Tempo de aspargos | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Sempre um Papo recebe lançamento de Lívia Sant’Anna Vaz
>>> ANUAL DE ARTE FAAP ABRE AO PÚBLICO NO DIA 30 DE NOVEMBRO
>>> JOSYARA FAZ SHOW NO SESC BELENZINHO
>>> Revista Úrsula na Copa
>>> Mostra Contemporânea de Natal - Vai na Fé - no Museu de Arte Sacra
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Desapega, só um pouquinho.
>>> Menos, Redentor. Menos
>>> Sou grato a Deus
>>> Água das águas
>>> Súplica
>>> Por que me abandonastes
>>> Política na corda bamba
>>> Aonde anda a liberdade
>>> Calar não é consentir
>>> Eu já morri, de Edyr Augusto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Duetos com Renato Russo
>>> Eureca!
>>> A secretária de Borges
>>> Saint-John Perse: o oxigênio da profundeza
>>> Ela tem um blog?
>>> 8 de Abril #digestivo10anos
>>> Vanguarda e Ditadura Militar
>>> Querem proibir as palavras
>>> WikiLeaks, uma arma contra o abuso de poder
>>> Em Busca da Terra do Nunca... e Johnny Depp
Mais Recentes
>>> Matematica Financeira de Augusto c. morgado benjamin cesar pela Elsevier (2006)
>>> Escolas da Floresta: Entre o Passado Oral e o Presente Letrado de Nietta Lindenberg Monte pela Multiletra (1996)
>>> Samurai Saburo Sakai de Martin caidin e fred saito pela C & R Editorial (2014)
>>> O taro zen, de osho de Paulo rebouças pela Cultrix (2006)
>>> O taro zen, de osho de Paulo rebouças pela Cultrix (2006)
>>> O taro zen, de osho de Paulo rebouças pela Cultrix (2006)
>>> Estatistica basica de Wilton de o. bussab pedro a. morettin pela Saraiva (2010)
>>> Ecg Essencial - Eletrocardiograma na Prática Diária de Malcolm S. Thaler pela Artmed (2008)
>>> O vampiro que descobriu o brasil de Ivan jef pela Atica (2019)
>>> Pilates para Você um Guia Completo para Pratica de Pilates Em Casa de Ann Crowther e Helena Petre pela Madras (2010)
>>> Òrun Àiyé: o Encontro de Dois Mundos de Jose beniste pela Bertrand Brasil (2013)
>>> Ecos do Cinema de Lumière ao Digital de Ivana bentes pela Ufrj (2007)
>>> A Doença Como Caminho de Thorwald dethlefsen rudiger dahlke pela Cultrix (2007)
>>> Redes de Computadores Guia Total de Lindeberg barros de sousa pela Érica (2009)
>>> O Efeito Nocebo de Roger de lafforest pela Siciliano (1991)
>>> O Poder da Ação de Paulo vieira, phd pela Gente (2015)
>>> Como Se Iniciar na Bruxaria de Hans holzer pela Record (1980)
>>> Mulheres que correm com os lobos de Clarissa pinkola estes pela Rocco (1994)
>>> Linguagem de corpo de Cristina cairo pela Mercuryo (2009)
>>> Lilith: a Lua Negra de Roberto sicuteri pela Paz e Terra (1998)
>>> Lilith: a Lua Negra de Roberto sicuteri pela Paz e Terra (1998)
>>> A Arte de Escutar de Carla faour pela Agir (2009)
>>> Gabo Periodista de Héctor Feliciano pela Fnpi (2014)
>>> Treinamento Desportivo, Carga, Estrutura e Planejamento de Prof. Dr. Armando Forteza de La Rosa pela Phorte (2008)
>>> Teorias da Arte de Anne Cauquelin pela Martins Fontes (2005)
COLUNAS

Quarta-feira, 12/5/2004
Tempo de aspargos
Daniela Sandler

+ de 4700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

As cidades, como as pessoas, transformam-se com as estações. Em Berlim esse lugar-comum ganha vida fresca: pode ser clichê, mas é verdade, que salta na cara e faz parte da natureza mutante da cidade. Durante o inverno longo, quando anoitece às três da tarde e o vento se enfia por todas as frestas do casaco, os berlinenses percorrem sisudos as ruas geladas. Sobrecenho amarrado sob o cachecol, silêncio no vagão do metrô. O céu é cinza-escuro quase todo dia, não há luz que baste para avivar a cor dos edifícios e monumentos, que parecem todos cinza também.

Mas no primeiro dia mais longo de céu azul pálido e ar quase morno os berlinenses abrandam o passo, deixando-se ficar na grama puída dos parques e praças, e nas mesas ao ar-livre que os muitos cafés esparramam nas calçadas. Somem os sobretudos negros e as testas franzidas: em seu lugar, a cor das roupas leves e o som de conversas animadas em que até sorrisos escapam.

Os berlinenses, vale dizer, desconfiam do sorriso. Julgam ser falso estampar no rosto um riso gratuito, fingimento de amizade ou alegria. Talvez o inverno lhes embote os sentidos, e não lhes ocorre que é possível ser alegre ou amigável sem motivo, ou por natureza. Alemães de outras paragens dizem também que os berlinenses não têm senso de humor – não entendem ironias, não se entregam a gargalhadas, e suas próprias piadas são ininteligíveis. Em todo caso, passam boa parte do ano cultivando a expressão séria e trombuda que, junto às roupas pretas, é marca registrada do berlinense “cool”.

Quando em abril vem a primavera, tudo isso se derrete, ao menos nas primeiras semanas em que o prazer de estar ao ar livre parece recém-descoberto, depois de tanto tempo frio. Sem aviso, de um dia para o outro, os galhos nus das árvores desfolhadas – que durante cinco meses pontuam a paisagem como esqueletos cinzentos – se enchem de botões. Logo as flores se abrem em profusão, e a cidade se enche de árvores brancas, azuis, cor-de-rosa, roxas, amarelas, cheias como nuvens. O perfume é tão intenso que se distingue mesmo no meio da fumaça dos carros. Em todo lugar há cantos de passarinhos, cantos diferentes, quem diria haver tanto pássaro numa grande cidade? As vistas conhecidas se transformam, agora sombreadas ou interrompidas pela fronde verde das árvores.

A primavera permeia todos os sentidos, incluindo o paladar. Com abril começa a esperada estação de morangos, cerejas, aspargos. A mania alemã por aspargos é tão grande que há até um nome para esta época: Spargelzeit, ou tempo de aspargos. Não só as feiras e mercados exibem os vegetais, mas também restaurantes e cafés de todo calibre festejam os aspargos no menu. De sobremesa igualmente sasonal, morangos – com creme, em crepes, ou numa espécie de sopa doce feita com outras frutas vermelhas e chamada Rote Grütze.

Essa “orgia” de frutas e legumes dura até o meio de junho, quando a estação acaba. Não se celebram aspargos nem antes, nem depois. O respeito à estação apropriada não se estende, no entanto, a outros vegetais: durante o ano inteiro encontram-se bananas, laranjas, abacaxis, kiwis, até mesmo papaias junto às maçãs e peras européias. Quando às vezes há uma caixa de morangos ou rama de aspargos, estão escondidas num canto, envergonhadas – os caules murchos e desbotados, esquecidos na prateleira, que ninguém compra aspargo em dezembro. Fora de época, só os talos afogados e insossos dos aspargos em conserva.

É como se os prazeres da primavera fossem reservados para o seu tempo definido – tanto o perfume de uma taça de morangos como as flores das árvores, que logo irão cair e dar lugar a copas verdes. Chegando julho, a alegria de um dia tépido esmorece, perdida a novidade. Mas, nos três meses entre inverno e verão, Berlim floresce, viva e sorridente, a cada vez como se fosse a primeira.


Daniela Sandler
Riverside, 12/5/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A biblioteca de C. G. Jung de Ricardo de Mattos
02. Viagem aos baixos do Viaduto do Chá de Elisa Andrade Buzzo
03. O futuro (incerto?) dos livros de Rafael Rodrigues
04. Charles Darwin (1809-2009) de Ricardo de Mattos
05. Amor e relacionamentos em tempos de transição de Luis Eduardo Matta


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2004
01. Olá, Lênin! - 10/3/2004
02. Brasil em alemão - 7/7/2004
03. Muros em Berlim, quinze anos depois - 24/11/2004
04. Dia D, lembrança e esquecimento - 9/6/2004
05. Fritas acompanham? - 18/8/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/5/2004
11h05min
Através da leitura deste breve texto, pude sentir o sabor, o aroma e todas as sensações desencadeadas pela primavera na Alemanha. Voce está certíssima quando se refere à alteração no espírito do alemão, paralelamente ao aparecimento do sol e do calor. Talvez nós brasileiros tenhamos até dificuldade em entender, mas o sol exerce um efeito neuroendócrino fantástico, propiciando essa euforia toda.
[Leia outros Comentários de Maria Cecilia ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




6ª Bienal de Design Gráfico
Varios
Sesc
(2002)



Bela Distração (vol. 1 Irmãos Maddox)
Jamie Mc Guire
Verus
(2016)



A Academia de Leonardo - Lições Sobre Ética
Fabio Benites . Bruno Perrone, Mizael Silva
Ciência Moderna
(2012)



A Ciência Médica de House
Andrew Holtz
Best Seller
(2007)



Snoopy 6 - Como Você é Azarado, Charlie Brown! - Livro de Bolso
Charles M. Schulz
L&pm Pocket
(2011)



Livro - As Três Irmãs Contos
Tchekhov
Abril Cultural
(1979)



Plano de Ataque - A História dos vôos de 11 de setembro
Ivan Sant`anna
Objetiva
(2006)



A Descoberta do Amor
Helena Maurício Craveiro Carvalho
petit
(1996)



Natal de Sabina (pelo Espírito de Francisca Clotilde)
Francisco Cândido Xavier
Gemm
(1973)



Terapia de Vidas Passadas
Célia Resende
Nova Era
(1999)





busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês