Valsa para Bruno Stein | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
24629 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Red Bull Station estreia exposições de letrista e de coletivo feminino em julho
>>> Alaíde Costa e Toninho Horta mostram CD em parceria na CAIXA Cultural São Paulo
>>> O Julgamento Secreto de Joana D'Arc com Silmara Deon estreia no Teatro Oficina
>>> Novo app conecta, de graça, clientes a profissionais e prestadores de serviço
>>> Inauguração da Spazeo com show do Circuladô de Fulô - 28/07
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Tempo & Espaço
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
>>> Sob o mesmo teto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Brasil que eu quero
>>> Pensar sem memória
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> O Digestivo e o texto do Francisco Escorsim
>>> Restos, por Mário Araújo
>>> A maçã de Isaac Newton
>>> O que é um livro?
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Lui Liu
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
Mais Recentes
>>> Tércnicas de RH para selecionar e segurar o marido
>>> De Volta à Vida
>>> Salve sua vida
>>> O Kama Sutra - A Essência Erótica da Índia
>>> Mente Assassina
>>> Ambições
>>> Conde de Gabalis
>>> A Marca de uma Lágrima
>>> Primeiro Amor
>>> Posso Te Dar Meu Coração?
>>> Lia e o Sétimo Ano
>>> Quero ser Belo
>>> O Cão dos Baskervilles
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol. IV
>>> A Saúde brota da Natureza
>>> Quatro Quartetos
>>> Quem é Você? Construindo a Pessoa à luz do Eneagrama
>>> Mecânica Vectorial para Engenheiros - Dinâmica (6ª ed.)
>>> O cachorro Skoz - Cão ao mar
>>> O cachorro Skoz - Passeio no ar
>>> Seu cliente pode pagar mais - 3ª edição
>>> O Pássaro Azul
>>> Zagreb
>>> The Rough Guide to Turkey
>>> Prague
>>> Dados Sobre a Coréia
>>> The Rough Guide to Morocco
>>> Lonely Planet - Argentina
>>> Lonely Planet - Bermuda
>>> Lonely Planet - Zimbabwe
>>> Hill Country
>>> Guatemala Sensacional
>>> Nova York no Meu Bolso
>>> Itália by Train
>>> Buenos Aires de A a Z
>>> Badajoz
>>> Imigrantes da Bessarábia - Jornada em Terras Tropicais
>>> Let's Visit Thailand
>>> The Man Who Deciphered Linear B - the Story of Michael Ventris
>>> Jean-Pierre Mocky
>>> Dialoguer Avec Son Ange - Une Voie Spirituelle Occidentale
>>> La Société de Consommation de Soi
>>> Cadernos de Lanzarote - Diário 1
>>> Marcelo Caetano - O Homem Que Perdeu a Fé
>>> A Construção da Beleza
>>> História dos Conceitos - Debates e Perspectivas
>>> Cidadania Proibida - O Caso Herzog Através da Imprensa
>>> Cleo e Daniel
>>> Children and Television
>>> Cholera and the Ecology of Vibrio Cholerae
COLUNAS

Sexta-feira, 2/2/2007
Valsa para Bruno Stein
Rafael Rodrigues

+ de 7400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Charles Kiefer nasceu com nome estrangeiro e sangue brasileiro em Três de Maio — a cidade, não a data —, no interior do Rio Grande do Sul, em 1958.

Charles Kiefer

E apesar de Kiefer ter mais de 30 livros publicados, só no início de 2006 foi que ouvi falar no escritor gaúcho. Justo eu, quase um garimpeiro de bons livros e autores, que adora descobrir um romance ou escritor muito bom e pouco conhecido, para sair recomendando por aí. Pois agora, depois de ler o seu Valsa para Bruno Stein (Record, 2006, 240 págs.), considero uma grande injustiça não ter conhecido, anos atrás, a literatura de Charles Kiefer. Duas grandes injustiças, aliás. Uma, com ele, que não foi muito citado em 2005 nas páginas sobre literatura que acesso na rede. A outra injustiça foi comigo mesmo: afinal, só recentemente tive contato com a prosa deste escritor gaúcho. Ponto para a Taís Laporta, que escreveu aqui sobre Kiefer em julho do ano passado e me fez definitivamente correr atrás de algum livro do autor.

Eis que, pouco tempo depois, o Julio (infalível editor deste Digestivo) me envia o citado romance. A edição de Valsa para Bruno Stein que chegou até mim é parte do projeto da editora Record de relançar, nos próximos anos, toda a obra do escritor. Bem como os próximos livros que Kiefer escrever.

Valsa para Bruno Stein foi publicado originalmente em 1986. E essa informação, a de que o romance tem mais de 20 anos de publicado é, ao mesmo tempo, assustadora e excitante. O livro foi publicado quando o autor tinha apenas 28 anos (sendo que o autor começou a escrevê-lo com 26 anos de idade).

(Se eu escrever um único romance em minha vida e ele for do mesmo quilate de Valsa para Bruno Stein, morrerei imensamente feliz).

O assustador disso é que, se esse romance é tão bom e tem tanta qualidade, o que pensar dos livros posteriores a ele, escritos por um Charles Kiefer mais experiente? E isso é que é estimulante: fica a vontade de ler mais livros do autor. Ainda mais quando se sabe que Kiefer é muito exigente consigo. Tanto que retirou de circulação, no fim dos anos setenta, três livros que havia publicado, por considerá-los de pouca qualidade literária.

A história do romance em questão se passa na segunda metade da década de oitenta. Bruno Stein e sua família — esposa, filho, nora e netas — vivem no interior do Rio Grande do Sul, onde Bruno mantém uma olaria. Homem de hábitos tradicionais, Bruno é do tipo que condena a televisão e seus "programas inúteis" e se recusa a modernizar a fábrica.

"— Precisamos modernizar — dizia-lhe o filho.
— Sei o que faço — respondia agressivo. — Fosse por você, eu e sua mãe estaríamos num asilo."

Um homem rústico, enfim. Com seus avançados setenta anos de idade, Bruno Stein não quer descansar tão cedo. "Não, enquanto ainda conseguisse caminhar, não entregaria o posto. O que não queria era ficar entrevado, à mercê da solidariedade alheia, ser um peso morto para a família." Muito pelo contrário. O oleiro faz questão de acompanhar de perto a produção da pequena (por vontade de Bruno) e tradicional, olaria. Todos os dias ele visita o galpão onde seus três empregados produzem os tijolos e faz questão de ajudá-los e orientá-los, muitas vezes de maneira ríspida, a fazer as coisas do seu jeito. Um homem com desejos a serem saciados, como o do sexo, que a esposa Olga recusava dizendo que "isso não é coisa para velhos como nós." Desejo esse que é intensificado quando Bruno vê, por acidente, sua nora Valéria nua ao sair do banho. A partir dessa noite, nem Bruno nem Valéria serão os mesmos.

O oleiro entra em uma tempestade de conflitos, onde a fé em Deus (ou o medo d'Ele?) e a vontade da carne digladiam por meses. No caso de Valéria, a fé não é problema, mas sim o fato de desejar o pai do próprio marido. Em quem ela joga a culpa, é claro, pois não é ele quem vive viajando e a deixa sozinha na fazenda? Valéria se pergunta onde estará o marido atencioso e carinhoso do início do casamento e não encontra respostas. E ela percebe que, durante muito tempo, é Bruno quem tem sido — de maneira discreta — atencioso e carinhoso com ela. Isso faz com que a vontade de deitar-se com o sogro aumente até chegar a um ponto incontrolável.

O quase incesto e os conflitos internos dos envolvidos nele é a trama central de Valsa para Bruno Stein, mas não é a única. Caminham paralelas outras histórias, e vale destacar ao menos duas delas: a de Verônica, filha de Luís e Valéria e a de Gabriel, o mais novo funcionário de Bruno.

Verônica é a adolescente-quase-mulher que de repente se vê cansada daquela vida interiorana e resolve ir para a cidade grande. A decisão não é tomada assim, de supetão, nem é fácil de ser executada. Além de não contar com o apoio de toda a família, a garota precisa ter a coragem de deixar para trás o namorado que, caso ela continuasse a morar no interior, seria o seu marido.

Já Gabriel é um jovem que chega por acaso às terras de Bruno Stein e logo dá de cara com o oleiro, que lhe oferece um emprego, pois acabara de dispensar um funcionário. Bruno, que costuma dizer que não se engana com as pessoas, vê em Gabriel um bom rapaz, com vontade de trabalhar e bom coração — palavras minhas, por mais piegas que sejam — coisas que vão se confirmando no decorrer do livro. Aliás, Gabriel foi o personagem que mais me agradou, pela sua simplicidade, pela sua ingenuidade, pelos seus sonhos e pelo seu esforço. Essa afeição pelo personagem talvez seja culpa do próprio oleiro, que nutre um carinho especial e muito discreto pelo jovem.

Ao fim do romance, que poderia perfeitamente ter uma continuação, pois seu fim deixa em aberto o destino dos personagens — o que não é uma falha, muito pelo contrário, é maravilhoso poder imaginar e determinar o futuro de cada um — percebemos que a valsa para Bruno Stein talvez signifique aquele merecido descanso a que todo homem deveria ter direito em determinado momento da vida. O descanso tranqüilo, sem obrigações nem aborrecimentos. Mas nem de longe quero me referir à morte, muito pelo contrário. Me refiro à vida que floresce, tanto em Bruno Stein quanto naqueles que o cercam.

Para ir além






Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 2/2/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sobre caramujos e Omolu de Ricardo de Mattos
02. O menino mais bonito do mundo de Ana Elisa Ribeiro
03. Por que corremos e não chegamos a lugar algum de Adriana Baggio
04. Dois palmos de céu de Rafael Lima


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2007
01. O óbvio ululante, de Nelson Rodrigues - 2/11/2007
02. O nome da morte - 16/2/2007
03. Os dois lados da cerca - 7/12/2007
04. História dos Estados Unidos - 29/6/2007
05. O homem que não gostava de beijos - 9/3/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/8/2007
18h00min
Connheço o trabalho de Charles Kiefer praticamente desde seus primórdios, talvez por ser gaúcho. Assim com ele, já que o amigo gosta de autores interessantes, temos outros gaúchos ótimos, não sei se conhece: Alcy Cheuiche (Ana sem terra, Lord Baccarat, O mestiço de São Borja); Laury Maciel (Noites no sobrado, Rosas de papel crepom, Pedra dos anjos); e Arnaldo Campos (A ceia do diabo). Um abraço!
[Leia outros Comentários de Josué Pimentel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VELÁZQUEZ - GÊNIOS DA PINTURA Nº 19 - BARROCO AO NEO CLASSICISMO
AUTOR VELÁZQUEZ
ABRIL
R$ 9,00



MIRÓ - GÊNIOS DA PINTURA Nº 68
ABRIL CULTURAL
ABRIL CULTURAL
(1967)
R$ 10,00



PARAPSICOLOGIA DIDÁTICA
RAUL MARINUZZI
LIVRARIA FREITAS BASTOS
(1977)
R$ 8,02



FUNDAMENTOS DO FENG SHUI - RIQUEZA
LILLIAN TOO
AVATAR
(1998)
R$ 9,03



A GUERREIRA DA LAPINHA
ELIESER CESAR
CASARÃO DO VERBO
(2012)
R$ 15,00



MANGÁ HITMAN - A SEGUNDA TEMPORADA 1
HIROSHI MUTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2012)
R$ 14,90



PSICOLOGIA APLICADA AO COMPORTAMENTO 3 - VONTADE CRIADORA
GRUPO NOVO HORIZONTE
GRUPO NOVO HORIZONTE
(1980)
R$ 9,80



COLEÇÃO MARVEL TERROR: ZUMBIS MARVEL, VOLS. 1, 2, 3 & 4
ROBERT KIRKMAN, MARK MILLAR ET AL.
PANINI
(2003)
R$ 89,00



O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN
PONTE PARA A LIBERDADE
PONTE PARA A LIBERDADE
R$ 58,50



A CRISE DO SÉCULO XX
GILBERTO DE MELLO KUJAWSKI
ÁTICA
(1988)
R$ 7,00





busca | avançada
24629 visitas/dia
1,1 milhão/mês