Sampa | Tatiana Mota | Digestivo Cultural

busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dublinenses
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
>>> Villa-Lobos tinha dias de tirano
>>> Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo
>>> White Blues Boys
>>> 21º de Mozart: Pollini e Muti
>>> Mentiras diplomáticas 1: a Copa do Mundo é nossa
>>> Separar-se, a separação e os conselhos
>>> Eu não uso brincos
Mais Recentes
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Abril (1979)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Abril (1979)
>>> Decamerão (2 volumes) de Giovanni Boccaccio pela Abril (1981)
>>> Relações entre a Igreja e o Estado de Rafael Llano Cifuentes pela José Olympio (1989)
>>> A Interpretação do Homem de Renato Kehl pela Francisco Alves (1951)
>>> Envelheça Sorrindo de Renato Kehl pela Francisco Alves (1949)
>>> O Milagre de Lourdes de Ruth Cranston pela Melhoramentos (1955)
>>> Diário de um pároco de aldeia de Georges Bernanos pela Agir (1964)
>>> A Doutrina Social da Igreja de G. C. Rutten, O. P. pela Agir (1947)
>>> Maria e o Evangelho de Jean Galot pela Aster (1961)
>>> O que sobrou do paraíso? de Jean Delumeau pela Companhia das letras (2003)
>>> Senhores de engenho, judeus em Pernambuco colonial 1542-1654 de José Alexandre Ribemboim pela 20-20 Comunicação (2002)
>>> Os magnatas do tráfico negreiro de José Gonçalves Salvador pela Pioneira, Edusp (1981)
>>> A comunidade judaico-cristã de Mateus de Anthony J. Saldarini pela Paulinas (2000)
>>> A Formação da Terra - Biblioteca Salvat de Grandes Temas de Vários Colaboradores pela Salvat (1979)
>>> As origens do Novo Testamento de C. F. D. Moule pela Paulinas (1979)
>>> Mártires do coliseu romano de Emma Leslie pela Aeebar (1984)
>>> Filosofia para entender teologia de Diogenes Allen e Eric Springsted pela Paulus, Academia cristã (2011)
>>> Nigella Bites de Nigella Lawson pela Ediouro (2019)
>>> Minidicionário da Língua Portuguesa de Francisco da Silveira Bueno pela FTD (1996)
>>> Desenho Técnico de Thomas E. French pela Globo (1958)
>>> Métodos de Ensaios nas Indústrias de Celulose e Papel de Alfred Halward e Outro pela Brusco
>>> Minha Vida na Estrada de Gloria Steinem pela Bertrand Brasil (2017)
>>> Quantitative Analysis de V. Alexeyer pela Mir
>>> Pulp Technology and Treatment For Paper de James d'A. Clark pela Miller Freeman (1978)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 47 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 46 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 43 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 41 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 40 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 39 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 38 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ciranda Cultural / W. Bucb (2009)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 37 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 36 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 35 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 34 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Fim de Fernanda Torres pela Companhia das Letras (2013)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 33 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 32 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 31 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2002)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 30 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 29 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cardiologia Baseada em Relatos de Casos de Carlos V. Serrano Jr.; Flávio Tarasoutchi; Outros pela Manole (2006)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 28 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 27 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 26 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Um Encontro Inesperado de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasil (2003)
>>> Temas de Marcapasso de Celso Salgado De Melo; Oswaldo Tadeu Greco; Outros pela Leitura Médica (2011)
COLUNAS

Sexta-feira, 8/10/2010
Sampa
Tatiana Mota

+ de 3500 Acessos

Viver longe de casa transforma o fisicamente distante em algo muito mais próximo do coração. Particularmente quando se vive em um lugar tão diferente como a Holanda. Vem saudade de tudo, em especial do banal que um morador do Brasil experimenta todos os dias. Posso ser taxada de sentimentalista, de órfã do feijão, mas não vivi ainda um dia aqui sem sentir falta de alguém ou de algo bem brasileiro. Antes de parar nos Países Baixos vivi dois anos em São Paulo, e minha memória desses dias marcantes vai ficando mais nítida com o crescer da saudade.

De metrô chegava ao trabalho, e o metrô me levava a uma viagem mais longa que o curto trajeto até o centro da cidade. Como moradora nova havia em mim um olhar curioso sobre tudo e todos. As pessoas entravam no trem, eu os observava em seus jeitos de andar, sentar, falar, suas aparências. Enquanto o trem estava em movimento, eu ficava pensando no que cada uma daquelas pessoas sentia naquele momento, criando histórias nas quais os incautos passageiros eram os personagens principais. Contudo, outros dias me sentia oprimida com a quantidade de gente, espremida no meio dos apressados, sozinha na multidão.

Ao final de meu percurso emergia do subsolo para encontrar o Mosteiro São Bento, construção ligada aos primeiros religiosos que lá se instalaram. Em dias de sorte, escutava os sinos. Um tilintintar de serenidade em meio a milhares de ruídos.


Um recorte do viaduto Santa Ifigênia

Depois, atravessava o viaduto Santa Ifigênia, construção do começo do século passado, parte do complexo do Vale do Anhangabaú. Não consigo imaginar esta região como uma fazenda que vendia agrião e chá, mas um dia foi assim. Atualmente só brotam pessoas e concreto. Chamavam minha atenção os vendedores com suas instalações precárias, prontos para fugir caso chegasse a polícia. Além dos caras com carrinhos de controle te perseguindo, o homem cadeado e a moça das meias, tinha meu favorito, o apresentador do boneco mágico. Fazia-o rodopiar, distraindo os transeuntes, sempre dizendo: "Ele pula, ele dança, serve para o adulto e para a criança".

Vez em quando tomava um cafezinho no Edifício Martinelli, outro ícone da cidade, construído na década de 1920. Todo trajeto é tão nítido em minha mente, nem preciso fechar os olhos para lembrar. Sim, estou me vendo retornar pela rua 15 de Novembro, admirando o prédio do CCBB, da Bolsa de Valores... É só mirar os olhos um pouco acima da multidão que nos suga a atenção para se admirar com muita beleza arquitetônica. Não longe, o famoso edifício Banespa nos permite divisar o mar de arranha-céus que compõe a cidade.


A feira

São muitos os tesouros escondidos nessas ruas e esquinas, como a feira bem em frente à nossa casa, com direito a pastel e caldo de cana. Essa abundância de frutas, verduras e simpatia dos vendedores que há em toda cidade brasileira não se encontra por aqui. Mas talvez meu achado favorito tenha sido o parque Água Branca, próximo ao estádio do Palmeiras. Como era bom ir lá tomar café da manhã e ler um livro, num dia de domingo em que caí da cama mais cedo. Beneficiar-se do sol, bem mais abundante ali, e ver a vida passando através das pessoas que correm, conversam e brincam. Ver galos, galinhas, patos e até um casal de pavões andando livremente, além de curtir o cantinho da viola, onde podia escutar músicas que me remetiam ao campo, aos avós, às memórias da infância brejeira nos dias de Goiás.

Entretanto, a cidade tem seu lado triste, retratado por uma música que apesar de negativa em quase sua totalidade virou hino não-oficial da metrópole. Claro que Caetano tinha sua razão ao descrever em "Sampa" o impacto que essa gigante nos causa, nós que ali não nascemos.

A poesia das esquinas é por vezes dura e concreta. Nessas esquinas vemos muitos irmãos caídos, abandonados por si mesmos, pelo Estado e por nós, cidadãos, ou então perambulando pelas ruas com suas chagas, e quem os enxerga não pode seguir sem estar com o coração meio ferido. Em meio aos ícones da cidade há locais sujos e feios, e é mesmo muito feia a fumaça que sobe, pois apaga as estrelas, e pinta o céu azul de cores marrons à luz do dia. Como sabemos, a cidade cresceu e se motorizou demais, então é fácil se perder em uma rotina caótica, estressante e impessoal. Às vezes é preciso um esforço, um olhar especial para se encontrar, e para encontrar a beleza que está ali gravada em todos os cantos.


Grafite na Vila Madalena

Ainda bem que era salva todos os dias. Quando não me bastava tudo que meus olhos e ouvidos conseguiam captar, chegavam-me sorrisos, cortesia, simpatia. O taxista me contava sobre sua família e dizia com sinceridade: "Vai com Deus". A colega de trabalho me recebia com um abraço. Um desconhecido oferecia seu lugar para eu sentar com meu barrigão. Uma grande amiga aparecia no mesmo metrô e resolvia tomar um cafezinho com pão de queijo em minha casa. O padeiro nos oferecia uma degustação de sua nova invenção. A cidade tem uma bela alma, um grande coração... Assim, passeava feliz pela sua garoa. Estarei em meus sonhos sempre caminhando pelo Bexiga, Liberdade, Paulista, Vila Madalena, e pela icônica esquina da Ipiranga com a São João.


Tatiana Mota
Hilversum, 8/10/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Domingão, domingueira de Ana Elisa Ribeiro
02. I-ching-poemas de Bruna Piantino de Jardel Dias Cavalcanti
03. 'Noé' e 'Êxodo': Bíblia, Especismo e Terrorismo de Duanne Ribeiro
04. Felicidade de Daniel Bushatsky
05. Terminar o ano correndo de Elisa Andrade Buzzo


Mais Tatiana Mota
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROJETO CIRANDO DO BRASIL CONVIVER PARA CRER
FELIPE FAGUNDES
CIA DAS PALESTRAS
(2007)
R$ 5,00



PANDEMÔNIO
GERALDO CARNEIRO
ART
(1993)
R$ 12,00



QUINZE DIAS EM SETEMBRO
RYOKI INOUE
COMPANHIA NACIONAL
(2008)
R$ 12,00



MEU DENTE CAIU !
VIVINA DE ASIS VIANA

(1986)
R$ 18,38



O FUTURO JÁ COMEÇOU
ROBERT JUNGK
MELHORAMENTOS
(1968)
R$ 10,00



SÃO PAULO - FREGMENTOS DE UMA PAISAGEM URBANA
LILY SVERNER E ANDRÉ BOCCATO
SVER E BOCCATO
(1988)
R$ 120,00



LAÇOS DO ESPÍRITO
RICHELLE MEAD
AGIR
(2011)
R$ 76,00



PRIMEIROS SOCORROS VOL 12 BIBLIOTECA MÉDICA DA FAMÍLIA
CHARLES B. CLAYMAN
CIVILIZAÇÃO
(1993)
R$ 32,38



DISTRITO FEDERAL - PAISAGEM, POPULAÇAO E PODER
WASHINGTON CANDIDO; MARILIA PELUSO
HARBRA
(2006)
R$ 10,00
+ frete grátis



COMO O BRASIL AJUDA OS E. U. A.
ARNALDO RAMOS E OUTROS
PROTEMPO (UNE)
(1963)
R$ 20,00





busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês