropa de Luiz Eduardo Soares pela Objetiva (2006)
>>> Dinâmicas de Grupo na Empresa, no Lar e na Escola de Lauro de Oliveira Lima pela Vozes (2005)
>>> Paulo Freire - Vida e Obra de Ana Ines Souza pela Expressão Popular (2001)
>>> A Arte e a Ciência de Memorizar Tudo de Joshua Foer pela Nova fronteira (2011)
>>> Consumismo é Coisa da sua Cabeça de Nanci Azevedo Cavaco pela Ferreira (2010)
>>> Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire pela Paz e Terra (2007)
>>> Uma Farmácia para a Alma de Osho pela Sextante (2006)
>>> CAUSOS DE PEDRO MALASARTES de Julio Emilio Braz pela Cortez (2011)
>>> D. João Carioca - A corte portuguesa chega ao Brasil (1808-1821) de Lilia Moritz Schwarcz pela Quadrinhos na Cia (2007)
>>> UM UNIVERSO NUMA CAIXA DE FOSFORO de Alexandre Rampazo pela Panda Books (2011)
>>> O menino da terra de Ziraldo pela Melhoramentos (2010)
>>> Fábulas - Monteiro Lobato de Monteiro Lobato pela Globo (2012)
>>> Princesas e Contos de Fadas Turma da Monica de Mauricio de Sousa pela Girassol (2008)
>>> O menino que aprendeu a ver de Ruth Rocha pela Quinteto Editorial (1998)
>>> Muito mais que cinco minutos de Kefera Buchmann pela Paralela (2015)
>>> Diário de um banana: A verdade nua e crua de Jeff Kinney pela V&R Editoras  (2013)
>>> Diário de um banana: dias de cão  de Jeff Kinney pela V&R Editoras  (2012)
>>> Histórias Extraordinárias - Edgard Allan Poe de Edgar Allan Poe pela Melhoramentos (2010)
>>> Se eu fosse aquilo - Para gostar de ler junior de Ricardo Azevedo pela Atica (2012)
>>> Somos Todos Diferentes: Convivendo Com a Diversidade do Mundo de Maria Helena Pires Martins pela Moderna (2001)
>>> O Visconde Partido ao meio de Italo Calvino pela Companhia das Letras (2011)
>>> Trabajo en equipo Nivel 2 - Incluye CD Audio de Santillana Espanol pela Moderna (2015)
>>> Slumdog Millionaire de Vikas Swarup pela Macmillan Readers (2015)
>>> O Morro do Vento Uivante de Emily Bronte pela José Olympio (1957)
>>> Coleção Grandes Civilizações Desaparecidas - 21 Volumes de Vários Autores pela Otto Pierre (1978)
>>> You´re a bad man, Mr. Gum! de Andy Staton pela Egmont Press (2018)
>>> As Flores do Mal de Charles Baudelaire pela Max Limonad (1981)
>>> Confesso que Vivi de Pablo Neruda pela Difel (1981)
>>> Iniciação ao Xadrez de Flavio De Carvalho Júnior pela Summus (2000)
>>> A Barcarola de Pablo Neruda pela L&pm (1983)
>>> Em Nome da Vida de Moacyr Félix pela Civilização Brasileira (1981)
>>> Discurso da Difamação do Poeta de Affonso Ávila pela Summus (1978)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 25/11/2018
A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
Ricardo Gessner

+ de 100 Acessos

Durante madrugadas ébrias, chuvosas e frias, passo a noite em claro e um livro aberto. Entre o clarão de um raio e estrondo de um trovão, não sei se o que aparece no vidro da janela é a silhueta de Edgar Allan Poe, com dentes assustadoramente alvos, rindo-se enquanto sobrepõe tijolos para fechar qualquer saída, ou se o livro que tenho nas mãos é de uma ave de rapina cuja assinatura é “Nunca mais”. Desperto. Era um pesadelo? Olho ao redor e vejo-me num quarto fechado, sem portas nem janelas...

Edgar Allan Poe é um dos meus autores de cabeceira. Chama-me a atenção em seus contos uma fixação pelos espaços interiores e pequenos. Por exemplo, em “O gato preto” o personagem principal, depois de assassinar sua esposa, para livrar-se do cadáver, empareda-o no porão de sua casa; em “O coração delator”, depois de assassinar o velho companheiro, esconde o corpo debaixo do assoalho. Em ambos os contos, diga-se de passagem, a estrutura é bastante parecida, sendo vários os elementos em comum: a fixação do personagem pelo olhar (do gato no primeiro, do velho no segundo); um estado de clara perturbação mental do narrador-personagem; sons perturbadores, ora provindos da mente perturbada do narrador (o bater do coração do velho), ora das próprias condições situacionais (o miado do gato, que o narrador emparedou sem perceber junto com o cadáver).

Tenho comigo uma hipótese: acredito que esse “espaço fechado” é uma espécie de personagem que circunda, ou melhor, assombra inúmeros dos contos de Poe, mas que não tem nome e muitas vezes é o responsável pelo tom – para utilizar conceito do próprio Poe – do texto, ou até mesmo por gerar sua unidade de efeito. De tão evidente, passa despercebido. Este personagem é o “claustro”. Digo aqui “claustro” por falta de termo melhor; na verdade, penso nas quatro paredes fechadas que, mais do que seu sentido literal, funciona como uma espécie de arquétipo.

Em “O barril de Amontillado”, Montresor – o narrador-personagem –, amargurado e rancoroso por certas injúrias cometidas por Fortunato, tece uma armadilha para abandoná-lo numa câmara subterrânea, supostamente um depósito de vinhos onde haveria um “barril de Amontillado”. Provavelmente o conto é a principal fonte – ou barril? – que Sir Arthur Conan Doyle bebeu para escrever “A nova catacumba” ou Lygia Fagundes Telles para escrever “Venha ver o pôr do sol”. Montresor numa emboscada acorrenta Fortunato nessa câmara, fecha-a e segue, satisfeito de sua vingança. Toda a ação de “O poço e o pêndulo”, como sugere o título, se passa numa espécie de poço – um espaço fechado e misterioso. E talvez o conto que chega ao mais extremo nesse sentido seja “O enterro prematuro”, que versa sobre a fobia do narrador em ser enterrado vivo.

Ora, diante desses poucos exemplos ensaio que, mais do que um recurso literário utilizado por Poe, é, como disse no início, uma espécie de personagem. Um fantasma que assombra manifestando-se sob as mais diversas formas. E o “claustro” não se restringe ao espaço em si, também é sua manifestação, ou melhor, sua influência ou ligação sobre os personagens, como em “A queda da casa de Usher” ou em “Ligeia”, uma espécie de Feng-Shui macabro. E mais ainda, o claustro nem mesmo precisa ser um espaço físico: pode se associar à mente perturbada do personagem.

Acredito que o “claustro”, agora transposto para a condição humana, é um arquétipo. Trata-se do horror em ser levado, sem perceber, por uma força misteriosa que oprime e não oferece nenhuma perspectiva de saída. Vivo, consciente e sem saída, num lugar para sempre desconhecido, sem saber como chegou ali. O medo da morte torna-se um afago. Sem portas, sem janelas. Sem passado nem futuro. Isso é o “claustro”. Também pode ser inferno, eterno-retorno, imutabilidade... Pode se dar num espaço literalmente claustrofóbico ou a céu aberto, nas circunstâncias aparentemente mais insignificantes, mas é onde o abismo se abre. Tudo depende das circunstâncias ou da fertilidade mental de quem (não) pensa. Poe, nesse sentido, expõe as entranhas da vida. Seguimos sem saber como ou para onde, sobre uma jangada que acreditamos existir, fixos em miragens que por nós mesmos se transmutam a cada momento. Quando acordamos, estamos ali, num lugar fechado, sem portas nem janelas. O último gesto é gritar para escutar a própria voz.

To be continued...


Postado por Ricardo Gessner
Em 25/11/2018 às 14h29


Mais Ricardo Gessner
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TRANSCENDENTAL E O EXISTENTE EM MERLEAU- PONTY
MARCUS SACRINI A. FERRAZ
HUMANITAS
(2006)
R$ 28,00
+ frete grátis



MANET - UM NOVO REALISMO - GRANDES ARTISTAS
DAVID SPENCE
MELHORAMENTOS
(1998)
R$ 6,00



A VIDA É SONHO/ O ALCAIDE DE ZALAMEA - CALDERON DE LA BARCA (TEATRO ESPANHOL)
CALDERON DE LA BARCA
VERBO
(1971)
R$ 15,00



DAS GROSSE GU KOCHBUCH SCHNELLE KÜCHE
CORNELIA SCHINHARL, REINHARDT HESS
GRÄFE & UNZER
(2002)
R$ 180,00



AVESSO DA COMÉDIA - HUGO POSSOLO E RAUL BARRETTO (ORG.) (TEATRO BRASILEIRO)
HUGO POSSOLO E RAUL BARRETTO (ORG.)
PARLAPATÕES
(2008)
R$ 15,00



CURIMBAS DE CABOCLOS
ECO
ECO
R$ 35,00



DO GERENTE AO LÍDER
EDUARDO FERREIRA BOTELHO
ATLAS
(1990)
R$ 10,00



TEATRO NO MARANHÃO
JOSÉ HANSEN
OLÍMPICA
(1974)
R$ 45,00



COLEÇÃO OBJETIVO: PORTUGUÊS - LIVRO 4
FERNANDO TEIXEIRA DE ANDRADE
CERED
R$ 10,00



SÃO JOSÉ DE ANCHIETA - ANO 1987
GABRIEL ROMEIRO / GUILHERME CUNHA PINTO
CIRCULO DO LIVRO
(1987)
R$ 6,30





busca | avançada
32216 visitas/dia
1,1 milhão/mês