Liam | Marina Marcondes Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 6/11/2001
Liam
Marina Marcondes Machado

+ de 5500 Acessos

O filme "Liam" (Stephen Frears/Grã-Bretanha, 2000), em cartaz em São Paulo, se passa durante os anos 30, em Liverpool. O espectador é levado a conhecer e a se reconhecer no garoto Liam, que aparenta ter lá seus 5 anos, mas pelo que se apreende no roteiro (aulas na escola e sua primeira comunhão, por exemplo) a personagem tem entre 7 ou 8 anos de idade. A direção de ator realizada com o garoto (Anthony Borrows) é excelente; sua personagem tem um problema de fala, uma espécie de gagueira, e o garoto é extremamente convincente.

O jornal "A Folha de São Paulo" classificou o filme em seu "roteiro" como "drama romântico" (sic), seguido de duas estrelas do ponto de vista do crítico; mas, do ponto de vista do espectador, o filme mereceria quatro estrelas, também segundo a "Folha". Já a resenha do "Estadão" afirma que o filme deixa a desejar, pois, para o comentador, não haveria nada de novo em se criar a narrativa cinematográfica através do olhar da criança, e afirma que não há "densidade" no roteiro. Eu discordo. Penso que a densidade é grande, e muito comovente, porque vai-se construindo, lentamente, ao longo da narrativa, culminando no ato anti-social cometido pelo pai no final do filme, que, por ironia do destino, machucará sua própria filha.

O cinema que se utiliza da personagem criança consegue nos transportar para novos-velhos horizontes, e, a meu ver, ganha novos matizes, com cada produção realizada. É o caso do filme "Liam". Se a Psicologia infantil, que nos parece estagnada e normatizada em princípios intelectualistas e "universais", desse mais atenção ao cinema, todos (pacientes e terapeutas, alunos e professores, pais e filhos...) teriam a ganhar.

Vamos sendo capturados pelo modo de apreender o mundo de Liam, que convive com os pais, um irmão já quase adulto e uma irmã com mais ou menos14 anos de idade, além de freqüentar a escola. O pai, enfrentando as dificuldades econômicas do pós-guerra, lá pelas tantas perde o emprego e, depois de um período, cai na tentação ideológica do nazismo, movimento em ascenção. O filho mais velho é trabalhador braçal, e sua filha arranja, no decorrer da trama, um trabalho como empregada doméstica numa família judia e rica, de modo a sobreviverem. Preparando-a para o primeiro dia de trabalho, a mãe lhe diz: "Não vá lavar a latrina! Filha minha não lava latrina de outra família!" - coisa que, obviamente, acontecerá praticamente na cena seguinte. Sua adolescência também é invadida e violada por um romance adúltero que ela deve acompanhar e proteger, entre sua patroa e um amigo.

Mas não é o foco em conflitos sociais, trabalhistas ou políticos que nos concentra; inicialmente focamos nossa atenção, e afeto, apenas em Liam, mas, aos poucos, o que nos mobiliza de fato são os modos de relação entre as pessoas - adulto-criança, patrão-empregado, irmão irmã, católico-protestante... E, especialmente, a relação entre catequizador-catequizado.

Para espectadores adultos que tiveram formação católica, do tipo "convencional" ou praticante - isto é, com educação religiosa e moral voltada para a culpabilidade do confessionário - as cenas escolares de descrições do que é o inferno, e do que acontece ao pecador, são impactantes. Estava no cinema acompanhada por um amigo judeu que, depois do filme, perguntou-nos jocosamente e inúmeras vezes se realmente a formação religiosa das crianças era feita daquele modo... E penso que é de maneira metalingüística, pelo viés da culpabilidade, que o enredo se constrói - e nos supreende, inclusive, com o doloroso desdobramento final.

A densidade da experiência de assistir "Liam" está na somatória vivida pelo espectador ao se ocupar com todos os personagens, que o faz ir e vir, oscilando entre todos os pontos de vista - e, ao final, como sair do cinema?

Fazer com que o espectador se sinta próximo de sua infância e também atento às infâncias que estão sendo vividas no mundo contemporâneo, fora da tela e da sala de cinema, é um dos desdobramentos importantes para o espectador deste filme de Stephen Frears, cineasta de "Os Imorais", "Ligações Perigosas" e outros. As mulheres provavelmente sairão enxugando as lágrimas e colocando seus óculos escuros, se os possuirem - e estiverem à mão. Os homens talvez pensarão, catarticamente: "Que bom que não é aqui e agora!..." - sem se dar conta de que, o que há de mais específico e puramente pessoal, ou até mesmo infantil no filme "Liam", é o que há de mais geral e tocante: a lembrança do sentimento de infância.


Marina Marcondes Machado
São Paulo, 6/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Brasil que eu quero de Luís Fernando Amâncio
02. Evolução e Adaptação da Imprensa Escrita de Ricardo de Mattos
03. Ataque dos Clones de Nemo Nox


Mais Marina Marcondes Machado
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NUNCA VIU NÃO?
MARCIA LEITE
ATUAL
(1993)
R$ 8,00



A HUMANOECONOMIA
EUGEN LOEBL
JOSÉ OLYMPIO
(1978)
R$ 4,00



ELEMENTOS DO DIREITO - PROCESSO PENAL
ÂNGELA CRISTINA CANGIANO MACHADO E OUTROS
SICILIANO JURÍDICO
(2003)
R$ 10,00



MATRIMÔNIO E DIVÓRCIO NA IGREJA CATÓLICA
BERNARDINO LEERS
VOZES
(1978)
R$ 8,00



A MORTE EM VENEZA- TÔNIO KROEGER
THOMAS MANN
ABRIL
(1971)
R$ 9,00



EVERY MAN FOR HIMSELF HIMSELF
BERYL BAINBRIDGE
GERALD DUCKWORTH & CO LTD
(1996)
R$ 6,25



CHILDRENS STORIES FROM DIKENS
MARY ANGELA DICKENS
DERRYDALE
(1993)
R$ 12,50



CORRENTES DO DESTINO - 1ª ED.
CÉLIA XAVIER DE CAMARGO / MARIA CECÍLIA ALVES
PETIT
(2009)
R$ 17,00



DESERDAÇÃO E INDIGNIDADE NO DIREITO SUCESSÓRIO BRASILEIRO
SALOMÃO DE ARAÚJO CATEB
DEL REY
(2004)
R$ 39,00



AUTO ESPORTE NOVO COROLLA Nº569
VARIOS AUTORES
GLOBO
(2012)
R$ 7,99





busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês