Boa nova: o semi-inédito CD de Chico | Vitor Nuzzi | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS

Terça-feira, 2/5/2006
Boa nova: o semi-inédito CD de Chico
Vitor Nuzzi

+ de 7000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O CD mais recente de Chico Buarque, As Cidades, foi lançado em um ano de Copa do Mundo. Deu azar: o Brasil perdeu na decisão para a França, em 1998. Pelo menos, naquele mesmo 1998 a Mangueira venceu o Carnaval carioca com um samba-enredo em homenagem a Chico. Oito anos depois, o futebolista e escritor Chico Buarque lança Carioca, seu apelido na época em que residia em São Paulo, onde morou durante 20 de seus quase 62 anos. Na capa e no encarte, mapas do Rio de Janeiro são projetados sobre o rosto e o corpo de Chico.

Nascido em 19 de junho de 1944 no bairro do Catete, no Rio, ele hoje mora em um prédio numa rua tranqüila do Leblon, bairro por onde costuma caminhar - calça 42 e gosta de andar com rapidez - e tomar água-de-coco. Será o primeiro trabalho pela Biscoito Fino, com a qual assinou contrato ano passado. Segundo a gravadora, o trabalho que chegará às lojas em maio terá duas versões: CD e caixa com CD e DVD, com cenas dos bastidores da produção. Chico já passou dos 20 discos solo, incluindo lançamentos em italiano e espanhol. O número de composições supera 300 - bem longe dos mil gols de Pelé, mas com várias obras-primas. E Carioca chega ao mercado praticamente 40 anos depois do lançamento do primeiro LP do compositor, Chico Buarque de Hollanda, em outubro de 1966 - ano em que ele conheceu Marieta Severo, sua mulher durante 30 anos e mãe de suas três filhas, Silvia, Helena e Luísa.

Um disco de Chico Buarque é sempre uma boa notícia para a música. Em seu primeiro LP, como atacante que é dentro de campo, ele já mostrou ao que veio, com obras como "A Banda", "Pedro Pedreiro", "Tem Mais Samba", "A Rita". "Nenhum outro compositor fizera uma espuma desse tamanho ao surgir", observou o escritor Ruy Castro, em texto comemorativo dos 60 anos de Chico, publicado em 2004 pela revista Contigo!. Assim como o de 1966, o disco de 2006 tem 12 faixas. A diferença é que nem todas são inéditas. Algumas delas já foram ouvidas em outras vozes.

"Ode aos Ratos" (Chico e Edu Lobo), a terceira faixa, foi incluída no musical Cambaio, de Adriana e João Falcão, em 2001. A seguinte, "Dura na Queda", foi gravada por Elza Soares em 2002. A décima, "Leve", tem uma versão de 1997, de Dora Vergueiro - filha de Carlinhos Vergueiro, parceiro de Chico na composição. "Imagina", de Tom Jobim e Chico, que fecha o CD, saiu originalmente em 1983, na trilha sonora do filme Para Viver um Grande Amor, de Miguel Faria Jr. - a música, de Tom, é de 1947. Outras duas composições também foram feitas para o cinema: "Porque Era Ela, Porque Era Eu", (referência a uma frase de Michel de Montaigne, filósofo francês do século 16), que compõe a trilha do recente filme A Máquina, de João Falcão, e "Sempre", que fará parte da trilha de O Maior Amor do Mundo, de Cacá Diegues. O disco traz mais duas parcerias: "Bolero Blues", com o baixista Jorge Helder, e "Renata Maria", com o compositor Ivan Lins. Completam o disco "Subúrbio", "As Atrizes", "Ela Faz Cinema" e "Sempre". O CD tem participações especiais de Dominguinhos (com quem Chico gravou "Tantas Palavras", em 1984), Mônica Salmaso e Daniel Jobim, direção musical de Luiz Cláudio Ramos - que há exatos 30 anos assinou o arranjo de "Mulheres de Atenas" - e, assim como em 1998, produção de Vinícius França.

"(Chico) Faz a música que quer fazer e que acha de boa qualidade. E só libera o disco quando tem certeza que já esgotou todas as possibilidades de melhora, quando sente que está no ponto", contou a jornalista Regina Zappa em livro de 1999. Se assim é, o CD tem selo de qualidade, embora nem todas as músicas sejam desta safra, o que limita a compreensão da atual produção de Chico Buarque, que em um período de 13 anos, 1993 a 2006, lançou apenas três CDs de composições inéditas. É bem verdade que no meio do caminho ele enveredou pela literatura, com Benjamim, em 1995, e Budapeste, de 2003 - ano que em Benjamim viraria filme, dirigido por Monique Gardenberg. Três anos antes, o livro Estorvo, publicado em 1991, serviu de base para longa-metragem de Ruy Guerra, antigo parceiro de Chico. O seu primeiro livro, Fazenda Modelo, é de 1974.

Como sempre, as comparações serão inevitáveis. "As pessoas sempre me perguntam por que eu não faço mais aquela música. Aquela música é tudo o que eu não quero fazer. Eu quero fazer a outra música", comentou, em entrevista de 1993. O próprio Chico já identificou um público muito mais saudosista do que ele. "Mas não posso me prender a uma expectativa que é paralisante", afirmou, na mesma entrevista, concedida à revista Ligação, do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

A explicação de Chico Buarque para a produção musical cada vez menos intensa é recorrente: a preocupação com a qualidade. "Quando você grava o primeiro disco, deixa de fora o dobro das músicas, porque no disco não cabe tudo aquilo que você tem na cabeça. Você acha tudo maravilhoso. Depois você começa a ficar cada vez mais seletivo, demora mais tempo pra fazer uma música", disse à extinta revista Bundas, em junho de 2000. "Agora, o ritmo é outro. É normal que seja outro. É menos espontâneo do que era aos 20 anos. Você procura mais, burila mais", afirmou, na mesma linha, à revista Caros Amigos, em dezembro de 1998. "Mas eu só gravo um dia quando acho que estou fazendo algo novo, penso que posso fazer melhor em relação ao que já fiz. Meu trabalho é tecnicamente melhor, tenho mais rigor na composição", disse em entrevista ao suplemento dominical Revista, do jornal O Globo, no último dia 23 de abril. Na mesma publicação, ele tenta explicar o título do CD. "O disco é carioca até nas citações musicais, tem canção com um toque da música americana que se ouvia aqui no Rio dos anos 50. Tem muitas citações musicais e literárias à cidade do Rio de Janeiro." Nada intencional nem saudosista, ressalta o autor. "Não planejei um disco carioca, isso foi acontecendo pelas notícias que a gente tem das transformações da cidade nesses anos todos..."

Música e literatura sempre estiveram presentes na vida de Chico, como atesta o seu próprio pai, Sérgio Buarque (1902-1982), em artigo escrito em 1968 e publicado em 1991 pelo jornal Folha de S. Paulo: "Sempre gostou muito de ler. Guimarães Rosa é um de seus autores preferidos. Quando fez 'Pedro Pedreiro', inventou uma palavra: penseiro. Talvez inspirado em Guimarães Rosa, que também era dado a inventar palavras. Tolstói e Dostoiévski também eram seus favoritos. Assim como Kafka. Em geral, ele ia lendo tudo o que caía em suas mãos. A música é responsável por ele ter abandonado o curso de Arquitetura, decisão que tomou sozinho". O gosto pelo futebol veio da mãe, Maria Amélia, torcedora fanática do Fluminense. Nesse tripé se sustenta a obra de Chico Buarque, que, driblando rótulos ao longo de sua carreira, transita por diferentes gerações com a mesma desenvoltura. Dessa maneira, um "meio disco" de Chico pode valer por dois. E deve ser saboreado como um bom tinto italiano.


Vitor Nuzzi
Rio de Janeiro, 2/5/2006


Mais Vitor Nuzzi
Mais Acessadas de Vitor Nuzzi em 2006
01. Boa nova: o semi-inédito CD de Chico - 2/5/2006
02. Um imenso Big Brother - 6/2/2006
03. Os 40 anos de A Banda versus Disparada - 30/10/2006
04. Outra palavra, da cidade Coração - 11/4/2006
05. Democracia envelhecida - 20/10/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/8/2006
02h39min
O Chico fez coisas notáveis em sua carreira. E sempre manteve o nível (muito alto). E apesar de ser, ao longo dessa carreira, um dos artistas mais politicamente engajados, não virou ministro. Ufa.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AJUDA-TE PELA NOVA AUTO-HIPNOSE
PAUL ADAMS
IBRASA
(1978)
R$ 20,00



ADULTOS SEM FILTRO E OUTRAS CRONICAS
THALITA REBOUCAS
ROCCO
(2012)
R$ 21,87



POR QUE OS HOMENS MENTEM E AS MULHERES CHORAM?
ALLAN E BARBARA PEASE
SEXTANTE
(2003)
R$ 6,00



JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO
M. B. LOURENÇO FILHO

R$ 44,00



VAMPIROS EM DALLAS
CHARLAINE HARRIS
ARX
(2010)
R$ 10,00



A MÁSCARA DA MORTE VERMELHA
EDGAR ALLAN POE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 8,00



O JOVEM FUTEBOLISTA
GARY LINEKER
CIVILIZAÇÃO
(1994)
R$ 11,70



DEVOCIONÁRIO NOSSA SENHORA DA PAZ
MARIA DAS NEVES
SANTA MARIA
(1999)
R$ 3,00



PASSADO E FUTURO DA ERA DA INFORMAÇÃO
RICARDO RANGEL
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,60



PARADOXO GLOBAL
JOHN NAISBITT
CAMPUS
(1998)
R$ 7,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês