Jeff Scott Soto recicla o hard rock em novo álbum | Debora Batello | Digestivo Cultural

busca | avançada
205 mil/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Espetáculo inspirado na vida cotidiana do Bixiga volta ao cartaz comemorando 28 anos do Teatro do In
>>> Semana Gastronômica do Granja
>>> Mulheres em meio ao conflito:sobre inclusão, acolhimento e sororidade incondicional
>>> Arsenal da Esperança faz ensaios de teatro com moradores em situação de rua
>>> Vem pra Feira do Pimp Estoque: Economia Circular com catadoras, catadores e artistas!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Inteligência artificial e o fim da programação
>>> Temer fala... (2023)
>>> George Prochnik sobre Stefan Zweig (2014)
>>> Hoffmann e Khosla sobre inteligência artificial
>>> Tucker Carlson no All-In
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
Últimos Posts
>>> Toda luz que não podemos ver: política e encenação
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Defesa dos Rótulos
>>> A história de cada livro
>>> O poeta do pesadelo e do delírio
>>> Além do Mais em 2004
>>> Sites que mudaram o mundo
>>> Textos, contextos e pretextos
>>> Dicas da Semana
>>> 19 de Abril #digestivo10anos
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> O perfeito cozinheiro das almas deste mundo
Mais Recentes
>>> Quintino Cunha e Outros: Antologia Cultural de Plautus Cunha (encontro das águas rios negro e solimões pela Angelo Accetti (1974)
>>> Química Geral Volume I de Ricardo Feltre pela Atual (1996)
>>> Piloto de Guerra - biblioteca do espírito moderno vol 15 de Antoine de Saint-Exupéry tradução de Monteiro Lobato pela Companhia das Letras (1943)
>>> Matemática - Ciência e Aplicações 1 Ensino Médio de Gelson Iezzi-osvaldo Dolce pela Atual (2001)
>>> Matemática Ciência e Aplicações 2 Ensino Médio de Gelson Iezzi-osvaldo Dolce pela Atual (2004)
>>> Biologia Segundo Grau e Vestibulares de Albino Fonseca pela Ática (1980)
>>> Economia - Micro e Macro de Marco Antonio Sandoval de Vasconcelos pela Atlas (2002)
>>> Estatística Aplicada Economia, Administração e Contabilidade de John E. Freund - Gary A. Simon pela Bookman (2000)
>>> Martini Seco - série rosa dos ventos de Fernando Sabino pela Ática (1987)
>>> Estatística - Coleção Schaum de Murray R. Spiegel pela McGraw-Hill do Brasil (1971)
>>> Administração de Recursos Humanos - Fundamentos Básicos de Idalberto Chiavenato pela Atlas (2003)
>>> Trabalhadores - Profissões do Brasil de Humberto Medeiros - Patrícia Henriques Mafra pela Aon (2008)
>>> A Polícia Que Queremos de João Carlos Pereira pela Do Autor (2011)
>>> Os 27 desafios que todo chefe deve enfrentar de Bruce Tulgan pela Sextante (2015)
>>> Design para crescer - aprenda com a Coca-Cola sobre escala e agilidade de David Butler - Linda Tischler pela Campus (2015)
>>> Implantando uma Empresa de Cesar Simões Salim e outros pela Elsevier - Campus (2011)
>>> Competências - conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna de Joel Souza Dutra pela Atlas (2013)
>>> Um novo jeito de trabalhar de Laszlo Bock pela Sextante (2015)
>>> Pipeline de Desempenho de Stephen Drotter pela Campus (2011)
>>> Nocaute - Como contar sua historia no disputado ringue das redes sociais de Gary Vaynerchuk pela Hsm (2016)
>>> Liderança - a inteligência emocional na formação do líder de sucesso de Daniel Goleman pela Objetiva (2015)
>>> Excelência em atendimento ao cliente de Alexandre Luzzi Las Casas pela M.books (2012)
>>> 100 Maneiras de motivar as pessoas de Steve Chandler - Scott Richardson pela Sextante (2008)
>>> Lições de Impacto e Inovação - O executivo transformador no jogo da indústria de Jeffrey J. Fox - Robert Reiss pela Rocco (2014)
>>> ( Re ) Descobrindo A Matriz Nine Box de Rogerio Leme pela Qualitymark (2013)
COLUNAS

Sexta-feira, 29/10/2004
Jeff Scott Soto recicla o hard rock em novo álbum
Debora Batello
+ de 4000 Acessos

legenda

Na entrada do século XXI, o hard rock já soava tão démodé quanto a palavra démodé para a maior parte dos jovens. O estilo, que foi a grande força criativa do rock dos anos 80, precisou de diversas mutações para conseguir sobreviver seus 20 anos. Em sua época mais visual, quando brilhavam nos palcos os glam rockers, muitos músicos, especialmente os vocalistas, fizeram a festa no que se consiste a mise-en-scènes. O performático David Bowie, caras e bocas de David Lee Roth do Van Halen, cabeleiras de Paul Stanley do Kiss, só para citar alguns, hoje parecem dinossauros estacionados naquele tempo.

Mesmo que a indústria fonográfica dos dias de hoje tenha se afastado desses ícones, alguns dos filhotes do hard rock ainda têm muito fôlego para conquistar fãs ao redor do planeta. Este é o caso de um dos maiores vocalistas do rock'n' roll, Jeff Scott Soto, que começou sua carreira em 1984, como a voz do grupo Rising Force, e dividia os créditos com um guitarrista iniciante, Yngwie Malmsteen. Nos anos seguintes, Malmsteen se destacaria como um verdadeiro "fritador" das guitarras - no bom sentido, claro. Uma referência de virtuose em seu instrumento. Entre as idas e vindas de Scott Soto na banda de Malmsteen, o vocalista adquiriu um extenso currículo de participações especiais em álbuns de Jeff Young (ex-Megadeth), Alex Rudi Pell, Zakk Wilde (ex-guitarrista de Ozzy Osbourne), Vinnie Vincent (ex-Kiss). Foi backing vocal em discos de Lita Ford e do guitarrista Paul Gilbert. Participou também de diversas trilhas sonoras de filmes como Rock Star e George of the Jungle. Além disso, Jeff foi o fundador das bandas Eyes, Takara e Talisman, sendo esta última a que alcançou maior sucesso.

Jeff Scott Soto agarrou com força sua carreira solo nos últimos anos, e conseguiu demonstrar todo seu vigor e evolução musical. Do álbum morno Prism, que lançou em 2002, seguiu-se o empolgante disco JSS Live At The Gods, gravado ao vivo na Inglaterra. Neste CD, Soto conseguiu se sentir confortável frente a uma banda entrosada, que - pasmem - começou a ensaiar junto nas vésperas da gravação. Soto disse em uma entrevista que concedeu por ocasião do lançamento de JSS Live At The Gods, que o guitarrista Howie Simon não conhecia o baterista Alex Papa nem o baixista Gary Schutt na semana que antecedia este show. Se disseram que o improviso beirava o fiasco, esse álbum mostrou um resultado bem diferente do que foi imaginado. A alta dose de espontaneidade deu um tempero diferente para cada uma das 15 faixas, que percorrem a carreira de Soto e dão um panorama de algumas de suas influências.

O álbum abre com "2 Your heart", uma canção apresentada a capella. O belo arranjo vocal é logo depois atropelado pela força da música "Let me entertain you", um cover do Queen que já faz parte do repertório de Soto desde os tempos de Talisman. O show segue com as faixas "Break your chains" e "Love Parede" mostram um hard rock revigorado, sem todas aquelas habituais programações eletrônicas difundidas pelo rock dos anos 80. A sonoridade ficou mais limpa, a não ser pelos efeitos e distorções na guitarra de Howie Simon, que preencheu seu canal com solos longos e muito bem trabalhados, lembrando o estilo de Eddie Van Halen. Falando em Van Halen, o álbum também traz a música "Stand Up", composta por Sammy Hagar para a trilha sonora do filme Rock Star. A faixa foi originalmente gravada no ano 2000 por Jeff Scott Soto, Zakk Wylde, Jeff Pilson e Jason Bonham.

A banda se mostrou versátil logo nas primeiras músicas, fato que deixou Soto muito à vontade para explorar seu carisma e seu potencial como cantor. Nesse clima ele apresentou algumas músicas inéditas ao público, como "How Long" e "Eyes of love", lançadas depois em seu álbum Prism. O show contou com a participação especial do guitarrista Pontus Norgren, que acompanhou Jeff Scott Soto no Humanimal, se juntou a banda para apresentar a faixa "Again 2 be found", extraída do único disco lançado desse projeto. Além de guitarras dobradas, acontece um pequeno duelo entre Simon e Norgren no final da música, que garante a alegria dos fãs das seis cordas.

A faixa que encerra a primeira parte do show é um clássico do Talisman, "I'll be waiting" faz o público cantar o refrão mais alto que Soto. No fim da música, fraseados desconexos saem da guitarra, como se Simon estivesse demonstrando suas habilidades. Logo é a vez dos outros músicos se unirem ao guitarrista para uma demonstração acústica bastante suingada, que abre uma seqüência dois medleys para encerrar o disco-show. O primeiro medley é composto de baladas como "Mysterious", do Talisman, "Crazy", do Seal, "4 U", escrita por Soto. As canções ficaram lindas nas versões desplugadas.

O último medley do álbum revive os tempos que Jeff Scott Soto era vocalista do grupo de Yngwie Malmsteen. "Don't let it end", "On the run again", "I'm a viking" e "I'll see the light tonight" exigem dos vocais de Soto uns bons falsetes e berros típicos dos vocalistas de metal melódico. A banda mostra perfeita sintonia neste momento, guitarra e bateria fazem um show à parte. O CD ainda contém uma faixa bônus, a balada "Good love", gravada em estúdio.

O lançamento JSS Live At The Gods também está disponível na versão em DVD, que além das imagens do show, ainda traz uma longa entrevista com Jeff Scott Soto, clipes das músicas "Holding On" e "Eyes of Love", além de cenas fora do palco que flagram o cantor em momentos engraçados e descontraídos. O destaque mesmo é poder conferir a presença de Soto em palco em um dos melhores momentos de sua carreira, uma figura carismática, capaz de seduzir o público com sua performance, como todos os grandes líderes do glam rock devem ser.

Para ir além









Debora Batello
São Paulo, 29/10/2004

Quem leu este, tambm leu esse(s):
01. Contentamento descontente: Niketche e poligamia de Renato Alessandro dos Santos
02. Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva de Renato Alessandro dos Santos
03. Dando nome aos progres de Celso A. Uequed Pitol
04. Dois Escritores Húngaros de Ricardo de Mattos
05. Uma defesa de Juno de Giovana Breitschaft


Mais Debora Batello
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Literatura Estrangeira Inferno
Dan Browm
Arqueiro
(2016)



Livro Infanto Juvenis A Colcha de Retalhos
Conceil Correa da Silva e Nye Ribeiro Silva
Do Brasil
(1995)



A garota americana (Vol. 1)
Meg Cabot
Galera
(2004)



Construir o Homem e o Mundo
Michel Quoist
Livraria Duas Cidades
(1973)



Longe de Manaus
Francisco José Viegas
Record
(2007)



Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim...
Paulo Sergio Valle
Litteris
(2008)



Histórias e Conversas de Mulher
Mary Del Priore
Planeta
(2013)



Livro Infanto Juvenis Novo Final da História
Mirna Pinsky
Companhia das Letras
(2004)



Contabilidade para Administradores
Helio de Paula Leite
Atlas
(1997)



O Legado de um Pai
João Rubens Fagundes; Michelle Werder
Meta
(2016)





busca | avançada
205 mil/dia
2,9 milhões/mês