Como uma criança | Arcano9 | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Festas 2001

Segunda-feira, 24/12/2001
Como uma criança
Arcano9

+ de 2400 Acessos


A Regent Street está toda decorada com aquelas luzes lindas. Luzes piscantes em varais sobre a rua, luzes representando flocos de neve coloridos, estrelinhas. As pessoas passam todas empacotadas: muitas mulheres com lindos casacos de pele, homens com terno, sobretudo e cachecol. Eles descem da Oxford Circus para a Piccadilly Circus. Depois, voltam para a Oxford Circus, carregados de sacolas - presentes caros das finas lojas de moda, peças de vestuário da mais pura caxemira, cardigans, jaquetas. O tempo está frio, mas não neva. Raramente neva por aqui, ano passado foram só umas três vezes, em 1999 não passou de uma. Londres sonha com um White Christmas.

As crianças olham fascinadas ao redor. Que época mágica. Que tempos gloriosos. O Natal não tem graça nenhuma, não é? Só é divertido se você é uma criança. Que saudade da mamãe fazendo docinhos de Natal. Que saudade de ficar com insônia às três da manhã do dia 25. Que saudade de escrever a cartinha, de esperar aquele presente. Quantas pessoas já viveram o White Christmas em países tropicais, com 40 graus de calor. Quantas crianças. E quantas vezes, andando pela Regent Street, olhando para as lindas luzes, você não é aquela criança de novo. Quantas vezes você gostaria de não pedir desculpas por não saber jogar o jogo. O jogo que você estava, naquela época, ainda aprendendo a jogar. Quantas vezes você gostaria, hoje, de bater seu carrinho no carrinho do seu amigo e só dar risada depois.

Eu entro na loja.

"- Desculpe, mas qual é a sua idade?", pergunto para o marmanjo brincando, junto com seu colega também alto e barbado, com carrinhos de controle remoto na Hamleys. "Tenho 22 anos", diz ele, estufando o peito, fazendo questão de pronunciar bem a idade e a palavra "anos".

"- Humm, então, pelo jeito, você não acha que brinquedos são coisa de criança, né?

- Não, de jeito nenhum. Eu me divirto prá valer. Eu deveria estar aqui comprando um presente para minha irmã, mas não dá para ignorar alguns brinquedos", diz o sujeito, se desculpando. À beira da pista onde estão os carrinhos rodando e batendo-se, uma, duas, três crianças de uns seis, sete anos se aproximam e olham com um certo desânimo os carrinhos e seu pilotos altos.

"- Mas... acho que já está na hora de deixar a criançada brincar um pouco, né?", ri meu entrevistado. O garotinho loiro dá um pulo à minha frente e agarra o controle remoto.

A Hamleys, caso você não conheça ainda, é um mundo. Um universo de brinquedos, brinquedos e mais brinquedos. É mais uma dessas lojas de luz rutilante entre Piccadilly e Oxford Circus. Se você perguntar se é esta a maior loja de brinquedos do mundo, eu lhe digo que há controvérsias. Sem dúvida é a maior da Europa, e talvez, de fato, a maior do planeta em número de brinquedos diferentes à venda - cerca de 35 mil. Mas parece que, em relação à área interna, há uma loja nos EUA que é ainda melhor. Quando Peter Nicholson, porta-voz da Hamleys, me diz isso, eu quase caio prá trás. Como é possível? Uma loja maior do que esta, que tem sete andares, SETE andares de brinquedos?

Nicholson me leva para um pequeno tour pelo humilde estabelecimento. No segundo lance de escada rolante para cima, cruzamos com um coelhinho elétrico que dá seus pulos descendo a escada.

"- Oh, não", diz ele. "De novo? É a segunda vez hoje!" O coelhinho é recolhido e jogado num corredor no terceiro andar. Passava um homem de uns trinta anos de idade com dois filhos pequenos, quase que recém-aprendidos a andar. Os guris começam a olhar com grande interesse para o coelho e, como se estivessem num safari na floresta, discutem em silêncio alguma estratégia para caçá-lo.

A loja está cheia. Cheia. Esta é a época do ano que dá sentido a este lugar. Fábrica de Papai Noel? Não existe. Mas se existisse, certamente este seria o clima.

"- Sofremos muito com a queda nas vendas depois de 11 de setembro", diz Nicholson. A Hamleys aposta na sua fama no exterior, e depois dos ataques às torres gêmeas, os turistas adiaram um pouco suas idas aos aeroportos. Nicholson confirma que a loja chegou a acumular um prejuízo de mais de R$ 3 milhões. Mas as vendas de Natal vão reverter esse quadro? "Não sabemos. Estamos fazendo ainda a avaliação inicial das vendas de dezembro. Mas posso dizer que temos medo que não consigamos faturar tanto quando nos últimos anos."

No andar das bonecas, espremida entre os consumidores, no corredor das Barbies indo para o corredor da Lulu, encontro uma inglesa muito simpática. Não tem filhos. Leva uma bolsa com várias caixas, um kit de tijolinhos de madeira, um outro da Lego, um bichinho de pelúcia.

"- São para seus filhos?

- Não. São para meus sobrinhos. Vou gastar mais de R$ 300, estou comprando presentes para os quatro.

- E a senhora vem sempre aqui comprar seus presentes de Natal?

- Sim, todo o final de ano. Gosto da variedade. Apesar da loja ter problemas.

- Que tipo de problemas?

- Ah, você sabe. Não tem janelas, é feio aqui dentro. Não é uma Selfridges", ri a inglesa. "E além de tudo, é caro."

É, caro é, mesmo. Pensei depois em comprar um iô-iô - elemento importante das minhas lembranças da infância, quando passava todos os recreios na escola à caça daqueles selos nos copos de papel da Coca-cola que, depois, podiam ser trocados pelos brinquedos. Procuro o iô-iô e, quando o encontro, deixo-o exatamente onde estava. É, filhão, papai não tem dinheiro. São £ 19,99, algo em torno de R$ 65, R$ 70.

Não há, por falar nisso, nenhum Papai Noel vestido a caráter em parte alguma. Poucas referências decorativas ao Natal. Sinto uma aura realmente atemporal - como se na Hamleys a estratégia fosse fazer os adultos entrarem em algum tipo de máquina do tempo mesmo. Sinto algo muito familiar de quando eu era bem criança, mas não sei exatamente o que é. Deve ser o simbolismo, o feng shui dos corredores, algum aroma distribuído através do ar condicionado. Um cheiro de dadinho, de Fanta uva, talvez. Mas mesmo esta dimensão que apela para as lembranças arcanas de nossas diabruras pré-puberdade está sujeita às gigantescas ondas do modismo.

"-Não, já acabou o nosso estoque por hoje", responde Nicholson quando pergunto se ele tem o brinquedo mais procurado desta temporada de Natal aqui na Grã-Bretanha. "Vendemos muito mesmo o kit da Lego para montar o castelo Hogwards, do Harry Potter. É sem dúvida nosso principal produto neste Natal, assim como todos os outros produtos do personagem. Quanto custa? Uns R$ 280", explica. "Outro brinquedo que está vendendo bem é uma pequena máquina para as crianças fazerem um doce parecido com algodão doce. Talvez até tenhamos um ou dois ainda. Custa uns R$ 200". Humm. Nada de G.I. Joe, Comandos em Ação. Nada de soldadinhos e armas de brinquedo em tempos de guerra e terrorismo. Bom sinal.

Despeço-me de Nicholson. Agora, devo ir embora. Mas sem antes me divertir um pouquinho, é claro, que sou filho de Deus. Em toda loja, em cada canto, há demonstradores de brinquedos. Pobres coitados, devem ganhar muito pouco, mas como eu os invejo. Passam o dia lá estimulando os visitantes a brincar. Explicando como funcionam os brinquedos. No andar térreo, perto dos ursinhos de pelúcia, encontro Larissa, uma brasileira com um sotaque do sul. Muito risonha. Ela está mostrando a todos como fazer uma espécie de bolha de plástico, soprando uma substância pastosa que você pode comprar e levar para casa. Ela usa toda sua perícia para fazer mais uma bola gigante. Sopra, sopra. A bola fica imensa. Depois, ela usa água para selar o plástico com ar dentro. Dá o resultado final de seu trabalho para um molequinho de uns quatro anos, que quase desmaia de tão feliz. O menino sai correndo para mostrar a bola para o pai e por pouco não a faz explodir de encontro às canelas do progenitor.

"-Adoro trabalhar aqui", diz Larissa, com um sorriso que espelha o do menininho. "Adoro porque você não só trabalha, também se diverte." Pergunto a ela se ela vê brasileiros visitando a loja. "Brasileiros? Só tem brasileiros aqui! Eles vêm muito e compram algo de recordação, algum brinquedo ou alguma coisa para lembrar de Londres."

Sabe, até entendo porque vai tanto brasileiro lá, o ano inteiro. A luz, a festa, a alegria. Pedi uma bolinha de plástico para Larissa e fui atendido. Papai não tinha dinheiro para o iô-iô, mas o filhão não saiu de mãos abanando. Adorei lembrar de como é. O Natal. Não é só olhar e admirar essas luzes lindas, como as da Regent Street - é lembrar de como você adorava as luzes lindas de sua árvore de Natal quando você era pequenininho.

Saí à rua. Não tinha nevado (nada de White Christmas, mesmo). As pessoas ficaram olhando para a bola na minha mão, e depois para mim jogando-a para o ar e pegando-a de volta. Fiquei, adulto que sou, bobamente contente. E disse (e digo) feliz Natal! Façam o que quiserem, mas nunca deixem de se divertir!


Arcano9
Londres, 24/12/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Kesey, um estranho no ninho da ficção de Luiz Rebinski Junior
02. Sampa de Tatiana Mota
03. O Islã e seu Clone de Adriana Baggio


Mais Arcano9
Mais Acessadas de Arcano9 em 2001
01. Duas formas de perder a virgindade no West End - 5/3/2001
02. O que realmente importa - 17/12/2001
03. Quando road movie encontra inocência adolescente - 19/3/2001
04. Ler ao acaso - 19/11/2001
05. Concurso de popstars mostra novo caminho na TV - 19/2/2001


Mais Especial Festas 2001
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PARA SEMPRE - SÉRIE OS IMORTAIS VOLUME 1
ALYSON NOËL
INTRINSECA
(2009)
R$ 16,00



A DERRAMA CONTEMPORÂNEA
FLÁVIO ROCHA
TOPBOOKS
(1992)
R$ 5,00



ÀRE
MARCOS SANTILLI
SVER & BOCCATO
(1987)
R$ 12,00



DECIDE & DELIVER FIVE STEPS TO BREAKTHROUGH PERFORMANCE IN YOUR ...
MARCIA W. BLENKO / MICHAEL C. MANKINS PAUL ROGERS
BAIN & COMPANY
(2010)
R$ 90,00



THE KNOWLEDGE BOOK: EVERYTHING YOU NEED TO KNOW TO GET BY IN THE 21ST
NATIONAL GEOGRAPHIC
NATIONAL GEOGRAPHIC
(2009)
R$ 50,00



O ROMANCE DESASTROSO DE JOSIANO E MARIANA OU A GESTA DO BOI MENINO
FERNANDO LONA
MCGRAW-HILL
(1977)
R$ 24,00
+ frete grátis



ENSAIOS DE HISTORIA DO PENSAMENTO ECONÔMICO
FRANCISCO DA SILVA COELHO; TAMAS SZMERECSANYI
ATLAS
(2007)
R$ 60,00



NOSSAS RAINHAS
AYMARA ARREAZA RODRÍGUEZ
ID
(2010)
R$ 30,00



O PLANETA DESCONHECIDO
PETER KOLOSIMO
MELHORAMENTOS
(1973)
R$ 17,00



CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE POR VIA DE AÇÃO
DIRCÊO TORRECILLAS RAMOS
WVC
R$ 12,00





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês