A extensão do Mensalão | Lucas Rodrigues da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Mensalão

Terça-feira, 13/9/2005
A extensão do Mensalão
Lucas Rodrigues da Silva

+ de 3100 Acessos

A extensão da crise do Mensalão é assustadora e, em países nos quais a população tem uma participação mais ativa na vida política, as coisas seriam muito, muito sérias - e não essa feira de risadas que se transformou cada uma das CPIs. Digo isso porque o brasileiro - farto de mensalões e cuecas - já aguarda com entusiasmo o day after dessa bagunça.

Digo isso porque, aqui, toda bagunça tem sua Quarta-feira de Cinzas - que cura nossa a ressaca e dá novo ânimo para a cabeça.

O brasileiro quer queimar logo sua camisa amarela e esquecer, passar para trás esse episódio triste de dinheiro que voa nas graças do Senhor, de cuecas suspeitas e nomes indecentes. Ele não quer mais a imprensa aos brados nos seus ouvidos: "Seus burros, eleitores cretinos, vejam o que fazem as pessoas em quem vocês depositaram sua confiança!". Gritam jornais, blogs, rádios e televisões. Grito eu e grita você. E o brasileiro não quer mais isso. Ele quer ver logo o sangue dos culpados, o choro dos inocentes e o brado dos injustiçados na televisão. Logo!

Porque, quer queira quer não, há de sair um resultado disso tudo. Por mais que meu prognóstico pessoal seja de que na Quarta-Feira de Cinzas, todo mundo irá esquecer o que aconteceu - afinal, este dia está aí para isso -, é preciso haver um desfecho, um epílogo, um fim. E ponto.

Ou corremos o sério risco de não acontecer nada, como foi com Collor, que renunciou e foi absolvido juridicamente, apesar da cassação. Veja, com Collor não aconteceu nada; morreu seu irmão, morreu PC e não ficou ninguém para contar a história. O tempo passou e ficou no ar, ainda mais com estas medonhas aparições do ex-presidente, uma sensação de que ele foi, quem sabe, passado para trás por alguma força oculta que habita em Brasília. Algum fantasma como ele próprio se transformou.

O carnaval não pode durar o ano inteiro, as pessoas têm que ser infelizes. Fora as poucas desatinadas, as pessoas não querem mais sambar sobre o mar de lama. Chega de dar risadas das nossas piadas prontas e de nós mesmos. Chega de crise nos jornais.

Mesmo porque estes desvios históricos acabam por causar efeitos colaterais que não a punição direta dos envolvidos. Um destes efeitos foi a grande bola fora do Mainardi, dedando um off do deputado Federal José Janene do PP, acredite-se no colunista ou não. Acabou por estremecer a relação entre a imprensa e os políticos, que dirão menos ainda do que sabem aos entrevistadores. Uma lástima.

Outro perigo a que estamos expostos é inversamente proporcional ao causado por Mainardi - o excesso de informação. É muita gente sendo investigada ao mesmo tempo e não é possível acompanhar todos os casos com a mesma atenção. Ou seja, queremos assistir na praça principal a decapitação de Dirceu, mas quem se importa que - na quadra ao lado - o senhor Lamas esteja sendo cassado? É uma gente sanguessuga que poderá se safar apenas por não ser do alto clero no Congresso - poderão ficar escondidos atrás do foguetório da ilusão, que irá cegar todos os sedentos por vingança - essa gente que quer punição a todo custo e que cobra o corte na própria carne como se cobra uma promessa.

Mas como acompanhar todas as decapitações? Não é possível. É muito afilhado chupinhando a Viúva. Nem ela sabe mais, coitada, quem está mamando nas suas tetas e quem será, por isso, cassado.

Outro resultado - talvez positivo, e só o tempo dirá - é o novo posicionamento político dos órfãos daquele PT das décadas de 80 e 90. O PT da esperança, o do "Lula-lá". O PT que só sabia ser oposição - e fazia isso muito bem, sendo um grande contrapeso na política nacional. Acontece que o sonho do PT ruiu e sobrou somente um esqueleto do partido.

E, mesmo assim, houve quem soubesse aproveitar a oportunidade e, munidos da arrogância tradicional dos intelectuais do partido, foram ser estandartes da moral em outras paragens depois de expulsos da legenda.

É o caso da famigerada Heloísa Helena que, de senadora caricata e inexpressiva, transformou-se no símbolo de uma limpeza étnica feita no PT, que resultou no PSOL. Heloísa Helena, Babá e outras figuras soturnas da política nacional se coadunam na esperança de, um dia, serem opção única contra o establishment político. Formaram um partido-trincheira que tem como bandeira a briga. Não importa se contra liberais, centro-esquerdas ou quem quer que seja. Nesse samba do crioulo doido são contra tudo e todos. Se bobear, brigam contra o espelho de manhã.

Acontece que, como oposição, essa gente nunca foi muito responsável, atirando com bazucas contra ratos, utilizando uma virulência desnecessária no Congresso, pedindo a cada três meses - ou menos - a cabeça de alguém. "Fora FHC" era seu mantra, repetido à exaustão na esperança de que o sapo barbudo pudesse trocar de lugar com o príncipe e, quem sabe, tornar-se um.

Só o futuro dirá o que farão contra os próximos governos. Se baterão de frente sistematicamente como fazem com Lula ou se serão moderados, como têm sido os tucanos, medrosos de gritarem muito e acabarem chamando a atenção para o fato de que, em menos de dois anos, seria impossível criar-se esquemas como os que têm sido encontrados. Não se pode afirmar qual será o papel de Helena porque o brasileiro está cada vez mais mineiro, mais desconfiado, com os políticos, independente da forma ou conteúdo. Ainda mais com os vermelhos.

Pois é. Só agora o Brasil percebe o que fizemos ao colocar um torneiro mecânico - que não trabalha há tantos anos e não estudou o mínimo necessário - no posto da Presidência do País. Acabou-se a ilusão de que um grande coração pode governar uma geringonça como o Brasil com alguma competência. É como um diretor de bateria surdo, que comanda seus ritmistas baseado, apenas, nas vibrações que sente na pele. Por mais que ele seja sensível às batidas potentes dos grandes surdos de uma bateria, por mais que tenha uma noção rítmica absurda, ele não seria meu escolhido para dirigir a bateria da minha escola. Sem ofensas, mas algumas coisas são incompatíveis. Diretor de bateria surdo não dá. Assim como presidente ignorante.


Lucas Rodrigues da Silva
São Paulo, 13/9/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um software em crise existencial de Wellington Machado
02. livros não salvam o mundo. nem as pessoas. de Ítalo Puccini
03. De tinta e fio é feito o homem de Elisa Andrade Buzzo
04. O Natal do velho Dickens de Celso A. Uequed Pitol
05. Quero estudar, mas não gosto de ler. #comofaz? de Ana Elisa Ribeiro


Mais Lucas Rodrigues da Silva
Mais Especial Mensalão
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TERCEIRO HOMEM
NORMA DISCINI DE CAMPOS
DO BRASIL
(1985)
R$ 4,00



CURSO DE MECÂNICA VOL 2
ADHEMAR FONSECA
LIVROS TÉCNICOS E CIENTIFICO
(1973)
R$ 13,08



OXFORD ADVANCED LEARNER'S DICTIONARY OF CURRENT ENGLISH
A.S. HORNBY
OXFORD
(1974)
R$ 16,50



NAÇÕES DO MUNDO - ALEMANHA
EDITORES DE TIME-LIFE LIVROS
ABRIL LIVROS
(1991)
R$ 9,00



TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
BERNARD BOAR
BERKELEY
(2002)
R$ 14,00



A GUERRA QUE MATOU AQUILES
CAROLINE ALEXANDER
BERTRAND BRASIL
(2014)
R$ 35,00



ERVING GOFFMAN: DESBRAVADOR DO COTIDIANO
ÉDISON GASTALDO
TOMO EDITORIAL
(2004)
R$ 36,00



CONTRA TUDO E CONTRA TODOS - 1º VOLUME
AMÉDÉE ACHARD
SARAIVA
(1960)
R$ 4,25



FILOSOFIA CONECTE LIDI UNICO
GILBERTO VIEIRA COTRIM MIRNA FERNANDES
SARAIVA DIDÁTICO
(2017)
R$ 102,90



PRÁTICAS DE CONTABILIDADE COOPERATIVISTA
JOÃO BELDA FILHO
SECRETRARIA DA AGRICULTURA
(1967)
R$ 8,91





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês