Um imenso Big Brother | Vitor Nuzzi | Digestivo Cultural

busca | avançada
31131 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Civilizado?
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Dar títulos aos textos, dar nome aos bois
>>> Na CDHU, o coração das trevas
>>> Acordei que sonhava
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Orkut

Segunda-feira, 6/2/2006
Um imenso Big Brother
Vitor Nuzzi

+ de 4800 Acessos
+ 5 Comentário(s)

"Você pode achar amigos que não vê há muitos anos, pode participar de debates interessantes, pode encontrar qualquer tipo de comunidade - que representam a personalidade de cada usuário. E, se não achar, pode criar."

"Acho uma bobagem sem tamanho. Ninguém lá diz direito a verdade. E se generalizo é porque há, sempre há, exceções. Mas tem outro lado: não existiria o meu encontro de 25 anos de formatura do ginásio sem o Orkut."

Parada difícil. Muito mais do que imaginar qual será a próxima taxa básica de juros ou palpitar sobre a Copa do Mundo que começa daqui a quatro meses. Aqui, trata-se de falar o que eu acho do Orkut. Por isso, comecei recorrendo a amigos, cujas opiniões abrem este texto.

Só no Google a comunidade Orkut reúne aproximadamente 6,5 milhões de pessoas, e aproximadamente 3/4 são brasileiros. Em julho de 2005, o repórter Sérgio Dávila, da Folha de S. Paulo, entrevistou o pai da criança - ou, para alguns, o inimigo público número 1. É o turco Orkut Buyukkokten, engenheiro com pós-doutorado em Ciência da Computação, que completará 30 anos neste dia 6 de fevereiro. Parabéns para ele, que diz não ter a menor idéia das razões que fizeram o Orkut se tornar um fenômeno verde-amarelo. "Talvez seja cultural, tenha a ver com a personalidade de vocês, que são conhecidos como um povo amigável", arriscou.

Mas nem ele escapou das ironias orkutianas. Contou ao repórter que recebe várias mensagens de brasileiros, lamentando que não entenda o idioma. Aproveitou para perguntar sobre uma mensagem que estava na tela. Era alguém xingando-o de "filho da puta". O repórter avisou, educado: "Um palavrão que envolve a reputação de sua mãe". Desapontado, Orkut passou à mensagem seguinte. Era alguém perguntando se ele era parente de um personagem do programa A Praça é Nossa. Depois dessa, ele achou melhor mudar de assunto. Talvez tenha achado que os brasileiros, afinal, são amigáveis demais.

Bom, o Orkut é isso. Se você reunir dez pessoas em uma sala, algumas falarão coisas razoavelmente interessantes, outras certamente falarão bobagens e mais outras não dirão A nem B, muito pelo contrário. Imagine reunir 6,5 milhões. O potencial de coisas interessantes e de bobagens se multiplica. As pessoas não são assim?

Durante dois anos, recebi vários convites para entrar no Orkut. Só resolvi aderir no final de outubro. Portanto, a minha vivência resume-se a quatro meses. Tenho 96 amigos - sendo 14 fãs, quem poderia imaginar? - e recebi 149 scraps até o final de janeiro. Uma média modestíssima, pelo que percebo. Humilhado, constato que alguns dos meus parceiros têm centenas de amigos e recebem milhares de mensagens. Alguns falam em linguagem incompreensível para os códigos que aprendi ao longo da vida. Fui chamado a participar de comunidades tão diversas quanto a de ex-funcionários de um jornal onde trabalhei durante dez anos, da faculdade onde estudei, do Geraldo Vandré, de literatura em língua portuguesa e de rock´n´roll.

Já participei de belas discussões sobre o Vandré, tema de um artigo neste mesmo Digestivo. Gente informada, que gosta de trocar idéias. Até me aventurei a falar de rock, área em que praticamente parei nos anos 70. Mas uma grande amiga já me chamou a atenção para um outro aspecto do Orkut: o que eu passei a chamar do povo-que-não-está-nem-aí-mas-mesmo-assim-fala-sem-parar.

A questão era simples. Alguém retomou a brincadeira do stop e propôs que os participantes listassem o nome de dez ex-presidentes da República. (Atenção, preparem as suas listas.) Fui lá ver. O primeiro respondeu: pô, essa é muito difícil. Três escreveram: passo. Teve uma que ainda quis mudar a pergunta para "os cinco melhores presidentes", e ainda por cima mandou ver um Médici, alegando que era o nome de que ela lembrava. Aflição total. Fiz a minha lista, tão básica, com Vargas, Juscelino, Jânio, Jango... Mas ficou a clássica pulga atrás da orelha. Essa moçada não conhece a história recente do Brasil?

Estou lendo aqui mesmo vários relatos sobre orkuticídios. E me inclino a pensar que o Orkut não é um mal em si. Volto à questão das dez pessoas na sala. O risco de ouvir bobagem sempre é grande, mas isso vale para qualquer situação de sua vida. E há situações que você não pode evitar. Na internet, você entra se quiser. É como na sua casa, na qual as pessoas escolhem quem receber. Basta você não deixar entrar, embora pareça antipático. E há os que estão ali para se exibir, é claro. Nessas horas, o Orkut vira um imenso Big Brother, para nosso infortúnio. Só que você ainda pode mudar o canal ou simplesmente desligar.

Mas não se pode ver o Orkut como um desfile de idiotas narcisistas. O Orkut pode ser uma bela ferramenta de busca de conhecimento e para satisfazer curiosidades. Tem de tudo lá dentro, como tem de tudo na vida e no mundo. E é claro que nenhum tipo de parafernália virtual pode substituir o mundo e a vida. O melhor contato continuará sendo aquele que inclui o abraço, a palavra falada, o olho-no-olho e a risada. A voz do melhor amigo e o beijo da namorada.


Vitor Nuzzi
Rio de Janeiro, 6/2/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
02. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
03. O dia em que não conheci Chico Buarque de Elisa Andrade Buzzo
04. Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait


Mais Vitor Nuzzi
Mais Acessadas de Vitor Nuzzi em 2006
01. Boa nova: o semi-inédito CD de Chico - 2/5/2006
02. Um imenso Big Brother - 6/2/2006
03. Os 40 anos de A Banda versus Disparada - 30/10/2006
04. Outra palavra, da cidade Coração - 11/4/2006
05. Democracia envelhecida - 20/10/2006


Mais Especial Orkut
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/2/2006
15h55min
Muito interessante, especialmente pela parte histórica. O texto está gostoso de ler e mostra que até os mais resistentes cedem ao charme e praticidade do Orkut.
[Leia outros Comentários de Tatiana Cavalcanti]
8/2/2006
19h37min
Camarada Vitor, realmente o Orkut pode ser uma coisa interessante, mas também pode ser uma sala cheia de mediocres faladores. Tudo depende da vivência de cada um. Também resisti aos apelos de meus amigos para me agrupar nos infinitos grupos dessa aldeia global de tagarelas. Nada substitui os abraços e o aperto de mão, das boas e velhas amizades. Gostei do seu texto, parabéns, por acaso você quer ser meu amigo?!
[Leia outros Comentários de Clovis Ribeiro]
8/1/2007
15h47min
meu amigo vitor, sobre o orkut eu nao posso fazer nenhum comentario, porque nao conheco, vejo falar que tem coisas ruins/boas... Agora sobre esse tal de big brother, um programa exibido pela tv globo, meu comentario e' o seguinte: 40 anos de rede globo idiotizando o povo brasileiro, esse program, pra mim, e' uma berracao, porque muitas vezes vc vai bater um papo com um amigo ou coisa parecida, vc pergunta um nome de escritor brasileiro, ele nao sabe, mas se perguntar quem foi o ganhador do big brother, ai' meu amigo... Se caisse essa pergunta no vestibular de qualquer faculdade do pais, com certeza 100% acertaria. Que pais e este? Com certeza, e' o brasil: rede globo fatura e enfia guela abaixo, desses idiotas conformados, que nao sabem o nome de 10 ex-presidentes dessa republica de bananas... Um abraco, aldo giannazzi
[Leia outros Comentários de aldo giannazzi ]
10/1/2007
22h44min
Caro Vitor! Você fala do orkut com a propriedade de quem sabe valorizar o aperto de mão. O orkut é um vicio vazio de prazer... a única coisa boa é rever velhos amigos. Boas conversas são raras. Sai' faz tempo, por não encontrar a razão de estar alí olhando a vida dos outros, e os outros olhando a minha... Fico feliz em saber que existam pessoas como tú, no orkut. Parabéns pelo texto, principalmente pelo olho no olho. bj
[Leia outros Comentários de simone camargo]
8/11/2009
02h46min
Muito interessante seu texto e devo dizer que ele se enquadra muito bem na realidade de muitos jovens brasileiros. Parabéns pelo texto.
[Leia outros Comentários de Yonoski]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AQUELES OLHOS VERDES DE MARITA
JULIO DOS ANJOS
SHOGUN ARTE
(1984)
R$ 10,00



DE COSTAS PARA O MUNDO
ASNE SEIERSTAD
RECORD
(2007)
R$ 9,90



CEM SONETOS DE AMOR
PABLO NERUDA
LPM POCKET
(1998)
R$ 15,00



ANASTÁCIA E BONIFÁCIA
FLÁVIO DE SOUZA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1998)
R$ 24,90



ESPIRITISMO DE A A Z
GERALDO CAMPETTI SOBRINHO
FEB
(2008)
R$ 24,00



PLANO DE UM LIVRO A FAZER : OS CAVALEIROS DO AMOR OU A RELIGIÃO
SAMPAIO BRUNO
IMPRENSA NACIONAL
(1996)
R$ 42,43



MISSÃO CURUCA NOS ENCANTOS DA FLORESTA
GIULIANO TORRES
BARAUNA
(2013)
R$ 9,00



JONAS EM QUADRINHOS
ART AYRIS - DANNY BULADANI E OUTROS
100%CRISTÃO
(2012)
R$ 9,00



ASSASSINS CREED - A CRUZADA SECRETA
OLIVER BOWDEN
GALERA
(2015)
R$ 20,00



INQUERITO POLICIAL - DOUTRINA JURISPRUDENCIA
BARBOSA MANOEL MESSIAS
METODO
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
31131 visitas/dia
1,3 milhão/mês