Tolos Vorazes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
58424 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/4/2012
Tolos Vorazes
Vicente Escudero

+ de 4400 Acessos


Katniss mirando na audiência


Qual o cenário mais improvável sobre o futuro da humanidade que você já imaginou? Seria algo próximo da existência de uma confederação de estados controlada por um Estado opressor e autoritário, que obriga a participação de crianças em uma competição pela sobrevivência? Provavelmente não. Nem mesmo a pior das metáforas sobre o descontrole do poder estatal ou o sonho mais estapafúrdio sobre o clássico O Senhor das Moscas conceberia o que se apresenta no cinema sob o nome de Hunger Games.

A primeira adaptação para o cinema da trilogia criada pela escritora Suzanne Collins tenta explorar temas sérios, utilizando crianças como protagonistas de uma batalha pela sobrevivência promovida pelo que sobrou do governo dos Estados Unidos. Depois de uma guerra interna, o Estado vencedor (a Capital) assumiu o controle do país, agora chamado Panem, e a exploração dos territórios derrotados (onze distritos). Para demonstrar sua supremacia sobre os demais, todos os anos dois jovens de cada um dos doze distritos são escolhidos pelo poder da Capital para participar de uma competição pela sobrevivência chamada Hunger Games, em que apenas um dos participantes, o sobrevivente, pode sair vencedor. Tudo é transmitido pela televisão e controlado pelo poder organizador da Capital, que altera as regras durante a competição e manipula o campo de batalha para interferir no desempenho dos participantes.

O tom épico da história é responsabilidade total da heroína Katniss Everdeen, interpretada por Jenniffer Lawrence. Habitante de um dos estados controlados, o Distrito Doze, e vivendo na pobreza com a mãe e a irmã, a heroína encarna a resistência contra a intimidação da Capital ao assumir a condição de voluntária nos jogos, substituindo sua irmã, Primrose Everdeen, na ocasião da colheita, o sorteio dos participantes da competição em cada um dos distritos.

O roteiro é uma adaptação fiel do primeiro livro de Suzanne Collins. A primeira meia hora do filme é uma reprodução exata do primeiro capítulo do livro. Esta escolha do diretor Gary Ross é inadequada e deixa o espectador perdido porque a estrutura do livro permite a descoberta gradual de todos os elementos que sustentam o núcleo da história, desde a transformação dos Estados Unidos até o passado dos personagens, ao contrário do roteiro do filme, que parte do início do dia da colheita até o resultado final dos jogos sem analisar estas informações vitais, tratando apenas do tempo presente. Este fato compromete a adaptação para o cinema, que não pode ser comparada sequer a uma distopia, pois o ambiente futurístico reproduzido não passa de mise en scène para o excesso de efeitos gráficos e a disputa frenética pela sobrevivência durante os jogos, uma isca fácil para os ingressos do público jovem.

E os problemas do filme não são poucos. Difícil imaginar que uma trilogia como a de Suzanne Collins, voltada para o público juvenil, viesse a se tornar um clássico do cinema depois de adaptada. Entretanto, a seriedade dos temas discutidos nos livros, como os dilemas éticos enfrentados pelo ser humano lutando pela sobrevivência e sua condição perante um Estado assassino e opressor, exige um tratamento cinematográfico menos ingênuo e espalhafatoso para se tornar, no mínimo, relevante. Na sua indefinição entre entretenimento blockbuster e a discussão sobre a condição humana, Hunger Games ficou muito distante do último.

As escolhas dos rumos do filme são confusas e o roteiro é repleto de omissões. Não existe um mundo cercando Panem. Embora os Estados Unidos tenham se tornado esta estranha Confederação contrariando todas as leis internacionais, não existem outros Estados no mundo para questioná-lo. O planeta se resume a Panem matando suas crianças e nada mais. A quarentena dos participantes dos jogos, um período interessante para explorar as emoções e personalidades dos personagens não passa de uma sucessão de demonstrações de habilidades atléticas. A barbaridade dos assassinatos nos jogos é suavizada por efeitos especiais, talvez para diminuir a classificação indicativa do filme, suprimindo também a crítica à violência. Em sua essência, a história é distorcida para acomodar elementos que servem para trazer conforto ao espectador. O resultado é um pastiche de melodramas.

Outro problema é a câmera em movimento constante tentando transmitir de forma descontrolada senso de urgência, durante quase todo o filme. Até mesmo à noite, enquanto Katniss descansa sobre o galho de uma árvore, a câmera não para. Em vez de alcançar a medida dos documentários, o estilo de filmagem só contribui para diminuir a importância das cenas principais e a intensidade da história.

A trilogia literária de Suzanne Collins tem o mérito de deixar para a criatividade do leitor o preenchimento das lacunas de um mundo em escombros. O filme não possui esta característica e deixa de lado os temas principais explorados no livro para apresentar um conjunto de detalhes que serve apenas à satisfação do interesse dos fãs da trilogia. Tudo é muito calculado para não sair do perfil de blockbuster épico, filme com um conjunto de elementos que confortam o espectador e apresentam apenas uma superfície de relevância. As crianças lutam pela sobrevivência, mas essa luta não é tão violenta. Mesmo sendo impossível mais de um vencedor nos jogos, inexplicavelmente, elas se aliam em grupos e dormem lado a lado no campo de batalha, uma espécie de matadouro humano. Nesta mistura de crianças de O Senhor das Moscas com policiais vestidos de Stormtroopers e personagens copiados de O Mágico de Oz, Hunger Games pode ser considerado o maior meme produzido pelo cinema nos últimos tempos.


Vicente Escudero
Campinas, 19/4/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração de Celso A. Uequed Pitol
02. O Quixote de Will Eisner de Celso A. Uequed Pitol
03. Curso de gestão atabalhoada do tempo de Ana Elisa Ribeiro
04. A rede contra as raposas analógicas de Carla Ceres
05. Por falar em outras línguas de Carla Ceres


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2012
01. A mitologia original de Prometheus - 2/8/2012
02. Ao Sul da Liberdade - 14/6/2012
03. Uma nova corrida espacial? - 17/5/2012
04. Deixa se manifestar - 20/12/2012
05. Tolos Vorazes - 19/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRACTICAL PHYSIOLOGICAL CHEMISTRY
PHILIP B. HAWK OLAF BERGEIM
P BLAKISTONS
(1931)
R$ 283,12



EURICO, O PRESBÍTERO
ALEXANDRE HERCULANO
TRÊS
(1972)
R$ 5,00



EDUCAÇÃO E PODER NACIONAL
ANA MARIA MENDONÇA
FUBRA
(1979)
R$ 5,00



SOMBRAS DE UM SEGREDO - ROMANCE MEDIÚNICO
BERENICE GERMANO
VIVALUZ
R$ 41,90



O PROFESSOR REFÉM- PARA PAIS E PROFESSORES ENTENDEREM POR QUE FRACASSA A EDUCAÇÃO NO BRASIL
TANIA ZAGURY
RECORD
(2006)
R$ 34,75



O SEGREDO CHINÊS
CHEN GUIDI; WU CHUNTAO
RECORD
(2008)
R$ 6,90



FIQUE FORTE - VOCÊ PODE SUPERAR O BULLYING
NICK VUJICIC
NOVAS IDÉIAS
(2015)
R$ 20,94



NÃO HÁ VITÓRIA SEM LUTA - PALAVRAS DA VIDA 3
FRAN E JILL SCIACCA
VIDA
(1995)
R$ 8,90



O PORTAL DA FILOSOFIA - VOL. 2
ROBERT ZIMMER
WMF MARTINS FONTES
(2014)
R$ 25,00



FALANDO DE AMOR, DIFICULDADES NO AMOR
FLÁVIO GIKOVATE
CIRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 7,90





busca | avançada
58424 visitas/dia
1,8 milhão/mês