Armandinho, o subversivo, versus o Cabeça de Melão | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
22804 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
>>> estar onde eu não estou
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
>>> Mulher, ontem hoje e sempre
>>> Amor, entre o céu e o fardo
>>> O Estranho Mundo Atual que Julgamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Festival da Mantiqueira
>>> Eleições
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Por que ler poesia?
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Influências da década de 1980
Mais Recentes
>>> A Mulher Carioca aos 22 Anos de João de Minas pela Dantes (rj) (1999)
>>> O Poder Constituinte 3ª Edição de Manoel Gonçalves Ferreira Filho pela Saraiva (1999)
>>> Questões Comentadas de Direito Ambiental de Terence Trennepohl e Natascha Trennepohl pela Juspodivm (2008)
>>> Máximo de Mínimos: Poesia Reunida de Elcio Fonseca pela Autor (2004)
>>> Acidente de Trabalho e Moléstias Profissionais de J R Feijó Coimbra pela Edições Trabalhistas (rj)
>>> O Direito e os Advogados nos Eua de Erwin N. Griswold pela Forense (rj) (1967)
>>> Crise e Escritura : uma Leitura de Clarice Lispector e Vergílio de Ivo Lucchesi pela Forense Universitária (1987)
>>> Denunciação da Lide no Direito Processual Civil Brasileiro de Sydney Sanches pela Revista dos Tribunais (sp) (1984)
>>> Estados Unidos - Textos Acadêmicos de Fundação Alexandre de Gusmão pela Fundação Alexandre de Gusmão (2008)
>>> Depositário Judicial de Edilton Meireles pela Lejus (1999)
>>> Crimes Contra a Honra de Marcelo Fortes Barbosa pela Malheiros (1995)
>>> Pragmática da Violência: o Nordeste na Mídia Brasileira de Daniel do Nascimento e Silva pela 7 Letras e Faperj (rj) (2012)
>>> Coisas de Menino (edição 2009) de Eliane Ganem pela José Olympio (2010)
>>> Processo Tributário 2ª Edição de Paulo Cesar Conrado pela Quartier Latin (2007)
>>> Capitalismo e Força de Trabalho de Seminário Ufbahia - 1983 pela Ufba (1983)
>>> Lart Medieval: Histoire de Lart de Elie Faure pela Livre de Poche (1964)
>>> A Cpi Municipal - 4ª Edição de Jose Nilo de Castro pela Del Rey Books (2000)
>>> Educação para o Século XXI de Jorge Cardelli, Miguel Duhalde e Laura Maffei pela Instituto Polis (sp) (2003)
>>> Fundamentos Filosóficos de La Clinica Homeopática de Dra Maria Clara Bandoel pela Albatros Ediciones (1986)
>>> Pensando o Espaço e o Território na Metrópole do Rio de Janeiro de Antonio de Ponte Jardim pela Autor (rj) (2007)
>>> A Politica Positiva e Seus Commentadores de Alfredo Severo pela Jornal do Commercio (rj) (1941)
>>> Portugal no Presente de Joaquim José Freire Lagreca pela Indústria Gráfica (1975)
>>> Time Out Amsterdam de Time Out pela Time Out (1995)
>>> Enciclopédia Estudo: 1500 Palavras Quarta Edição de Américo Areal (edição Portuguesa) pela Asa (1989)
>>> Revista de Filosofia Nº117 Jan Junho de 2008 de Ufmg pela Ufmg (2008)
>>> El Quarto Protocolo de Frederick Forsyth pela Plaza e Janes (1984)
>>> Superdotados & Psicomotricidade de Rosa M. Prista pela Vozes (petrópolis, Rj) (1993)
>>> Ensino a Distância: Módulo 2 - Questões e Exercícios Navegação de Ministério da Marinha, Diretoria de Portos pela Dir de Portos e Costa (mm) (1996)
>>> Del Libro y Su Historia de Gaston Litton pela Bowker (buenos Aires, Argentin (1971)
>>> A Outra Face do Coronel de Antônio José do Couto Soares pela Bagaço (2001)
>>> The New Nineteenth-century European Paintings And de Gary Tinterow, Susan Alyson e Barbara Burn (comp.) pela Metropolitam Museum (n. Y.) (1993)
>>> O Advogado Perante a Previdência e a Assistência Social no Brasil de Francisco Costa Netto (dedicatória) pela Casa do Advogado (1976)
>>> Windsurf: Prancha À Vela de Jean-luc Marty pela Ediouro (tecnoprint - Rj) (1982)
>>> Ii Simpósio Nacional Sobre Aterosclerose Coronária de J. Eduardo M. R. Sousa (editor); Lylian Vasco pela Ayesrst Sp) (1973)
>>> Paraísos Fiscais (capa Dura) de Alexis Cavicchini (editor) pela Tama (sp)
>>> Português sem Segredos de Miriam Margarida Grisolia e Renata C Shorgia pela Madras (2004)
>>> Ministério Público: Provas e Concursos de Glauber Tatagiba (org) pela Del Rey (belo Horizonte) (2004)
>>> O Dicionário do Futuro: as Tendências e Expressões Que Definirão de Faith Popcorn e Adam Hanft pela Campus (2002)
>>> Autos de Devassa da Inconfidência Mineira Volume 1 de Câmara dos Deputados pela Câmara dos Deputados (1976)
>>> Autos de Devassa da Inconfidência Mineira Volume 8 de Câmara dos Deputados (vol 8) pela Câmara dos Deputados (1976)
>>> Eduquer En Seduquant de Louis Evely pela Presto Print (bruxelas)
>>> Londres: Citypack Guia + Plano de Louise Nicholson; El País pela El País (2011)
>>> Abraham Lincoln: the War Years (1864-1865) Vol 3 de Carl Sandburg pela A Laurel (1963)
>>> Pour et Contre Saussure: Vers Une Linguistique Sociale de Louis Jean Calvet pela Petite Bibliotheque (1975)
>>> Court Serpent de Bernard Du Boucheron pela Gallimard Blanche (2004)
>>> Padrão de Balanços de Carlos Sanmartin e Solano Carlos Sanmartin pela Autor (rj) (1974)
>>> La Bourse des Valeurs et les Opérations de Bourse de Gaston Défossé e Yves Flornoy (12 Edition) pela Presses Universitaires (paris) (1984)
>>> La Otan... a Lo Claro 2ª Edicion de Luís Otero (elaboracion) pela Editorial Popular (madri) (1981)
>>> Perfect Phrases For Motivating and Rewarding Employees Second Ed de Harriet Diamond, Linda Eve Diamond pela Mcgraw-hill Education (2010)
>>> Eficácia das Normas Constitucionais Sobre Justiça Social de Celso Antônio Bandeira de Mello (relator) pela Conferência Nacional Oab (1982)
COLUNAS >>> Especial 1964-2004

Sexta-feira, 23/4/2004
Armandinho, o subversivo, versus o Cabeça de Melão
Lisandro Gaertner

+ de 4900 Acessos

Toda vez que os pais de Armandinho brigavam era a mesma coisa. Batendo papo no café da manhã, um deles tocava num assunto que desagradava ao outro e pimba. As farpas começavam a voar pra todo lado e, finalmente, "pelo bem do Armandinho", quem iniciou a discussão falava: "Deixa pra lá, não vamos discutir".

Dessa vez foi diferente. Fernando, o pai de Armandinho, como quem não quer nada, comentou à mesa do café:

- Marlene, arruma o Armandinho que hoje eu vou levar ele numa solenidade.

Marlene se espantou:

- Solenidade? Que solenidade?
- Ora, hoje é o aniversário do Colégio Militar e o Figueiredo vem para a festa.
- Como é? Você vai levar o meu filho para babar o ovo dos milicos?
- Marlene, não fala assim na frente do Armandinho.

Marlene olhou para o seu filho, tirou a expressão de indignação da cara, sorriu forçado, passou a mão na cabeça do garoto e disse:

- Filho, vai para o seu quarto que eu quero conversar com o seu pai.

Armandinho, do alto dos seus cinco anos, suspirou como se estivesse cansado da vida, pulou da cadeira, foi para o seu quarto e fechou a porta. Quando começou a ouvir novamente a discussão, colou a orelha na porta para não perder nenhum detalhe. Afinal, sua mãe lhe pediu para ir para o quarto e não para não ouvir a discussão.

- Ô, Marlene, essa tua mania de subversiva já tá cansando - disse Fernando.
- Tá cansando? O que tá cansando é essa sua mania de babar o ovo da revolução. Você esqueceu que estamos em 1982? A anistia já começou, meu querido. Desde de 79 a anistia já começou.
- Infelizmente...
- Como é?
- Nada, Marlene, deixa pra lá. Olha, eu vou levar o meu filho para a solenidade e pronto.
- Vai? Por quê?
- Ora, porque eu sou ex-aluno do Colégio Militar e quero rever os meus amigos.
- Você quer é ficar batendo continência e enaltecendo essa ditadura de merda.
- Como eu vou bater continência? Eu nem sou militar.
- Mas queria. É, a tua reprovação no teste de admissão nas Agulhas Negras não te dá sossego mesmo...

Fernando, sentindo o peso da verdade, suspirou e ficou quieto por alguns momentos. Sem saída, ele resolveu jogar pesado:

- Marlene, se lembra que semana passada você levou o Armandinho para um comício?
- Levei, sim. Levei ele para o comício do Brizola.
- Ai, por favor, não fala esse nome aqui em casa.
- Que nome? Brizola? Por que eu não posso falar BRI-ZO-LA? Hein?
- Marlene, não vamos piorar a discussão. Você levou o Armandinho pro tal comício e eu não disse nada. Disse?
- Não. Não disse - Marlene lamentou.
- Então, por favor, não cria caso e vai arrumar o menino.

Armandinho tirou a orelha da porta segundos antes de sua mãe abrí-la. Marlene entrou no quarto, e, procurando uma roupa o armário do filho, só de provocação, perguntou para Fernando:

- Olha, o uniforme verde oliva dele tá lavando, será que ele pode ir de bermuda?

* * *

Armandinho e seu pai pegaram o metrô. "Mais uma excelente obra do governo militar, meu filho", Fernando repetiu pela milésima vez. Saltaram na estação São Francisco Xavier e foram caminhando até o Colégio Militar. Na porta, um grupo de manifestantes, contidos pela PE, gritavam pedindo por eleições diretas, agora para presidente. Fernando, no automático, tampou os ouvidos do filho e entrou no colégio.

Lá dentro, eles cumprimentaram alguns conhecidos de Fernando, se acomodaram numa das estruturas metálicas que serviam de arquibancadas, e se preparam para assistir à parada. Nisso, apareceu o presidente.

- Olha o presidente, meu filho.

Armandinho, esticando o pescoço, tentou ver ao vivo o homem que sua mãe odiava tanto, mas não conseguiu.

- Viu o Figueiredo, filho? - Fernando perguntou.
- Vi, papai - Armandinho mentiu.

A solenidade começou e Armandinho assistiu com atenção todos aqueles cavalos, soldados e máquinas de guerra passando. A todo momento, Fernando o chamava para dar uma explicação ou fazer uma pergunta. "Esse é tal carro de guerra, viu?, essa é tal divisão, olha só os cavalos!, o carneirinho mascote do colégio não é bonitinho?, quando você crescer, vai estudar aqui, não é, filho?". Cansado de tanto falatório, Armandinho balançava a cabeça para tudo.

A parada acabou e um militar, amigo de seu pai, se aproximou:

- Oi, Fernando. Você por aqui?

- Pois, é. Vim trazer o garoto para ver a solenidade.
- Fez bem. Fez bem. Vim aqui te fazer um convite
- Qual?
- Você quer conhecer o presidente?

Os olhos de Fernando brilharam. Essa era para ele uma oportunidade de ouro. Que outra chance ele teria de levar o seu filho para conhecer um dos líderes do governo militar no Brasil? É óbvio que ele concordou.

Escoltados pelo amigo, eles entraram numa pequena fila e em poucos minutos estavam cara a cara com o presidente.

- Senhor presidente, muito prazer - Fernando se adiantou. - Meu nome é Fernando, eu sou ex-aluno do colégio, como o senhor, e fico muito feliz em conhecê-lo. Ah, esse é meu filho, Armando.

O presidente passou a mão na cabeça do menino.

- Armando, não é? - o presidente perguntou para confirmar. - Menino bonito. Quer ser militar?
- Esperemos que sim - Fernando respondeu pelo filho. - Esperemos que sim.
- Então, Armando - o presidente se virou para o garoto -, você tomou café da manhã hoje?
- Tomei - Armandinho respondeu estranhando a pergunta.
- E o que você gosta de tomar no café da manhã?
- Sei lá. Um monte de coisas.
- Vamos ver... melão. Você gosta de melão?

Armandinho ficou pensativo por um momento. Melão? Melão? Ele odiava melão. Mas, antes de responder a pergunta, ele olhou para o seu pai. Seus olhos estavam brilhando. Por alguma razão que lhe escapava no momento, seu pai estava feliz de lhe apresentar àquele homem. Pensou em mentir, mas lembrou da sua mãe e dos papos que tinham sobre a censura e sobre como era importante a gente dizer o que pensa. Assim, respondeu:

- Eu odeio melão.

O presidente riu e insistiu:

- Mas por que você não gosta de melão? É uma fruta tão boa. Eu adoro melão.
- Ah, é? - Armandinho emendou sem pensar. - Vai ver é por isso que você tem cabeça de melão.
- Como? - o presidente e seu pai se espantaram.
- É isso aí. Você tem cabeça de melão. Cabeça de melão, cabeça de melão, cabeça de melão - Armandinho cantarolou.

* * *

Depois de cinqüenta milhões de "desculpe", "me perdoe", "eu não sei de onde ele tirou isso", Fernando e Armandinho saíram do colégio militar. Fernando, envergonhado, não falou nem olhou para o filho por todo o trajeto de volta.

Ao chegarem em casa, Marlene os recebeu irônica:

- Ué, Fernando? Já está de volta? Não tinha milico o suficiente para você ficar bajulando?
- Bajulando? - Fernando se enfureceu. - Bajulando? Você não sabe o que o SEU filho fez.
- O quê?
- Ele chamou o presidente de cabeça de melão. Vê se pode. Cabeça de melão.

Marlene caiu na gargalhada. Fernando olhou para ela com raiva e, desmoralizado, saiu de casa batendo a porta. Marlene limpou os olhos, já estava chorando de tanto rir, e chamou o filho. Armandinho se aproximou meio envergonhado, abraçou a mãe e perguntou:

- O papai tá zangado comigo?
- Tá não, querido. Tá não. O lance dele é comigo. Fica tranqüilo.

Marlene afastou se um pouco de Armandinho. Olhou para ele cheia de orgulho, pegou-o pelos braços, tascou-lhe um beijo da bochecha e o abraçou mais uma vez, repetindo:

- Subversivozinho lindo da mamãe. Subversivozinho lindo da mamãe.

Pronto. Como não podia deixar de ser, em pleno fim de ditadura, nascia ali mais um revolucionário filhinho de mamãe.


Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 23/4/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 4 livros de 4 mulheres para conhecer de Ana Elisa Ribeiro
02. A vingança dos certinhos de Marta Barcellos
03. O caminho rumo ao som e a fúria de Luiz Rebinski Junior
04. Faxina de Ano Novo: também no Facebook de Adriana Baggio
05. Simplesmente tive sorte de Daniel Bushatsky


Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
03. A História das Notas de Rodapé - 3/1/2002
04. Orkut: fim de caso - 10/2/2006
05. Blogueiros vs. Jornalistas? ROTFLOL (-:> - 23/4/2008


Mais Especial 1964-2004
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO SE ESCREVE? MORFOLOGIA SINÔNIMOS E ANTÔNIMOS VOL 6
EDUARDO PERÁCIO (COLABORADOR)
ABRIL RECREIO
R$ 5,00



DESMUNDO
ANA MIRANDA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2017)
R$ 26,90



SITUAÇÃO VACINAL DOS TRABALHADORES DA SAÚDE NUM MUNICÍPIO DO INTERIOR
JOSÉ MILTON DE SENA FILHO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



ETNOGRAFIA VIRTUAL DOS ÍNDIOS PANKARARU NO SERTÃO PERNAMBUCANO
RICARDO BITENCOURT UND JURACY MARQUES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



LUXAÇÃO CONGÊNITA DO QUADRIL EM CAMPO GRANDE/MS
AURELIO FERREIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 153,00



RECENT PAINTINGS
STEVEN CAMPBELL
RIVA YARES GALLERY
(1989)
R$ 30,00



DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS DE COMPRESSIBILIDADE DO SOLO
JERFSON LIMA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



CONTROLE ATIVO DE ESTRUTURAS COMPOSTAS INTELIGENTES COM INCERTEZAS
THALES RENATO BERTOLAZZO TREVILATO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



FELIZ ANO VELHO
MARCELO RUBENS PAIVA
BRASILIENSE
(1985)
R$ 10,00



LES PIERRES PRECIEUSES
HENRI JEAN SCHUBNEL
PUF
(1968)
R$ 22,82





busca | avançada
22804 visitas/dia
1,1 milhão/mês