Tolos Vorazes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Sempre mais que um” tem apresentações no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez a 7 capitais
>>> '1798 - Revolta dos Búzios' chega ao cinemas
>>> IV Cinefestival International de Ecoperformance divulga sua programação
>>> O Shopping Praça da Moça debuta com show exclusivo da Família Lima
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Poética do Extravio, Júlio Castañon Guimarães
>>> Armazém de secos e molhados
>>> Uma nova aurora para os filmes
>>> Jornal da Cultura - 17/11/2014
>>> Páginas e mais páginas da vida
>>> No final do telejornal tinha um poeta...
>>> No final do telejornal tinha um poeta...
>>> Máfia do Dendê
>>> CaKo Machini
>>> Alberto Dines sobre a Copa
Mais Recentes
>>> Circuitos Elétricos - Sexta Ed. de James W. Nilsson; Susan A. Riedel pela Pearson Education Do Brasil (2003)
>>> Inteligência Emocional Na Gestão De Resultados de Lee Gardenswartz; Jorge Cherbosque; Anita Rowe pela Laselva (2012)
>>> Os Rolling Stones No Brasil: Do Descobrimento A Conquista, 1968-1999 de Nelio Rodrigues pela Ampersand (2000)
>>> Nosso Lar de Pelo Espirito Andre Luiz, Francisco Candido Xavier pela Feb (2007)
>>> Sinatra de Richard Harvers pela Dorling Kindersley (2004)
>>> O Brasil Em Sobressalto de Oscar Pilagallo pela Publifolha (2002)
>>> O Exercito Brasileiro E A Amazonia - The Brazilian Army And The Amazon de Exército Brasileiro pela Brasilia: Exercito Brasileiro (2024)
>>> Livro Cidadania E Competitividade: Desafios Educacionais Do Terceiro Milênio de Guiomar Namo De Mello pela Cortez (2000)
>>> Historia das Relações Internacionais do Brasil de Raul Mendes Silva / Clóvis Brigagão pela Cebri (2024)
>>> Agulhas Negras de Ac& m pela Ac&m (1993)
>>> As Aventuras De Sherlock Holmes de Arthur Conan Doyle pela Principis (2019)
>>> Dicionário de Espiritualidade de Edições Paulinas pela Edições Paulinas (1989)
>>> Livro Você Globalizado: Dez Estratégias Para Atuar Como Um Executivo Global de Susan Bloch pela Rai (2011)
>>> Riquezas da Mensagem Cristã de D. Cirilo Folch Gomes pela Lumen Christi (1981)
>>> Sistema De Ensino Positivo, 7º Ano - Língua Inglesa Vol. 1,2,3 e 4 de Kenedy Rufino pela Cia. Bras. de Educação e Sistemas de Ensino (2023)
>>> diarios y Memorias de la Guerra del Pacifico Primer Tomo de Arturo Costa de la Torre pela Pacena (1980)
>>> As Aventuras De Pinóquio de Carlo Collodi pela Martin Claret (2002)
>>> The Warren Court And American Politics de Lucas A. Powe Jr. pela Belknap Press: An Imprint Of Harvard University Press (2002)
>>> Livro Professor de 1º Grau : Identidade em Jogo - Magistério Formação e Trabalho Pedagógico de Ezequiel Theodoro da Silva pela Paparius (1995)
>>> Santos de Cada Dia III de José Leite pela Braga
>>> Brasis, Brasil, Brasília de Gilberto Freyre pela Livros do Brasil
>>> Simbiose e Ambiguidade de José Bleger pela Francisco Alves (1985)
>>> Gossip Girl : Nunca Mais ! - Vol. 8 de Cecily Von Ziegesar pela Galera Record (2007)
>>> Crime e castigo vol 1 e vol. 2 de Dostoievski pela Abril (1979)
>>> A Casa Da Praia (pocket) de Beth Reekles pela Astral Cultural (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/4/2012
Tolos Vorazes
Vicente Escudero
+ de 5400 Acessos


Katniss mirando na audiência


Qual o cenário mais improvável sobre o futuro da humanidade que você já imaginou? Seria algo próximo da existência de uma confederação de estados controlada por um Estado opressor e autoritário, que obriga a participação de crianças em uma competição pela sobrevivência? Provavelmente não. Nem mesmo a pior das metáforas sobre o descontrole do poder estatal ou o sonho mais estapafúrdio sobre o clássico O Senhor das Moscas conceberia o que se apresenta no cinema sob o nome de Hunger Games.

A primeira adaptação para o cinema da trilogia criada pela escritora Suzanne Collins tenta explorar temas sérios, utilizando crianças como protagonistas de uma batalha pela sobrevivência promovida pelo que sobrou do governo dos Estados Unidos. Depois de uma guerra interna, o Estado vencedor (a Capital) assumiu o controle do país, agora chamado Panem, e a exploração dos territórios derrotados (onze distritos). Para demonstrar sua supremacia sobre os demais, todos os anos dois jovens de cada um dos doze distritos são escolhidos pelo poder da Capital para participar de uma competição pela sobrevivência chamada Hunger Games, em que apenas um dos participantes, o sobrevivente, pode sair vencedor. Tudo é transmitido pela televisão e controlado pelo poder organizador da Capital, que altera as regras durante a competição e manipula o campo de batalha para interferir no desempenho dos participantes.

O tom épico da história é responsabilidade total da heroína Katniss Everdeen, interpretada por Jenniffer Lawrence. Habitante de um dos estados controlados, o Distrito Doze, e vivendo na pobreza com a mãe e a irmã, a heroína encarna a resistência contra a intimidação da Capital ao assumir a condição de voluntária nos jogos, substituindo sua irmã, Primrose Everdeen, na ocasião da colheita, o sorteio dos participantes da competição em cada um dos distritos.

O roteiro é uma adaptação fiel do primeiro livro de Suzanne Collins. A primeira meia hora do filme é uma reprodução exata do primeiro capítulo do livro. Esta escolha do diretor Gary Ross é inadequada e deixa o espectador perdido porque a estrutura do livro permite a descoberta gradual de todos os elementos que sustentam o núcleo da história, desde a transformação dos Estados Unidos até o passado dos personagens, ao contrário do roteiro do filme, que parte do início do dia da colheita até o resultado final dos jogos sem analisar estas informações vitais, tratando apenas do tempo presente. Este fato compromete a adaptação para o cinema, que não pode ser comparada sequer a uma distopia, pois o ambiente futurístico reproduzido não passa de mise en scène para o excesso de efeitos gráficos e a disputa frenética pela sobrevivência durante os jogos, uma isca fácil para os ingressos do público jovem.

E os problemas do filme não são poucos. Difícil imaginar que uma trilogia como a de Suzanne Collins, voltada para o público juvenil, viesse a se tornar um clássico do cinema depois de adaptada. Entretanto, a seriedade dos temas discutidos nos livros, como os dilemas éticos enfrentados pelo ser humano lutando pela sobrevivência e sua condição perante um Estado assassino e opressor, exige um tratamento cinematográfico menos ingênuo e espalhafatoso para se tornar, no mínimo, relevante. Na sua indefinição entre entretenimento blockbuster e a discussão sobre a condição humana, Hunger Games ficou muito distante do último.

As escolhas dos rumos do filme são confusas e o roteiro é repleto de omissões. Não existe um mundo cercando Panem. Embora os Estados Unidos tenham se tornado esta estranha Confederação contrariando todas as leis internacionais, não existem outros Estados no mundo para questioná-lo. O planeta se resume a Panem matando suas crianças e nada mais. A quarentena dos participantes dos jogos, um período interessante para explorar as emoções e personalidades dos personagens não passa de uma sucessão de demonstrações de habilidades atléticas. A barbaridade dos assassinatos nos jogos é suavizada por efeitos especiais, talvez para diminuir a classificação indicativa do filme, suprimindo também a crítica à violência. Em sua essência, a história é distorcida para acomodar elementos que servem para trazer conforto ao espectador. O resultado é um pastiche de melodramas.

Outro problema é a câmera em movimento constante tentando transmitir de forma descontrolada senso de urgência, durante quase todo o filme. Até mesmo à noite, enquanto Katniss descansa sobre o galho de uma árvore, a câmera não para. Em vez de alcançar a medida dos documentários, o estilo de filmagem só contribui para diminuir a importância das cenas principais e a intensidade da história.

A trilogia literária de Suzanne Collins tem o mérito de deixar para a criatividade do leitor o preenchimento das lacunas de um mundo em escombros. O filme não possui esta característica e deixa de lado os temas principais explorados no livro para apresentar um conjunto de detalhes que serve apenas à satisfação do interesse dos fãs da trilogia. Tudo é muito calculado para não sair do perfil de blockbuster épico, filme com um conjunto de elementos que confortam o espectador e apresentam apenas uma superfície de relevância. As crianças lutam pela sobrevivência, mas essa luta não é tão violenta. Mesmo sendo impossível mais de um vencedor nos jogos, inexplicavelmente, elas se aliam em grupos e dormem lado a lado no campo de batalha, uma espécie de matadouro humano. Nesta mistura de crianças de O Senhor das Moscas com policiais vestidos de Stormtroopers e personagens copiados de O Mágico de Oz, Hunger Games pode ser considerado o maior meme produzido pelo cinema nos últimos tempos.


Vicente Escudero
Campinas, 19/4/2012

Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2012
01. A mitologia original de Prometheus - 2/8/2012
02. Ao Sul da Liberdade - 14/6/2012
03. Deixa se manifestar - 20/12/2012
04. Uma nova corrida espacial? - 17/5/2012
05. Tolos Vorazes - 19/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Economia Internacional Teoria e Política
Paul R Krugman; Maurice Obstfeld
Makron Books
(1999)



Nunquam
Lawrence Durrell
Expressão e cultura
(1971)



Divina Flor 409
Marcos Santarrita
Global
(2000)



Livro de Bolso Saúde Como Cuidar da Sua Coluna? Coleção Questões Fundamentais da Saúde
Patrícia Horta Andrade e Ângelo Robert Gonçalves
Paulus
(2004)



Guia Visual: Folha De São Paulo: Europa
Vários Autores
Publifolha
(2011)



Livro de Bolso Religião O Grande Conflito
Ellen G. White
Casa
(1995)



Livro Ciência Política Os Intelectuais e o Poder Dívidas e Opções dos Homens de Cultura na Sociedade Contemporânea (Biblioteca Básica)
Norberto Bobbio
Unesp
(1997)



Livro Turismo Nova York Guia da Cidade
Lonely Planet
Globo
(2011)



Criatividade - Progresso e Potencial
Calvin W. Taylor
Ibrasa
(1964)



Os Segredos da Negociação
Juliet Nierenberg
Publifolha
(2003)





busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês