Os 40 anos de A Banda versus Disparada | Vitor Nuzzi | Digestivo Cultural

busca | avançada
71995 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vida de aspirante a escritor
>>> Cesar Huesca
>>> 24 de Maio #digestivo10anos
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> 22 de Maio #digestivo10anos
>>> Intravenosa
>>> A primeira batalha do resto da guerra
>>> Metal for babies, o disco
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Sidney Lumet, invisível
Mais Recentes
>>> Fenomenologia e Direito de Aquiles Côrtes Guimarães -( Coordenador) pela Lumen Juris (2005)
>>> Bate - Papo Com o Além de Zibia Gasparetto pelo Espírito Silveira Sampaio pela Espaço Vida e Consciência (1994)
>>> Certain Girls de Jennifer Weiner pela Simon and Schuster (2008)
>>> Mountaing Fears de Stuart Woods pela Penguin Uk (2009)
>>> Danielle Steel de Granny Dan pela Dell (2009)
>>> Thirty Ways of Looking at Hillary: Women Writers Reflect on the Candidate and What Her Campaign Meant de Susan Morrison pela Harper Perennial (2008)
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela O globo
>>> Iracema de Jose de Alencar pela Folha
>>> Três autos da alma da barca do inferno de Gil Vicente pela Folha
>>> Clara dos Anjos e outras histórias de Lima Barreto pela Folha
>>> O cortiço de Alusío Azevedo pela O globo
>>> Sonetos de Bocage pela Folha
>>> As pupilas do senhor reitor de Julio Dinis pela Folha
>>> Amor e Perdição de Camilo Castelo Branco pela O globo
>>> O noviço de Martins Pena pela Folha
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela Folha
>>> O Leopardo de Giuseppe Tomasi Di Lampedusa pela Companhia Das Letras (2017)
>>> The Host de Stephenie Meyer pela Litle (2009)
>>> Uns e Outros de Helena Terra e Luiz Ruffalo pela Dublinense (2017)
>>> A mulher que escreveu a Bíblia de Moacyer Scilar pela Folha (2012)
>>> Pegasus e o fogo do olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2011)
>>> Tempo de Geografia de Axé Silva e Jurandyr Ross pela Brasil (2019)
>>> Pegasus e a batalha pelo olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2011)
>>> Pegasus e as origens do olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2014)
>>> Pégasus e os novos olímpicos de Kate Ohearn pela Leya (2013)
COLUNAS

Segunda-feira, 30/10/2006
Os 40 anos de A Banda versus Disparada
Vitor Nuzzi

+ de 5000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Encerrada a apuração, a classificação ficou assim: 5º lugar, "Ensaio Geral". Em 4º, "Canção de não Cantar". O 3º ficou com "Canção para Maria", enquanto o 2º foi para "De Amor ou Paz". Os candidatos eram gente como Caetano Veloso, Carlos Lyra, Capinan, Edu Lobo, Gianfrancesco Guarnieri, Gilberto Gil, Luís Carlos Paraná, Maysa, Ruy Guerra. E os votos foram apurados em quatro turnos, sendo três eliminatórios.

Eram mesmo outros tempos. "Éramos felizes. E sabíamos", diz o cantor Jair Rodrigues. 29 de outubro de 2006 marca os 40 anos de um acontecimento especial para a música brasileira - com direito, inclusive, a votação. Em 29 de outubro de 1966, um sábado, a TV Record promovia uma festa para reunir os vencedores do II Festival da MPB, realizado no teatro da emissora na rua da Consolação, em São Paulo, e encerrado no dia 10 daquele mês, com duas músicas empatadas no primeiro lugar: "A Banda", de Chico Buarque, e "Disparada", de Geraldo Vandré e Theo de Barros. Uma disputa que paralisou a cidade como uma final de Copa do Mundo. "Quem tinha um ingresso para a final era considerado um sortudo", lembra o crítico e produtor Zuza Homem de Mello, autor do livro A Era dos Festivais - Uma Parábola, que como engenheiro de som viveu todo aquele clima de perto.

Estava nascendo ali toda uma geração de talentos que até hoje apresenta as suas canções. Os então novatos e hoje sessentões Caetano e Chico, por exemplo, lançaram discos neste ano. E os festivais se tornaram um dos principais canais de expressão daquela safra, que também ia sendo descoberta em diversos programas musicais na televisão - um filão que a TV descobriu no início dos anos 60. Com o tempo, também, os festivais involuntariamente se tornaram uma válvula de escape para uma juventude que foi se sentindo sufocada com os rumos do golpe de 1964. Em fevereiro de 1966, o governo editou o Ato Institucional (AI) 3, estabelecendo eleições indiretas para governadores, que indicariam os prefeitos das capitais (as eleições indiretas para presidente já haviam sido estabelecidas no final de 1965).

Isso ficaria mais evidente em 1968, ano em que o regime se fechou definitivamente - veio o AI-5, em 13 de dezembro, Caetano e Gil foram presos, Vandré deixaria o país no início de 1969, Chico seguiria o mesmo caminho. "Embora houvesse uma preocupação dos militares em relação à cultura de esquerda, muito forte na classe média universitária, até 1968 essa preocupação não implicou numa repressão ou censura sistematizada, por parte dos aparelhos de Estado, até porque essa cultura era lida pelos militares como arroubos juvenis da classe média, que no geral apoiava o regime. A questão central é que o regime começou a perder o apoio de parte da classe média em 1968, e os jovens se radicalizaram na direção da luta armada. Nesse momento, a cultura de esquerda rompeu os limites da contestação dentro do mercado de espetáculos e passou a fornecer as bases simbólicas e identitárias de uma ação política efetiva", observa Marcos Napolitano, professor de História na Universidade de São Paulo (USP) e doutor em História Social, com pesquisa em MPB.

Tempos depois, o governo tentaria usar festivais como propaganda a seu favor, mas isso já é outra história. Voltemos a 1966. As três eliminatórias foram realizadas em 27 e 28 de setembro e em 1º de outubro, com 36 músicas finalistas, selecionadas entre nada menos que 2.635 inscritas. "O melhor dos prêmios, porém, foi encontrado não na soma das notas do júri, mas nas ruas, nos colégios, no assovio do leiteiro, nas conversas de esquina, nas manchetes dos jornais, em toda uma cidade que cantava e vivia uma coisa nova", escreveu o produtor Solano Ribeiro na contracapa do LP Viva o Festival da Música Popular Brasileira. A final, com apenas 12 composições, ficou para a noite de segunda-feira, 10 de outubro. "A expectativa era tão grande que alguns cinemas e teatros chegaram a suspender suas sessões acreditando que não haveria viva alma para assisti-las naquela segunda-feira", escreveu Zuza.

"A Banda" foi interpretada por Nara Leão e "Disparada", por Jair Rodrigues - o que não deixou de ser surpresa, já que o intérprete era mais conhecido como sambista. Mas Jair imortalizou a música composta em duas ou três noites por Vandré e Theo. A letra original era ainda mais longa. "Canção para Maria", do jovem Paulinho da Viola e de Capinan, foi interpretada também por Jair, enquanto "De Amor ou Paz" (Adauto Santos e Luís Carlos Paraná) foi ouvida na voz de Elza Soares. Elis Regina defendeu a quinta colocada, "Ensaio Geral", de Gilberto Gil, e "Canção de não Cantar" (Sérgio Bittencourt) ficou sob a responsabilidade dos rapazes do MPB 4.

A decisão sobre a canção vencedora foi um caso à parte e tornou-se uma das mais famosas polêmicas da MPB. Em seu livro, Zuza revelou que "A Banda" teve sete votos, contra cinco dados à "Disparada" - mas, ainda nos bastidores, Chico Buarque não aceitou receber o prêmio sozinho. As duas foram, então, consideradas campeãs. Resultado justo para duas belas canções (mas este colaborador, se fosse jurado, votaria na épica "Disparada"). Final feliz para uma geração musical que estava apenas começando.

Post Scriptum
Já que o assunto é festival, lembremos aqui do maestro e arranjador Rogério Duprat, que morreu no último dia 26 e navegou com maestria (com o perdão do trocadilho) entre o erudito e a vanguarda.


Vitor Nuzzi
Rio de Janeiro, 30/10/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Do desprezo e da admiração de Guga Schultze
02. Noite branca no cinema de Verônica Mambrini
03. Presente de grego? de Ana Elisa Ribeiro
04. Videogame também é cultura de Rafael Fernandes
05. Uma visão de mestre do cinema de Marcela Tullii


Mais Vitor Nuzzi
Mais Acessadas de Vitor Nuzzi em 2006
01. Boa nova: o semi-inédito CD de Chico - 2/5/2006
02. Um imenso Big Brother - 6/2/2006
03. Os 40 anos de A Banda versus Disparada - 30/10/2006
04. Outra palavra, da cidade Coração - 11/4/2006
05. Democracia envelhecida - 20/10/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/11/2006
18h08min
Maravilhoso. Ler e recordar sobre uma época que eu tive o privilégio e a sorte de viver. A gente era feliz e sabia... Agradeço por esse texto lindo. Marilena
[Leia outros Comentários de Marilena Cavalheiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Trapaça - o Paraiso dos Amantes - Clínica do Pecado
José Edson Gomes - Ricardo Veronese - Vic Lester
Cedibra
(1977)



Terra - Trilogia Enigma Das Fronteiras V.2
Ana Eduarda
N/d
(2012)



Comunidades de Base no Brasil
Almir Ribeiro Guimarães
Vozes
(1978)



Philia para Colorir
Padre Marcelo Rossi
Principium



Go Girl: uma Nova Brincadeira
Thalia Kalkipsakis
Fundamento
(2007)



Take Over - Volume Único - Livro do Aluno
Denise Santos
Lafonte
(2011)



Guia Para Aguias Que Acreditam Ser Frangos
Mello, Anthony De
Academia



Instituições de Direito Civil- Vol. 5-direito de Família
Caio Mário da Silva Pereira
Forense
(1979)



Alternativas Poético-políticas ao Direito
Willis Santiago Guerra Filho
Lumen Juris
(2014)



Dicas de Alimentos e Plantas para a saúde
Sergio AugustoTeixeira
Ediouro
(1983)





busca | avançada
71995 visitas/dia
2,6 milhões/mês