As revoluções e suas histórias | Tatiana Mota | Digestivo Cultural

busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
>>> FAAP promove bate-papo com as atrizes Djin Sganzerla, Zezita Matos e com o diretor Allan Deberton
>>> Elísio Lopes Jr comanda oficina gratuita de dramaturgia nesta sexta-feira (27)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Show him what he is like
>>> Machado polímata
>>> In the Line of Fire
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> A polêmica dos quadrinhos
>>> Ad Usum Juventutis
>>> Schopenhauer sobre o ofício de escritor
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Últimos Dias, de Gus Van Sant
>>> Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques
Mais Recentes
>>> Passagens – Crises Previsíveis da Vida Adulta de Gail Sheehy pela Francisco Alves (1980)
>>> A Chave da Longevidade de Dr. Hugues Destrem pela Europa-América (1979)
>>> A Força da Saúde de Victor Hugo Belardinelli pela Movimento (2013)
>>> O Envelhecimento de Luiz Eugênio Garcez Leme pela Contexto (1997)
>>> Velhice - Culpada ou Inocente? de Carlos Eduardo Accioly Durgante pela Doravante (2008)
>>> Envelhecimento Bem-Sucedido de Newton Luiz Terra e Beatriz Dornelles (Orgs.) pela Edipucrs (2003)
>>> Naturalmente Mais Jovem de Roxy Dillon pela Sextante (2016)
>>> Direito Administrativo Descomplicado de Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo pela Método (2019)
>>> Tópicos de Matemática Aplicada de Luiz Roberto Dias de Macedo, Nelson Pereira Castanheira e Alex Rocha pela Intersaberes (2018)
>>> Gestão de Custos de Carlos Ubiratan da Costa Schier pela Ibpex (2011)
>>> Ética Empresarial na Prática de Mario Sergio Cunha Alencastro pela Intersaberes (2016)
>>> Gestão Socioambiental no Brasil de Rodrigo Berté pela Intersaberes Dialógica (2013)
>>> Ferramentas Para a Moderna Gestão Empresarial - Teoria, Implementação e Prática de Maria Inês Caserta Scatena pela Intersaberes Dialógica (2012)
>>> O rio do tempo de Hernani Donato pela Círculo do livro (1976)
>>> O menino de areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1986)
>>> Breton/ Trotski - Por uma arte revolucionária independente de Valentim Facioli pela Paz e Terra (1985)
>>> Dize-me com quem andas de Mary McCarthy pela Civilização Brasileira (1967)
>>> Uma vida encantada de Mary McCarthy pela Civilização Brasileira (1967)
>>> Quem vai fazer a chuva parar? de Robert Stone pela Companhia das letras (1988)
>>> Meus amigos de Emmanuel Bove pela Companhia das letras (1987)
>>> Rastro do fogo que se afasta de Luis Goytisolo pela Companhia das letras (1988)
>>> Vista do amanhecer no Trópico de G. Cabrera Infante pela Companhia das letras (1988)
>>> Tebas do meu coração de Nélida Piñon pela José Olympio (1974)
>>> A república dos sonhos de Nélida Piñon pela Francisco Alves (1984)
>>> O caso Morel de Ruben Fonseca pela Artenova (1973)
>>> E do meio do mundo prostituto só amores guardei do meu charuto/História de amor (Box) de Ruben Fonseca pela Companhia das letras (1997)
>>> A marcha Húngara de Henri Coulonges pela Difel (1994)
>>> A mais que branca de José Geraldo Vieira pela Melhoramentos (1975)
>>> Sobras completas de Nelson Motta pela Nova fronteira (1984)
>>> O Amor é a Melhor Estratégia de Tim Sanders pela Sextante (2003)
>>> Seria trágico... se não fosse cômico: Humor e Psicanálise de Abrão Slavutzky; Daniel Kupermann pela Civilização Brasileira (2005)
>>> Dez Coisas que Eu Amo em Você - Trilogia Bevelstoke Livro 3 de Julia Quinn pela Arqueiro (2020)
>>> S.O.S. Dinâmica de Grupo de Albigenor & Rose Militão pela QualityMark (2001)
>>> Constelação Familiar de Divaldo Franco pela Livraria Espírita Alvorada (2009)
>>> Outlander: A Viajante do Tempo - Livro 1 de Diana Gabaldon pela Saída de Emergência (2014)
>>> Investimentos Inteligentes (Para Conquistar e Multiplicar o Seu Primeiro Milhão) de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson Brasil (2008)
>>> El Cuaderno de Maya de Isabel Allende pela Sudamericana (2011)
>>> A Cama na Varanda: Arejando Nossas Idéias a Respeito de Amor e Sexo de Regina Navarro Lins pela Rocco (2000)
>>> A Vida é Bela no Trabalho de Dominique Glocheux pela Sextante
>>> Eugène Delacroix 1798-1863: O Príncipe do Romantismo de Gilles Néret pela Taschen (2001)
>>> Agora Aqui Ninguém Precisa de Si de Arnaldo Antunes pela Companhia das Letras (2015)
>>> Nu de Botas de Antonio Prata pela Companhia das Letras (2013)
>>> Trilogia Suja de Havana de Pedro Juan Gutiérrez pela Companhia das Letras (1999)
>>> As Religiões no Rio de João do Rio pela Jose Olympio (2015)
>>> A Teoria da Causa Madura no Processo do Trabalho de Ben-hur Silveira Claus pela Ltr (2019)
>>> Pimentas de Raul Lody pela Nacional (2018)
>>> Zen a a Arte de Manutenção de Motocicletas de Robert M. Pirsig pela Paz e Terra (1984)
>>> Monobloco - uma Biografia de Leo Morel pela Azougue (2015)
>>> Lei Antiterror Anotada - Lei 13. 260 de Acácio Miranda Silva Filho, Alex Wilson Ferreira pela Foco (2018)
>>> Marketing de Nichos de Alexandre Luzzi las Casas pela Atlas (2015)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/3/2011
As revoluções e suas histórias
Tatiana Mota

+ de 3200 Acessos

A face do mundo islâmico pode mudar, ou assim espera-se. O continente europeu acompanha com muita atenção os movimentos nos até agora 11 países que fazem parte das revoltas contra ditaduras seculares, que estão há décadas no poder. Para mim, nascida e criada no Brasil, a cultura desses países sempre me pareceu muito distante. Hoje em dia acostumei-me a ver nas ruas das grandes cidades europeias pessoas ligadas à cultura Islâmica, as mulheres e moças com seus véus, os jovens com o cabelo meio raspado e os senhores discretos de barba grisalha. Há no continente europeu pelo menos 5% de pessoas ligadas ao Oriente Médio e/ou provenientes desses países que no momento enchem suas ruas de protestantes. Essa presença por aqui, combinada com a sensação de estar vivendo mais um momento histórico, faz com que eu tenha também grande interesse em acompanhar os desenvolvimentos dessa revolução.

Os grandes jornais do Brasil cobrem com eficiência o que ocorre nestes países. O que tenho de minha visão pessoal a acrescentar se relaciona à força da juventude para mover tantas barreiras que hoje e sempre fazem parte da vivência humana neste planeta. Não é estranho imaginar que antes dos anos 1950 os jovens ocidentais eram apenas preparados para a vida adulta? Não havia nada próprio de sua época e apropriado para a sua idade, para se curtir o "ser jovem", e desde cedo havia trabalho e/ou casamento. Surgiu uma geração considerada por muitos insana, que quebrou muitos desses paradigmas da época. Não posso aplaudir todas as práticas dessa geração, mas devo reconhecer que eles mudaram a face do mundo entre os anos 50 até os anos 70.

Até mesmo aqui na Holanda a época foi tão marcante quanto nos Estados Unidos, França, Brasil e outros. Havia facções de jovens mais intelectualizadas e outros mais causadores de problemas, os Nozem's e os Provo's, respectivamente. A famosa Dam, a praça mais frequentada pelos turistas em Amsterdam, era na época ocupada por esses jovens, que às vezes até dormiam junto ao monumento da praça em protesto. E assim também podemos lembrar nossos revolucionários brasileiros, reinventando nossa cultura e lutando contra a ditadura.

Essa geração é tão marcante, a dos meus pais, que sempre me senti de uma época menos relevante e conformista. A única marca revolucionária que posso apresentar no meu currículo foi ter pintado meu rosto de verde e amarelo e ter protestado a favor do "impeachment" do ex-Presidente Collor de Mello. Mesmo consciente de que o movimento "cara pintada" é taxado de ter sido manipulado pelas forças políticas opositoras de época, ainda fico feliz em ter estado lá exatamente nesse momento tão importante, chegando a acompanhar o momento derradeiro prostrada em frente ao Congresso Nacional até o último voto.

Percebo que a juventude residente nos países de cultura islâmica em revolução no momento vive mais dificuldades que todas as gerações ocidentais até o momento mencionadas. A corrupção que suga os recursos que deveriam pertencer aos cidadãos nós temos em comum, mas, para mim, a falta de liberdade é uma dor muito grande. O excelente filme No one knows about Persian Cats, no qual o diretor Bahman Ghobadi tenta mostrar como jovens iranianos tentam fazer sua música, dá uma ideia de como a liberdade é cerceada em tais países. Uma banda de heavy metal ensaia reclusa em uma fazenda em meio a vacas nervosas, outra banda "indie" procura passaportes no mercado negro para conseguir se apresentar na Europa; shows secretos em suas cidades, CDs proibidos, repressão e morte, tudo para que eles possam expressar sua arte da maneira que bem entendem. Infelizmente não se pode dizer mais de outros direitos relacionados, como, por exemplo, a liberdade de imprensa e da própria personalidade, pois de certa forma a identidade com esse nível de repressão já nasce pré-fabricada.

Mas esse grupo que está agora vivendo seus 20 anos, vejo que ele é diferente. Muitos dos jovens que conheço são bem mais engajados e interessados com o que ocorre à sua volta. Essa parece ser a maior força nessa revolução de agora nos países do Oriente Médio. Enfrentam os mercenários de Kadhafi, a polícia, os apoiadores dos governos totalitários, perdendo até a vida, se for necessário. As redes sociais e celulares devidamente acionados, quando não bloqueados, são utilizados para comunicar o que ocorre a cada dia ou organizar passeatas neste estado de quase guerra civil. Duvido que o Sr. Zuckerberg, com seu "singelo" objetivo de conectar as pessoas, não poderia imaginar o alcance de sua rede social. Os bilhões que o valor capitalista atribui a essa rede são, a meu ver, secundários, se vistos pelo prisma desse potencial de ajudar a transformar o que está à sua volta.

Na Tunísia já conseguiram a renúncia do presidente, sendo esse o primeiro país o qual o nível de protestos começou recentemente a se intensificar. Curiosamente, o estopim para tudo foi o caso de um jovem, um rapaz de 17 anos que sofreu uma proibição de comerciar seus produtos e respondeu a isso atentando radicalmente contra a própria vida, vindo a falecer e se transformando em mártir. Depois veio o Egito com a surpreendente renúncia de Mubarak, no dia 18 de fevereiro. Agora, a Líbia espera a saída de Kadhafi do poder enquanto milhares de pessoas perecem diante das forças mercenárias. Os demais países em protesto veemente e punição governista radical.

Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia, Egito, Jordânia, Cisjordânia/Faixa de Gaza, Iraque, Irã, Behrein e Iêmen. São muitos países, cada um com sua particularidade, muitos interesses em jogo. Não se pode dizer que o impulso de mudança resultará no resultado que almejam esses jovens, mas ninguém poderá tirar deles a força que têm demonstrado em tentar escrever uma história diferente nas páginas de sua nação. Espero que essa história seja muito própria deles. O modelo democrático de construção do estado e a garantia dos direitos fundamentais do cidadão é muito apropriado para qualquer país que ainda não o tenha, bem como a separação entre a religião e o estado, mas muitos dos países que se encontram do chamado lado ocidental do mundo não podem se vangloriar de fazê-lo com propriedade. Que eles possam então usar esse modelo apenas como base para construir seu próprio governo respeitando sua cultura.

Lágrimas, sangue, mas também belos sonhos de um futuro melhor. Creio ser um momento extraordinário para todas essas pessoas e para todo o mundo. Acompanhemos com atenção e solidariedade, esperando que os mais nobres sonhos de cada um se concretizem.

Nota da autora
Para saber mais sobre a situação dos países, sugiro acompanhar as notícias via site da BBC.


Tatiana Mota
Hilversum, 24/3/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os bigodes do senhor autor de Renato Alessandro dos Santos
02. Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras de Elisa Andrade Buzzo
03. A barata na cozinha de Luís Fernando Amâncio
04. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo de Heloisa Pait


Mais Tatiana Mota
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESTADO, CONSTITUIÇÃO E JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS
MARCIO RICARDO STAFFEN
LUMEN JURIS
(2015)
R$ 50,00



EIGHT STRANGE TALES
ELIZABETH ENRIGTH
LADDER
(1969)
R$ 5,00



SENHOR, OBRIGADO POR MAIS UM DIA!
NEREU DE CASTRO TEIXEIRA
EP
(1979)
R$ 9,92



A QUEDA DA MONARQUIA FRANCESA - LUIS XVI, MARIA ANTONIETA E O BARÃO DE BRETEUIL
MUNRO PRICE
RECORD
(2007)
R$ 13,72



IMITAÇÃO DE CRISTO - COLEÇÃO A OBRA-PRIMA DE CADA AUTOR
TOMÁS DE KAMPIS
MARTIN CLARET
(2001)
R$ 14,90



VENCEDOR NÃO USA DROGAS
EDSON FERRARINI
LUXOR
(2002)
R$ 12,00



OS SONHOS MORREM PRIMEIRO
HAROLD ROBBINS
NOVA CULTURAL
(1988)
R$ 5,00



COLEÇÃO 7 DIAS - NATAL
BIBLIOTECA VIAJE MAIS
EUROPA
R$ 15,00



TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO
WALTER LUIZ CARAM SALIBA
MAKRON BOOKS
(2005)
R$ 15,00



THE BIG TEN
JEFFREY E. GARTEN
BASIC BOOKS
(1997)
R$ 12,00





busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês