Trauma paulistano | Eduardo Mineo | Digestivo Cultural

busca | avançada
76521 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Se a vida começasse agora
>>> 9/11 books
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Cidade de Deus, de Paulo Lins
>>> Humberto Alitto
>>> Orra, meu
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Meu tio
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Tarde, de Paulo Henriques Britto
Mais Recentes
>>> Ilustrado de Miguel Syjuco pela Companhia das Letras (2011)
>>> Revista Viagem e Turismo - Ano 20 – Nº 2 - Quatro Roteiros na Itália Pra Ver Antes de Morrer de Vários Autores pela Abril (2015)
>>> Guia do Executivo Porto Alegre 1998 de Vários Autores pela Gazeta Mercantil (1998)
>>> Guia Quatro Rodas Brasil 2002 de Vários Autores pela Abril (2002)
>>> Éfeso de Naci Keskin pela Keskin Colors (2012)
>>> Clube do Livro, Ser Leitor - que diferença faz? de Luzia de Maria pela Literária (2009)
>>> The Good Life Guide to Sydney de Tessa Mountstephens pela Hark! (1996)
>>> Matemática - 8º Ano - 6º Edição de Edwaldo Bianchini pela Moderna (2006)
>>> Encontro com a Begõnia de Nilza de Oliveira pela Imagem (2014)
>>> Buenos Aires de Boca a River de Joaquim da Fonseca pela Artes e Ofícios (1996)
>>> Brisa Bia, Brisa Bel de Ana Maria Machado pela Record (1999)
>>> Barcelona – Um Ano Com 365 Dias de Marcos Eizerik pela Age (2008)
>>> De Mala e Cuia – Tudo o Que Você Precisa Saber Para Morar, Estudar, Trabalhar e se Divertir na Europa de Adriana Setti pela Jaboticaba (2005)
>>> Quebra de Confiança de Quebra de Confiança Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Viajando pela Europa e Pelo Mundo de José Cretella Júnior pela T. A. Queiroz (1985)
>>> Silêncio na Floresta de Harlan Coben pela Benvirá (2009)
>>> A Nova História Cultural de Lynn Hunt pela Martins Fontes (1992)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Círculo do Livro (1993)
>>> Não Conte a Ninguém de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (2003)
>>> O Livro dos Incensos de Steven R. Smith pela Roca (1994)
>>> Confie Em Mim de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Romeu e Julieta - Macbeth - Otelo, O Mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
>>> Consciência Cósmica de Rosabis Camaysar pela Lorenz (1994)
>>> Alta Tensão de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Os Sentidos do Trabalho - Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho de Ricardo Antunes pela Boitempo (2000)
>>> Luta Armada no Brasil do Anos 60 e 70 de Jaime Sautchuk pela Anita Garibaldi (1995)
>>> Jogada Mortal de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Quando Ela Se Foi de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Descartes The Project of Pure Enquiry de Bernard Williams pela Routledge (2005)
>>> Desaparecido para Sempre de Harlan Coben pela Arqueiro (2010)
>>> Seis Anos Depois de Harlan Coben pela Arqueiro (2014)
>>> Estatuto da Criança e do Adolescente de Vários Autores pela Pmpa (2003)
>>> O Inocente de Harlan Coben pela Arqueiro (2013)
>>> A Dama das Camélias de Alexandre Dumas Filho pela Nova Cultural (2003)
>>> Equilíbrio Total Através da Parapsicologia de Miguel Lucas pela Almed (1981)
>>> Casa de Bonecas de Henrik Ibsen pela Nova Cultural (2003)
>>> O Poder da Oração para Mulheres de Jackie M. Johnson pela Povket ouro (2013)
>>> Jesus como Terapeuta - O Poder Curador das Palavras de Anselm Grün pela Vozes (2013)
>>> Manual do Astrônomo Amador de Jean Nicolini pela Papirus (1991)
>>> As Três Irmãs de Anton Tchekov pela Nova Cultural (2002)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Alexandre de Moraes (Org.) pela Atlas (2001)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Vários Autores pela Saraiva (2000)
>>> O Livro Secreto do Banheiro Feminino de Jo Barrett pela Essência/Planeta (2008)
>>> Código de Hamurabi – Código de Manu – Lei das XII Tábuas de Jair Lot Vieira (Superv.) pela Edipro (2002)
>>> Manual de Prática Forense Civil de Edson Cosac Bortolai pela Revista dos Tribunais (2003)
>>> Vade Mecum Método Cívil 2016 de Vários Autores pela Método (2016)
>>> Nossa próxima atração. O interprograma do Canal 3 de Mário Fanucchi pela Edusp (1996)
>>> Evaristo de Moraes Filho – 100 Anos de Vida Contribuição à Sociologia e ao Direito do Trabalho de Eliana Gonçalves da Fonte Pessanha e Outros (Orgs.) pela Ministério do Trabalho (2016)
>>> O tempo e a alma de Jacob Needleman pela Ediouro (1999)
COLUNAS

Segunda-feira, 25/8/2008
Trauma paulistano
Eduardo Mineo

+ de 5000 Acessos
+ 11 Comentário(s)

Depois de ser apresentado à zona sul carioca, não consegui mais pensar em como apresentar São Paulo sem usar o qualificativo "droga" antes de tudo:

― Esta é a droga do Ibirapuera.
― Esta é a droga da Avenida Paulista.
― Esta é a droga da praça da Sé.

Estamos passando, São Paulo e eu, por uma, digamos, fase. Já gostei muito de São Paulo, fomos bons companheiros por todo esse tempo, mas quando um paulistano fica deslumbrado com uma praia é sinal de que precisa reavaliar toda a sua relação com a cidade urgentemente.

E reavaliei. Ou tentei. Morando em São Paulo, o trânsito, a poluição, o barulho, os motoboys, as chateações do dia-a-dia vão ocupando tanto espaço na sua memória, que de repente você se esquece que embaixo de toda aquela parafernalha existe um lugar habitável, sereno, simpático, com coisas que fazem valer a pena estar ali, morar ali e ter uma vontade tranquilizante de querer acompanhar tudo aquilo para sempre.

São Paulo é feia, tudo bem. Se você é paulistano, finja que não tem nenhum carioca ouvindo e convenha comigo em silêncio: São Paulo é horrorosa. É um jagunço assoando o nariz na forma de cidade. Uma tragédia. Entretanto, pondo-se de lado esta agressão aos olhos de quem tem um pingo de discernimento, São Paulo é um lugar que de certa forma te dá muito, não apenas gastrite e doenças respiratórias, ou porque é possível ir a um cinema que passa filmes do Bergman de madrugada, mas São Paulo dá em qualquer sentido de evolução pessoal, como ser humano. São Paulo faz crescer, acredito. E essa deve ser sua maior qualidade.

Óbvio que não dá pra comparar São Paulo a Nova York em matéria de qualquer coisa, por exemplo. Capital cultural é lá. Capital gastronômica é lá. São Paulo é uma pracinha de alimentação perto de Nova York. O que o homem colocou na boca um dia, lá tem pra vender. Mas São Paulo é o mais próximo que conseguimos chegar de uma civilização que funciona favoravelmente. Tudo parece fluir com uma eficácia até impressionante quando você volta para São Paulo de uma viagem pra outro estado onde tudo é um pouco mais lento e informal. Até o trânsito, que é brutal quase todos os dias, possui uma certa ordem que não se encontra em nenhum outro lugar no Brasil. Mas só num final de semana dá para notar a genialidade na engenharia de tráfego paulistana porque é menos sutil do que quando ela está sendo testada com uns 500% de sua capacidade.

Gosto muito de andar pelo Jardins, bairro onde moro, da mesma forma como gosto de andar por Copacabana. Gosto dos prédios. Das lojas. Das velhinhas andando com cachorros. Lá no Jardins tem bons cafés como o Café Suplicy na Alameda Lorena e o Santo Grão na Oscar Freire. Tem bons restaurantes. Pessoas civilizadas e bonitas. Boas livrarias. Se quer qualquer coisa, suba a Rua Augusta até a Avenida Paulista. Lá tem tudo que alguém possa querer. E, num geral, bom, é bem seguro. Tem mendigos e pedintes como era de se esperar numa cidade do calibre de São Paulo, mas criminalidade no Jardins, nunca vi. Semana passada tentaram roubar um flat, é verdade, mas em alguns minutos 40 viaturas cercavam a quadra. É uma eficiência que quase me constrange quando comparada à de outras regiões, mas assegura o que eu disse.

Agora, detesto o centro velho. Parafraseando Paulo Francis, na década de 1950 Paris cheirava a gasolina como o centro cheira a mijo. É o maior exemplo de caos em São Paulo, com um comércio excessivamente bem sucedido, ruas lotadas e sujeira para todo lado. É uma visualização bem convincente do que os espíritas chamam de Umbral. Deve ser mais ou menos aquilo lá.

O centro, entretanto, guarda ainda alguns dos melhores lugares para se comer, não apenas o estratosférico Terraço Itália, na República, como o Café Girondino, que sempre me agradou bastante na Boa Vista, um tipo de ilha civilizada no centro. Ali do lado tem o Viaduto do Chá, que esses dias se jogou nos meus olhos de um cartão postal que me fez pensar: é, até que é bonito. Viaduto do Chá é onde fica o Teatro Municipal paulistano, uma pequena amostra do paraíso na Terra. Já vi boas vezes Jamil Maluf e José Maria Florêncio operando alguns milagres musicais naquele lugar a meros 30 ou 40 merréis na primeira fileira. É um absurdo. Gente pagando um salário para ver ator de Malhação cantar quando basta atravessar a rua para se chegar ao céu. Deixem estar, é só meu.

Aos poucos vou refazendo as pazes com minha cidade, relembrando o que me fazia ter horror a praias e lugares sem poluição. Hoje já não tenho horror a praias e lugares sem poluição, mas acho engraçada a lealdade que eu tinha com São Paulo quando era mais novo, que é a lealdade de quem fala que São Paulo é bonita por uma questão de respeito. Nega sempre, mas, no fundo, ele sabe que a pobre é feinha mesmo. E que sem graça seria se não fosse.

Nota do Editor
Leia também o Especial "SP 450".


Eduardo Mineo
São Paulo, 25/8/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
02. 'As vantagens do pessimismo', de Roger Scruton de Celso A. Uequed Pitol
03. 'Noé' e 'Êxodo': Bíblia, Especismo e Terrorismo de Duanne Ribeiro
04. A difícil arte de saber mais um pouco de Ana Elisa Ribeiro
05. O luto e o luto de Valter Hugo Mãe de Wellington Machado


Mais Eduardo Mineo
Mais Acessadas de Eduardo Mineo em 2008
01. Dê-me liberdade e dê-me morte - 20/10/2008
02. Razoavelmente desinteressante - 18/2/2008
03. Bem longe - 4/2/2008
04. Não ria! - 21/7/2008
05. Trauma paulistano - 25/8/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/8/2008
09h30min
São Paulo é "nossa pequena New York"! Tudo o que acontece em São Paulo repercute por todo o país. São Paulo é um país; reclamo, também, de Sampa, do "avesso do avesso do avesso", mas amo, acima de todas, a melhor cidade da América Latina. Abraços do Sílvio Medeiros. Campinas, é invermo de 2008.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
25/8/2008
12h33min
Qualquer desavisado que sobrevoe o Rio de Janeiro ficará encantado com a sua geografia. Depois, via aterro do Flamengo, encantar-se-á com o jardim magnífico, os monumentos, a Baía, o Pão de Açucar etc. etc. etc. Não vai perceber, lá do outro lado, as favelas penduradas em Niterói. É longe, parece urbanismo de ilha grega. Se vier pelo Galeão, bem, aí dá para notar a verdadeira "alma da cidade". Sujeira, favela, vagabundagem e vadiagem por todo lado. Mas estar no Rio é tentar exercitar a tal "alegria carioca" e o desavisado segue delirando para a zona sul. Não vai notar os cortiços do Catete, a escuridão das ruas de Laranjeiras, a vulgaridade de Copacabana, o Pavão/Pavãozinho, e a infinidade de denominações das "comunidades". Ainda enlouquecido, passa sem notar a Rocinha e toda a porcaria que enfeia a cidade. Chega à Barra e pensa que está em Miami... Sem essa de que São Paulo é feia. São Paulo tem seu charme, qualidade e dá de dez no resto de Pindorama.
[Leia outros Comentários de Raul Almeida]
25/8/2008
13h19min
Gostei muito da forma como falou de São Paulo. Também sou paulistano e acho que todos compartilhamos, mesmo que em silêncio, da feiúra dessa linda cidade. Abraços
[Leia outros Comentários de Valter Pereira]
25/8/2008
16h06min
São Paulo é feia e desumana para quem não a conhece! São Paulo tem um charme que nenhuma outra cidade tem! Ela é totalmente peculiar!
[Leia outros Comentários de Adriana Heluy Ribeir]
25/8/2008
21h09min
É, São Paulo é feia que dói. Preciso dizer isso porque o primeiro passo é a aceitação. Mas não sei se saberia viver em outro lugar...
[Leia outros Comentários de Kelly ]
26/8/2008
01h41min
O amor tem dessas coisas. Como disse Itamar Assunção: "Venha até São Paulo ver o que é bom pra tosse! Venha até São Paulo dance e pule o rock and rush. Venha até São Paulo viver à beira do stress. Fuligem catarro assaltos no dia dez". São Paulo produz filhos que a renegam. O orgulho de ser paulistano é instável como a própria cidade. Após cada inalação, volto a amá-la. Qual o perfil do verdadeiro paulistano? Quem vive nos Jardins, no Brás ou na periferia? No Bom Retiro, quem não lê coreano, sente-se estrangeiro diante das placas das lojas. Uma cidade que é de todos, não é de ninguém. Ser filho de quem não é de ninguém, é perturbador. Sabemos cada defeito da nossa mãe, mas quando a ofendem viramos bichos. Mas, amanhã tudo recomeça, e a luta pela sobrevivência volta a nivelar a todos por baixo da poluição. E, no trânsito, blasfemaremos num coro de insensatos alérgicos. Os que lutam com palavras, procurarão fazer justiça com as próprias mãos... O amor tem dessas coisas.
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
26/8/2008
13h15min
O encanto em SP, sobretudo, é a capacidade dos cidadãos falarem e receberem críticas de sua cidade com isenção. No dia do aniversário de SP, uma revista paulistana publicou comentários depreciativos de três colunistas, aliás, bem cultos, dois deles cariocas. Na crítica impiedosa, ñ sobrou pedra sobre pedra da selva de pedra paulista. Li o periódico seguinte e ñ houve sequer uma carta publicada de protesto. Dizer q o paulista da capital ñ ama a urbe em q mora, seria argumento irrisório - basta ler os comentários acima. Imaginem o oposto, os paulistanos desancando outras cidades no dia do aniversário delas e compreenderão a mentalidade deste povo. Talvez, aqui, tateamos o misterioso motivo que torna encantadora a paulicéia desvairada. Há tácito respeito por ela. Os prédios, fincados na crista dos morros, e na terra, fixam um olhar, horizonte e estrangeiro, q inspira certa dignidade sobranceira e estóica de acolher tanta gente. Povos do mundo inteiro q são a argamassa e o edifício da cidade, e amam sem apego.
[Leia outros Comentários de mauro judice]
8/9/2008
07h27min
Isso que é texto verdade e bem humorado sobre viver nesta Cidade. Incrível, foi o primeiro texto que li nesta manhã. Deixei todos os outros de lado. E não podia ter sido melhor. E fala da minha São Paulo, que me adotou (e não me deixou jamais) num longínquo 13 de maio de 1962. É a Cidade que amo, não tanto pelo que ela pode me dar, mas, acima de tudo, pelo eu devo fazer por ela. É o verbo "amar" transitando junto com o verbo "gostar". E como é bom quando isto acontece. Ela tem, portanto, o meu perdão sincero e minha gratidão profunda.
[Leia outros Comentários de José Pereira]
8/9/2008
09h35min
São Paulo é um gosto adquirido. Precisa se esforçar um pouco para gostar - já o Rio dá para apreciar da janela do avião, antes mesmo de chegar na cidade. Não criticar os absurdos que os paulistanos cometem é bairrismo. Mas também achar São Paulo horrorosa é provincianismo digno de comentaristas de poltrona tipo Paulo Francis. Dê um giro pelo mundo, conheça Jakarta, por exemplo. Depois volte e me diga se ainda acha São Paulo feia...
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
20/6/2009
15h31min
Bom, eu ainda estou na fase de lealdade à cidade, e quer saber? Espero que essa fase seja perpétua. São Paulo é encantadora e completa. Mais do que isso: São Paulo é democrática, tem um pouquinho de tudo o que você procurar. Mas sem dúvida é uma droga... vicia!
[Leia outros Comentários de Bruna Moraes]
31/7/2009
23h15min
A suposta "feiura" de SP é totalmente de cunho psicológico. SP tem parcos 23km2 de favelas e quase 50km2 de parques. As áreas naturais, Cantareira, Jaraguá, Serra do Mar, Guarapiranga-Billings tem inacreditáveis 500km2. Nossa extensa área nobre tem quase o tamanho de Salvador, e fora dela há dezenas de distritos de classe média super agradáveis como Santana, Horto, Tatuapé, Penha, S. Domingos, Sacomã, Ipiranga e tantos outros. Lugares feios, pobres e degradados não chegam à 1/3 da cidade. Concluimos, assim, que SP não é feia. Outra coisa - Não dá para comparar um país emergente com um desenvolvido, portanto, por que depreciar SP comparando com NY? Mais uma coisa - Eu conheço o Rio, e a "cidade-maravilhosa" resume-se à Zona Sul/Barra que constitui apenas 20% da cidade do Rio, o restante (80%) é muito, muuuuito pior que SP...
[Leia outros Comentários de Paulo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BOSS LADY
OMAR TYREE
SIMON E SCHUSTER PAPERBACKS
(2005)
R$ 20,00



A ARTE DE SEPARAR-SE
EDOARDO GIUSTI
NOVA FRONTEIRA
(1987)
R$ 5,00



A FUSÃO DO FEMININO
CHRIS GRISCOM
SICILIANO
(1991)
R$ 5,00



REVISTA MEU PRÓPRIO NEGÓCIO. DESPERDÍCIO. EDIÇÃO 50
VÁRIOS
ONLINE
R$ 13,90



DIOSAS Y PLEBEYAS - COL. VERDAD O CONSECUENCIA
CATHY HOPKINS
V E R
(2003)
R$ 9,87



VARIETÉS ET FANTAISIES SEXUELLES - JOISES ET PLAISIRS
ANNE DALÉS
ANNE DALÉS
R$ 15,00



O GUIA OFICIAL DO CLUB PENGUIN VOL 1
KATHERINE NOLL
MELHORAMENTO
(2010)
R$ 4,32



AS AVENTURAS DO CAPITÃO CUECA
DAV PILKEY
COSACNAIF
(2019)
R$ 22,00



UMA CASA DE BONECAS
HENRIK IBSEN
MOINHOS
(2017)
R$ 42,00



VIOLETAS NA JANELA (VERSÃO POCKET)
VERA LÚCIA MARINZECK DE CARVALHO
PETIT/HARPER COLLINS
(2013)
R$ 22,99





busca | avançada
76521 visitas/dia
2,1 milhões/mês