Tolos Vorazes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Itinerário de leituras on-line
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
Mais Recentes
>>> Dicionário Oxford Escolar Para Estudantes Brasileiros de Inglês de Oxford University pela Oxford (2009)
>>> Breve história de sete assassinatos de Marlon James pela Intrínseca (2017)
>>> Carmen Portinho - Coleção Perfis do Rio de Ana Luiz Nobre pela Relume Dumará (1999)
>>> Relações Humanas Interpessoais nas Convivências Grupais e Comunitárias de Silvino José Fritzen pela Vozes (1987)
>>> Perdas Necessárias de Judith Viorst pela Melhoramentos (1988)
>>> Acima de Qualquer Suspeita - Presumed Innocent de Scott Turow pela Record (1987)
>>> Para Gostar de Ler 27 - Histórias Sobre Ética de La Fontaine Machado de Assis e Outros pela Ática (2003)
>>> Dia dos Mortos de Marcelo Ferroni pela Globo (2004)
>>> Kota de Richar Forsithe pela Nova Cultural (1989)
>>> O que é Arte? A polemica visão do Autor de Guerra e Paz de Tolstoi pela Ediouro (2002)
>>> As Cinco Estações do Corpo de João Curvo e Walter Ms. Tuche pela Rocco (2001)
>>> Valsa Negra de Patrícia Melo pela Companhia das Letras (2003)
>>> Um Fio de Esperança de Nancy Guthrie pela Mundo Cristão (2008)
>>> Oblomov de Ivan Alexandrovitch Gotcharov pela Germinal (2001)
>>> O Apanhador no campo de centeio de Jorio Dauster; Antonio Rocha; Alvaro Alencar pela Do Autor (2012)
>>> Auto-sentimento de Norberto R. Keppe pela Proton (1977)
>>> A Nova Dieta Revolucionária do Dr. Atkins de Roberto Atkins pela Círculo do Livro (1972)
>>> Fé e Liberdade - O Pensamento Eco. da Escolástica de Alejandro A. Chafuen pela Lvm (2019)
>>> Serenidade e Paz pela Oração de Rafael Llano Cifuentes pela Do Autor (2002)
>>> Trilogia de Cinquenta tons de cinza. Vol.1 , Vol. 2 e Vol. 3 de E L James; E L James; Maria Carmelita Padua Dias pela Intrinseca (2012)
>>> Quando Tudo Não é o Bastante de Harold S. Kushner pela Nobel (1999)
>>> Febre de Enxofre de Bruno Ribeiro pela Penalux (2016)
>>> Grandes e novas Invenções de Não informado pela Knorr
>>> No Início - Contos de Adriana Griner pela Biblioteca Pública do Paraná (2014)
>>> Parâmetros Curriculares Nacionais - Vol 6 de Não informado pela Arte (1997)
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Rocco (1988)
>>> Namoro blindado: O Seu Relacionamento à Prova De Coração Parido EAN: 9788578607654 de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2016)
>>> Navegar é preciso de Anaína Amado; Ledonias Franco Garcia pela Atual Didáticos (1989)
>>> Conte-me seus sonhos de Sidney Sheldon pela Record (2000)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Globo/Klick (1997)
>>> O poder das afirmações positivas - Coleção Autoestima EAN: 9788575421680 de Louise Hay pela Sextante (2005)
>>> As Melhores Histórias de Princesas de Monica Rodrigues da Costa e Lidia Chaib Adaptação pela Publifolha (2000)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 24. Crônicas 3º Volume (1871 - 1878) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 23. Crônicas 2º Volume (1864 - 1867) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> A Viola Enluarada De Zequinha Piriri EAN: 9788526231771 de Rosana Rios pela Scipione (1997)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 22. Crônicas 1º Volume (1859 - 1863) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 21. Contos Fluminenses II de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 20. Contos Fluminenses I de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 19. Teatro de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 18. Poesias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 17. Relíquias Da Casa Velha 2º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 16. Relíquias Da Casa Velha 1º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 15. Páginas Recolhidas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> O melhor de Hagar o horrível – vol. 3: 441 EAN: 9788525412195 de Dik Browne pela L&PM Pocket (2007)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 14. Várias Histórias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Dicionário Ilustrado da Língua Portuguesa 7 volumes de Antenor Nascentes pela Bloch (1972)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 13. Histórias sem Datas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 12. Papeis avulsos de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 11. Histórias Românticas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 10. Histórias da Meia Noite de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/4/2012
Tolos Vorazes
Vicente Escudero

+ de 4500 Acessos


Katniss mirando na audiência


Qual o cenário mais improvável sobre o futuro da humanidade que você já imaginou? Seria algo próximo da existência de uma confederação de estados controlada por um Estado opressor e autoritário, que obriga a participação de crianças em uma competição pela sobrevivência? Provavelmente não. Nem mesmo a pior das metáforas sobre o descontrole do poder estatal ou o sonho mais estapafúrdio sobre o clássico O Senhor das Moscas conceberia o que se apresenta no cinema sob o nome de Hunger Games.

A primeira adaptação para o cinema da trilogia criada pela escritora Suzanne Collins tenta explorar temas sérios, utilizando crianças como protagonistas de uma batalha pela sobrevivência promovida pelo que sobrou do governo dos Estados Unidos. Depois de uma guerra interna, o Estado vencedor (a Capital) assumiu o controle do país, agora chamado Panem, e a exploração dos territórios derrotados (onze distritos). Para demonstrar sua supremacia sobre os demais, todos os anos dois jovens de cada um dos doze distritos são escolhidos pelo poder da Capital para participar de uma competição pela sobrevivência chamada Hunger Games, em que apenas um dos participantes, o sobrevivente, pode sair vencedor. Tudo é transmitido pela televisão e controlado pelo poder organizador da Capital, que altera as regras durante a competição e manipula o campo de batalha para interferir no desempenho dos participantes.

O tom épico da história é responsabilidade total da heroína Katniss Everdeen, interpretada por Jenniffer Lawrence. Habitante de um dos estados controlados, o Distrito Doze, e vivendo na pobreza com a mãe e a irmã, a heroína encarna a resistência contra a intimidação da Capital ao assumir a condição de voluntária nos jogos, substituindo sua irmã, Primrose Everdeen, na ocasião da colheita, o sorteio dos participantes da competição em cada um dos distritos.

O roteiro é uma adaptação fiel do primeiro livro de Suzanne Collins. A primeira meia hora do filme é uma reprodução exata do primeiro capítulo do livro. Esta escolha do diretor Gary Ross é inadequada e deixa o espectador perdido porque a estrutura do livro permite a descoberta gradual de todos os elementos que sustentam o núcleo da história, desde a transformação dos Estados Unidos até o passado dos personagens, ao contrário do roteiro do filme, que parte do início do dia da colheita até o resultado final dos jogos sem analisar estas informações vitais, tratando apenas do tempo presente. Este fato compromete a adaptação para o cinema, que não pode ser comparada sequer a uma distopia, pois o ambiente futurístico reproduzido não passa de mise en scène para o excesso de efeitos gráficos e a disputa frenética pela sobrevivência durante os jogos, uma isca fácil para os ingressos do público jovem.

E os problemas do filme não são poucos. Difícil imaginar que uma trilogia como a de Suzanne Collins, voltada para o público juvenil, viesse a se tornar um clássico do cinema depois de adaptada. Entretanto, a seriedade dos temas discutidos nos livros, como os dilemas éticos enfrentados pelo ser humano lutando pela sobrevivência e sua condição perante um Estado assassino e opressor, exige um tratamento cinematográfico menos ingênuo e espalhafatoso para se tornar, no mínimo, relevante. Na sua indefinição entre entretenimento blockbuster e a discussão sobre a condição humana, Hunger Games ficou muito distante do último.

As escolhas dos rumos do filme são confusas e o roteiro é repleto de omissões. Não existe um mundo cercando Panem. Embora os Estados Unidos tenham se tornado esta estranha Confederação contrariando todas as leis internacionais, não existem outros Estados no mundo para questioná-lo. O planeta se resume a Panem matando suas crianças e nada mais. A quarentena dos participantes dos jogos, um período interessante para explorar as emoções e personalidades dos personagens não passa de uma sucessão de demonstrações de habilidades atléticas. A barbaridade dos assassinatos nos jogos é suavizada por efeitos especiais, talvez para diminuir a classificação indicativa do filme, suprimindo também a crítica à violência. Em sua essência, a história é distorcida para acomodar elementos que servem para trazer conforto ao espectador. O resultado é um pastiche de melodramas.

Outro problema é a câmera em movimento constante tentando transmitir de forma descontrolada senso de urgência, durante quase todo o filme. Até mesmo à noite, enquanto Katniss descansa sobre o galho de uma árvore, a câmera não para. Em vez de alcançar a medida dos documentários, o estilo de filmagem só contribui para diminuir a importância das cenas principais e a intensidade da história.

A trilogia literária de Suzanne Collins tem o mérito de deixar para a criatividade do leitor o preenchimento das lacunas de um mundo em escombros. O filme não possui esta característica e deixa de lado os temas principais explorados no livro para apresentar um conjunto de detalhes que serve apenas à satisfação do interesse dos fãs da trilogia. Tudo é muito calculado para não sair do perfil de blockbuster épico, filme com um conjunto de elementos que confortam o espectador e apresentam apenas uma superfície de relevância. As crianças lutam pela sobrevivência, mas essa luta não é tão violenta. Mesmo sendo impossível mais de um vencedor nos jogos, inexplicavelmente, elas se aliam em grupos e dormem lado a lado no campo de batalha, uma espécie de matadouro humano. Nesta mistura de crianças de O Senhor das Moscas com policiais vestidos de Stormtroopers e personagens copiados de O Mágico de Oz, Hunger Games pode ser considerado o maior meme produzido pelo cinema nos últimos tempos.


Vicente Escudero
Campinas, 19/4/2012


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2012
01. A mitologia original de Prometheus - 2/8/2012
02. Ao Sul da Liberdade - 14/6/2012
03. Uma nova corrida espacial? - 17/5/2012
04. Deixa se manifestar - 20/12/2012
05. Tolos Vorazes - 19/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANÁLISE MARXISTA - ARRAIGADOS E FIRMADOS NA CARIDADE - 2379
PEDRO ARRUPE
LOYOLA
(1980)
R$ 10,00



OUTRA AMAZÔNIA HISTÓRICA DA BIBLIOTECA NACIONAL - 9357
DIVERSOS
N/D
(2009)
R$ 10,00



RIR AINDA É O MELHOR REMÉDIO
ROBERT HOLDEN
BUTTERFLY
(2005)
R$ 10,00



PEDAÇOS DE VIDA
OTÁVIO BRAGA
BELO HORIZONTE
R$ 10,00



HISTÓRIAS E FRASES DE EFEITO (PARA APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO) - 9660
ACÁCIO MORAES GARCIA (AUTOGRAFADO)
DO AUTOR
(2010)
R$ 10,00



CEM PEQUENAS POESIAS DO DIA A DIA
ANDRE KONDO
TELUCAZU EDIÇÕES
(2016)
R$ 10,00



XAVIERA - A RAINHA DAS ALICIADORAS
XAVIERA HOLLANDER
RECORD
(1973)
R$ 10,00



LENDAS E MITOS DO BRASIL
THEOBALDO MIRANDA SANTOS
CIA EDIT NACIONAL
(2004)
R$ 10,00



COMO TRABALHAR PARA UM IDIOTA
JOHN HOOVER
FUTURA
(2005)
R$ 10,00



O VALOR DA AMIZADE
ATILANO ALAIZ
PAULINAS
(1986)
R$ 10,00





busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês