Tolos Vorazes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evento de reinauguração da Praça do Centro de Convenções da Unicamp
>>> Oficina Som Entre Fronteiras está com inscrições abertas
>>> Projeto “Curtas de Animação” com estudantes da zona rural de Valinhos/SP
>>> Novos projetos do Festival de Dança de Joinville promovem atividades culturais para 120 alunos
>>> Toca do Morcego anuncia agenda primavera/verão 2022/2023
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
Colunistas
Últimos Posts
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
Últimos Posts
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
>>> Que porcaria
>>> Singela flor
>>> O cerne sob a casca
>>> Assim é a vida
>>> Criança, minha melhor idade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nuvem Negra*
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Os Incríveis
>>> Erik Satie
>>> Ronnie James Dio em 1983
>>> O Leão e o Unicórnio
>>> O outro Carpeaux
>>> Something that grows
>>> Façam suas apostas
>>> Tempo de aspargos
Mais Recentes
>>> Gestão Em Enfermagem : Ferramenta para Prática Segura de Vários pela Yendis (2011)
>>> Clt Universitária - 24ª Ed de Sergio Pinto Martins pela Saraiva (2018)
>>> Seres Proibidos de Marcélio Ávila pela Do Autor
>>> Crenças, Religiões, Igrejas e Seitas: Quem São? de Estevão Tavares Bettencourt pela Nc (1995)
>>> O Manuscrito de Missolonghi de Frederic Priokosch pela Siciliano (1995)
>>> A Ciência Médica de House de Andrew Holtz pela Best Seller (2007)
>>> Pedagogia: Reprodução Ou Transformação de Lauro de Oliveira Lima pela Brasiliense
>>> Introdução ao Mercado de Ações de Comissão Nacional de Bolsas de Valores pela Introdução ao Mercado de Ações (1986)
>>> Reféns no Paraíso de Giselda Laporta Nicolelis pela Quinteto Editorial (1999)
>>> Estrutura e Funcionamento do Ensino de 1ª Grau de Nelson Piletti pela Atica (1989)
>>> Qualidade e Segurança Em Anestesiologia de Fabiane Cardia e Luiz Antonio e Outros pela Sba (2012)
>>> A Viagem de uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (1972)
>>> Chico Buarque de Regina Zappa pela Relume Dumará (1999)
>>> Como Prevenir e Tratar o Câncer Com Medicina Natural de Varios pela Best Seller (2005)
>>> Música Brasileira para Sopros (vol. 1) de Irmãos Vitale pela Irmãos Vitale (2002)
>>> Legislaçao Previdenciaria de Anfip pela Anfip (2000)
>>> Viva Você sem Peixes no Muro de Davi Urias Vidigal pela Nova Letra (2006)
>>> Os Meninos Que Viraram Estrelas de Sávia Dumont pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Controle de Estímulos e Comportamento Operante - uma Introdução de Vários pela Educ (2002)
>>> Orações de Proteção de Carlos Magno Maia Dias pela Madras (2002)
>>> Matemática para o 2º Grau: Curso Completo de Antonio Nicolau Youssef e Outras pela Scipione (1998)
>>> Feng Shui - para Quem Mora Em Apartamento de Richard Webster pela Pensamento (1998)
>>> Renascendo da Dor Aids Principio Ou Fim de Sonia Tozzi Henriques Rodrigues pela Panorama
>>> Só para Gigantes de Gabí Martínez pela Rocco (2013)
>>> Mulher e Família: Diversos Dizeres de Maria Cristina Lopes de Almeida (org) e Outros pela Oficina do Livro (2006)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/4/2012
Tolos Vorazes
Vicente Escudero

+ de 5000 Acessos


Katniss mirando na audiência


Qual o cenário mais improvável sobre o futuro da humanidade que você já imaginou? Seria algo próximo da existência de uma confederação de estados controlada por um Estado opressor e autoritário, que obriga a participação de crianças em uma competição pela sobrevivência? Provavelmente não. Nem mesmo a pior das metáforas sobre o descontrole do poder estatal ou o sonho mais estapafúrdio sobre o clássico O Senhor das Moscas conceberia o que se apresenta no cinema sob o nome de Hunger Games.

A primeira adaptação para o cinema da trilogia criada pela escritora Suzanne Collins tenta explorar temas sérios, utilizando crianças como protagonistas de uma batalha pela sobrevivência promovida pelo que sobrou do governo dos Estados Unidos. Depois de uma guerra interna, o Estado vencedor (a Capital) assumiu o controle do país, agora chamado Panem, e a exploração dos territórios derrotados (onze distritos). Para demonstrar sua supremacia sobre os demais, todos os anos dois jovens de cada um dos doze distritos são escolhidos pelo poder da Capital para participar de uma competição pela sobrevivência chamada Hunger Games, em que apenas um dos participantes, o sobrevivente, pode sair vencedor. Tudo é transmitido pela televisão e controlado pelo poder organizador da Capital, que altera as regras durante a competição e manipula o campo de batalha para interferir no desempenho dos participantes.

O tom épico da história é responsabilidade total da heroína Katniss Everdeen, interpretada por Jenniffer Lawrence. Habitante de um dos estados controlados, o Distrito Doze, e vivendo na pobreza com a mãe e a irmã, a heroína encarna a resistência contra a intimidação da Capital ao assumir a condição de voluntária nos jogos, substituindo sua irmã, Primrose Everdeen, na ocasião da colheita, o sorteio dos participantes da competição em cada um dos distritos.

O roteiro é uma adaptação fiel do primeiro livro de Suzanne Collins. A primeira meia hora do filme é uma reprodução exata do primeiro capítulo do livro. Esta escolha do diretor Gary Ross é inadequada e deixa o espectador perdido porque a estrutura do livro permite a descoberta gradual de todos os elementos que sustentam o núcleo da história, desde a transformação dos Estados Unidos até o passado dos personagens, ao contrário do roteiro do filme, que parte do início do dia da colheita até o resultado final dos jogos sem analisar estas informações vitais, tratando apenas do tempo presente. Este fato compromete a adaptação para o cinema, que não pode ser comparada sequer a uma distopia, pois o ambiente futurístico reproduzido não passa de mise en scène para o excesso de efeitos gráficos e a disputa frenética pela sobrevivência durante os jogos, uma isca fácil para os ingressos do público jovem.

E os problemas do filme não são poucos. Difícil imaginar que uma trilogia como a de Suzanne Collins, voltada para o público juvenil, viesse a se tornar um clássico do cinema depois de adaptada. Entretanto, a seriedade dos temas discutidos nos livros, como os dilemas éticos enfrentados pelo ser humano lutando pela sobrevivência e sua condição perante um Estado assassino e opressor, exige um tratamento cinematográfico menos ingênuo e espalhafatoso para se tornar, no mínimo, relevante. Na sua indefinição entre entretenimento blockbuster e a discussão sobre a condição humana, Hunger Games ficou muito distante do último.

As escolhas dos rumos do filme são confusas e o roteiro é repleto de omissões. Não existe um mundo cercando Panem. Embora os Estados Unidos tenham se tornado esta estranha Confederação contrariando todas as leis internacionais, não existem outros Estados no mundo para questioná-lo. O planeta se resume a Panem matando suas crianças e nada mais. A quarentena dos participantes dos jogos, um período interessante para explorar as emoções e personalidades dos personagens não passa de uma sucessão de demonstrações de habilidades atléticas. A barbaridade dos assassinatos nos jogos é suavizada por efeitos especiais, talvez para diminuir a classificação indicativa do filme, suprimindo também a crítica à violência. Em sua essência, a história é distorcida para acomodar elementos que servem para trazer conforto ao espectador. O resultado é um pastiche de melodramas.

Outro problema é a câmera em movimento constante tentando transmitir de forma descontrolada senso de urgência, durante quase todo o filme. Até mesmo à noite, enquanto Katniss descansa sobre o galho de uma árvore, a câmera não para. Em vez de alcançar a medida dos documentários, o estilo de filmagem só contribui para diminuir a importância das cenas principais e a intensidade da história.

A trilogia literária de Suzanne Collins tem o mérito de deixar para a criatividade do leitor o preenchimento das lacunas de um mundo em escombros. O filme não possui esta característica e deixa de lado os temas principais explorados no livro para apresentar um conjunto de detalhes que serve apenas à satisfação do interesse dos fãs da trilogia. Tudo é muito calculado para não sair do perfil de blockbuster épico, filme com um conjunto de elementos que confortam o espectador e apresentam apenas uma superfície de relevância. As crianças lutam pela sobrevivência, mas essa luta não é tão violenta. Mesmo sendo impossível mais de um vencedor nos jogos, inexplicavelmente, elas se aliam em grupos e dormem lado a lado no campo de batalha, uma espécie de matadouro humano. Nesta mistura de crianças de O Senhor das Moscas com policiais vestidos de Stormtroopers e personagens copiados de O Mágico de Oz, Hunger Games pode ser considerado o maior meme produzido pelo cinema nos últimos tempos.


Vicente Escudero
Campinas, 19/4/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nos porões da ditadura de Luís Fernando Amâncio
02. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
03. Eddie Van Halen (1955-2020) de Julio Daio Borges
04. O artífice do sertão de Celso A. Uequed Pitol
05. Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração de Celso A. Uequed Pitol


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2012
01. A mitologia original de Prometheus - 2/8/2012
02. Ao Sul da Liberdade - 14/6/2012
03. Deixa se manifestar - 20/12/2012
04. Uma nova corrida espacial? - 17/5/2012
05. Tolos Vorazes - 19/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Ursinha e as Borboletas
Susan Quinn, Caroline Pedler
Ciranda Cultural
(2013)



Just in Time! All-new - 30 Minute Meals...
Rachael Ray
Crow Publishers
(2007)



Segredos de Família -
Lisa Wingate
Globo Livros
(2018)



Sabor de Sonho
Claudio Feldman, Claudia Scatamacchia
Moderna
(1994)



Alice no País das Maravilhas
Não Consta
Dcl
(1980)



Sentinelas da Alma
Francisco Cândido Xavier
ideal
(1982)



Centro de Estudos da Antiguidade Greco-romana Ceag - Hypnos Vol 6
Palas Athena
Triom e Educ
(2000)



O Que e Sociologia
Carlos Benedito Martins
Brasiliense
(1994)



Dom Casmurro - Série Bom Livro
Machado de Assis
Atica
(2012)



Qual é a Tua Obra?
Mario Sergio Cortella
Vozes
(2012)





busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês