Os desajustados | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
36970 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/9/2011
Os desajustados
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2400 Acessos


foto: Sissy Eiko

Uma das características do centro da cidade que me faz amá-lo é a sua vocação para a preservação da história, do usado e do desgastado, do sentimento religioso que emana de suas incontáveis igrejas e imagens sacras. Assim como seu pendor em acolher os mulambentos, os solitários e toda sorte de desajustados, sem fazer troça deles, ofertando um banco um recosto, apenas querendo-os, seja desinteressada ou monetariamente, como um livro usado a espera da benquerença de um leitor afeito à garimpagem. Vamos passear por sebos e livrarias do centro de São Paulo.

Não é necessário se assustar, nem desmerecer a "cidade", como nossos pais a chamavam no tempo dos bons sapatos e das lojas de departamento. Ainda que nos debrucemos sobre um chão desgastado, cravado de escória, batido por um batalhão de trabalhadores e vagabundos, lá é o âmago vital do plexo urbano. De modo que quando aporto no centro repetidas vezes me pergunto como posso não vivenciar a sua história todos os dias, fazer parte de sua movimentação incessante, dar minha contribuição, nem que seja pela singeleza de um sorriso, um esgar, caminhar lado a lado com o fato.

E se o centro é a casa da diversidade, do acolhimento de todas as classes sociais e religiões, das pregações assustadoras no Marco Zero e no Patriarca, lá também há uma concentração de sebos e livrarias, sobretudo as religiosas. A Paulus e a Loyola se estendem próximas à Catedral da Sé, na Quintino, Senador Feijó, e na Barão de Itapetininga, não só com artigos religiosos - terços, imagens domésticas, santinhos, livretos -, mas também com muitos livros de religião, como não poderia deixar de ser, filosofia, escolares e algo de literatura também. Um ecletismo que causa um leve estranhamento, a constante abordagem dos vendedores prestativos, logo mostra que, ao deslizar-se pelo piso de azulejos, pode-se encontrar muito.

As Livrarias Saraiva da Rua São Bento e da João Mendes destacam os livros de interesse geral, os livros espíritas e de Direito, prova de que naquele mundo central se está perto de gente que se interessa por assuntos díspares, e advogados, pela concentração de escritórios e da Faculdade de Direito no Largo de São Francisco. Já a Livraria da Unesp fica no térreo do Palacete São Paulo, o segundo prédio a ser construído na Praça da Sé, e mantém um bom acervo de História e Ciências Humanas. A Martins Fontes na Praça do Patriarca é calma, ampla e, com considerável acervo, constitui-se numa referência na região.

Passemos aos sebos. Na Barão uma livraria-antiquário guarda suas relíquias com afinco, retrovisores e olhos de raposa. Tudo ao som de música clássica. Gravuras e mapas dispostos em mesas largas completam o tom europeu. Somos os únicos visitantes, num sábado frio e chuvoso. De um livro da Massao Ohno Editora saltam conhecidos de antigos carnavais, situações risíveis que o tempo tratara de bordar. Já no Messias da Praça João Mendes o ambiente é mais movimentado e um violinista toca ao vivo. Isso só no térreo, pois subindo em busca de poesia e literatura deparamo-nos com infinitas sucessões de prateleiras e uma ou outra alma se movimentando levemente. Este é um mundo suscetível a grandes vazios, gente empoleirada num banquinho baixo, livro em mãos. Retornamos à praça. No Nova Floresta a prateleira de poesia é espremida num corredor estreito e só mesmo dois poetas interessados podem fazer malabarismos e contorsões de corpo a fim de encontrar-se com seus pares. Em uma outra visita, surpresa no primeiro andar: uma estante inutilizada foi colocada bem em frente... à prateleira de poesia!

E dos livros emergem histórias pessoais e coletivas. Antigas coleções infantojuvenis da Ática e da Scipione que foram abandonadas por seus donos, talvez, e mesmo algumas já atualizadas pela própria editora se infileiram passivas. Puxamos o primeiro volume do Para gostar de ler, A palavra é... bicho, O feijão e o sonho, de autor com nome até hoje tão enigmático, Orígenes Lessa. Dou um grito de emoção ao avistar um conservado Gato preto em campo de neve, memórias do grande Erico Verissimo com capa antológica de Eugênio Hirsch! Encontro mais um distante Olegário Mariano, Cidade maravilhosa, numa mimosa coleção de bolso ilustrada, Os mais bellos poemas de amor, da década de 1930. Consideramos prefácios e biografias de antigos conhecidos, num diálogo além-livro. E diante de uma ironia do destino, levarei comigo, nesta data de homenagens drummondianas: Poesia errante, exemplar nunca aberto, como se tivesse acabado de sair da gráfica, placidamente disposto neste mar de folhas plissadas - "A máquina do tempo nos tritura/ Ao mesmo tempo cria imagens novas./ Renascemos em cada criatura/ que nos traz do infinito as boas novas."

Então, agora - ainda não e talvez nunca refeita do passeio - abro a janela do quarto para sentir o ruído do bairro, o vai e vem de gente e auto. Não é a mesma coisa, pois há apenas dois sentidos, e no centro o espaço é múltiplo, transbordante, pleno de intentos. Talvez seja melhor manter um afastamento lúcido de tal estar rodeado de passos, carregadores e seus ruidosos carrinhos de mercadorias, gritos dos vendedoras de joias, óculos e celulares, os apelos do promotor de vendas ao microfone nas lojas populares e a sensação de figuração num teatro de variedades em sessões contínuas - tendo como cenário um lugar cuja história é ignorada por seus passantes, os quais reconstroem um novo modo de vida, que por sua vez ainda será suplantado.

Pois na estação da espera e da procura eternas, a dos sebos, cada movimento pressupõe uma consequência catastrófica, um puxar de lombada, um notar de rasgo na capa, um cheirar de bolor e pó, uma dedicatória apaixonada exposta ao mundo, um ex-libris. É por excelência o espaço do acaso, um mergulho diante do desconhecido, em que voltamos revigorados por descobertas, com as pontas dos dedos envoltas numa fuligem preta de cáustico passado. Instalados no limbo do limbo, nesse universo lançado ao reuso ocasional, assim dançamos ao som da cantilena dos livros apartados de suas bibliotecas.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 1/9/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O cinema visita a funilaria de Vicente Escudero
02. Tàpies, Niculitcheff e o Masp de Jardel Dias Cavalcanti
03. Mudernidade muderninha de Evandro Ferreira
04. Recortes de carnaval de Rafael Lima


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
02. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A MULHER DE TRINTA ANOS
BALZAC
NOVA CULTURA
(1995)
R$ 9,00



VINHOS - UMA FESTA DOS SENTIDOS
ROGERIO DARDEAU
MAUAD
(2002)
R$ 10,51



UMA BREVE HISTÓRIA DO CRISTIANISMO
GEOFFREY BLAINEY
FUNDAMENTO
(2012)
R$ 20,00



ARREBENTAÇÃO
CLAUDIE GALLAY
OBJETIVA
(2010)
R$ 20,00



MACAPACARANA
GISELDA NICOLELIS
ATUAL
R$ 9,36



QUE FIM LEVOU BRODIE ?
ANTONIO F. BORGES
RECORD
(1996)
R$ 20,00



SINAIS DE VIDA NO PLANETA MINAS
FERNANDO GABEIRA
NOVA FRONTEIRA
(1982)
R$ 6,00



O ASSASSINATO E OUTRAS HISTÓRIAS
ANTON PAVLOVICH TCHEKHOV
COSACNAIFY
(2003)
R$ 5,00



A HISTÓRIA DA GALINHA
NINA AMARANTE
GLOBAL
(2009)
R$ 33,00



O ESPIÃO QUE SAIU DO FRIO
JOHN LE CARRÉ
ABRIL CULTURAL
(1980)
R$ 6,28





busca | avançada
36970 visitas/dia
1,4 milhão/mês