Pagando promessas na terra do sol | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/10/2006
Pagando promessas na terra do sol
Marcelo Miranda

+ de 6700 Acessos

Uma retrospectiva de quase toda a obra de Glauber Rocha está mobilizando o Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, aqui em Belo Horizonte. Numa parceria com o Tempo Glauber - entidade sediada no Rio de Janeiro que cuida do acervo e memória do diretor -, a coordenação do cinema vem exibindo desde a semana passada grande parte do que o baiano realizou, entre curtas e longas-metragens. E então fui rever Deus e o Diabo na Terra do Sol, marco da cinematografia de Glauber, epopéia social e política que ainda hoje mexe com as emoções de quem assiste. Ver na tela grande, então, é de lacrimejar.

Mas o que me fez aparecer com este assunto aqui é uma curiosidade que apenas agora me veio à cabeça. Pode ser que outros já tenham falado disso, às vezes existem livros sobre o assunto, estudos, teses e sabe-se lá o que mais. Eu admito que apenas agora me dei conta do quanto Deus e o Diabo na Terra do Sol é semelhante a O Pagador de Promessas. Dirigido por Anselmo Duarte e lançado em 1962, esta adaptação da peça de Dias Gomes ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes daquele ano, feito máximo do cinema brasileiro jamais igualado.

São filmes, a princípio, muito diferentes. O de Anselmo utiliza certo classicismo formal na narrativa e linguagem; o outro é um apanhado de imagens e montagens ideológicas. Um foi dirigido por um ex-galã de estúdios, em especial da Vera Cruz; o outro tinha no comando um artista enfezado, porreta, disposto a desbancar os poderosos em nome de sua utopia. Isso, para não falar em outras diferenças aparentes no simples assistir de cada filme.

Então, onde estão as semelhanças dos filmes? Antes disso: por que relacioná-los? Ora, apesar de pouca gente reconhecer, O Pagador de Promessas está, de certa forma, inserido no Cinema Novo. Anselmo Duarte participou da reunião de diretores que "criou" o termo imortalizado ao longo da história. Ele era membro da turma, cineasta insatisfeito com os rumos da arte brasileira e disposto a participar desse movimento cujo objetivo era criar um novo tipo de olhar na tela. Pois fez O Pagador..., causou impacto, foi a Cannes e ganhou. Acabou sendo a maldição de Duarte. Nunca mais ele conseguiu os apoios que buscava. Passou a ser enxergado como um intruso entre os cinemanovistas. "Nós aqui, fazendo política com imagens, vai esse galãzinho adaptar uma peça de teatro e leva o maior prêmio do cinema?!", pareciam bradar. Anselmo, rancoroso e irritadiço, largou pra lá a confusão e seguiu em frente - para jamais conseguir um grande sucesso como aquele que o consagrou.

Pagador

Segundo o próprio conta em depoimento ao crítico Luiz Carlos Merten no livro O Homem da Palma de Ouro, Anselmo Duarte recebeu tapinhas nas costas até de Glauber enquanto realizava O Pagador. Quando voltou da França, diz ter sido desprezado. No ano seguinte, o mesmo Glauber colocou em cena Deus e o Diabo na Terra do Sol, e foi aquele baque. Nunca um cineasta tinha lançado com tamanha força aos olhares de tanta gente e daquela forma tão politizada as mazelas sociais, políticas e econômicas do brasileiro comum. Imediatamente laureado como líder informal do movimento então em voga, Glauber capitaneou uma "rebelião" e seguiu realizando trabalhos controversos. Anos depois, enveredou por um cinema de poesia extremamente complexo.

Apesar de terem trilhado caminhos tão distintos, O Pagador de Promessas e Deus e o Diabo na Terra do Sol têm curiosas semelhanças. A começar por serem os segundos projetos em longa de seus realizadores. Glauber fizera Barravento anos antes, já demonstrando a verve combativa; Anselmo dirigiu a comédia Absolutamente Certo, brincadeira com a chanchada e de singela ingenuidade. Depois, quando ambos partiram para o próximo trabalho, escolheram histórias de cunho político, religioso e social. Deus e o Diabo... tem na figura de Manuel o homem injustiçado pelo poder, o rebelde que foge desembestado em busca de alguma resposta. Depara-se, primeiro, com o sincretismo e a fé inabalada no poder de Deus; depois, torna-se cangaceiro e enxerga na figura do "diabo loiro" Corisco a índole do terror e da luta física. No fim, não escolhe lado algum e decide, ele mesmo, definir um caminho.

Em O Pagador, o protagonista é Zé do Burro. Homem simples e humilde, vai a pé até a cidade. Carrega nas costas uma cruz de madeira, a fim de cumprir a promessa feita a Iansã que, supostamente, salvou seu burrico. Na porta da igreja, é barrado pelo padre, que não admite um homem do candomblé entrar em seu templo católico. Zé não admite a recusa e se fixa nas escadarias da igreja. Atrai jornalistas, políticos e cafetões em busca da capitalização de sua inocência.

Deus e o Diabo na Terra do Sol

Percebe-se que, nos dois filmes, existe o gancho do homem do campo atrás de resoluções. Um quer novos destinos; o outro quer manter a palavra. São confrontados com o poder da Igreja, sempre por meio da crença de que existe um ser maior a reger o universo e responsável por resolver os problemas do planeta. Seja curando burros ou transformando o sertão em mar, Deus é figura simbólica de esperança e conforto. Glauber e Anselmo trabalham esta idéia de jeitos bastante diferentes, mas a essência está toda lá. Outro fator ligado à religião e aproximador dos filmes é a desilusão com a tal crença. Em Deus e o Diabo, é a esposa Rosa quem enxerga a impossibilidade do pregador lhes dar novos rumos; em O Pagador, o representante da igreja em pessoa torna a vida de Zé um inferno e o leva à destruição. Há, também, uma esposa de nome Rosa, a soprar no ouvido do personagem o nível de loucura ao qual ele se submete. Tanto num filme como no outro, os maridos não escutam suas mulheres, para em seguida perceberem que elas estavam certas.

Uma leitura lado a lado dos filmes ainda pode permitir a percepção de rostos conhecidos. Othon Bastos interpreta personagens importantes: com Anselmo, ele estréia nos cinemas na pele de um jornalista encarregado de descolar uma grande matéria em cima da história de Zé do Burro; com Glauber, toma a tela de assalto como um alucinado e rodopiante Corisco, cangaceiro parceiro de Lampião que brada e corre a defender a barbárie em nome da justiça. Geraldo Del Rey é outro a aparecer duplamente. Em O Pagador de Promessas, surge como um cafetão que dispensa a prostituta vivida por Norma Bengell e tenta seduzir a inocente Rosa (Glória Menezes); na terra do sol de Glauber, Del Rey é Manuel, protagonista do filme, homem dividido entre a pregação e a danação.

Na diferenciação que caracteriza cada filme, a maior entre os dois em questão, além da discussão sobre linguagem, conceito e montagem, deve ser, afinal, a forma de olhar para o futuro. Em Glauber, existe uma esperança muito poderosa de que, agindo, deixando de lado a passividade, o homem comum pode atingir seus objetivos e destronar os poderosos. Pode transformar o sertão em mar. Já em Anselmo, este mesmo homem comum parece fadado a sucumbir ante os poderes estabelecidos, a não resistir à pressão de gente que se assume maior que o próximo, gente que leva ao limite uma imaginária cadeia de forças - e lutar contra tal cadeia parece apenas provocar mais dor.

Irônico que Anselmo Duarte, com seu triste O Pagador de Promessas, tenha seguido caminho parecido ao de seu protagonista, caindo em desgraça quando achou que estava por cima. E Glauber, este gigante, plantou sementes de esperança e, mesmo morto precocemente em 1981, deixou florescer um cinema ainda hoje reverberado. O que importa, em suma, nem é se um ou outro filme possa ser melhor que o outro. Ambos, cada um à sua maneira, são grandes tratados imagéticos e ideológicos que se complementam.


Marcelo Miranda
Belo Horizonte, 23/10/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Teatro sem Tamires de Elisa Andrade Buzzo
02. O Carnaval que passava embaixo da minha janela de Elisa Andrade Buzzo
03. Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela de Renato Alessandro dos Santos
04. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti de Jardel Dias Cavalcanti
05. 40 anos sem Carpeaux de Celso A. Uequed Pitol


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ÁLBUM DE VISHNU
MANUELA PARREIRA DA SILVA
ASSÍRIO & ALVIM
(1999)
R$ 45,32



REPARANDO ERROS DE VIDAS PASSADAS
VERA LUCIA MARINZECK
PETIT
(1992)
R$ 13,00



CÓDIGO CIVIL COMPARADO
VARIOS AUTORES
SARAIVA
(2002)
R$ 9,80



HISTOLOGIA HUMANA
BRUCE D. FALLIS / ROBERT D. ASHWORTH
EDART
(1976)
R$ 20,00



MINHAS PRIMEIRAS HISTÓRIAS BÍBLICAS
FIONA BOON E LARA EDE
CIRANDA CULTURAL
(2011)
R$ 5,50



LINGUAGEM CORPORAL
JULIUS FAST
LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO
(1970)
R$ 12,00



UNIVERSO MARVEL - A FÚRIA DE HIRO-KALA !
MARVEL
PANINI COMICS
(2012)
R$ 15,00



RAJA YOGA
SUELY FIRMINO
MADRAS
(2014)
R$ 10,00



OBRIGAÇÕES E CONTRATOS EM VIAGENS E TURISMO
JOANDRE ANTONIO FERRAZ
IPETURIS
(2005)
R$ 15,00



MORTE NO PARAÍSO - A TRAGÉDIA DE STEFAN ZWEIG
ALBERTO DINES
ROCCO
(2004)
R$ 30,00





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês