A jovem guarda desvirtuou a família brasileira | Eduardo Mineo | Digestivo Cultural

busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aos aspirantes a escritor
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> A Web 2.0 Critique
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O do contra
>>> American Dream
>>> Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
Mais Recentes
>>> Ermitagem de Pedro Jofre Marodin pela Do autor (1988)
>>> Pateo do Collegio - Coração de São Paulo (Autografado) de Hernâni Donato pela Loyola (2008)
>>> Guide illustré du Château et de la Ville. de Heidelberg pela Edm.von König - Verlag (1996)
>>> Neve de Orhan Pamuk pela Companhia das Letras (2006)
>>> São Francisco de Assis na Literatura e na Arte de Corrêa Junior pela Martins (1968)
>>> Pour Étudie un Poéme de Françoise Nayrolles pela Hatier (1987)
>>> As lutas, a Glória e o Martírio de Santos Dumont de Fernando Jorge pela Mc Graw Hill do Brasil (1977)
>>> Inglês para viagem de Michaelis tour pela Melhoramentos (1994)
>>> Quase tudo(memórias) de Danuza Leão pela Companhia das Letras (2005)
>>> Corredor Polonês de Alfredo Sirkis pela Record (1986)
>>> Bartolomeu de Gusmão de Afonso de E. Taunay pela Leia (1942)
>>> O último Voo do Flamingo de Mia Couto pela Companhia das Letras (2008)
>>> Le Cid de Pierre Corneille pela Didier (1978)
>>> Memórias do Visconde de Taunay de Alfredo D´Escragnolle Taunay pela Melhoramentos (1946)
>>> Fé e Fogo de Marco Adolfs pela Brasiliense (2008)
>>> Ana Sem Terra de Alcy Cheuiche pela Sulina (2001)
>>> A Retirada da Laguna de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1942)
>>> Antigone de Jean Anouilh pela Didier (1978)
>>> Callíope A Mulher de Atenas de Cintia de Faria Pimentel Marques pela Letras Jurídicas (2004)
>>> Cinemarden de Marden Machado pela Arte e Letra (2018)
>>> A Luneta Mágica de Joaquim Manuel De Macedo pela Ática (2012)
>>> Abismo de Pompília Lopes dos Santos pela Repro-set (1985)
>>> Enquanto o dorso do tigre não se completa de Sérgio Rubens Sossélla pela Gráfica União
>>> Maria e outros poemas de J. Cardias pela Do autor (1991)
>>> Fênix de Carlos Barros pela Arte Quintal (1989)
>>> Rousseaus Politische Philosophie: Zur Geschichte des demokratischen Freiheitsbegriffs de Iring Fetscher pela Hermann Luchterhand (1960)
>>> Poesia de Jake pela Pallotti
>>> La métamorphose de Franz Kafka pela Flamarion (1988)
>>> The Invisible bridge de Julie Orringer pela Random House (2011)
>>> ... E o mundo silenciou de Ben Abraham pela Parma (1979)
>>> Minha Alma Gêmea de Adélia Bastos Krefta pela Santa Mônica (1999)
>>> Como falar com as mães de Alec Greven pela Record (2009)
>>> O doce veneno do escorpião de Bruna Surfistinha pela Panda Books (2005)
>>> Aprender a Viver de Luc Ferry pela Objetiva (2007)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Nova Cultural (1987)
>>> Enquanto o Amor não vem. de Lyanda Vanzant pela Sextante (1999)
>>> Meninas Boazinhas vão para o céu, as más vão à luta. de Ute Ehrhardt pela Objetiva Mulher (1996)
>>> Poeta, Mostra a Tua Cara de Berecyl Garay pela Toazza (1992)
>>> Medida Provisória 1 6 1 de Ademir Antonio Bacca pela Toazza
>>> Eu amo Hollywood de Lindsey Kelk pela Fundamento (2013)
>>> A Torre Invisível de Nils Johnson-Shelton pela Intrinseca (2013)
>>> De Volta ao Paraíso de Gwen Davis pela Nova Epoca
>>> Karma =A Justiça Infalível de A.C.Bhaktivedanta pela Associação BBT Brasil (2011)
>>> Como a Starbucks salvou minha vida. de Michael Gates Gill pela Sextante (2008)
>>> Conspiração Telefone de Walter Wager pela Circulo do livro
>>> Perdida - Um Amor Que Ultrapassa as Barreiras do Tempo de Carina Rissi pela Verus (2013)
>>> Bosque da Solidão de Nilson Luiz May pela Seriptum (2017)
>>> Respostas para o Jovem Phn de Dunga pela Canção Nova (2013)
>>> Administração Pública de Augustinho Paludo pela Gen (2019)
>>> 130 anos - Em Busca da República de 9788551004968 pela Intrínseca (2019)
COLUNAS

Segunda-feira, 29/9/2008
A jovem guarda desvirtuou a família brasileira
Eduardo Mineo

+ de 4000 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Biquíni é bom, eu sei, mas quando vi o Jânio Quadros dizendo que proibiu os biquínis em respeito às damas paulistas, minha aura emanou a cor da austeridade e me indignei com o uso dessa pouca vergonha tanto quanto as velhinhas da década de 50 se indignaram com os Beatles. Vocês conseguem entender a nobreza de caráter necessária para alguém decretar uma lei, qualquer lei, em respeito às damas paulistas? Tudo que é feito em respeito às damas paulistas está correto, tudo; e quem disser o contrário vai tomar uma guarda-chuvada.


Jânio Quadros olhando muito indignado o uso da peça em questão

A opinião do brasileiro é que as paulistas são sem graça, mas como a opinião de quem elege o Lula não deve ser levada em consideração, vamos imaginar a opinião de um brasileiro ideal, teoricamente ideal: um brasileiro sensato que, quando ouve alguém falar das paulistas, não é afetado pela fúria impressionante de subir numa mesa se chacoalhando como num ataque de terror noturno gritando "Paulistas não têm essa malemolência aqui ó, ó, ó, ó!".

Esse brasileiro idealizado, bonitinho e bem-comportado deixaria de lado todo aquele seu rancor primitivo verde-amarelo para enxergar pela primeira vez a sutileza da graça paulista. É preciso mesmo um mínimo de civilidade para se admirar uma paulista e por isso não discuto quando um bárbaro ofende sua beleza. São pessoas sem a menor sensibilidade, dessas que se entediam num concerto de Tchaikovsky ou que resmungam da ostentação da igreja católica, porque, né, pessoas morrendo de fome e o Vaticano naquela ostentação toda e que é um grande absurdo, aquela ostentação lá, e todas estas chateações de sempre.

Mas, em suma: poetas escreveriam versos memoráveis diante de uma paulista. Já um viking, quebraria o osso de uma baleia na sua cara. É a diferença que distancia os mundos.

Entretanto, você pode muito bem recorrer à primeira emenda da constituição norte-americana ― que conheço devido às muitas horas que passei assistindo os episódios de Law and Order: Special Victims Unit ―, e reclamar a liberdade dos indivíduos de serem bárbaros e de se entediarem num concerto de Tchaikovsky ― a grande liberdade de bocejar nos concertos de Tchaikovsky ― e de resumirem a complexa estética das paulistas a uma mera sem-gracice e o que é que eu tenho a ver com isto etc., mas posso eu, de igual maneira, recorrer à droga da primeira emenda norte-americana e me dar o direito de considerá-los os bárbaros de sempre, que não têm a autoridade de questionar os concertos de Tchaikovsky e as qualidades civilizadas das paulistas. E estamos conversados, eu e os que conversam comigo.

Um bom exemplo de civilidade das paulistas, que muitas vezes é visto como frieza e falta de, perdão, calor humano, é o respeito pela privacidade alheia. Jamais aconteceu na história de uma paulista puxar assunto com alguém no metrô sobre o jogo da Ferroviária. Jamais! As paulistas, meus caros, respeitam a privacidade alheia até na discrição de sua beleza. Uma paulista nunca cometeria a indelicadeza de ser bonita demais. Os homens podem negar ― eu mesmo negaria até a morte ―, mas não é muito agradável o tipo que fica a nos dar ereções o tempo inteiro, ofuscando nossa mente com a violência de uma descarga elétrica que nos põe a gritar e a babar. Como disse Paulo Francis a respeito da Vera Fischer: olho pra ela e só consigo pensar em sexo.

É possível ― por que não? ― que alguém verdadeiramente respeitável, por algum motivo que eu desconheço completamente, poderia achar mesmo que as paulistas têm a sensualidade de uma parede branca, mas acredito que pelo menos se sentiria muito embaraçado por isso e morreria para não admitir tal absurdo. Vizinhas fofocando quando passassem por ele fariam-no tremer e se sujar todo de café, como num sketch qualquer do Monty Python. Seria uma mancha terrível em sua reputação, quase como gostar de Marcelo D2 ou rinha de galo. É verdade, filhos já foram expulsos de casa por muito menos...

Não, claro que não é verdade. Não é óbvio? Ou acreditaram no que eu estava falando? Relaxem, pelo amor de Deus, é tudo mentira. Mas deu pra convencer? É um bom exercício retórico, isto que eu fiz, gosto bastante de fazê-lo. A minha aula preferida na faculdade era dada por um professor da São Francisco que nos falava para defender causas impossíveis ― como as paulistas ― para tornar nossas retóricas eficazes e impressionantes. Na época, gostei tanto da idéia que passei meses defendendo o truco como modalidade olímpica, o governo de Luís XVI, a guerra contra a Malásia ― com o Lula na tevê falando "Isto é o que faremos com a porra da Malásia!" e esmagando um ovo na mesa ―, coisas do tipo. E até que é possível votar em Paulo Maluf com alguma dignidade, nem que seja apenas para descabelar petistas. Quer arruinar o dia de um petista? Chame Paulo Maluf de "Dr. Paulo". Você irá apreciar uma cena comovente. Com alguma criatividade e senso de humor é possível ficar do lado de tudo e de nada. Foi um dos ensinamentos que aproveitei na faculdade e que levarei para o resto da minha vida, no fundo do meu coração.


Eduardo Mineo
São Paulo, 29/9/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Com ventilador, mas sem educação de Marta Barcellos


Mais Eduardo Mineo
Mais Acessadas de Eduardo Mineo em 2008
01. Dê-me liberdade e dê-me morte - 20/10/2008
02. Razoavelmente desinteressante - 18/2/2008
03. Bem longe - 4/2/2008
04. Não ria! - 21/7/2008
05. Trauma paulistano - 25/8/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/9/2008
12h01min
Caros Eduardo e leitores: sobre este assunto, a voz do bardo, do coração baiano, impõe-se acima de qualquer exercício de retórica, de qualquer suspeita: "Alguma coisa acontece no meu coração/ Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João/ É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi/ Da dura poesia concreta de tuas esquinas/ Da deselegância discreta de tuas meninas/ Ainda não havia para mim Rita Lee/ A tua mais completa tradução..." Intraduzível: "porque és o avesso, do avesso, do avesso, do avesso..." abraços do Sílvio Medeiros. Campinas, é primavera de 2008.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
29/9/2008
18h01min
Uma vez fui ver uma exposição de quadros do Jânio Quadros, aqui em Belo Horizonte. Uma pintura repleta de forças ocultas, dava pra sentir. Na saída, encarei um pequeno grupo de damas paulistas, cheias de malemolência, discrição e sotaque. Timidamente me perguntaram onde encontrar o melhor pão de queijo de BH. "Não tem", eu disse, "é uma lenda urbana". "Oh", disseram elas, "que desapontameinto". Fiquei observando enquanto se dirigiam a uma loja de roupas, do outro lado da rua, com um monte de biquinis nas vitrines. Mas, Mineo, minha pobre retórica não me permite desenvolver o tema Jânio e as mulheres paulistas da forma brilhante que você fez. Grande, meu! Abraços!
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
6/11/2010
13h05min
Jânio Quadros foi parte de um joguinho, que ele mesmo idealizou, pra renunciar e voltar nos braços do povo. Proibir biquinis, briga de galo, multar polícia, isto tudo era só impacto. Agora, bocejar ouvindo Tchaikovsky, não representa impacto, ainda mais quando o Digestivo escolhe a data da morte dele ocorrida aos 53 anos em Petersburgo, pra publicar este texto. O impacto histórico hoje é ver alguém fazer tomografia que não está a disposição da população na rede pública de saúde, por uma bolinha de papel. É de mandar caçar sapo com bodoque.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ARQUITECTURA PLANIFORME Y TEXTILOGRAFICA VIRREINAL DE AREQUIPA
ANTÔNIO SAN CRISTÓBAL SEBASTIÁN
UNSA
(1997)
R$ 590,00



ONTEM, EU CHOREI - CELEBRANDO AS LIÇÕES DA VIDA E DO AMOR
IYANLA VANZANT
SEXTANTE
(2001)
R$ 18,00



O INVENTOR DE ENIGMAS
DENISE EMMER
JOSÉ OLYMPIO
(1989)
R$ 9,00



CIRANDA NEGRA
ENY ALLGAYER
DUBLINENSE
(2011)
R$ 35,00



TAPETES E TAPEÇARIAS ARRAIOLOS NÚMERO 14 ANO 4
CASA MIDÕES
CASA MIDÕES
(1990)
R$ 22,00



A ESCRITURA E A DIFERENÇA - 4ª ED./2ª REIMPRESSÃO / REVISTA E AMPLIADA
JACQUES DERRIDA
PERSPECTIVA
(2014)
R$ 84,95



MEDO DE SADE
BERNARDO CARVALHO
COMPANHIA DAS LETRAS
(2000)
R$ 11,00



THE NERVOUS SYSTEM STRUCTURE AND FUNCTION IN DISEASE
ROBERTSON DINSDALE
SED
R$ 22,33



O VÔO DA BORBOLETA
MORAH LOFTS
MELHORAMENTOS
(1987)
R$ 5,00



AS FORÇAS OCULTAS
JIM GARRISON
RECORD
(1976)
R$ 6,90





busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês